07/02/2016

[RESENHA #13] GABRIELA, CRAVO E CANELA - JORGE AMADO

Título: Gabriela, Cravo e Canela
Autor: Jorge Amado
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2012
Páginas: 336

Sinopse:  O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela, um dos mais sedutores personagens femininos criados por Jorge Amado, tem como plano de fundo, em meados dos anos 1920, a luta pela modernização de Ilhéus, em desenvolvimento graças às exportações do cacau. Com sua sensibilidade inocente, Gabriela não apenas conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheenses, colocando em xeque a lei que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue. Publicado em 1958, o livro logo se tornou um sucesso mundial. Na televisão, a história se transformou numa das novelas brasileiras mais aclamadas mundo afora.

Resenha: Este é um clássico, grande obra de Jorge Amado e da literatura nacional. Esse livro conseguiu ser bom o suficiente para perdurar no tempo, devido a escrita e imaginação desse fabuloso escritor brasileiro.

A história começa quando Nacib, descendente de sírios, se descobre inesperadamente sem cozinheira em seu bar, dessa forma precisa arrumar alguma para que possa continuar cozinhando os doces e salgados que serve no bar. Gabriela uma morena de beleza ímpar, mulher de jeito ingênuo, recém chegada em Ilhéus, fica no "mercado de escravos" à espera de um patrão, alguém que possa contratar os seus serviços.

Nesse momento, cria-se um pano de fundo para uma verdadeira crônica social, abordando uma cidade em pleno desenvolvimento, Ilhéus, que possui o cheiro do mar, os bares, cabarés e as crianças com suas brincadeiras, detalhes e fatos narrados pela jovem Gabriela.


"O amor não se prova, nem se mede. É como Gabriela. Existe, isso basta- falou João Fulgêncio- O fato de não se compreender ou explicar uma coisa não acaba com ela. Nada sei das estrelas, mas as vejo no céu, são a beleza da noite."

O livro consegue ser interessante por diversos aspectos, aborda valores morais, a hipocrisia, política local, bem como a história do cacau no Brasil. Lugares com Bataclã (o maior cabaré da cidade), o Bar Vesúvio, foram descritos e detalhados ao longo da obra. As conversas são baseadas nas fofocas que ocorreram na cidade.

Gabriela, Cravo e Canela, é composta de vários núcleos, não limita-se ao romance entre os personagens Nacib e Gabriela. Personagens cativantes se fazem presentes na obra, como a luxuriosa Glória, a jovem revolucionária Malvina. Neste romance, a oposição entre os costumes tradicionais e a modernidade, o culto e o popular, são representados pelo personagens Nacib e Gabriela. Nacib possui uma vida confortável, casa própria e comida em abundância, não possui a felicidade, apenas quando está junto a Gabriela, que apesar de pouco ter, vive feliz.


Essa é uma obra para os fã de literatura nacional, praticamente obrigatória. Possui uma leitura fácil e leve. A obra de Jorge Amado foi adaptada e virou por mais de uma vez série televisiva, sendo a personagem Gabriela interpretada por Sônia Braga e Juliana Paes.

Nos visite em:

Facebook: Saga Literária
Instagram: Saga Literária

Publicação por: Fernanda Rocha

Um comentário:

  1. Oi, somos saulo e saul criamos o CLAN (Clube dos Leitores Anônimos Neuróticos) e estamos desenvolvendo o Projeto Monteiro Lobato - Influência para várias gerações para isso criamos uma campanha de doação de livros infantis e gostaríamos de saber se poderia divulgar essa campanha em seu blog.

    Link do nosso blog para mais informações: http://nasombradojua.blogspot.com.br/2016/02/recado-campanha-doe-livro-doe-imaginacao.html

    Desde já agradecemos.

    ResponderExcluir

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares