[RESENHA #61] MRS. DALLOWAY - VIRGINIA WOOLF - Saga Literária

Novidades

domingo, junho 05, 2016

[RESENHA #61] MRS. DALLOWAY - VIRGINIA WOOLF

Título: Mrs. Dalloway
Autor: Virgina Woolf
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 190
Ano: 2016
ISBN: 9788579492792

Sinopse: Em Mrs. Dalloway, livro publicado em 1925, Virginia Woolf (1882-1941) emprega algumas das técnicas narrativas às quais deve sua posição de grande renovadora do romance do século XIX, ao lado de Marcel Proust e James Joyce. Não é mera coincidência, aliás, que o romance da escritora inglesa se passe inteiramente num único dia de junho, assim como Ulisses, de Joyce. Esse recurso, que no escritor irlandês confere conotações épicas à vida do homem comum, adquire na narrativa de Virginia Woolf uma incomum densidade psicológica. Do momento em que sua protagonista sai de casa para comprar flores (pois dará uma recepção em casa à noite) até o momento em que acontece a festa, desenham-se paisagens mentais que envolvem questões ou hesitações existenciais de Clarissa Dalloway e das personagens que refletem seus fantasmas – amores do passado, homossexualismo, sequelas da guerra, loucura, banalidade cotidiana. São os fantasmas que se materializam ao longo desse dia, tanto no plano da ação romanesca quanto nos fluxos de consciência e na temporalidade cinematográfica (flashbacks e “cortes” alternando os pontos de vista das personagens), que fazem de Mrs. Dalloway um retrato interior de sua época. Manuel da Costa Pinto Crítico literário e colunista da Folha.
Resenha: Em Mrs. Dalloway a autora Virginia Woolf nos apresenta um dia da vida de Clarissa Dalloway, mulher, bem casada com Richard Dalloway, tem uma filha adolescente, Elizabeth, é membro da Casa dos Comuns britânica. A senhora Dalloway é uma típica dona de casa rica dos anos de 1920.

"Mrs. Dalloway disse que ela mesma compraria as flores. Sim, pois Lucy tinha trabalho o suficiente. As portas seriam tiradas das dobradiças, os homens de Rumpelmayer estavam vindo. E então, pensou Clarissa Dalloway: Que manha! Fresca como se fosse um presente para crianças na praia." p. 5.

Tudo se inicia quando Clarissa sai em uma bela manhã para comprar flores, com isso a senhor Dalloway reencontra amigos do passado e vai recordando sua juventude com inúmeros flashbacks, algo que faz surgir uma série de sentimentos e escolhas que ela realizou ao longo da vida. A senhora Dalloway nesse dia, oferece ainda uma festa em sua casa para ilustres moradores e convidados de Londres, entre estes, o seu antigo namorado Peter Walsh.

"Ela podia ver o que lhe faltava. Não era beleza; não era inteligencia. Era algo central que permeava; algo quente  que abria as superfícies e agitava o frio contato de homem e mulher, ou de mulheres juntas." p. 32.

Além de Clarissa nós temos outro personagem que faz parte da trama com bastante destaque e participação, trata-se de Septimus. Esse personagem aparece como um contraponto em relação à personagem Clarissa Dalloway, se complementam. 

"A Guerra tinha lhe ensinado. Foi sublime. Tinha passado tudo o que tinha acontecido, amizade, Guerra Europeia, a morte, tinha ganhado a promoção, ainda tinha menos de trinta e estava destinado a sobreviver." p. 84.

Septimus Smith é um veterano da Primeira Guerra Mundial,  vamos acompanhar os seus sofrimentos, o estado psicológico em que se encontra, a possibilidade de sucumbir ao colapso nervoso e o apoio, esforços que sua mulher Lucrezia e dois médicos (Bradshaw e Holmes) dispendem para curá-lo ou ao menos diminuir todo o seu sofrimento.

"Mas ninguém poderia ser como Septimus; tão gentil, tão sério, tão inteligente." p. 86.

Virginia Woolf nos leva para Londres onde nós conhecemos um pouco da alta sociedade da época e nos apresenta diversos personagens que circundam a senhora Dalloway e o ex-militar Septimus, além disso as escolhas que eles fizeram em suas vidas e os desdobramentos que acarretaram nas mesmas.

Opinião: Mrs. Dalloway é um livro interessante e um pouco complexo, trata-se de uma obra atemporal, que retrata diversos temas, desde o feminismo ao homossexualismo, doenças mentais, problemas como de ordem existencial também faz parte da trama. Virginia Woolf demanda do leitor uma certa atenção para os fatos e detalhes presentes em Mrs. Dalloway, exigindo um pouco de sensibilidade do leitor.
Virgina Woolf enriqueceu sua obra com diversas metáforas muito belas, com palavras e detalhes que nos faz visualizar toda vivacidade de sua obra, o seu livro é ainda permeado de críticas ao sistema social, ao amor de forma possessiva e outros diversos temas, incluindo religião.
Recomendo a leitura de Mrs. Dalloway, pois é um livro muito bom, que aborda o amor, tem uma boa história, os personagens são bem construídos. Esse é um verdadeiro clássico da literatura mundial.
A edição da Coleções Folhas está muito bela, a capa é dura, com uma pintura incrível. Essa obra vem com uma diagramação muito boa e ainda as folhas são amareladas, algo que facilita a leitura. Trata-se do décimo volume da coleção Grandes Nomes da Literatura.

Obs: Os exemplares podem ser adquiridos nas bancas e também pelo site da Coleções Folha.

Por Yvens Castro

Nenhum comentário:

Postar um comentário