[RESENHA #26] A CIDADE INTEIRA DORME E OUTROS CONTOS - RAY BRADBURY - Saga Literária

Novidades

terça-feira, março 15, 2016

[RESENHA #26] A CIDADE INTEIRA DORME E OUTROS CONTOS - RAY BRADBURY

Título: A Cidade Inteira Dorme e Outros Contos
Autor: Ray Bradbury
Editora: Biblioteca Azul (Globo Livros)
Páginas: 192
Ano: 2013
ISBN: 9788525055569
Onde Comprar: Americanas - Submarino

Sinopse: Os contos que compõem esse livro são em tudo representativos do que há de melhor na literatura do célebre autor de Fahrenheit 451; a linguagem é poética; as histórias são imaginadas de metáforas; os temas, transcendentes. Mas embora as histórias aqui reunidas sejam todas fantásticas - espécies de contos de fada da ficção científica, que exibem uma imaginação deslocada do real, Bradbury continua a tratar de temas sociais e políticos, que lhe eram muito caros: direitos civis, ameaça da guerra atômica, o mau uso da tecnologia. Fantasia e realidade, ficção científica e pleno conhecimento das questões prementes da sua sociedade: é no equilíbrio desses termos, a princípio contraditórios, que brota a literatura pulsante e vida de Ray Bradbury.

Resenha: Essa obra com o selo da Biblioteca Azul, estão reunidos 13 contos ao todo escritos por Bradbury, alguns de ficção científica, outros fantásticos, alegóricos ou surrealistas, são estes: Uma pequena Viagem, O Lixeiro, O Visitante, O Messias, A Autêntica Múmia Egípcia Feita em Casa, A Cidade Inteira Dorme, O Homem Ilustrado, O Homem em Chamas, As Frutas no Fundo da Fruteira, O Dragão, O Pedestre, O Alçapão e A Hora Zero.

Bradbury fala nesses contos sobre a fé, os medos, sobre a tecnologia, viagem espacial, sobre os direitos individuais, a deturpação e perda dos valores do ser humano. Nessa obra nos deparamos com um grupo de velhinhas que partem em busca de DEUS em uma viagem interplanetária e espacial. 

""Particularmente", ela disse em voz alta para ninguém, "aqui em Marte, não é bem a terra de leite e mel que eles disseram que seria. Meu quarto parece uma cela, a piscina é na verdade bastante inadequada e, além disso, quantas viúvas que parecem cogumelos ou esqueletos querem nadar? E, finalmente, o Repousorium inteiro cheira a repolho cozido e tênis!"" p. 9.

Temos também o lixeiro, um pai de família e seu dilema ético acerca do ataque nuclear, sua função como lixeiro, quais atitudes e comportamentos que deve adotar. 

"E por uns poucos segundos, você via as coisas brancas como macarrão, só que as coisas brancas estavam vivas e fervilhando, milhões delas. E quando as coisas brancas sentiam o sol quente sobre elas, encolhiam-se e desapareciam na alface e carne moída podre e na borra de café e nas cabeças de peixe branco." p. 23.

Em "A Cidade Inteira Dorme", Bradbury aborda as reações e comportamentos humanos em face ao medo. São três personagens centrais, cada um deles reagem de uma forma diante das situações de riscos. O autor aborda aspectos como insegurança social e coragem, com a trama girando em torno de um misterioso homem que estava atacando mulheres sozinhas nas noites escuras da pequena cidade.



Em "O Pedestre" temos um indivíduo que contraria toda a lógica de uma sociedade, o protagonista sem nome desse conto tem por hábito caminhar e contemplar a noite, hábito este que pratica pelos últimos dez anos. Em determinada noite, ele é parado pela polícia, questionado e dado como um suspeito por diversos motivos.

Opinião: Através dos 13 contos de Bradbury, eu consegui observar uma certa influência de Edgar Allan Poe em contos como "A cidade inteira dorme" e "As frutas no fundo da fruteira", existindo toda uma atmosfera de terror e suspense.

Por essa obra, pude perceber um pouco da genialidade de Bradbury, isso devido sua diversidade, pois escreveu contos de ficção científica ou especulativa como alguns dizem, foi para fantasia, terror, suspense, drama, além disso tudo, ainda consegue utilizar-se de alegorias, fazendo críticas sociais, abordando os direitos individuais.

Os contos são dinâmicos e em sua maioria curtos, conseguem despertar a curiosidade no leitor, nos dando um desejo de saber o que vem pela frente, o que vai acontecer ao final da história. Algo que talvez muitos possam não se adaptar, é que alguns contos, não possuem uma explicação racional em seus desdobramentos.

Essa leitura foi aprazível, agradável e tive uma boa oportunidade de me aprofundar mais nas obras de Bradbury, que não me decepcionou, e sim fiquei maravilhado com a capacidade do autor para elaborar histórias.
A Biblioteca Azul (Globo Livros), acertou em cheio nessa edição, caprichando na capa, uma diagramação muito boa, o livro é bem leve, foi impresso em pólen soft, a edição que tenho em mãos e está na foto ainda tem orelhas. Tenho em mãos um livro espetacular e recomendo para todos.

Trouxe para vocês outras duas obras da Biblioteca Azul, que logo vão ganhar resenhas e são: As Crônicas Marcianas e Fahrenheit 451.

Por Yvens Castro.

12 comentários:

  1. Oiii, tudo bem?
    Gostei da resenha, mas confesso que não tenho o hábito de ler livros de contos. Gosto bastante de contos, mas por algum motivo os livros do gênero me cansam :P Agora estou lendo um do Machado e só estou curtindo um pouco mais porque é Machado hehehe
    Mas ainda pretendo ler Fahrenheit 451 do autor, que todos dizem ser muito bom e tem uma premissa que me atrai bastante :)
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nada do autor, mas gostei muito de conhecer essa obra através da sua resenha. Adoro contos, especialmente quando têm essa pegada mais provocativa, como um convite para a reflexão. :) Eu não me incomodo com contos que parecem não ter uma "explicação lógica para os fatos". Na verdade, isso geralmente me encanta. Gostei muito das edições desses três livros do autor pelo selo Biblioteca Azul. Obrigada pela foto! Fiquei convencida de que devo adquirir essas edições quando chegar o momento de prestigiar esse talento clássico da literatura.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu amooo livros de contos e fiquei bem curiosa já que o autor passa por tantos gêneros literários. Vou com certeza adicioná-lo a minha wishlist. Muito boa a resenha. - Joanna Amaro.

    ResponderExcluir
  4. Gosto de livros de contos de terror, já me aventurei em outros gêneros e não apreciei tanto. Dos contos aqui mencionados o que me chamou a atenção foi: A Autêntica Múmia Egípcia Feita em Casa. Fiquei intrigada! rsrsrs
    Gostei da dica
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  5. Oie
    eu curto bastante o gênero mas ainda não conhecia o livro e fiquei mega curiosa depois da sua resenha, o enredo está chamativo, adorei

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. engraçado que acabei de finalizar a leitura de Fahrenheit e visitando teu blog, me deparo com a surpresa de Bradbury hehehe
    Estreei com ele e gostei do que li, As crônicas marcianas já está em minha lista e certamente vou colocar esse de contos tb :D
    Adoro quando os autores trazem esse tipo de questionamento em suas obras... parabéns pela resenha...

    as capas dessa BibliotecaAzul são lindas mesmo, a minha de F451 é dessa tbm...
    bjs...

    ResponderExcluir
  7. Oi, Yvens!
    Apesar de sua resenha empolgadíssima, tenho que confessar que contos não são pra mim...rs.
    Leio um ou outro, mas é muito raro.
    No entanto, é sempre bom ler uma resenha quando o leitor gostou do que leu.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  8. Compraria numa boa pela capa kkkkk parecem contos interessantes, vou tentar ler!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  9. Eu adoro a forma como o autor aborda a tecnologia e o futurismo. Amei Fahrenheit 451 e desde então anseio em ler tudo o que ele produz. Não conhecia o livro de contos, mas já está adicionado à lista de desejados. Espero que surja oportunidade de ler em breve.

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Quase não leio contos, mas acho que ia gostar desses quero muito conhecer a escrita do autor que dizem ser apaixonante, parabéns pela resenha fiquei mais curiosa ainda para ler os livros do autor.
    Bjs
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu sempre tive curiosidade para ler alguma coisa dele, mas a verdade é que as coisas que ele publica não me atraem enquanto leitora sabe? Principalmente contos, que é uma leitura que eu evito demais.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Não tenho o costume de ler contos, quero acabar com isso esse ano. Esse livro parece ser uma ótima escolha.
    Gostei muito dos temas que o autor aborda e do gênero: essa mistura de ficção e fantasia.
    Sem contar que a história dos contos me atraiu muito também. Velhinas que partem em busca de Deus em uma viagem interplanetária?

    Adorei a capa do livro. Ainda não li Fahrenheit 451 mas pretendo ler ainda esse ano.

    Muito obrigada pela dica, eu adorei sua resenha, está muito boa!
    Vou aguardar suas outras resenhas do autor, especialmente sobre Farenheit 451.

    Beeijos, Erica Regina
    Blog Parado na Estante / Fanpage Parado na Estante

    ResponderExcluir