AS AVENTURAS DE SHARPE - BERNARD CORNWELL - Saga Literária

Novidades

quinta-feira, outubro 06, 2016

AS AVENTURAS DE SHARPE - BERNARD CORNWELL


SEAN BEAN É RICHARD SHARPE

As Aventuras de Sharpe é o nome dado a série de livros escritos pelo autor inglês Bernard Cornwell, que para mim é o melhor escritor do mundo vivo. Baseando-se em fatos históricos reais, o autor escreve sobre seu personagem fictício, Richard Sharpe. O personagem é um militar que começa sua carreira na Índia, sob o comando da Companhia Britânica das Índias Orientais. Após voltar à Europa, ele participa das Guerras Napoleônicas, nas quais se passa a maior parte de sua história. Foram publicados  em inglês mais de 20 volumes da série.

Embora os livros não tenham sido escritos seguindo a ordem cronológica, sendo lançados alguns volumes em série e depois lançados alguns anteriores, no Brasil, a Editora Record os publica desde 2005 pela ordem cronológica da história. São eles:

Volume um: O Tigre de Sharpe - Cerco a Seringapatam, Índia, 1799
Volume dois: O Triunfo de Sharpe - Batalha de Assaye, Índia, setembro de 1803
Volume três: A Fortaleza de Sharpe - Cerco de Gawilghur, Índia, dezembro de 1803
Volume quatro: Sharpe em Trafalgar - Batalha naval de Trafalgar, Espanha, 1805
Volume cinco: A Presa de Sharpe - Expedição a Copenhague, 1807
Volume seis: Os Fuzileiros de Sharpe - Invasão francesa da Galiza, janeiro de 1809
Volume sete: A Devastação de Sharpe - Invasão francesa em Portugal, maio de 1809
Volume oito: A Águia de Sharpe - Espanha, julho de 1809
Volume nove: O Ouro de Sharpe - A Destruição de Almeida, 1810
Volume dez: A Fuga de Sharpe - A Batalha do Buçaco, setembro de 1810
Volume onze: A Fúria de Sharpe - A Batalha de Barrosa, março de 1811
Volume doze: A Batalha de Sharpe - A Batalha de Fuentes Oñoro, maio de 1811

Onde comprar a coleção: Saraiva  Amazon


                                                 O Tigre de Sharpe - Vol. 1                                                     
                               
                                               
Em O tigre de Sharpe, Cornwell volta o olhar para a ocupação britânica da Índia. O Imperialismo europeu serve de base para uma aventura que se estende por mais de vinte volumes com o jovem Richard Sharpe — recruta analfabeto a serviço de Sua Majestade — como herói. Integrante de uma expedição enviada para derrubar o sultão Tipu e expulsar os franceses da Índia, Sharpe luta as mais incríveis batalhas.

Neste primeiro volume da série, Sharpe, fingindo-se de desertor, deve penetrar a cidade do sultão e fazer contato com um espião escocês aprisionado. Se for bem-sucedido, ganhará suas divisas de sargento. Se fracassar, será entregue aos cruéis executores de Tipu ou aos seus tigres devoradores de homens. Neste mundo exótico e misterioso, um passo em falso significa a morte. A situação se complica ainda mais quando Sharpe descobre que deve lutar contra seus velhos camaradas para salvar o próprio pescoço. E ao mesmo tempo em que executa sua missão, Sharpe fica de olhos abertos para as belas prostitutas de Misore, coisas para saquear e a oportunidade de aprender a ler.

Enquanto o exército britânico avança pela Índia rumo a uma armadilha diabólica, o jovem recruta batalha contra homens e feras atrás das linhas inimigas. Mas quando o exército britânico ataca violentamente a cidade, Sharpe deve lutar com a ferocidade e a agilidade de um tigre para desarmar a armadilha de Tipu... e para não ser morto pelos compatriotas.

                                                    O Triunfo de Sharpe - Vol. 2                                                         
        
     


O inglês Bernard Cornwell tornou-se conhecido no Brasil com as trilogias As Crônicas de Artur e A Busca do Graal, que lhe valeram elogios da crítica e milhares de leitores. O triunfo de Sharpe é mais uma incrível aventura do autor. Segundo episódio da série As aventuras de Sharpe, inaugurada com O tigre de Sharpe, conta a história do jovem Richard Sharpe, no ano de 1803, na Índia.

Já com a insígnia de sargento, Sharpe se vê no meio de um episódio de traição quando um oficial inglês amargurado une-se às forças mercenárias da Confederação Mahratta, determinado a expulsar os britânicos do continente asiático. Ocorre então a sangrenta Batalha de Assaye. Jurando caçar o vira-casaca, Sharpe mergulha de cabeça na violenta batalha, acompanhado por Sir Arthur Wellesley ― o futuro duque de Wellington ― na luta mais feroz de sua carreira.

Na série As aventuras de Sharpe, ele volta o olhar para a ocupação britânica da Índia e o Imperialismo europeu serve de base para uma saga que se estende por mais de vinte volumes com o jovem Richard Sharpe — recruta analfabeto a serviço de Sua Majestade — como herói.

O triunfo de Sharpe é uma história empolgante de traição e vingança que combina com maestria as aventuras militares carregadas de suspense com a riqueza de detalhes históricos que transformaram os romances de Bernard Cornwell em best-sellers no mundo inteiro.

                                          A Fortaleza de Sharpe - Vol. 3
                                                           
 



A Fortaleza de Sharpe , de Bernard Cornwell, fecha o ciclo de aventuras do oficial inglês em solo indiano. Depois de O tigre de Sharpe e O triunfo de Sharpe, o herói deve vingar-se de seu maior inimigo, o sargento Hakeswill, que lhe roubou as jóias do sultão Tipu.    

Três meses após participar bravamente da inesquecível batalha de Assaye, o alferes Richard Sharpe anda muitíssimo insatisfeito. Afinal de contas, após salvar a vida de sir Arthur Wellesley, o jovem oficial está encarregado de uma tarefa nada excitante: cuidar do comboio de bois e dromedários do exército.  Trabalhando na retaguarda do regimento que tentará pôr um ponto final no sangrento conflito entre britânicos e mahrattas, Sharpe se depara com a traição de seu pior inimigo: o abominável sargento Obadiah Hakeswill.

Contudo, ao descobrir o plano de Hakeswill, Sharpe está sozinho e sob uma terrível ameaça. Para fazer justiça, ele precisa recorrer à sua habilidade de combatente para recuperar sua confiança e seu precioso tesouro, as jóias do sultão Tipu. A busca por vingança leva Sharpe até Gawilghur, fortaleza que nunca conheceu uma derrota sequer, localizada sobre uma grande muralha de penhascos. Liderando as forças inimigas está William Dodd, o inglês renegado que escapou do jovem oficial em O triunfo de Sharpe e responsável pelo cruel assassinato do coronel McCandless. Dodd, o traidor, acredita que nenhum casaca-vermelha é capaz de alcançá-lo – à exceção, é claro, de Sharpe, que se junta às tropas de Wellesley, para avançar através do terreno traiçoeiro da fortaleza. Ali, no horror da ravina de Gawilghur, dominada por muralhas e canhões, Sharpe lutará como nunca lutou antes.

                                              Sharpe em Trafalgar - Vol. 4
                                                        



É mais uma incrível aventura do autor. Quarto episódio da série As aventuras de Sharpe, inaugurada com O tigre de Sharpe, que conta a história do jovem Richard Sharpe.

O ano é 1805, e o Calliope (que tem entre seus passageiros o alferes Richard Sharpe) é atacado pelo Revenant, um formidável navio de guerra francês que há algum tempo aterroriza o tráfego náutico no Oceano Índico. Quando parte rumo à segurança de sua própria frota, a nau francesa carrega um tratado roubado que pode levar a Índia a uma nova guerra com os britânicos... e jogar por terra tudo o que Sharpe conquistou até agora.

A ajuda chega de uma forma inesperada. Um velho amigo, comandante da Marinha Real, está perseguindo o Revenant, e Sharpe embarca no Pucelle, um vaso de guerra de setenta e quatro canhões.O resultado é uma narrativa empolgante de uma das batalhas navais mais ferozes da História, na qual o lendário almirante Nelson ― e Richard Sharpe ― derrotam em Trafalgar o poder naval combinado da França e da Espanha.

                                                      A Presa de Sharpe - Vol. 5                                                                                                             
                               

A presa de Sharpe é mais uma incrível aventura do herói Richard Sharpe. De volta à Inglaterra, após bem-sucedidas missões na Índia e na Espanha, a carreira de Sharpe parece chegar ao fim. Longe da amada Lady Grace e relegado ao posto de intendente, Sharpe recebe uma arriscada tarefa: fazer companhia a John Lavisser, nobre oficial que vai a Copenhague subornar o príncipe-herdeiro dinamarquês, e com isso impedir uma nova guerra.

No começo do século XIX, os dinamarqueses eram donos de uma frota mercante gigantesca, protegida por uma marinha imbatível. No porto de Copenhague, embarcações chegavam e partiam sem parar, em um movimento somente inferior aos portos ingleses. Em 1807, Napoleão decide avançar seus navios até o litoral dinamarquês para se apossar de toda a armada nacional, substituindo os navios perdidos na costa espanhola em outubro de 1805. Em uma rápida resposta, a Inglaterra se lança contra a França.

Richard Sharpe recebe a ordem de proteger Lavisser contra os agentes franceses espalhados por toda a Copenhague. É uma acirrada guerra de bastidores, onde espiões e a mais pura brutalidade são moeda corrente. E nesse terrível cenário, Sharpe é um peão destinado ao sacrifício. Mas algumas vezes os peões podem mudar o jogo. Quando Sharpe descobre um traidor em seu meio, cria as próprias regras, lançando-se em uma luta feroz para se manter vivo.
                                              
                                            Os Fuzileiros de Sharpe - Vol. 6                                                          
  


                                                   
 É o sexto episódio da série As aventuras de Sharpe, inaugurada com O tigre de Sharpe, que conta a história do jovem Richard Sharpe. Em 1805, o almirante britânico Horatio Nelson estava à frente da lendária batalha de Trafalgar, que simplesmente aniquilou a armada francesa.

Nos anos seguintes, Napoleão aplicou um duro golpe à Europa, ao avançar o exército imperial sobre Portugal e Espanha. As imbatíveis tropas britânicas parecem não estar livres da fúria napoleônica. Em janeiro de 1809, o exército da rainha é obrigado a recuar em direção à cidade de La Coruña. Richard Sharpe, que já ostenta as divisas de tenente, está isolado do restante das tropas. Mesmo cercado pelos inimigos, Sharpe vai lutar como nunca. À frente dos soldados do 95º Regimento de Fuzileiros, o oficial resiste bravamente, em uma jornada traiçoeira através das montanhas espanholas, que estão infestadas de franceses.

No meio do caos dos campos de batalha, Sharpe ganha um reforço inesperado: o major espanhol Blas Vivar e seus soldados estão dispostos a combater as tropas francesas. Só que Vivar leva consigo um misterioso baú, que talvez seja capaz de mudar o rumo da guerra. E agora os franceses estão determinados a obtê-lo a qualquer preço. Os fuzileiros de Sharpe é um romance histórico emocionante, baseado em episódios reais. 

                                                   A Devastação de Sharpe - Vol. 7
                                 
            



 É o sétimo e altamente aguardado livro da série As aventuras de Sharpe. Estamos em 1809. Alguns anos após os feitos heróicos na Índia e em Trafalgar, o tenente Richard Sharpe se vê lutando contra os violentos exércitos de Napoleão Bonaparte, que tenta dominar a Península Ibérica. O imperador francês avança rapidamente no norte de Portugal, e a permanência do pequeno contingente de tropas britânicas em Lisboa ainda é uma incógnita: as forças de Sua Majestade lutarão ou voltarão para casa?

Mas Sharpe não tem escolha: quando a matança francesa tem início e a cidade do Porto se torna o cenário de uma enorme carnificina, ele e seus fuzileiros precisam ir em busca de Kate Savage, a filha desaparecida de um comerciante de vinhos inglês.

Perdido atrás das linhas inimigas, Sharpe precisa se manter fiel à missão de encontrar Kate. Mas sua posição em terreno inimigo é desvantajosa, e a tarefa fica ainda mais complicada pelas ações do coronel Christopher, um inglês misterioso e ameaçador que tem suas próprias idéias de como expulsar os franceses de Portugal. O plano de Christopher é perigoso, e Sharpe e seus fuzileiros são o único obstáculo para que ele se realize.

E quando o corajoso oficial inglês se vê cercado de inimigos, um inesperado reforço vem em sua ajuda, Sir Arthur Wellesley, comandante recém-chegado a Lisboa, que monta um ousado contra-ataque, uma operação para expulsar o exército francês de volta para as montanhas do norte.

A devastação de Sharpe é uma narrativa com base em fatos históricos, e marca o retorno de Richard Sharpe a Portugal em companhia do sargento Patrick Harper, do capitão Hogan e de seus heroicos fuzileiros.

                                                       A Águia de Sharpe - Vol. 8                                                         
       



 A ocupação britânica da Índia e o Imperialismo europeu servem de base para as aventuras do jovem Richard Sharpe, recruta analfabeto a serviço de Sua Majestade. Uma espécie de James Bond de época, com uniforme repleto de galões e espada em punho. Além do charme do herói, a reconstituição de batalhas famosas e as tramas bem urdidas da série reafirmam, a cada volume, o nome de Bernard Cornwell como um dos principais autores de ficção histórica contemporâneos.

Em A águia de Sharpe,  oitavo título da saga, o ano é 1809 e Sharpe, agora tenente, está em Portugal. Suas ordens, simples: incorporado pelo regimento inexperiente de Sir Henry Simmerson, tenente-coronel do regimento de South Essex, o batalhão de Sharpe deve marchar até a cidade espanhola de Valdelacasa e se preparar para enfrentar Napoleão em Talavera, numa das batalhas mais sangrentas da guerra.

Os homens de Sir Henry são desorganizados e inexperientes, e apenas a cooperação do regimento de Sharpe pode ajudá-los na hora do confronto. Depois de serem derrotados em um conflito durante a marcha, as bandeiras do exército inglês são levadas, um sinal de triunfo dos franceses. Agora, para restabelecer o orgulho de seu regimento, Sharpe precisa roubar uma das águias de ouro ostentadas pelo exército inimigo.

Humilhado, Simmerson usa Sharpe como bode expiatório, fazendo com que quase todos os soldados do regimento se voltem contra ele. O tenente precisa tomar de volta a bandeira do rei inglês para recuperar sua dignidade e, a fim de cumprir uma promessa, levar consigo também uma das águias de ouro ostentadas pelo batalhão francês, um símbolo do império de Napoleão. Mas com os maiores oficiais do regimento conspirando para acabar com a reputação de Richard Sharpe, será quase impossível executar as duas tarefas.

                                                        O Ouro de Sharpe - Vol. 9
                                                            
     



Portugal, agosto de 1810 - As Aventuras de um Soldado nas Guerras Napoleônicas.O ano é 1810, o exército britânico está em Almeida, Portugal, e a guerra parece perdida. Praticamente falidos, tudo sugere que os regimentos terão de marchar de volta para casa. Mas o general Wellington, temendo o fracasso, convoca o capitão Richard Sharpe e a Companhia Ligeira do Regimento South Essex para uma missão especial: roubar um tesouro pertencente ao governo espanhol que pode mudar o rumo da guerra.  Uma quantia inestimável em ouro está na aldeia de Casatejada, vigiado por Cesar Moreno, um espanhol líder de um grupo guerrilheiro. Os homens de Moreno acabam de se unir a outro grupo, chefiado por El Católico, um homem cruel, assim apelidado por rezar pela alma dos homens antes de assassiná-los brutalmente.

Ao chegar em Casatejada, o Regimento de South Essex descobre que os guerrilheiros foram atacados pelos franceses e El Católico garante que o ouro foi levado pelas tropas de Napoleão. Os espanhóis escoltam o exército britânico para fora da aldeia, mas Sharpe não se dá por convencido e, junto com o sargento Harper, volta para Casatejada às escondidas. Os dois encontram o dinheiro, e para levá-lo dali com segurança precisam fazer refém Teresa, filha de Moreno e noiva de El Católico. Agora, a missão designada por Wellington está ameaçada não somente pelos franceses, mas pelos guerrilheiros de Moreno e El Católico, o homem mais perigoso da Espanha, que — principalmente depois de saber do envolvimento de Sharpe com Teresa — jurou se vingar de Sharpe, dando a ele uma morte lenta e dolorosa.

