[RESENHA #45] EXTRAORDINÁRIO - R. J. PALACIO - Saga Literária

Novidades

segunda-feira, abril 25, 2016

[RESENHA #45] EXTRAORDINÁRIO - R. J. PALACIO

Título: Extraordinário
Autor: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Ano: 2013
Onde Comprar: Amazon - Americanas

Sinopse: August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
R. J. Palacio criou uma história edificante, repleta de amor e esperança, em que um grupo de pessoas luta para espalhar compaixão, aceitação e gentileza. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo o tipo de leitor.

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”

Resenha: O primeiro livro da americana R.R. Palacio, traz a tona a luta contra o preconceito. Nele ela conta a história August Auggie é um garoto de 10 anos de idade que nasceu com uma deformidade no rosto e que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas, mora com os seus pais, sua irmã Olivia (Via) e sua cadela Dayse em North River Heights. Sempre estudou em casa, com a sua mãe, nunca foi para a escola...até agora, fã de Star Wars e até os 10 anos teve apenas três "amigos" o Christopher, o Zachary e o Alex, mais acabaram se afastando quando o Christopher se mudou e os outros foram para a escola.  Prestes a começar o quinto ano seus pais resolveram matricula-lo em uma escola, ele irá enfrentar, talvez um dos maiores desafios, convencer seus amigos que, apesar da aparência diferente, ele é um menino como qualquer outro.

“Sei que não sou um garoto de dez anos comum. Quer dizer, é claro que faço coisas comuns. Tomo sorvete. Ando de bicicleta. Jogo bola. Tenho um Xbox. Essas coisas me fazem ser comum. Por dentro. Mas sei que as crianças comuns não fazem outras crianças comuns saírem correndo e gritando do parquinho. Sei que os outros não ficam encarando as crianças comuns aonde quer que elas vão. Se eu encontrasse uma lâmpada mágica e pudesse fazer um desejo, pediria para ter um rosto comum, em que ninguém nunca prestasse atenção."

Através da sua percepção ela mostra como foi o primeiro dia na escola, como as crianças reagiram com sua chegada e a adaptação com as novas pessoas. A narrativa é alternada entre vários personagens do livro que estejam ligados direta ou indiretamente com August, que são: Sua irmã Via, os novos amigos Jack e Miranda, o namorado e a amiga de Via.

Olivia ou Via é a irmã mais velha de Auggie, que quando seu irmão nasceu ainda era muito pequena e mesmo assim compreendia que seus pais precisavam dedicar ao mais novo irmão a atenção, protegia-o e sempre brigava com quem olhasse para ele diferente ou falasse alguma qualquer coisa.

Summer foi uma das primeiras pessoas que se aproximou do Auggie, quando ele entrou na escola, começou a falar com ele sem dá importância para o que os outros falavam. E logo ficaram amigos, sempre se encontrando na escola ou na casa de cada um.

Jack foi convidado pelo diretor do ensino fundamental, Sr Buzanfa para ficar amigo do Auggie e apresentar a escola antes das aulas começarem. Ficaram amigos se sentando um ao lado do outro na sala de aula e ajudando nas tarefas, até que um dia Auggie o surpreendeu falando mal dele para outro colega e logo rompeu com a amizade ficando muito triste, sim as coisas se resolvem entre eles e a amizade é restaurada.

Justin e Via se conheceram no ensino médio, e logo começaram a namorar a parte dele é bastante intrigante, pois é apresentada toda com letras minúsculas e com falta de sinais. Miranda foi amiga de infância da Via, e que conhecia o Auggie desde pequeno. Miiranda e Via acabaram se afastando, mas isso não impediu que ela continuasse tendo contato com Auggie.

E apesar de todas as dificuldades de um garoto comum e com uma deformidade na face, Auggie chega ao fim do quinto anos nos dano uma grande lição.

“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”

Opinião: Procurei pelo livro através da indicação de uma amiga, não sou muito fã de livro muito recomendado e esse foi. Mas mesmo assim resolvi procurar ler mais sobre o mesmo e comprei. É uma leitura fácil, nada cansativa e instigante, simplesmente não consegui parar de ler (claro dentro do meu limite de tempo). Apaixonei-me por Auggie...rs, por sua coragem, força e por não desistir. Não tem contra indicação e acredito que todos deveriam lê-lo.
Extraordinário é uma leitura rica, o livro apresenta conceitos valiosos, tais como, valor da amizade, uma família com alicerces concretos na formação da criança e a gentileza, assim também como mostra a parte toxica da sociedade, o preconceito. Livro recomendadíssimo. E a pouco tempo tive a incrível notícia de que o mesmo irá virar filme, ainda sem data de estreia.

Por: Fernanda Rocha (Fê)

3 comentários:

  1. Amei a resenha! Parabéns
    um super beijo
    https://ladorosadomundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acabei de ler ele ontem e a primeira coisa que me veio a cabeça foi em como algumas crianças podem ser maldosas. As vezes por não entender, ou até mesmo por causa de como são criados. Provavelmente eu seria uma dessas crianças que ficariam um pouco assustadas e agiria um pouco mal, a maioria das crianças não estão prontas para o desconhecido.. E fiquei pensando no que podemos fazer pra mudar isso... Penso que, infelizmente hoje em dia os país não conversam muito com os filhos pra lhes ensinar o certo e errado. E daí conversar com os filhos é um grande passo pra não deixar que sejam maldosos ou que sejam os alvos, e mesmo que sejam os alvos ajudar eles a lidar com isso. Eu adorei o livro e adorei o Auggie! É uma leitura super leve e com boas lições!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo Maíra, você fez um belo comentários sobre a parte comportamental, o modo como as crianças são criadas. Hoje em dia existe um grande distanciamento entre as pessoas e isso é algo que infelizmente reflete também no modo como os pais se relacionam com os filhos, vejo isso por exemplo na relação de um primo que é pai com suas duas filhas, não existe nenhum momento de correção. Bjuss

      Excluir