[COLEÇÕES FOLHA] GRANDES NOMES DA LITERATURA - PARTE 2 - Saga Literária

Novidades

segunda-feira, agosto 01, 2016

[COLEÇÕES FOLHA] GRANDES NOMES DA LITERATURA - PARTE 2


Título: O Marido Dela
Autor: Luigi Pirandello
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 254
Ano: 2016
ISBN: 9788579492785



Sinopse: Nos primeiros anos do século XX, o casal Giustino Boggiolo e Silvia Roncella deixa a província para se fixar em Roma, capital da Itália recém-unificada. Ela é uma jovem escritora que começa a gozar de certa notoriedade, ele, um funcionário do Arquivo Notarial. Os dois logo passam a frequentar rodas de jornalistas, editores e celebridades romanas. Não por acaso a história começa com O banquete, em que ambos são apresentados a esse novo mundo. Giustino faz de tudo para promover a carreira da mulher, revelando um arrivismo ridículo e grotesco. Pressionada pelo marido a escrever incessantemente, Silvia acaba de fato triunfando, e Giustino larga o emprego para ser seu agente. O romance, porém, não é apenas uma sátira à acelerada mercantilização das artes: fosse assim, não seria Pirandello (1867-1936). Em sucessivas viravoltas, o narrador dá a ver os dispositivos que movem suas personagens e monta uma cena em que vida e representação se confundem, expondo cada um em sua solidão e incompreensão radicais. Maurício Santana Dias Professor da USP e tradutor.


Título: Mrs. Dalloway

Autor: Virgina Woolf
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 190
Ano: 2016
ISBN: 9788579492792


Sinopse: Em Mrs. Dalloway, livro publicado em 1925, Virginia Woolf (1882-1941) emprega algumas das técnicas narrativas às quais deve sua posição de grande renovadora do romance do século XIX, ao lado de Marcel Proust e James Joyce. Não é mera coincidência, aliás, que o romance da escritora inglesa se passe inteiramente num único dia de junho, assim como Ulisses, de Joyce. Esse recurso, que no escritor irlandês confere conotações épicas à vida do homem comum, adquire na narrativa de Virginia Woolf uma incomum densidade psicológica. Do momento em que sua protagonista sai de casa para comprar flores (pois dará uma recepção em casa à noite) até o momento em que acontece a festa, desenham-se paisagens mentais que envolvem questões ou hesitações existenciais de Clarissa Dalloway e das personagens que refletem seus fantasmas amores do passado, homossexualismo, sequelas da guerra, loucura, banalidade cotidiana. São os fantasmas que se materializam ao longo desse dia, tanto no plano da ação romanesca quanto nos fluxos de consciência e na temporalidade cinematográfica (flashbacks e cortes alternando os pontos de vista das personagens), que fazem de Mrs. Dalloway um retrato interior de sua época. Manuel da Costa Pinto Crítico literário e colunista da Folha.

Título: Assassinatos na Rua Morgue e Outras Histórias
Autor: Edgar Allan Poe
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 190
Ano: 2016
ISBN: 9788502059542

Sinopse: O personagem central deste conto, o francês Monsieur C. Auguste Dupin, poderia ser Sherlock Holmes e o narrador poderia ser o Dr. Watson. O fascinante personagem de Poe, através de um sistema próprio de dedução baseado na sua profunda capacidade de observação dos fatos, é capaz de ler os pensamentos do seu interlocutor e desvendar um dos mais intrincados e misteriosos casos de assassinato já enfrentado pela polícia francesa: o bárbaro duplo assassinato de mãe e filha num apartamento na rua Morgue. Meio século depois, Conan Doyle tomou emprestada a alma de Dupin para criar seu Sherlock. A partir daí o gênero caiu no gosto do público e os grandes personagens se multiplicaram.

Título: A Obscena Senhora D
Autor: Hilda Hilst
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 54
Ano: 2016
ISBN: 9788525034649

Sinopse: O livro. Escrito na particularíssima prosa de Hilda Hilst, onde todos gêneros narrativos se fundem e os recursos estéticos mais variados são usados, A Obscena Senhora D é Hillé, que após a morte do seu amante, se recolhe ao vão da escada, para falar "dessa coisa que não existe, mas é crua e viva, o Tempo." Obra plena dos temas mais caros à autora -- o desamparo, a condição humana, o apodrecimento da carne, a alma conturbada -- A Obscena Senhora D é uma procura lúcida e hipnótica das razões da existência, onde tudo pode acontecer, de uma facada pelas costas até um apaixonado beijo de amor. Como a própria Senhora D afirma: "... A vida foi uma aventura obscena, de tão lúcida."

A história do livro. A Obscena Senhora D foi lançado em 1982. Em 1997, a obra foi publicada na França, pela Ed. Gallimard, com tradução de Maryvonne Lapouge, que também traduziu Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa. Ao lado de Júbilo, Memória, Noviciado da Paixão, a publicação de A Obscena Senhora D pela Editora Globo marca o início do relançamento de toda obra de Hilda Hilst, incluindo 31 títulos, entre prosa e poesia.

O que se diz. Por amar a condição humana, Hilda escreve", afirmou o escritor Caio Fernando Abreu, já falecido, e acrescentou, em relação à leitura de A Obscena Senhora D: "Ninguém sairá ileso." Para Leo Gilson Ribeiro, importante crítico literário, que considera a autora o maior escritor vivo em língua portuguesa, "O espanto diante da criação de Hilda Hilst crescerá à medida que as gerações futuras consigam apreender a grandeza imune ao efêmero desta vivência escrita." 

Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 72
Ano: 2016
ISBN: 9788571646858

Sinopse: A metamorfose, novela publicada em 1915, é uma narrativa fantástica em que o personagem central, Gregor Samsa, ao despertar certa manhã, "depois de um sono intranquilo, achou-se em sua cama convertido em um monstruoso inseto". Depois desse começo ab-rupto, a história se desenvolve em torno das mudanças de comportamento que Gregor observa em si e na sua família.

Título: O Compromisso
Autor: Herta Müller
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 176
Ano: 2016
ISBN: 9788579492839
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse: “Eu fui convocada”, diz a narradora na primeira linha deste romance de Herta Müller – escritora de língua alemã nascida em 1953 na Romênia, de onde emigrou em 1987 para escapar do regime comunista e desenvolver, na Alemanha, uma obra que lhe valeu o prêmio Nobel de literatura de 2009. A convocação a que se refere a protagonista de O compromisso partiu da Securitate, temível polícia secreta do ditador Nicolae Ceausescu. E o delito que pesa sobre a personagem, que trabalhava numa fábrica de roupas, foi ter colocado bilhetes em ternos destinados à Itália, oferecendo-se em casamento para quem quisesse tirá-la do inferno totalitário. A essas experiências se somam memórias pessoais igualmente traumáticas: do primeiro marido que tentou matá-la, do atual companheiro mergulhado no alcoolismo, do assédio sexual sofrido no trabalho, do assassinato da amiga durante fuga, da família marcada por traições e perseguições. São fatos de que ela se recorda durante o trajeto de bonde que a levará a mais um depoimento ao serviço secreto, compondo uma colagem descontínua de reminiscências resgatadas da morte e do esquecimento pelo lirismo áspero de Herta Müller. Manuel da Costa Pinto Crítico literário e colunista da Folha.

Título: Os Sofrimentos do jovem Werther
Autor: Johann Wolfgang Von Goethe
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 144
Ano: 2016
ISBN: 9788525410443
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse: A literatura alemã divide-se em antes e depois de Os Sofrimentos do Jovem Werther, que chega às livrarias brasileiras nesta nova e brilhante tradução de Marcelo Backes.Ao escrever Werther, em 1774, Johann Wolfgang Goethe alcançava sua primeira obra de sucesso e, de quebra, dava início à prosa moderna na Alemanha. Werther não é, simplesmente, um romance em cartas assim como Nova Heloísa de Rousseau ou Pamela de Richardson. Esta que é uma das mais célebres obras de Goethe é o romance de uma alma, uma história interior. Dilacerante, arrebatada é a história de uma paixão literalmente devastadora. Com enorme repercussão quando do seu lançamento, Werther foi um testemunho de como a literatura tinha poder de agir na sociedade. Não foram poucos os suicídios atribuídos ao romance. Johann Wolfang von Goethe nasceu em Frankfurt em 1749 e morreu em Weimar em 1832. Poeta, romancista, dramaturgo, crítico, estadista, tornou-se um dos maiores vultos do pensamento alemão, tendo influenciado várias gerações. Em 1775, a convite do Duque Carlos Augusto, foi administrador de Weimar, onde destacou-se brilhantemente como administrador, financista e estadista. Deixou vasta obra, onde se destacam, entre outras, Werther, Ifigênia, Elegias Romanas (poesia), Fausto, Teoria das Cores, Viagem à Itália, Poesia e Verdade.

Título: Samuel Beckett
Autor: Malone Morre
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 128
Ano: 2016
ISBN: 9788579492853
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse: Um dos maiores escritores da segunda metade do século XX, o irlandês Samuel Beckett (1906-1989) recebeu o Nobel de Literatura em 1969 e ficou para sempre lembrado pela peça Esperando Godot. No entanto, o ponto alto de sua obra está em narrativas como Malone morre (1951), segundo livro da trilogia composta ainda por Murphy e O inominável. Trata-se quase de literatura abstrata: sem enredo, trama, personagens. No livro, um homem muito velho está preso, nu e inválido, a uma cama do que parece ser um hospital. Toma uma sopa diária e escreve a lápis, num caderno, uma espécie de diário em que mistura pensamentos e histórias sem sentido de pessoas que talvez possam ter sido ele mesmo, não se sabe. Como é comum em Beckett, observa-se e reflete-se sobre o quase nada da vida, tratada com humor sinistro, como se fosse um acúmulo de banalidades fúteis, do qual pouco sobra na memória dos narradores beckettianos – doentes, velhos, mendigos, palhaços. Vinicius Torres Freire Colunista da Folha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário