[ENTREVISTA #02] CONVERSAMOS COM VINÍCIUS GROSSOS - Saga Literária

Novidades

terça-feira, maio 24, 2016

[ENTREVISTA #02] CONVERSAMOS COM VINÍCIUS GROSSOS

Saga literária hoje está de frente com Vinicius Grossos, um carioca, para lá de carismático e audacioso nas escritas. Vinicius tem 23 anos, mora em Juiz de Fora e já possui dois títulos já publicados, sendo eles: Sereia negra, que foi publicado através da editora selo jovem, e o Garoto quase atropelado, pela Faro editorial, e já está a caminho do seu terceiro livro: 1+1, a matemática do amor em parceria com Augusto Alvarenga.  E é com ele que iremos bater um papo hoje. 

1. Vinícius, nos conte um pouco sobre você.

Vinícius Grossos: Tenho 23 anos, sou natural do Rio de Janeiro, e atualmente moro em Juiz de Fora, onde curso jornalismo na UFJF. Adoro filmes de super-heróis, ver desenhos na TV e escrever! Amo dias nublados e café também.

2. Como e quando surgiu sua paixão pela leitura?

Vinícius Grossos: Eu sempre fui uma criança que preferia receber gibis, HQs, a brinquedos diversos. Parte disso, com certeza, veio da influência que eu tinha dentro de casa. Minha mãe é professora e sempre me estimulou bastante a ler.

3. Quando surgiu em você aquela vontade de ser tornar escritor?

Vinícius Grossos: Acho que essa vontade de criar sempre esteve comigo. Sempre fui uma criança com a imaginação muito fértil, e quando pequeno, meu sonho era trabalhar em um estúdio de animação. Com o passar do tempo, me descobrindo, percebi que na literatura eu me encontrava plenamente, e com um empurrãozinho de uma professora de literatura, eu percebi que estava no lugar certo.

4. Quais são os autores e obras que te inspiraram a seguir esse caminho de escritor?

Vinícius Grossos: Vários autores me inspiram, assim como livros. Amo O apanhador no campo de centeio, As vantagens de ser invisível, “Quem é você, Alasca?”, Por lugares incríveis entre outros. Mas se eu pudesse escolher apenas um, seria o Markus Zusak, autor de A menina que roubava livros. Acho a narrativa dele mágica. A forma como ele conta e desenvolve suas estórias é fascinante.

5. Como você vê o mercado editorial para os novos escritores brasileiros? Quais são as suas perspectivas para o futuro?

Vinícius Grossos: Acho que hoje com a auto publicação, o Wattpad, há inúmeras formas de um autor iniciante conseguir chamar a atenção de uma grande editora. Exemplos de que dá certo não faltam na literatura contemporânea. Acho que o mercado do livro é incerto... Há dois anos as portas estavam mais abertas, agora, em 2016, um pouco mais retraídas. Mas a chave é não desistir e insistir, formando sua base de público leitor. Uma hora as coisas acontecem.

6. Nos conte um pouco sobre suas obras já lançadas Sereia Negra e O Garoto Quase-Atropelado.

Vinícius Grossos: Sereia Negra conta a estória da Inês, uma menina negra que sofre de racismo e acaba descobrindo que é uma sereia. Mas não uma sereia qualquer... A sereia aguardada por centena de anos num Reino no fundo do mar, para salvar todos os seres marinhos de um fim terrível. O livro mescla bem a questão da fantasia com questões sociais.
Já O Garoto quase-atropelado é um jovem adulto, narrado por um menino com depressão. Ele tem essa pegada jovem-adulto com bastante drama.



7. Quais são as perspectivas para o próximo lançamento 1+1: A Matemática do Amor que teve como parceria o autor Augusto Alvarenga? Como foi a experiência dessa parceria?

Vinícius Grossos: A experiência foi de muito aprendizado; escrever um livro a quatro mãos tem muitos lados positivos e negativos, mas faz com que você aprenda a ceder, aprenda a escutar mais o outro. Eu amei a experiência, ainda mais por ser com um amigo que eu admiro muito. E bem, as expectativas estão lá no alto. A Faro levará eu e o Augusto para uma turnê, e posso afirmar que estamos muito ansiosos.

8. O que podemos esperar das suas obras?

Vinícius Grossos: Sempre estórias que vão além do raso. Gosto de escrever sobre personagens diferentes, defeituosos, errados, e que não têm medo de admitirem suas fraquezas, medos, e enfrentar seus demônios. São estórias profundas, fortes...


9. Nos conte como é o processo para escrever, existe algum horário específico, alguma rotina?

Vinícius Grossos: Isso depende do livro. Há livros que só consigo escrever pela manhã, outros à noite, outros na madrugada. Depende muito. Mas algo é certo: só consigo escrever em períodos de férias... As aulas de jornalismo secam totalmente a minha fonte de criatividade. Uma vantagem, ao menos, é que escrevo muito rápido, então consigo compensar o tempo perdido.

10. Como surgem as histórias? Você escolhe algum tema específico e é necessário alguma organização para escrever a trama?

Vinícius Grossos: É engraçado... Mas as personagens vêm a mim já quase completamente formadas. Eu acrescento uma coisinha ou outra. E no geral, não posso organizar meus livros. Se eu os faço, provoco o efeito contrário: tudo sai do controle e eu acabo odiando o que escrevo. Então, após ter a ideia inicial, tudo o que preciso é de tempo para sentar e escrever, e aí as personagens vão me contando a estórias delas por si só.

11. De que forma as redes sociais e blogs contribuem para o escritor?

Vinícius Grossos: Os blogs são incríveis por servirem de divulgadores do meu trabalho. E pelas minhas redes sociais é por onde consigo um contato direto e sincero com meus leitores. Eles me falam o que gostam, o que não gostam... É uma relação mais direta, e mais pessoal.

12. Como é o contato e a recepção dos fãs?

Vinícius Grossos: É algo que ainda não consigo descrever... Saber que recebo presentes, cartinhas, e coisas do tipo, é surreal. Era algo que eu imaginava acontecendo daqui a anos de carreira, não com 2. Então eu sou muito grato a todo mundo que me acompanha, e trata a mim e aos meus livros com todo esse carinho. Isso, com certeza, me traz forças para querer melhorar e entregar estórias cada vez melhores aos leitores.

13. Profissionalmente, o que espera para daqui há cinco ou dez anos?

Vinícius Grossos: Hummmmmm... Quem sabe estar vivendo integralmente de literatura? É o meu sonho.

14. Deseja que algum dia suas obras sejam adaptadas para o cinema?

Vinícius grossos: Com toda a certeza... Vários leitores me mandam fotos de atores que eles imaginam interpretando as personagens dos meus livros. Seria um sonho realizado!

15. Para finalizar, qual mensagem pode deixar para todos que querem escrever um livro, querem adentrar nesse mundo que leva vários pessoas para o campo dos sonhos e do conhecimento?

Vinícius Grossos: Escrevam por prazer e criem estórias que vocês gostariam de ler. Também leia muitoooooooo, e se é isso o que você quer, não desista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário