[CRÍTICA #02] INVASÃO A LONDRES - Saga Literária

Novidades

segunda-feira, maio 16, 2016

[CRÍTICA #02] INVASÃO A LONDRES


Título: Invasão a Londres (London Has Fallen)
Direção: Babak Najafi
Elenco: Gerard Butler, Aaron Eckhart, Morgan Freeman...
Gênero: Ação
Ano: 2016

Sinopse: Após a morte misteriosa do primeiro-ministro britânico, os grandes líderes mundiais são obrigados a ir a seu enterro, tornando isso um evento muito importante e extremamente seguro, com guardas e policiais por toda parte, veículos blindados, armas de todo tipo... mas isso não impede que um dos terroristas ataque e assassine todos os líderes. Menos o presidente dos Estados Unidos. Numa fuga contra entenas de pessoas o procurando por todo lugar, o presidente e Mike, o fiel e competente segurança que já salvou sua vida antes, tentam fugir para qualquer lugar, mas como fazer isso se nenhum lugar é seguro ou confiável?

Crítica: Invasão a Londres (London Has Fallen) é uma continuação do filme Invasão à Casa Branca (Olympus Has Fallen), tem como pano de fundo atentados terroristas. A sequência estrelada por Gerard Butler liga-se pouco ao filme antecessor.

Na trama Mike Banning (Butler), chefe de segurança do presidente dos Estados Unidos Benjamin Asher (Aaron Eckhart) está prestes a pedir demissão para tornar-se pai, Banning deseja dedicar mais tempo para sua família, contudo a morte inesperada do Primeiro Ministro do Reino Unido faz com que o presidente dos EUA e chefes de estados de diversos outros países necessitem ir ao velório em Londres.

Após surgir essa cena, a necessidade de viajar para Londres, que a trama de fato começa. Somos levado dois anos antes da morte do primeiro ministro para o Oriente Médio, quando os americanos procuravam atacar Aamir Barkawi (Alon Aboutboul), um vendedor de armas, contudo muitas mortes ocorrem, incluindo civis e inocentes. Aamir diante da morte de integrantes da sua família parte em busca de vingança.

Voltando para Londres, um forte esquema de segurança é montado pela New Scotland Yard, além disso cada chefe de estado tem seu próprio esquema de segurança, em dado momento os atentados terroristas começam, como por exemplo na Catedral St. Paul, na Ponte de Chelsea e alguns outros pontos turísticos, onde vemos várias explosões e assassinatos.
O filme em si é um bom passatempo, nele diferentemente do anterior, o presidente dos Eua precisa fugir, existe mais violência e cenas de ação que no final anterior, além disso em vários momentos Banning nos remete aos filmes de exército-de-um-homem.
Basicamente é um bom filme de ação o qual nos traz a mensagem e propaganda da guerra ao terrorismo, com algumas perspectivas sobre a política e guerra. O que me deixou incomodado foi o pouco aproveitamento de Morgan Freeman.


Yvens Castro

Um comentário:

  1. Adorei o blog!! Já estou seguindoo...
    Também sou formada em direito, advogada. E estou terminando minha especialização em direito previdenciário! haha

    Qualquer coisa, só chamar no
    Colecionadores de Livros

    ResponderExcluir