[RESENHA #05] O JÚRI - JOHN GRISHAM - Saga Literária

Novidades

domingo, dezembro 27, 2015

[RESENHA #05] O JÚRI - JOHN GRISHAM

Título: O Júri
Autor: John Grisham
Editora: Rocco
Ano: 1998
Páginas: 503

Sinopse: Até onde vai o poder de um júri e a independência dos jurados durante um julgamento? A pergunta fica ainda mais difícil de ser respondida quando a disputa judicial coloca frente a frente uma grande e poderosa companhia de cigarros e uma pobre viúva, cujo marido morreu de câncer no pulmão.

Resenha: Obra do advogado estaduniense John Grisham, autor e advogado, autor de diversas obras literárias voltadas para a seara do direito.

Em "O Júri", John conta a história de um processo movido pela viúva, que perdeu seu marido vítima de câncer por uso prolongado de cigarros, contra a indústria de cigarros. O foco do livro não é basicamente e puramente no processo, mas sim nos bastidores, nas articulações e manobras efetuadas tanto pela acusação como por parte da defesa, para garantir assim um decisão favorável para um dos lados litigantes.

Um detalhe que no início tive que adaptar, são as mudanças de foco, cada momento a ótica, o prisma é de um personagem, não havendo distinção de capítulos, foi fácil familiarizar com os personagens, a trama não é complexa, a narrativa fluí tranquilamente. 

O livro começa com a investigação da vida dos possíveis jurados, quais os aspectos podem pesar na balança, levando-os a serem favoráveis para algum dos lados litigantes no processo, nos Eua todo eleitor é um jurado em potencial e nessa obra o processo em si é de grande relevância, sendo difícil alcançar a imparcialidade.

Destaca-se entre os 12 jurados finais escolhidos, Nicholas Easter, uma incógnita para os analistas do júri, sujeito que aparenta ser fracassado, funcionário de uma loja de computadores e mora em uma simples residência.

Rankin Fitch é um personagem importante, homem de fama extraordinária, que com diversas artimanhas ilegais, obteve incontáveis vitórias em face à indústria do cigarro. Easter, garante momentos engraçados no decorrer da trama, como o juramento a bandeira, o almoço no primeiro dia dos jurados.

Em determinado momento da obra, Fitch recebe uma ligação de uma misteriosa mulher que lhe fornece inúmeros detalhes sobre os jurados, algo que pode facilitar em muito o trabalho de Fitch, sonhando com uma vitória mais tranquila. 

Grisham traz em sua obra um desfecho interessante, prende atenção do leitor do início ao fim, efetuando uma mistura de ingredientes, trabalhando com diversos personagens e fazendo que estes se interajam. É um livro que não existe mocinho ou vilão, cabendo propriamente ao leitor fazer o seu próprio julgamento acerca desse fato.  Leitura que recomendo para aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre o direito, mesmo que não seja o direito pátrio, o direito brasileiro.

Um comentário:

  1. O PROCESSO É CONTRA UMA FABRÍCA DE ARMAS E NÃO DE CIGARROS.

    ResponderExcluir