[RESENHAS][carousel][5]

20/01/2017

[RESENHA #164] BECO DA ILUSÃO - MALLEREY CÁLGARA

06:58

Título: Beco da Ilusão
Autor: Mallerey Cálgara
Editora: Mundo Uno
Páginas: 280
Ano: 2016
ISBN: 9788567218069
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Sou Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como a de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária. Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu. Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós. Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente. Meus sonhos desabrocharam em contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo: queria ser bailarina. Sempre pegava as roupas de mamãe, escondida, e rodopiava no fundo do quintal. Isso me fazia feliz. Mas, um dia, meus sonhos desmoronaram e minha vida mudou completamente: os nazistas invadiram nossa casa, e fui levada para um lugar de prostituição. Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no “Beco da Ilusão”.

Resenha: Em Beco da Ilusão Mallerey Cálgara nos apresenta a história de Yidish, uma garotinha que tem nove anos que mora com seus irmãos e pais em Kanobat na Bulgária. Tudo muda na vida de Yidish quando seu pai recebe de herança uma gráfica e com isso eles se mudam para Berlim, em 1931, anos antes de eclodir a Segunda Grande Guerra Mundial. 


Na nova cidade, a pequena Yidish conhece um local que a fascina, pois descobre sua paixão pelo ballet, ela se encanta com tudo que vê e acaba ficando envolta em problemas e enrascadas. É nesse teatro em que ocorrem apresentações de ballet que ela conhece Anton, ele é filho de um dos seguranças, assim como conhece Erdmann, primo de Anton.

"Berlim agora não era para mim só uma cidade encantadora, mas havia se tornado a melhor cidade do mundo. Ela havia me apresentado o balé." p. 25.

Com o tempo uma bela amizade floresce entre os três jovens, juntos eles se divertem e dividem bons momentos. Contudo essa felicidade dura pouco, os anos passam e o Partido Nazista com toda a sua perseguição aos judeus ganha força. Adolescente, Yidish sofre com toda a sua família, restrições são impostas aos judeus e sua família passa a viver quase sempre trancada, com medo e receios, temendo pelo pior. Uma das poucas felicidades que ainda tem é a companhia de Anton, o que ameniza a vida sombria que vai levando.

"A alegria em nossos corações foi reduzida, fazendo-me questionar se poderíamos ser felizes novamente. O que mais roubariam de nós?" p. 60.

Um certo dia, sua casa é invadida por soldados nazistas, a adolescente é separada de sua família e enviada para um campo de concentração. Yidish repleta de temores, teme que nunca mais possa ver as pessoas que ama, ainda sofre os horrores que os nazistas implicam aos judeus. Porém, o que a garota não sabe é que o destino vai fazer com que figuras do passado voltem a cruzar a sua vida. Antes que possa encontrar algumas pessoas importantes em sua vida, Yidish passa por privações e provações terríveis, algo que transformará a sua vida e personalidade.

"À medida que os meses se transformaram em anos, a centelha da esperança que o meu salvador viria me resgatar foi diminuindo." p. 97.

Opinião: Beco da Ilusão é narrado em primeira pessoa e Mallerey apresenta ao leitor uma trama muito bem desenvolvida, impressionando com uma ambientação perfeita. A autora consegue transmitir de forma consistente e com muita nitidez o período nefasto e histórico da Segunda Grande Guerra Mundial em que a obra se ambienta.
A história apresentada pela autora é cativante e envolvente, nos presenteia demonstrando a história e toda a força de Yidish, que em um período terrível de sua vida, jamais abandonou a esperança diante de toda a desumanidade e covardia praticada aos judeus durante o período que Hitler liderou a Alemanha Nazista.
Esse é um drama histórico imponente, que nos faz refletir sobre a brevidade da vida, a falta de amor ao próximo, as atrocidades que o ser humano pode cometer ao outro, sobre também tudo o que fazemos da nossa vida e que podemos melhorar, além de nunca perder a esperança. 
O final do livro me deixou sem palavras, são diversos sentimentos que a autora consegue despertar no leitor. Mallerey surpreende com o desfecho da obra de forma sensacional. Recomendo a leitura de Beco da Ilusão, é um livro intenso e emocionante, que abala nossas estruturas.
A edição está impecável, o livro tem diversos detalhes, desenhos, imagens da época e também citações de Adolf Hitler. Outro detalhe importante são as notas explicativas e alguns acontecimentos históricos que apareceram durante o livro, detalhes esses que enriqueceram a obra. A diagramação está perfeita, a fonte está em tamanho confortável e a obra ainda tem as folhas amareladas.

18/01/2017

[RESENHA #163] HORROR NA COLINA DE DARRINGTON - MARCUS BARCELOS

12:14

Título: Horror na Colina de Darrington
Autor: Marcus Barcelos
Editora: Faro Editorial
Páginas: 144
Ano: 2016
ISBN: 9788562409790
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil. No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga que abriga mistérios e parece próxima do inferno. Dez anos depois, Ben decide contar tudo o que viveu, desvendando uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade. Onde termina o inferno e começa a realidade?

Resenha: Horror na Colina de Darrington é uma obra de Marcus Barcelos e vamos acompanhar a história de Benjamin Simons (Ben ou Benny), um jovem rapaz que cresceu em orfanatos e pouco sabia sobre o seu passado. Ben quando tinha apenas 17 anos, foi viver na casa dos tios Romeo e Júlia, localizado em South Hampton, com o objetivo de ajudar a cuidar de sua prima Carla de apenas cinco anos, pois sua tia Júlia havia sofrido um forte derrame, deixando-a em estado vegetativo e sua filha mais velha, Amanda, morava na cidade de Derry, onde estudava em uma faculdade local e Carlinha precisava de companhia.

Para Ben a sua estadia parecia que seria tranquila, porém tornou-se um terrível pesadelo, pois o jovem rapaz começou a presenciar situações estranhas no interior da casa. Tudo começou em uma determinada madrugada, quando ao descer até o primeiro andar da casa para beber um pouco de água, se deparou com sua prima Carlinha, sentada, fazendo caretas do "nada". Benny ficou intrigado com tal situação e pediu para a sua prima explicar o que estava fazendo por ali, foi quando ele teve uma visão de uma mulher pendurada em uma das vigas com uma corda no pescoço.

"Pendurada pelo pescoço, sugava o ar em desespero, sufocando, os olhos arregalados. Balançava debilmente para os lados, com as duas mãos às costas. Abaixo dela, estava o homem com a camisa xadrez vermelha do meu pesadelo." p. 32.

Em dada oportunidade, Benny entra em contato com o tio, que está passando alguns dias fora de casa por causa do trabalho e explica toda a situação que ele e Carlinha estão vivenciando. Por sua vez, Romeo diz ao jovem rapaz para cuidar e proteger Carlinha, para não deixar a menina sozinha até que ele chegue em casa.

Foi desse momento em diante que a vida de Benjamin Simons vira de cabeça para baixo, pois entra na trama um grupo satanista, a escuridão toma conta da casa com um mal antigo tentando entrar no mundo dos homens e vemos que Ben não estava preparado para enfrentar esses novos desafios em sua vida, porém ele precisa lutar contra tudo se quiser a sua sobrevivência bem como da sua prima Carlinha.

"Eu nunca havia notado como a aparência dele podia ser ameaçadora. Seus cabelos loiros, outrora sempre penteados, estavam desgrenhados e molhados de suor. Seus olhos castanhos faiscavam. Ele exalava o mal." p. 69.

Opinião: Horror na Colina de Darrington, é um thriller de suspense, narrado em primeira pessoa, pela ótica de Benjamin Simons (Ben). Marcus Barcelos nos apresenta uma obra curta, de leitura muito fluída, com diversos detalhes capazes de deixar o leitor envolvido.

A obra é um um suspense psicológico e sobrenatural. Em diversos momentos eu recriei algumas cenas enquanto lia, pois as cenas são bem descritas, e parecia que eu estava assistindo um filme. Achei muito legal a jogada temporal presente na obra, o autor nos leva para acompanhar o presente e passado de Ben, focando mais no passado.
Em alguns momentos o autor nos deixa intrigado sobre a real sanidade do personagem. Isso foi algo instigante. Existe também no início de alguns capítulos, recortes de jornais, arquivos do departamento de polícia local, informações essas que enriquecem a obra. Eu recomendo a leitura de Horror na Colina de Darrington. Trata-se de uma obra de ficção nacional cheia de qualidades.

