[RESENHA #101] ROTA DE FUGA - MAURÍCIO MUNHOZ - Saga Literária

Novidades

terça-feira, agosto 09, 2016

[RESENHA #101] ROTA DE FUGA - MAURÍCIO MUNHOZ


Título: Rota de Fuga
Autor: Maurício Munhoz
Editora: Chiado
Páginas: 240
Ano: 2016
ISBN: 9789895150045
Onde Comprar: Chiado - Travessa

Sinopse: A história de Andreas Spinger, um alemão de Munique, se confunde com o surgimento e a chegada ao poder dos nazistas. Sua participação na formação da SS, a temível tropa de proteção do Führer, e na condução de um serviço ultrassecreto, de espionagem e contraespionagem, de conhecimento exclusivo de Hitler, que acompanhava a vida dos ministros e líderes militares e paramilitares do reich, inclusive da SS como Himmler, o levaram a conduzir um plano para que o nazismo sobrevivesse, mesmo após a derrota na segunda guerra mundial.

Mais que uma história de guerra, Rota de Fuga- a história não contada da SS, nos apresenta os conflitos humanos por trás de um texto híbrido, onde subjaz um argumento central que é o conflito humano decorrente das ambivalências provocadas pela mistura entre humilhação e riqueza, pobreza e glória, segredo e história, ganância e cristianismo, poder e religião, política e ética.

Resenha: A presenta obra, Rota de Fuga - A História não Contada da SS, é um romance histórico do autor brasileiro Maurício Munhoz e traz como pano de fundo a Segunda Grande Guerra Mundial. O autor nos leva para conhecer as minúcias e meandros do Partido Nazista desde a sua criação.

"Fazia um frio intenso naquela tarde de novembro de 1945, em Roma. Em uma rua estreita, no antigo bairro Borgo Pio, no interior de uma cafeteria de onde se podiam avistar os muros do Vaticano, o padre Lui, muito impaciente, estava sozinho à mesa tomando café." p. 15.

Conhecemos o personagem principal,  Andreas Spinger, natural de Munique e que participa da formação da SS, desempenhando um importante papel na história do nazismo, principalmente em Munique, onde ocorreu a ascensão e queda da S.A e SS, demonstrando a chegada ao poder, o período da guerra e o pós-guerra, quando a Alemanha nazista foi derrotada.

"Chegando em Munique, Andreas foi chamado imediatamente para uma conversa com Hitler, quando foi apresentado para o novo comandante da SS, Heinrich Himmler, que recebera o título de Reichsführer SS, alta patente da organização." p. 57

Durante a leitura, o autor demonstra que Andres Spinger é ainda, responsável pela condução de um serviço ultrassecreto, de conhecimento apenas do líder máximo nazista, o Führer Adolf Hitler.

"Em 1938, Andreas buscava pessoas para compor sua equipe, em especial aquelas aptas a ajudar na usurpação da riqueza dos judeus." p. 81

O autor nos leva também para conhecer, a tentativa de ressuscitar, fazer ressurgir o nazismo em terras argentinas, onde querem construir um novo reich. Existem ainda diversos conflitos entre os muitos personagens presentes na trama, alemães, judeus, católicos e muitos outros seres humanos que acompanharam todo esses movimento nazista de ascensão e queda.

Opinião: O livro tem uma narrativa muito fluida, com um olhar crítico, onde o argumento central é o conflito humano decorrente das ambivalências provocadas pela humilhação e riqueza, pobreza e glória, a ganância, os conflitos religiosos, todos presentes principalmente na segunda guerra.
O autor nos faz conhecer e aprofundar um pouco mais nas mazelas humanas, nos horrores causados na guerra e pelo comportamento humano. Além disso detalhe bem lugares e figuras históricas, com uma visão panorâmica sobre conspirações e traições, além é claro de abordar o apelo psicológico exercido sobre o cidadão alemão, o terrorismo que foi posto em prática contra o comunismo e a comunidade judaica.
Particularmente achei o livro com uma linguagem simples, o que é bom para alcançar o público em geral, consegue ser uma obra emocionante e retrata bem a história dos nazistas, fiquei com a sensação de que existe muito para ser contado e revelado sobre os mistérios nazistas. O desfecho da obra me surpreendeu.

A Chiado Editora fez um belo trabalho editorial, a diagramação é boa, as folhas são levemente amareladas, fontes confortáveis e não achei erros de revisão.

Por Mayara Frossard

Nenhum comentário:

Postar um comentário