12/07/2016

[RESENHA #86] STAR TREK: PORTAL DO TEMPO - A. C. CRISPIN

Título: Star Trek - Portal do Tempo
Autor: A. C. Crispin
Editora: Aleph
Páginas: 256
Ano: 2016
ISBN: 9788576572640
Onde Comprar: Amazon - Submarino

Sinopse: Capitão Kirk, Spock e dr. McCoy descobrem que, durante uma viagem ao passado, Spock teve um filho. Agora, estão prestes a viajar mais uma vez através do portal do tempo a fim de resgatar esse filho, antes que seu planeta seja destruído. Resgatado, o garoto tentará aprender tudo sobre a Federação e sobre a cultura vulcana, enquanto a tripulação da Enterprise o conhece e se acostuma à sua presença. Mas seus dias de aprendizado são interrompidos quando uma invasão romulana pode mudar perigosamente o curso da história.

Resenha: Tudo começou quando no último episódio da série original "Todos os Nossos Ontens" Spock, Kirk e McCoy voltam acidentalmente ao passado do planeta Sarpeidon, durante um período em que a Federação vai ao sistema alertar que sua estrela vai virar uma nova. Lá Spock volta ao estado irracional da sua raça e tem um romance com a nativa Zarabeth, isso ocorre 5.000 anos antes.

No início de Portal do Tempo nós tomamos conhecimento de como Spock lida com a sua nova descoberta, ser pai. Essa informação foi obtida por acaso, através de estudos arqueológicos, isso mesmo, o filho dele não está vivo no mesmo período temporal que o pai Spock e diante desse novo fato, Spock se vê diante da obrigação de resgatar o filho no planeta Sarpeidon.

Desta forma, Spock, McCoy e Kirk resolvem usar o portal e com isso, volta, ao passado, na era glacial do planeta Sarpeidon para resgatar o seu filho Zar, fruto das relações sexuais que teve com Zaarabeth. Essa decisão ocorre não pelo laço afetivo do pai, mas puramente com o dever de família que existe entre os Vulcanos.

"Teu filho é uma pessoa. Cada ser tem sua própria dignidade e vida. Concede a teu filho essa dignidade. Ele é assunto teu, mas não é tu mesmo." p. 38.

Durante a leitura, vemos que o jovem caça em seu planeta por sua própria comida e não interagia com ninguém, além dele mesmo. Zar é então resgatado e levado para a Enterprise, só que Spock esperava encontrar um garoto, mas na verdade encontra um jovem, um adulto de 25 anos. Na Enterprise, o filho de Spock aprende sobre os costumes do seu povo e como se portar em uma sociedade já evoluída. 

No decorrer da leitura acompanhamos a evolução de Zar, a interação e sua adaptação num mundo totalmente diferente e novo do que conhecia. Zar se mostra capaz de realizar cálculos avançados em um curto espaço de tempo, algo surpreendente. 

"- Isso significa que sou apenas um quarto vulcano... Pensei que era meio vulcano. O senhor não mostra sinais de seus ancestrais humanos." p. 177


Acompanhamos durante essa aventura que a situação para os tripulantes da Enterprise se agrava, pois eles recebem um pedido de auxílio de outra nave da Federação, com isso uma esquadra de naves romulanas se apróxima de Gateway, planeta que abriga o Guardião da Eternidade. A nova missão é proteger o Guardião e impedir que os romulanos consigam desvendar o segredo das viagens no tempo. Enquanto isso a relação entre pai e filho vai ficando tensa.

Opinião: Esse foi o meu primeiro contato com Star Trek através da leitura, antes eu tinha apenas assistido aos filmes e seriado, foi muito bom. Entre os pontos positivos, quero destacar que a leitura foi rápida e bem fluída, você mal sente o passar da história, isso se deve ao fato da obra ser de qualidade, acrescentando que é uma obra de ficção científica, escrita por mulher, e é cheia de aventura, humor, com diversas cenas de ação e com personagens bem descritos. Crispin acertou na medida em sua narrativa, nos lembra muito bem os episódios da série. A narrativa é realizada em terceira pessoa.
A autora durante sua obra nos apresenta o conflito existente entre pai e filho, abordando aspectos interpessoais, com debates e reflexões, disputas e valores como amizade, mas foge também dessa relação, trazendo ao leitor aspectos como diplomacia, as relações conflituosas com os romulanos, que se traduz em batalhas espaciais.
Entre os pontos negativos, ressalto o personagem Zar, pois me incomodou ligeiramente o fato de ele aprender tudo de forma muito rápida, além disso o livro é bem curtinho, poderia ser um pouco mais robusto.

Sobre o trabalho editorial da Aleph posso dizer que está muito bom, a capa com o Spock ficou muito maneira, é o meu personagem favorito de Star Trek e talvez o de muitos, a diagramação ficou muito boa, com folhas amareladas e fontes em tamanho confortável, facilitando a leitura. 
O prefácio foi escrito por Salvador Nogueira do site TrekBrasilis, além disso entre o prefácio e o capítulo um, existe uma apresentação dos personagens, algo que facilita a ambientação para o leitor. Super recomendo a leitura de Portal do Tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares