[RESENHA #114] SRA. POE - LYNN CULLEN - Saga Literária

Novidades

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quarta-feira, agosto 31, 2016

[RESENHA #114] SRA. POE - LYNN CULLEN


Título: Sra. Poe
Autor: Lynn Cullen
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 400
Ano: 2016
ISBN: 9788528618457
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 1845: O Corvo, de Edgar Allan Poe, alcança os padrões de perfeição literária e está no auge da moda – sucesso com o qual uma poetisa esforçada como Frances Osgood só pode sonhar. Apesar de não ser grande fã dos escritos de Poe, ela vê com entusiasmo a chance de conhecê-lo e, em um sarau literário, fica atraída por sua magnética presença – e pela surpreendente revelação de que ele admira o seu trabalho. Flerte e sedução culminam em um romance proibido. Mas quando a frágil mulher de Edgar insiste em se tornar amiga de Frances, o relacionamento se torna tão ambíguo e tortuoso quanto um dos contos de Poe. Inspirado na vida e na escrita de Poe e Osgood, e baseado em autênticos detalhes históricos, Sra. Poe é uma história de tragédia e perda envolta em uma aura de paixão e vitalidade.

Resenha: Estamos no ano de 1845, em pleno inverno na cidade de Nova York, onde Edgar Allan Poe está fazendo sucesso com a sua famosa obra "O Corvo". Nesse mesmo período e compartilhando a mesma sociedade, temos Frances Osgood, uma escritora de poemas e histórias infantis, que conta a sua história, um tanto quanto triste.

"Defrontada com más notícias, a maioria das mulheres de minha posição social pode dar-se ao luxo de desabar no sofá, deixar a xícara de porcelana escorregar entre os dedos e espatifar-se no tapete, o cabelo soltar-se elegantemente dos grampos, e as quatorze anáguas engomadas amassarem em um triturar aveludado." p. 15.

Frances Osgood, foi abandonada pelo marido mulherengo e posteriormente acolhida por sua amiga Eliza Bartlett, juntamente com as suas filhas Vinnie e Ellen. Frances de forma direte discorre sobre as dificuldades enfrentadas por uma mulher abandonada e que tenta sobreviver nesse mundo machista, onde a sociedade quer saber apenas de histórias macabras.

"Ele deixou seu lindo e terrível olhar recair sobre mim. Por mais desconfortável que me sentisse, recusei-me a desviar o olhar." p. 41.

A autora, além de todas as dificuldades que enfrenta, é pouco conhecida, até que em certo momento conhece Poe em uma roda de conversa com escritores e grandes pensadores da época, porém algo acontece, Fanny apaixona-se por Poe. Para complicar a situação, a Sra. Poe se coloca como um obstáculo. Virginia Poe enfrenta problemas na saúde, como complicações no pulmão, o que a coloca como vítima na história.

"Apenas nossos passos e o farfalhar de minhas saias quebraram o silêncio enquanto caminhávamos para o próximo quadro." p. 125.

Durante a leitura, percebemos que Poe torna-se um grande fã dos poemas e Frances, admiração essa que acaba por iniciar um amizade entre ambos. Essa relação passa a ser vista por pessoas próximas de forma negativa, mas, na verdade a conexão entre Poe e Frances vai além da amizade, criando laços de amor. A autora Frances Osgood passa então a viver esse sonho de amor e Poe além do sentimento de amor por Fanny, vê nela uma confidente e companheira.

Opinião: Sra. Poe traz um retrato de Edgar Allan Poe em sua fase áurea, além é claro de o descrever através de relatos de pessoas que o conheceram na época e trata-se ainda de uma visão romântica do mesmo. 
Lynn Cullen nos proporciona uma viagem no tempo, onde conhecemos a alta sociedade de Nova York do século XIX, época esta repleta de glamour e requinte, mas ao mesmo tempo nos apresenta uma atmosfera sombria, onde a mulher estava presa aos princípios morais e subjugada ao machismo inerente da época.
Outro ponto positivo são as descrições feitas pela autora, que se mostrou rica em detalhes. Os personagens foram bem trabalhados, inclusive diversos deles realmente existiram. A narrativa fluiu muito bem e Lynn Cullen em diversos momentos nos deixa apreensivos e curiosos sobre o que vai acontecer com Poe e Frances. 
A Bertrand Brasil fez uma edição muito bonita, com orelhas, folhas amareladas, fontes confortável e título em alto relevo. A capa combina perfeitamente com o ar sombrio da obra. A editora está de parabéns por tudo apresentado. Recomendo o livro para todos que querem saber um pouco mais sobre Edgar Allan Poe e a alta sociedade de Nova York dos anos de 1845, bem como para aqueles que gostam de uma história de amor proíbido

Nenhum comentário:

Postar um comentário