[RESENHA #43] A ILHA DOS MORTOS - RODRIGO DE OLIVEIRA - Saga Literária

Novidades

quinta-feira, abril 14, 2016

[RESENHA #43] A ILHA DOS MORTOS - RODRIGO DE OLIVEIRA

Olá pessoal, hoje a resenha é do último livro lançado de Rodrigo de Oliveira, A Ilha dos Mortos, trata-se do quarto livro das Crônicas dos Mortos, que deverá terminar com o livro A Era dos Mortos, com previsão de lançamento para Outubro de 2016.

Título: A Ilha dos Mortos
Autor: Rodrigo de Oliveira
Editora: Faro Editorial
Páginas: 336
Ano: 2016
ISBN: 9788562409646
Onde Comprar: Amazon - Saraiva 

Sinopse: Passaram-se vários anos desde que a maior colônia de sobreviventes do Apocalipse zumbi se transferiu para Ilhabela. Separada do continente por uma faixa de 1km de mar atlântico, a ilha surge como um ambiente seguro para as novas gerações, e distante das ameaças da Senhora dos Mortos e sua horda de zumbis.

Desde então, muitas coisas mudaram. Personagens importantes morreram e novos combatentes foram treinados para erguer a comunidade e recriar o sistema de administração e leis. Parecia que o mundo estava retomando o seu curso de paz.

Os habitantes de Ilhabela tinham agora formas mais seguras de lidar com os zumbis, então descobrem que alguns zumbis também mudaram. A forma de contaminação se torna mais rápida. Eles estão mais selvagens, ágeis e violentos. Deixe-nos apresentar uma evolução dentre os próprios mortos vivos...

E este não é o único novo problema. Com a reorganização da sociedade, o poder retoma o seu valor, e isto também, atrai ainda mais perigos. Há uma grande espera pelo reencontro das irmãs, Isabel e Jezebel. Este livro traz o surgimento de uma nova era, cruel e implacável, onde a perseverança dos sobreviventes e seus líderes será testada de forma muito diferente. Um livro cheio de reviravoltas, de movimentos bruscos, de cenas impensáveis.

Deixai toda esperança, vós que entrais! - A Divina Comédia – Dante Alighieri

Resenha: A Ilha dos Mortos, é o quarto volume dessa série de grande sucesso conhecida como As Crônicas dos Mortos, do autor brasileiro Rodrigo de Oliveira, publicado pela Faro Editorial

Essa obra começa após 30 anos se passaram desde que os sobreviventes do Condomínio Colinas, partiram de São José dos Campos para Ilhabela, onde se estabeleceram após muito sangue, suor e esforços, com o objetivo de criar uma comunidade que fosse segura para os sobreviventes do apocalipse zumbi.

"A ilha estava completamente infestada, com milhares de seres vagando pelas ruas e praias. Uma tarefa dificílima se apresentava para aquele grupo, que chegava sem ter um único lugar seguro para se abrigar e ainda precisava eliminar todos os zumbis." p. 44.

Podemos ver que durante a trama, em determinados momentos o autor faz um jogo temporal, voltando ao tempo passado contando o período da chegada dos sobreviventes com alguns desdobramentos, abordando alguns anos após 2019 e em grande parte 30 anos após essa chegada.

Durante a obra podemos ainda ver uma grande influência de Ivan sobre a comunidade em Ilhabela, contudo este se afastou de forma substancial da área militar, cabendo agora ao seu filho Matheus organizar militarmente e tomar as decisões nesse campo em prol da segurança e sobrevivência da comunidade.

"A Muralha era uma formação de ataque incrivelmente compacta, na qual os soldados avançavam num bloco de milhares de homens e mulheres equipados com escudos, capacetes e fardas completamente fechadas, que permitiam o combate corpo a corpo quase sem riscos." p. 29.

Em Ilhabela, vemos a comunidade em plena sustentabilidade, encontrando-se no auge, possuindo como exemplo, escola, hospital, delegacia e outras estruturas essenciais para o bom funcionamento de qualquer comunidade, além da parte militar que está estruturada. Todavia um força poderosa pode colocar tudo em risco, uma evolução dos zumbis foi feita e seres mais perigosos podem destruir essa comunidade. Vemos ainda que o poder corrompe e em determinado momento é dado a largada pela busca do poder, algo que poderá mostrar desdobramentos inimagináveis.

Opinião: A narrativa do Rodrigo de Oliveira continua fluindo muito bem, o autor como nos outros livros da série nos traz diversos momentos de suspense, terror, raiva, carnificina e reviravoltas. Gostei muito dele ter feito essa jogada temporal, abordando o início da ocupação em Ilhabela por parte dos sobreviventes, mostrando os primeiros anos, bem como a Ilhabela já funcionando em perfeito estado, com estruturas, poderes e a sociedade bem definida.
Achei super legal a inclusão de um novo tipo de zumbi, muito letal e mais feroz do que os zumbis que os sobreviventes enfrentaram nas outras obras, trata-se do Berserkers, que são abordados logo no início da obra, porém o autor nos mostra como os mesmos surgiram, algo que achei bem legal.

A Ilha dos Mortos é um livro bem cruel no que tange aos conflitos, as cenas são bem descritas, o que me foi possível recriar em minha mente o que foi demonstrado na obra, de forma bem real. Outro fato que achei interessante foram as disputas pelo poder, as oscilações no poder, cada hora uma figura comandava a ilha. 

Posso dizer que a Ilha dos Mortos junto com O Vale dos Mortos, foram até o momento os livros que eu mais gostei, com ressalvas que todos são muito bons. Isso se deve também ao fato de o autor inserir como protagonistas diversos personagens do núcleo de Ivan e Estela, além de novos personagens.

O livro possui um final surpreendente, ainda tem muito para ser mostrado sobre o destino dos sobreviventes de Ilhabela e também daqueles sobreviventes do apocalipse zumbi que não se encontram nessa ilha. Agora é esperar o próximo livro A Era dos Mortos, o qual estou muito ansioso para ler.

A Faro Editorial mais uma vez nos proporciona uma linda edição, fruto de um trabalho editorial competente, pois a obra possui orelhas, notas do autor, sumário, agradecimentos, folhas amareladas (papel pólen), tútulo em alto-relevo.

Venham conhecer a Faro Editorial
Por Yvens Castro.

Um comentário:

  1. Que legal, ainda não li esses livros é bom? vale a pena? me indica um dos 4?
    Beijos.

    ResponderExcluir