[RESENHA #07] A LUTA PELO DIREITO - RUDOLF VON IHERING - Saga Literária

Novidades

terça-feira, janeiro 12, 2016

[RESENHA #07] A LUTA PELO DIREITO - RUDOLF VON IHERING

Título: A Luta Pelo Direito
Autor: Rudolf Von Ihering
Editora: Martin Claret
Ano: 2005
Páginas: 96

Sinopse: Este livro, da coleção "Obra prima de cada autor", trata de Rudolf Von Ihering - um dos primeiros defensores da concepção do direito como produto social. Jurista alemão, Rudolf Von Ihering foi também romancista eminente e fundador do método teleológico (da finalidade) no campo jurídico.

Resenha: O autor inicia sua obra explicitando que o objetivo do Direito é propriamente a busca pela paz, não limitando-se apenas no campo da teoria, mas buscando lutar de fato se necessário e somente através da luta é que se dá vida ao direito, esclarecendo que a luta não é da injustiça contra o direito, e sim do direito contra toda a injustiça.

Para o autor, não há Direito no mundo que tenha surgido e se estabelecido, sem que tenha ocorrido algum tipo de luta anterior, defendendo que nossos antepassados em dado momento, através da luta, da força,  impuseram o reconhecimento dos direitos em face aos que negavam os mesmos, desta forma para que ocorresse grandes conquistas na seara do direito, foi necessário lutar por elas, sendo este o caráter que torna o direito uma luta que almeja conquistar a paz.

Devemos ler a palavra direito e interpretá-la com duplo sentido, em um primeiro momento, pelo sentido objetivo, direito traduz-se e é classificado como um conjunto de normas jurídicas vigentes, criadas e aplicadas pelo Estado à sociedade.

Pelo prisma da subjetividade, é a característica inerente ou adquirida pelo sujeito, ou seja, muda muito conforme a pessoa, o indivíduo. 

Esta obra foi fruto de uma conferência na Sociedade Jurídica de Viena, publicada no ano de 1872, Ihering defende ainda que a luta pelo Direito, não deve abster-se ao campo da individualidade, dos direitos conhecidos como individuais, mas sim em todas as áreas que permeiam o direito, como o direito privado, o público e o direito internacional como exemplos.

"Um povo que não reage quando o vizinho lhe arrebata um quilômetro quadrado de seu solo acabará perdendo todas as suas terras". Assim como um indivíduo que se defende contra um ultra a seu direito "visa um objetivo ideal: a afirmação de sua própria pessoa e do seu sentimento de justiça". Desta forma a resistência diante de uma afronta ao nosso direito deverá constituir-se de um dever. 

Obra de linguagem simples e apaixonante, de fácil compreensão dos conceitos do direito, mesmo para aqueles que não estão habituados com o tema, leva-se em conta que o autor tenta nos vender a ideia e convencer que é necessário engajar na luta pelo direito.

24 comentários:

  1. Oie.
    Que interessante ler uma resenha que fala de Direito.
    O toer da obra me parece muito bom, acho que iria ler pela curiosidade. Afinal de contas, até me lembrei de algo, para as conquistas que temos hoje houve sempre uma luta no passado.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. De fato Helena, são através das lutas no passado, para obter melhorias em vários campos e áreas do direito, que temos tanto tanto suporte, ao menos na legislação, já não posso dizer o mesmo quanto a fiscalização da mesma!

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha vou esperar por mais ♥

    ResponderExcluir
  4. Oiiii, então, fiz serviço social e a gente lida muito com legislações que surgem de lutas.
    Eu não vejo leis sem Bíblia e sem lutas, a moral a ética.... Todos vem desses dois não é mesmo?
    RESENHA INTERESSANTÍSIMA.

    ResponderExcluir
  5. Resenha maravilhosa. Ansiosa por mais já.#retribuindovisita

    Os Segredos dos Livros

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha, achei muito interessante!
    marihmania.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?

    Achei a resenha bem interessante, pois nunca tinha visto uma sobre direito. Discuti alguns dos assuntos na faculdade ano passado, principalmente sobre moral e ética e qual o papel de cada uma na sociedade. O livro parece ser bem interessante.

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi. eu aprecio as publicações da editora e gosto dessa coleção, creio que esta obra deveria ser lido por todos. Inclusive, por tua resenha, já me vi introduzindo o livro em sala de aula. Gostei de seu blog e de seu texto. A indicação literária é mais que pertinente.

    ResponderExcluir
  9. Olá. Acho que temos que lutar pelos nossos direitos, independente da situação. Achei o livro um tanto interessante, se eu tivesse a oportunidade com certeza o leria.

    Beijo,
    www.pactoliterario.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Não é um livro que eu leria, mas é bem interessante se tratar de Direito e a forma que o autor trabalha o tema.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, como vai?
    O direito é uma área muito interessante. Não há como negar. Esse livro me parece ser interessante e por ser mais ''acessível'', pode ser que eu leia, já que não sou da área.

    ResponderExcluir
  12. Achei até interessante a ideia do livro, mas não leria.
    Não faz meu estilo de leitura.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  13. Gostei da sua resenha, porém não creio que eu vá ler esse livro. Eu amo livros clássicos, mas esse livro deve ser mais apreciado por quem estude ou trabalhe com direito. Provavelmente irei me perder no meio da leitura, ahahaha.

    Bjs.

    http://ciadoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oii, tudo bem?
    Huhull, um clássico do direito. Uma leitura muito edificante.
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oii, tudo bem?
    Huhull, um clássico do direito. Uma leitura muito edificante.
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oii tudo bem!!
    Que livro interessante, mas infelizemnte ele nao faz muito o meu estilo literario... entretanto, anotei o nome do livro e passarei para a minha prima que é advogada... se ela nao ja leu, acho que ela ira gostar.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  17. Oie
    não é o gênero que costumo ler mas fiquei curiosa ainda mais depois que vc disse que é de fácil compreensão, leria se tivesse oportunidade por ter um tema bem interessante

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi,
    Guri, como eu não entendendo bolhufas do tema, acabei não me interessando pelo livro kkk. Mas preciso admitir que essa série de clássicos da Martin Claret é linda e tem tanta coisa incrível que fica difícil escolher qual cânone ler primeiro. Não conhecia a obra de Rudolf, bom poder conhecer um pouco mais. Fico feliz que o livro tem uma linguagem de simples compreensão. :D

    Beijo,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Adorei a resenha, apesar de ter um livro (e nem lembro como chegou para mim) eu não tenho intenção de ler, pelo menos não agora.
    Bjos

    ResponderExcluir
  20. Gostei do livro e da resenha, só não gosto dessa edição de bolso da Martin
    https://www.youtube.com/channel/UCzcZ246xXBTcn3f4UyOtcEg
    Lucas Castelo Viana

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Parece ser legal!

    beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  22. Ei, tudo bem?
    Acho bem legal esses livros mais técnicos, para que eu possa entender melhor o funcionamento e o surgimento de algumas coisas. Vou procurar saber mais sobre ele.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bem?
    Nossa, assim que li sua resenha fiquei encantado com a capa e essa premissa me chamou bastante atenção, não costumo ler livros deste estilo, e essa me pretende ser uma boa aposta! Ainda não li obras desta editora, porém essa me apresentou vário interesse e gostei da parte onde você mencionou o duplo sentido entre os direitos.
    Carpe diem, http://www.entreutopias.com/

    ResponderExcluir
  24. Olá! Nunca havia lido uma resenha sobre Direito, nem mesmo de um livro sobre direito.
    Mas fico admirada quando vejo novos interesses surgindo, por mais que seja um clássico do direito, ainda assim não me interessei, pois não faz meu estilo.
    Reino Literário Br

    ResponderExcluir