A Faro Editorial caprichou no projeto gráfico, pois o livro é repleto de detalhes. A capa ficou sensacional e bem sombria. As bordas estão na cor preta, as fontes apresentadas estão em um tamanho bastante confortável e o livro ainda vem em folhas grossas e amareladas, algo que dou muito importância, pois tenho fotossensibilidade e isso cansa menos a minha leitura. Agora é esperar a continuação, que provavelmente será lançada nesse ano de 2017.

17/01/2017

[CULTURA EM LETRAS EDIÇÕES] ANTOLOGIA - CHAMADA OFICIAL

07:00
A Cultura em Letras Edições, orgulhosamente, apresenta sua “Antologia 2017” para seleção de autores em suas próximas publicações. Serão três coletâneas de contos, nos gêneros de terror, suspense e fantasia.

Os participantes deverão apresentar, em textos com até dez laudas, em formato Word, contos inéditos sobre os gêneros propostos, informando o tema escolhido em seu trabalho.

Os selecionados, sem distinção de números de autores, receberão, via email, a proposta de edição para a efetivação no projeto., em seguida a assinatura do contrato de edição e publicação.

Para mais detalhes e informações sobre o projeto, os interessados devem contatar a editora pelo email culturaemletras@gmail.com

16/01/2017

[RESENHA #162] TRONOS & OSSOS - JORNADA NO GELO - LOU ANDERS

11:32

Título: Jornada no Gelo (Tronos & Ossos #1)
Autor: Lou Anders
Editora: Jangada (Grupo Editorial Pensamento)
Páginas: 344
Ano: 2016
ISBN: 9788555390685
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Trolls fedidos, zumbis ameaçadores e um dragão cuspidor de fogo não são páreo para Karn e Thianna, dois heróis cheios de coragem e inteligência. Karn vive em uma terra fantástica em outro universo, mas com uma cultura semelhante à viking, e é um gamer compulsivo. Thianna é fera em esportes violentos, e mora na terra dos gigantes, porém é metade humana e metade gigante. Os dois se conhecem em um posto de comércio que acontece anualmente no acampamento dos Gigantes. Quando intrigas de família obrigam Karn e Thianna a fugirem, os dois voltam a se encontrar e agora passam a enfrentar situações apavorantes e percebem que precisam unir forças para vencer seus inimigos e desvendar segredos e traições que podem mudar suas vidas para sempre.

Resenha: 
Em Tronos & Ossos – Jornada de Gelo, vamos acompanhar a história de Karn Korlundsson [Carn CÓR-lând-sÂn], um garoto que cresceu na grande fazenda de seu pai, Korlundr hauld Kolason [CÓR-lÂn-dur róud CÓ-lâ-sân] em Norrøngard [NOR-run-gard], que é a terra habitada pelos humanos. Karn, um dia, assim como seu pai o fez, terá que tomar seu lugar como um hauld [róud], que é o posto mais alto que uma pessoa pode atingir, que consiste em ser dono de uma grande fazenda por seis ou mais gerações. O grande problema nisso tudo, é que Karn não está nem um pouco interessado. A única coisa que ele deseja é jogar Tronos & Ossos, que é um jogo de tabuleiro bastante popular, e sair para conhecer o mundo além de Norrøngard. Ele prefere que o cargo vá para seu tio, irmão gêmeo de seu pai, Ori [óri], um homem sarcástico e preguiçoso.

“Karn não gostava de pensar nisso. Seu pai era o hauld e sempre seria. O título se referia a um fazendeiro cuja família possuía uma propriedade por seis gerações ou mais. Afora ser um Jarl, ou Alto Rei, era simplesmente a melhor posição que alguém podia almejar em Norrøngard. Mas havia mais coisas na vida do que a agricultura. Havia todo um mundo lá fora que ele desejava ver. Tronos e Ossos era sua única fuga da mesmice da vida agrícola.” p. 21.

Também iremos acompanhar as aventuras de Thianna. Metade humana e metade gigante do gelo, ela vive em um vilarejo chamado Platô de Gunnlod [GÂN-lod] no alto da cordilheira de Ymir [ai-MIR], a terra dos gigantes do gelo. Porém, Thianna, por ser mestiça, é perseguida por alguns gigantes que não a recebem de bom grado, como Trudgelmir [TRUD-gul-mir], o gigante valentão que vive numa eterna luta com ela, principalmente depois de perder em Knattleikr [nat-LÁIQUE-er], um esporte bastante violento entre os gigantes. Thianna é inteligente, encrenqueira, esquentada e só deseja ser reconhecida como uma gigante de verdade em sua terra natal.

“- Eu gostaria que fosse. Queria ser completamente gigante e nada mais. Ela não se virou em direção ao pai, mas pôde ouvir o roçar de couro e peles quando ele mudou de posição e afundou no banco, como se estivesse suspirando com o corpo inteiro.”  p. 44.

Vendo a angústia da filha, Magnilmir [MAG-nil-mir], um gigante gentil e bondoso, além de habilidoso em trabalhos manuais, conta a história de como conheceu sua mãe Talária e, por fim, lhe entrega uma lembrança que pertenceu ao povo dela. Um artefato de metal com a forma de um chifre. No dia seguinte, ele a leva até Eggthoda [é-gui-TÓ-da], um tipo de bruxa da cidade, que vai ensinar e ajudar Thianna encontrar seu lugar no mundo.

“Olá, Thianna! - recepcionou-a Eggthoda. Thianna resmungou alguma coisa em resposta. Se a gigante se ofendeu, não demonstrou. - Só estou aplicando um encantamento de congelação a um conjunto de canecas – Eggthoda continuou -, mas, se você me der um minuto, já falarei com você.” p. 63.

A cada seis meses os humanos da fazenda de Korlundr e os gigantes do Platô de Gunnlod [GÂN-lod] se confraternizavam em um lugar chamado Baile de Dragões durante uma semana. E foi nesse lugar, decorado com cabeças de dragões de pedra, que nossos heróis, Korn e Thianna, acabaram se conhecendo, tendo em vista que seus pais eram amigos e faziam seus negócios já há bastante tempo. Claro que, apesar das diferenças, ambos acabaram se tornando amigos.

Numa de suas andanças, eles encontram os Montes Sepulcrais, onde foi enterrado o temível Helltoppr [RÉU-to-per], o último capitão do Navio-dragão, chamados de Dracar, e o último real conquistador humano de Norrøngard. Diz a lenda que ele se tornou um draug [DRÁU-gue], um zumbi de sepultura que guarda a riqueza acumulada em vida.

No último dia da semana de confraternização no Baile dos Dragões, um acontecimento terrível, faz com que Karn tenha que fugir e deixar tudo para trás para poder sobreviver.

Já Thianna, ao chegar em seu vilarejo, descobre que existem pessoas que estão à sua procura e estão dispostas a qualquer coisa para capturá-la. Sem ter outra opção, ela acaba fugindo para que sua família e seus amigos do vilarejo não sofram represálias por causa dela. Nessa fuga desenfreada de nossos heróis, eles acabam se encontrando e juntando forças para conseguirem ficar vivos.

Perseguidos por draugs, trolls e guerreiras montadas em Wyverns [Vi-VERNS], um tipo de réptil alado, que tem cabeça de serpente, um longo pescoço, asas, duas pernas e uma cauda serrilhada, ainda terão que dar conta de conseguirem sobreviver ao encontro com o terrível e temido dragão Orm Hinn Langi [orm rin LÂN-gui] ou Orm, que vive em Sardeth [SAR-déf] uma cidade em ruínas.

Opinião: Tronos & Ossos – Jornada no Gelo, é pura diversão. Com uma linguagem um pouco mais despojada, Lou Anders, nos faz querer saber mais e mais da história de Karn e Thianna, a cada página virada. É uma leitura agradável e muito divertida. Temos, zumbis, dragões, traição, tesouro, lendas, um pouco de magia e ação, muita ação. 
É muito legal ver as criaturas interagindo com os heróis da história, como por exemplo os Trolls. Eles são criaturas asquerosas, terríveis, comem carne, humana ou não, mas você acaba torcendo para que eles aparecam em cada interação no livro, de tão divertidos que eles são. Também, não tem como não se lembrar de Smaug, quando Orm aparece na história, triunfante e letal, mas isso não degrada em nada a história de Trono & Ossos – Jornada no Gelo, pelo contrário, é um prazer maior.
Outra coisa bacana do livro, é que no final, além do glossário, o autor nos apresenta as Regras do Jogo Tronos & Ossos, para montar e jogar com os amigos esse jogo de tabuleiro que é bem conhecido entre os personagens da nossa história.
A edição de Tronos & Ossos – Jornada no Gelo, foi feita no Brasil pela editora Jangada e de uma forma bem cuidadosa. O livro tem folhas levemente amareladas, contém mapa e a cada capítulo uma pequena ilustração. A capa é de um material brilhante, como verniz, e o logo do livro é em alto-relevo. 
Apesar de ser uma edição em brochura, foi muito bem acabada e diagramada. Tronos & Ossos – Jornada no Gelo [Frostborn], faz parte de uma trilogia que é seguida por Nightborn e Skyborn. Como eu sempre digo e realmente gosto de dizer de uma obra como essa: Imperdível!!

13/01/2017

[RESENHA #161] MONGE GUERREIRO - ROMULO FELIPPE

13:27

Título: Monge Guerreiro
Autor: Romulo Felippe
Editora: Drakkar
Páginas: 420
Ano: 2016
ISBN: 9788593330001
Onde Comprar: Monge Guerreiro

Sinopse: Maior rei da história da França, Luiz IX (hoje São Luiz) determina que duas das mais importantes relíquias do Cristianismo sejam transportadas dos confins da Terra Santa e da Grécia binzantina até o coração do seu reino. De Jerusalém partem os valentes Cavaleiros Templários liderados pelo grão-mestre Christopher Blancher, um experiente combatente que carrega preso à armadura a coroa mais poderosa do mundo; do Monte Meteóra, e por decisão do destino – quiçá divina –, parte o monge ortodoxo Bastian Neville, um dissidente da Ordem do Templo, cuja missão é levar de encontro aos antigos irmãos de armas a Lança de Longinus. Entre as duas relíquias sagradas, entretanto, há um rei pagão de nome Slatan Mondragone. Sua missão? Reduzir a pó todos os reinos Cristãos. E para isso uma profecia deverá ocorrer na boca do Vesuvius, o vulcão mais furioso da Europa. Com mais de oitenta personagens e combates épicos – eclodindo em um final apoteótico no coração de Veneza – Monge Guerreiro narra não uma, mas diversas odisseias no coração negro do século XIII.

Resenha: Em Monge Guerreiro somos levados pelo autor para o ano de 1238 para o Oriente Médio e Europa. Nós vamos acompanhar durante a leitura três personagens principais e suas motivações. Temos Slatan Mondragone, descendente da Ordem do Dragão e conhecido como Rei Negro. Slatan é comandante de 7 mil guerreiros e que busca vingança por humilhações e derrotas sofridas pelo seu pai Gökhan Mongradone no passado. Slatan é um líder e guerreiro implacável, muito cruel e calculista, ele foi treinado e preparado por Nuray, um mago secular, desde a sua infância.

"Com exatos dois metros de altura, o Rei Negro assusta ainda mais pela rouquidão. A voz rouca parece entoar o som de um trovão. Sua armadura é coberta pela grossa pele de um urso negro enquanto o enorme machado de dois gumes está sempre ao alcance de suas mãos. A densa barba e os cabelos longos e esvoaçados tornam sua expressão ainda mais severa, ressaltando os olhos enegrecidos como a noite." p. 25.

O segundo personagem e não menos importante é Bastian Neville, ele foi cavaleiro da Ordem dos Templários, portador da espada Viacrucis. Neville é  um desertor da Ordem, isso aconteceu devido às crueldades que praticou e presenciou durante as cruzadas. Bastian em dada oportunidade é acolhido em um mosteiro de monges miguelinos no Monte Meteóra, na Grécia, fazendo votos como nunca mais assassinar alguém.

Tudo muda na vida calma e pacífica de Bastian, pois ele é designado para transportar uma relíquia sagrada, a lança do destino da Grécia até a França. Essa lança foi utilizada pelo centurião romano Longinius que trespassou, perfurou o tórax de Jesus Cristo pregado na cruz. A missão de Bastian é levar a lança para o Rei Luis IX, de forma que ele possa proteger a relíquia e ao mesmo tempo se necessário, utilizar para abençoar a França.

"Atordoado pelo sonho negro e intenso, ele se vê ainda menino com pouco mais de doze anos. Doze anos! Olha em volta e observa que está acompanhado de muitas centenas, provavelmente milhares de crianças e adolescentes. Empunha espadas, escudos, lanças e machados. Vê estandartes com a cruz cristã tremulando nos ares. Pisa em um chão desértico. Está na Terra Santa, na lendária Cruzada das Crianças." p. 77.

Por fim, temos Christopher Blanche, lendário Grão-Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários. Blanche é um guerreiro já idoso, participou de diversas cruzadas, presenciou e vivenciou diversas batalhas, é muito famoso e portador da espada Dente do Dragão, a qual utilizou para ceifar a vida dos inimigos de Cristo. Blanche tem como missão transportar e proteger outra relíquia sagrada muito importante, a coroa de espinhos que fui utilizada por Jesus Cristo em sua crucificação, devendo levar esta até a França.


"E Blanche mostra porque é de fato o 'leão-mor'. Mesmo sua avançada idade não o impede de lutar bravamente, não mais com a força de antes, mas com a inteligência de agora. A primeira centena de hunos cai como folhas de inverno diante da voracidade templária." p. 182.

Blanche e Bastian, cada um em seus caminhos, enfrentam diversas dificuldades, enfrentam inimigos, privações de alimentos e água, que são escassos, bem como utilizam-se de lugares improvisados para dormirem. Blanche tem a companhia dos irmãos e cavaleiro da Ordem dos Templários e por outro lado, Bastian tem uma guerreira mongol conhecida como Setseg, descendente e neta do maior líder Mongol de todos os tempos, Genghis Kahn. A jovem guerreira deverá acompanhá-lo e protegê-lo até seu último destino antes da França, que é chegar na intransponível fortaleza de Orhan no reino da Bulgária.
Opinião: Monge Guerreiro é de autoria do autor capixaba Romulo Felippe e ele cria um universo maravilhoso, nos apresentando o Oriente Médio e a Europa em plena idade média. A obra é repleta de informações históricas, como os movimentos dos cruzados, as batalhas entre cristãos e infiéis, existe todo um clima de rancor e ódio entre ambos os lados.
Ressalto como aspectos positivos o fato da obra ser repleta de combates, seja duelos ou mesmo entre forças armadas e nesses momentos o autor faz belas descrições dos embates, onde sangue e vísceras apresentadas ao leitor. Romulo Felippe ainda faz uma abordagem sobre a peste negra, pandemia que assolou a Europa, causando a morte de mais ou menos um terço da população européia.
A obra conta ainda com alguns momentos em que a magia negra é utilizada como uma forma de captação de força e demonstração de poder. Outro aspecto importante para deixar explícito é a abordagem histórica religiosa presente no livro, existindo toda uma explicação sobre o funcionamento de um mosteiro de monges miguelinos, a subordinação dos templários em face ao papa, a influência do papa nas cruzadas e reinos cristãos.
Eu simplesmente amei a leitura de Monge Guerreiro, isso devido a leitura ter fluído muito bem, é uma obra envolvente, fica ao meu ver entre uma fantasia medieval e uma ficção histórica, pois consegue balancear elementos de ambos os gêneros, tendo magia e elementos históricos, além é claro de muitos combates. Recomendo a leitura para todos, esse é um livro excepcional e rico em detalhes.
A edição está maravilhosa, as ilustrações foram feitas pelo jovem Josué Silva ou JD Burton, que é portador de uma rara síndrome degenerativa. O livro conta ainda com um mapa demonstrando as movimentações das ordens dos templários pela Europa em direção ao Oriente Médio como Jerusalém e Damasco. A edição conta ainda com imagens de importantes personagens, estas aparecem antes de iniciar cada capítulo do livro. Ao final de Monge Guerreiro, existem notas do autor e um glossário com os nomes dos personagens e breves comentários.

[RESENHA #160] THE HEART OF BETRAYAL - MARY E. PEARSON

12:33

Título: The Heart Of Betrayal - Crônicas de Amor e Ódio #2
Autor: Mary E. Pearson
Editora: Darkside Books
Páginas: 402
Ano: 2016
ISBN: 9788594540119
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Em The Heart of Betrayal — Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.

Resenha: The Heart of Betrayal é o segundo volume da trilogia "Crônicas de Amor e Ódio", escrito por Mary E. Pearson, trata-se da continuação do livro The Kiss of Deception. O presente volume inicia-se com a chegada da princesa Lia de Morrighan e Rafe, príncipe de Dalbreck no reino de Venda, eles foram levados para lá por Kaden. Logo ao chegar em Venda, Lia fica surpresa com a imponência das grandes muralhas que protegem o reino, que por sinal é retalhado, dividido e comandado por diversos governadores.

"Porém, enquanto Venda me engolia, enquanto as muralhas disformes e centenas de faces curiosas se aproximavam de mim, enquanto eu ouvia os ribombos de correntes e a ponte baixava atrás de mim, desligando-me do restante do mundo, eu sabia que meus passos precisavam ser certeiros." p. 11.

Em situações delicadas, agora em Venda, Rafe e Lia precisam agir conforme os acontecimentos se desdobram, pois precisam preservar a própria segurança, até que possam encontrar uma forma de se livrarem da situação precária em que se encontram. Enquanto isso o Komizar de Venda, arquiteta friamente alguns planos para Rafe e Lia, dificultando ainda mais a vida dos dois.

"Ele podia ter fingido suspeitas, mas vi a fome em seus olhos quando expus o plano. Havia apenas uma coisa que alguém com grande poder desejava. Mais poder." p. 114.

Vemos um clima muito hostil, a tensão permeia a vida de Rafe e Lia, nesse ambiente, eles procuram criar laços de aliança, que são de extrema importância para eles. Eles recebem gestos de boas-vindas do clã Meurasi, além disso, tem apoio de Aster, Yvet e Zekiah, crianças que moram no reino de Venda e em diversas oportunidades buscam ajudar Rafe e Lia.

"Já estava um tanto tarde, mas, enquanto Aster dormia segurando o lenço de pescoço apertado em sua mão, eu me sentei no tapete de peles no meio do quarto e fiquei olhando para os livros que apareceram em cima da minha cama." p. 221.

Em certa oportunidade, Lia aprende muito do idioma vedano e traduzindo os livros que trazem a Canção de Venda, ela acaba por descobrir que os textos sagrados Morrgiheses que ela lia quando era criança, estavam errados. Os textos mostravam uma visão diferente do seu mundo, além de quem realmente foi Morringhan e quem foi Venda.

Durante a trama observamos que O Dom está cada vez mais presente na vida de Lia, ela sente algo se agigantando, pressente que algo está para acontecer, porém leva um bom tempo para Lia descobrir o que é, além do impacto que pode ocasionar em sua vida.

Opinião: Mary E. Pearson nos apresenta em The Heart of Betrayal uma narrativa muito fluída, com diversas descrições dos cenários e isso enriquece a trama. Os personagens são envolventes, além disso os personagens secundários são bem desenvolvidos e alguns importantes na trama. Existe assim como no volume anterior, um triângulo amoroso.
The Heart of Betrayal é uma obra que mantém a qualidade vista em The Kiss of Deception, tem um brilho próprio e nos surpreende. A trama em alguns momentos consegue ter uma pegada mais forte, pois existem diversas mortes. Outro aspecto positivo é no campo da política, pois a autora nos leva a imaginar os motivos e possíveis assassinatos que alguém pode cometer para conseguir um cargo político.
É de saltar os olhos a crueldade para com as crianças em Venda, pois não existe infância, ser criança é considerado um luxo. Os mais novos são tratados como adultos, da mesma forma que as outras pessoas da população, se fazem algo sem terem permissão, podem ter a mão decepadas.

The Heart of Betrayal é uma junção de elementos como romance e fantasia. Mary nos apresenta um universo mágico, magnífico, onde batalhas acontecem, a luta pelo poder é presente e existe toda uma mitologia que foi criada e muito bem explorada. Agora é esperar The Beauty of Darkness e esperar os desdobramentos dessa trilogia que tem se mostrado espetacular.
A Darkside Books fez um belo projeto gráfico, o segundo volume das Crônicas de Amor e Ódio está muito bonita. The Heart of Betrayal vem com marcador em fita de cetim e também com marcador convencional. O livro é edição em capa dura e contém diversas artes gráficas. Por fim, a obra conta com folhas amareladas e notas de agradecimento.

@Sagaliteraria

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares