[RESENHA #100] O CORAÇÃO DAS TREVAS - JOSEPH CONRAD - Saga Literária

Novidades

sábado, agosto 06, 2016

[RESENHA #100] O CORAÇÃO DAS TREVAS - JOSEPH CONRAD


Título: O Coração das Trevas
Autor: Joseph Conrad
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 112
Ano: 2016
ISBN: 9788579492884
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse: Como oficial da Marinha Mercante, Joseph Conrad (1857-1924) viajou pelo interior do Congo em 1890. A brutalidade do colonialismo belga naquela região, chocante até para os padrões da época, despertaria protestos de jornalistas e escritores como Mark Twain e Conan Doyle. No romance O coração das trevas, publicado em 1899, Conrad não faz apelo a cenas de impacto. A história do capitão Maslow, a bordo de um precário navio que se embrenha no interior da África, parece cercada sobretudo de uma névoa de desentendimento, de alusão e desmemória. Trata-se de ir em busca de um certo Kurz, de quem todos elogiam a inteligência excepcional. Encarregado de dirigir a exploração do marfim no mais distante posto da companhia, Kurz deixou de dar notícias; rumores sobre cultos bárbaros e sobre seu colapso moral e mental acompanham a lenta viagem do narrador. Ele descobre não só a fragilidade da civilização europeia, mas também o terror à espreita na alma de cada um. Marcelo Coelho Colunista da Folha.

Resenha:
O Coração das Trevas, livro do autor britânico nascido na Polônia Joseph Conrad, foi publicado originalmente em 1902, está entre as mais importantes obras da literatura inglesa.

A bordo do navio Nellie, ancorado no rio Tâmisa, o autor nos apresenta o personagem Marlow, que enquanto navegava pelo famoso rio, decide contar a sua história para um grupo de colegas, uma experiência e aventura que teve no Congo, na época em que a região era propriedade privada do rei da Bélgica.

"O Nellie, iate de cruzeiro, balançou em torno da âncora, sem ondular as velas, e parou. A maré havi subido, quase não tinha vento, e, como o barco rumava rio abaixo, o mehor mesmo era esperar o início da vazante." p. 5.

Tudo começou quando Marlow, um homem do mar, começa a trabalhar na companhia de comércio na África, em uma transportadora de marfim. Em sua chegada ao emprego, ele visualiza os primeiros rastros da violência oriunda do colonialismo europeu, como o trabalho escravo.

Malorw realizava navegações em um enigmático rio no Congo, sendo o capitão da sua embarracação. Todavia, a principal função no relato que passava para os seus companheiros no navio Nellie, era na verdade, procurar Kurtz, um famoso comerciante de marfim que estava explorando a região.

"Um dia, ao entardecer, estava deitado no convés do meu vapor, quando escutei vozes se aproximando..." p. 45.

Durante a narrativa vamos conhecendo o enigmático Kurtz. Marlow em determinado momento deve encontrar Kurts, que é um dos funcionários mais brilhantes e lucráveis da companhia, com isso o capitão precisa desbravar o coração da selva africana. Desta forma, Joseph Conrad narra a peregrinação do capitão, nessa grande aventura.

"Eu olhava para ele, absolutamente perplexo. Lá estava diante de mim, em sua colcha de retalhos, como se houvesse fugido de uma trupe de mimos, entusiásticos, fabulosos." p. 79.

Opinião: Primeiramente gostaria de deixar registrado que o filme Apocalypse Now, dirigido por Francis Ford Copolla, foi inspirado no livro O Coração das Trevas e o representa muito bem. Quem ainda não assistiu ao filme, é uma boa oportunidade para fazê-lo, pois é uma obra prima.
A obra ilustra muito bem a visão européia do século XIX sobre a África e os africanos, quando estes são identificados como vultos, sombras negras, como selvagens e primitivos. Os habitantes são misturados à natureza, não são mostrados como indivíduos, mas sim como uma parte sinistra da floresta.

O Coração das Trevas traz a desorientação na natureza, não apenas se limitando a maneira física, mas principalmente, aborda a parte psíquica e o psique dos personagens. Existe uma relação profunda como se a natureza sinistra apresentada, trouxesse um auto conhecimento, todavia certos personagens se perdem nesse caminho.

A trama ocorre simbolicamente na floresta tropical do Congo, é também a mente humana, capaz de achar a riqueza representada pelo marfim, que por outro lado pode levar ocasionar a morte espiritual e material, como exemplificada em um dos personagens mais importantes da trama. 
Esse livro leva profundamente para o campo da reflexão, ao qual analisamos comportamentos, situações degradantes e principalmente mudanças na alma humana. Esse é um livro que certamente vai tirar muitos leitores da zona de conforto. Recomendo a leitura desse clássico.
Recebemos o livro em parceria com a Coleções Folha (Folha de S. Paulo), a edição continua com o padrão de qualidade a editora apresentou ao longo da coleção, com capa dura, folhas amareladas e diagramação de qualidade. O Coração das Trevas pode ser adquirido nas bancas de jornais e também pelo site da Coleções Folha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário