[CRÍTICA #09] [GRANDES BIOGRAFIAS NO CINEMA #05 | O EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS - JESUS CRISTO - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, setembro 21, 2016

[CRÍTICA #09] [GRANDES BIOGRAFIAS NO CINEMA #05 | O EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS - JESUS CRISTO




Título: O Evangelho Segundo São Mateus - Jesus Cristo
Autor: Cássio Starling Carlos
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 44
Ano: 2016
ISBN: 9788581933634

Produção: Itália / França, 1964
Preto e branco, 138 min.
Estrelando: Enrique Irazoqui
Direção: Pier Paolo Pasolini
Áudio original: Italiano
Legenda: Português

Livro com a biografia de Jesus Cristo, a cronologia da época e a apresentação do filme, do elenco e do diretor, em meio a fotos da produção.

Sinopse: A infância e a paixão de Cristo foram reconstituídas de tantas maneiras no cinema que os filmes acabaram consagrando uma imagem muito uniforme daqueles acontecimentos e de seus protagonistas. Com "O Evangelho Segundo São Mateus", o diretor italiano Pier Paolo Pasolini propôs um retorno à palavra bíblica. Sua intenção foi encenar o relato sobre a vida de Jesus de um modo mais próximo das origens, com um elenco e paisagens mais conformes aos daqueles tempos, e tentar reencontrar a mensagem perdida em meio a tantas releituras. A trilha sonora mescla cantos tribais e música clássica, intensificando a aproximação com um universo ao mesmo tempo primitivo e sagrado. A escolha de um jovem estudante espanhol para interpretar Jesus também afasta o filme dos estereótipos e dá uma nova face à imagem cristã.

Resenha: O livro é uma obra do crítico e professor de história Cássio Starling Carlos em conjunto com Mario Bresighello e Pedro Maciel Guimarães. O trio leva ao leitor diversas informações sobre Jesus Cristo, como identidade, nacionalidade, profissão, codinomes e local da morte.

Esse é o quinto volume da Coleções Folha Grandes Biografias no Cinema e pretende retratar Jesus Cristo, do ponto de vista de estudos históricos, buscando revelar sua crença e relação com a sociedade de sua época. Pois é notório que Jesus desejava convencer seus conterrâneos israelitas, de que Deus estava abrindo um novo diálogo, uma oportunidade de conversão.

"Jesus provavelmente conhecia bem o impacto da nova ordem imperial sobre os judeus comuns." p. 9.

É interessante ver ao longo das páginas, que existe diversas abordagens e análises sobre a figura de Jesus Cristo, sua inserção na sociedade e seu modo de agir, feitas por historiadores, por perspectivas escatológicas. O que se pode ver, é que Jesus de forma geral era um revolucionário, um rebelde, pois ele ia contra todo o sistema de sua época.

O presente volume está muito bem feito, o livro está impecável, capa dura, são diversas informações sobre Jesus Cristo, sobre o elenco, atores, diretor e o próprio filme. A mídia DVD também está bem legal, com a imagem de Enrique Irazoqui interpretando  Jesus Cristo. Super recomendo a coleção Grandes Biografias no Cinema. Lembrando que na compra do primeiro volume, o segundo é grátis.
Crítica (Filme): O presente filme aborda a vida de Jesus sobre a ótica do evangelho, texto de São Mateus, que foi escrito entre os anos 80 e 90 depois do nascimento de Cristo.
O diretor Pier Paolo Pasolini nos apresenta um cenário no qual objetiva retratar a simplicidade que permeia a sociedade da época, bem como a vida de Jesus Cristo. Pier criou uma Jesus politizado, que enfrenta aquilo que considera errado, desafiando os líderes locais e colocando sua fé acima de tudo.
Sobre a família de Jesus, ela não tem grande foco, pois Pier Paolo Pasolini considerou mais importante focar na peregrinação, o que por um lado caracteriza Jesus Cristo mais como um ser humano do que como um Deus.

Vemos no filme um Jesus inflamado em seus sermões e com um temperamento forte. Uma cena clássica e forte é a crucificação, onde Jesus verbaliza em um grito libertador toda a sua fúria divina, o que gera um terremoto. As cenas da convocação dos apóstolos, nos milagres de cura e na tentação que Jesus passou no deserto foram demonstradas sem nenhuma pompa.
Cabe ressaltar que o diretor mais ressaltou foram as tomadas sobre a vida do profeta em sua simplicidade, onde grande parte da sociedade daquela época não se importava com ele. Por fim, O Evangelho Segundo São Mateus é uma obra que foi incluída em uma lista elaborada pelo Vaticano com 45 filmes religiosos aprovados pela Igreja Católica.

2 comentários:

  1. Super interessante, existe mesmo formas diferentes analises da figura de Jesus. O bom desses livros é que podemos pegar a analise de cada uma e daí tirarmos nossas conclusões.

    Beijos Nathy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato Nathy, essa é a beleza, são visões e interpretações diversas, essas várias vertentes só enriquecem os debates!

      Excluir