                                                   A Fuga de Sharpe - Vol. 10
                                                            



Portugal, setembro de 1810. O capitão Richard Sharpe está em Portugal e comanda a Companhia Ligeira do Regimento South Essex contra as forças napoleônicas. Sharpe vê com muita fúria os esforços de seu superior, o tenente-coronel Lawford, de fazer o próprio cunhado, o atrapalhado e inapto Slingsby, destacar-se na companhia.

Além disso, para complicar ainda mais a situação, Sharpe cria uma inimizade com um comerciante de Coimbra, Ferrabrás, de quem desconfia, com razão, tratar-se de um traidor que planeja vender suprimentos para o exército inimigo. Ferrabrás é um homem extremamente violento que se aproveita da posição de seu irmão, o major Ferreira, assim como da governanta dele, a inglesa Sarah Fry, a quem deseja intensamente. A rivalidade com o português coloca Sharpe em maus lençóis, especialmente quando o obstinado inglês cruza o caminho da Srta. Fry e se transforma em seu protetor.

Com a companhia dos fiéis amigos, o sargento Patrick Harper e o capitão Jorge Vicente, Sharpe ajuda a Srta. Fry, e eles precisam sobreviver à armadilha tecida por Ferrabrás e chegar até o restante das tropas inglesas, que se preparam para enfrentar os franceses na Serra do Buçaco.

A experiência de Sharpe será decisiva, pois a batalha que se aproxima irá colocar o melhor dos dois exércitos frente a frente.

                                                    A Fúria de Sharpe - Vol. 11

  
No inverno de 1811, Sharpe está na Espanha. Após um combate contra as forças francesas, ele e seu pelotão são obrigados a recuar à cidade de Cádis. Lá, Sharpe passa a fazer parte de um perigoso jogo político envolvendo o embaixador Henry Wellesley, um violento padre e uma prostituta. Enquanto precisa lidar com os perigos das ruas do último reduto espanhol protegido pelos ingleses, o cerco francês à cidade aumenta, e Sharpe e seus homens precisam participar desse confronto decisivo que culminará na Batalha de Barrosa, um embate heroico e feroz que manchará as praias da Espanha de sangue.

                                                 A Batalha de Sharpe – Vol. 12                                                                                                                      
       



O capitão do exército britânico Richard Sharpe, junto de sua companhia, depara-se com o resultado de uma chacina num vilarejo espanhol. Logo descobre que essa atrocidade é responsabilidade da Brigada Loup, liderada pelo general Guy Loup, uma força francesa inclemente que espalha o terror pelo interior da Espanha. Sharpe consegue capturar dois integrantes do exército inimigo e os condena à morte, colocando seu posto em risco e despertando a sede de vingança do general francês.

Ao mesmo tempo, Sharpe é incumbido de liderar a Real Compañía Irlandesa. Longe de ser uma honra, ele precisa forçar os homens da companhia a desertar, pois não são confiáveis. Porém, o capitão inglês simpatiza com os soldados rasos, homens simples, que desejam apenas fazer o seu melhor na guerra.

Dessa forma, Sharpe precisa lutar para liderar seus novos homens e por sua honra e posição no exército no sangrento combate no vilarejo de Fuentes de Oñoro, uma batalha que decidirá o futuro da guerra contra Napoleão.

                                      SÉRIE RICHARD SHARPE - SEAN BEAN
                                                          
       

                                             20 episódios filmados de 1993 a 2008

Sharpe é uma série de ficção histórica escrita por Bernard Cornwell, centrada no personagem de Richard Sharpe. As histórias formaram a base para uma série de televisão em que o personagem de mesmo nome foi interpretado por Sean Bean . A Série de Cornwell é composta de vários romances e contos sobre o progresso de Sharpe no exército britânico durante as guerras napoleônicas . Ele começa em Tigre de Sharpe como um  simples soldado de Infantaria , que se torna um sargento até o final do livro, é transferido para o recém-formado Regimento de Fuzileiros, depois torna-se segundo-tenente. Ele é gradualmente promovido através das fileiras, finalmente, tornar-se tenente-coronel em Sharpe na Batalha de Waterloo

A história dramatiza a luta de Sharpe para a aceitação e respeito de seus colegas oficiais e dos homens que ele comanda. Sharpe nasceu nas ruas pobres de Londres, ora vivendo em orfanatos, ora sozinho nas ruas. Mais tarde torna-se oficial no campo de batalha, ele supera a classe do exército, onde a classificação do oficial é muitas vezes comprada. Ao contrário de muitos dos oficiais com quem ele serve, Sharpe é um soldado experiente.

Um líder altamente qualificado de tropas ligeiras, ele participa de uma série de eventos históricos durante as guerras napoleônicas e outros conflitos, incluindo a batalha de Waterloo. Os primeiros livros em ordem cronológica (foram publicados em ordem não-cronológica) são fixados na Índia, e os anos de Sharpe nas fileiras britânicas contra as tropas de Napoleão. Ele é conhecido como um homem perigoso para ter como inimigo; ele é um atirador habilidoso e cresce como um bom espadachim. Na maioria dos romances ele é um fuzileiro de rifle, e armado também com uma espada de cavalaria pesada,  Ele é descrito como sendo de seis pés de altura, tendo, um rosto bronzeado angular, longos cabelos e olhos azuis. Sua característica física mais óbvia é uma cicatriz profunda na face direita, que puxa seu olho direito, de tal modo a dar o seu rosto uma expressão de zombaria quando relaxado, mas que desaparece quando ele sorri, que não é muito frequentemente. Até o final da série, ele teve três filhos e duas mulheres, embora não ao mesmo tempo.
                                                           















     SÉRIE NO YOUTUBE

         


            CONTEXTO HISTÓRICO - GUERRAS NAPOLEÔNICAS


Guerras Napoleônicas é a designação do conflito armado que se estendeu de 1803 a 1815, opondo a quase totalidade das nações da Europa a Napoleão Bonaparte, herdeiro da Revolução Francesa e ditador militar.

Napoleão chegou ao poder como 1 °Cônsul (1799) vindo a ser coroado imperador da França, em 1804, sob o título de Napoleão I. A partir de 1807 conduziu o governo sem atender aos corpos legislativos e com características autoritárias, imperiais e expansionistas.

As guerras, a princípio localizadas como conflitos entre soberanos, tornaram-se guerras nacionais a partir da resistência popular de Espanha e Portugal (Guerra Peninsular) aos invasores napoleônicos. Com o apoio da Grã-Bretanha, as nações europeias, derrotadas em sucessivas coligações, acabaram por se impor a Napoleão na Batalha de Waterloo (1815) e forçaram o imperador francês ao exílio.  

BERNARD CORNWELL

Bernard Cornwell, (Londres, 23 de fevereiro de 1944) é um dos mais importantes escritores britânicos da atualidade. Já publicou mais de 40 livros e teve obras traduzidas para mais de 16 idiomas. O autor é um apaixonado pela história em geral e da Inglaterra em especial, o que se reflete em romances que retratam conflitos ocorridos em território inglês (como na série A Busca do Graal, situada durante o período de conflito entre Inglaterra e França conhecido como Guerra dos Cem Anos, ou ainda em crônicas como as do Rei Artur, onde Cornwell, com sólida base histórica, dá uma versão muito pessoal ao senhor da guerra).

Bernard Cornwell nasceu em Londres em 1944, durante a Segunda Guerra Mundial. Seu pai era um aviador canadense e sua mãe trabalhava como auxiliar da Força Aérea Britânica. Ele foi adotado por uma família em Essex, Inglaterra, que pertencia à seita religiosa chamada Peculiar People (Pessoas Peculiares, e, segundo o escritor, eram mesmo). Ele fugiu para a Universidade de Londres, incluindo em seu nome o sobrenome de sua mãe, Cornwell. Depois de uma ponta como professor, foi para a rede de televisão BBC, onde trabalhou por 10 anos. Começou como um pesquisador no programa Nationwide e terminou como Chefe de Assuntos Televisivos Atuais da BBC na Irlanda do Norte. Foi enquanto trabalhava na cidade irlandesa de Belfast que ele conheceu Judy, uma americana que estava visitando o país, e por quem se apaixonou. Judy não podia se mudar para a Inglaterra por questões familiares, então Bernard foi para os Estados Unidos onde lhe foi recusado o Green Card. Ele decidiu ganhar a vida como escritor, ofício que não necessitava de permissão do governo dos EUA. Bernard e Judy se casaram em 1980, permanecem casados e vivendo nos Estados Unidos.

O autor tem seus livros publicados, no Brasil, pela editora Record. Sua série mais extensa, As Aventuras de Sharpe, é formada por mais de 20 livros e foi adaptada para a televisão na Inglaterra, com histórias protagonizadas pelo aclamado ator inglês Sean Bean. Atualmente estão em fase de tradução as obras sobre Sharpe e as Crônicas Saxônicas, onde já foram publicados os 9 livros da saga. Entretanto, a série terá mais livros, ainda não publicados pelo autor.


21 comentários:

  1. Eu fico tão, mas tão feliz quando eu acho alguém que concorda comigo quanto à qualidade do Cornwell!!! Ele descreve batalhas tão bem que meu nivel de adrenalina no sangue deve até subir ahhahaha
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler essa série dele, mas ela está muuuuito nos meus desejados.

    bjs

    http://laedevoltaoutravezblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Fernanda Cornwell é fantástico.

      Excluir
  2. Oi. Nunca li nada do autor, sequer conhecia a série, como você mesmo disse, a série é extensa e isso me desmotiva, não curto muitos livros com continuação, mas gosto de ficção histórica, então, quando possível, colocarei o primeiro livro na lista de leitura, se curtir, continuarei lendo os demais, mas também achei uma boa dica para presentear, não me parece clichê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilian não vai se arrepender, é muito boa.

      Excluir
  3. Não conhecia série, e mesmo ela sendo extensa gostei do conteúdo, pois enredos com guerras, onde a realidade e a ficção se misturam, sempre acabam me interessando.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha opinião Bernard Cornwell é o melhor escritor do mundo de romances históricos, leitura imperdível.

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?
    Nossa que post legal. Eu não conhecia o autor ou suas obras, me senti bastante informada. A serie pe enorme não é? Mas para quem gosta do estilo é um prato cheio, já que na leitura quanto mais melhor. Não sei se leria, não faz muito o meu estilo, mas de qualquer forma estou informada sobre. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Faby, obrigado pelo seu comentário.

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?

    Tenho muito interesse em ler esse autor algum dia. Me interesso, particularmente, pelos livros sobre o Rei Arhtur, adoro essa história, leio quase tudo haha. Meu irmão gosta bastante dele, vou recomendar mais essa coleção, aposto como vai gostar :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Cara, eu gosto de romances históricos. Esse parece bom, como O arqueiro de Carlos IX de Lucien de Rubempré. Leria, senão fosse vinte volumes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cornwell sempre nos surpreende, mesmo sendo uma saga extensa, cada livro tem uma história diferente, ele é o autor de romances históricos que mais vende no Brasil.

      Excluir
  7. Yvens eu até teria interesse em ler esses livros, mas o que me desafia e desanima é a quantidade, essa série é enorme, então por enquanto desisto, mas é uma história fascinante.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morgana vale a pena arriscar, leia pelo menos um livro, apesar das séries serem extensas, cada livro tem uma história diferente, não vai se arrepender.

      Excluir
  8. Nunca tinha ouvido falar da série, apenas do autor.
    Escutei muitos elogios a obra dele.
    Não sei se faz muito meu estilo a série, mas gostei muito do seu post.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Acredita que eu nunca havia ouvido falar nem da série e nem do autor? Achei muito interessante ele misturar fatos históricos em suas obras, isso com certeza me chama muito a atenção! Adorei a sua dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolina, o autor é ótimo não vai se arrepender de ler suas obras.

      Excluir
  10. Olá, tudo bem? Nossa é uma série bem longa haha Conheço o autor, apenas por nome, mas me interessei pela questão de tratar sobre fatos históricos reais, afinal amo demais ler sobre isso. Tem alguma série dele que é menor (para pelo menos iniciar)?
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol tudo bem. Sim vou indicar uma série mais curta, trilogia "A Busca do Graal" com os livros: O Arqueiro, O Andarilho e O Herege. http://www.saraiva.com.br/box-a-busca-do-graal-3-volumes

      Excluir
  11. Quem ainda não leu Bernard Cornwell está perdendo ótimas leituras...
    Já li as crônicas de Artur, a busca do graul, crônicas saxônicas, etc
    Gente vale muito esse autor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Leandro, quem ainda não leu não sabe o que está perdendo.

      Excluir