29/10/2016

[ENTREVISTA #05] CONVERSAMOS COM CESAR BRAVO

Cesar Bravo é uma das mais novas contratações da Darkside Books para o seu catálogo. Bravo que já escreveu ficção científica e foca muito do trabalho no campo do horror, vem juntamente com a Caveirinha publicar o seu novo livro, Ultra Carnem, uma obra de contos que tem tudo para arrepiar, assustar o leitor. 

A Saga Literária então entrou em contato com o autor, para conhecermos mais o seu trabalho, suas perspectivas e opiniões sobre alguns assuntos. Confira abaixo a entrevista com esse enorme talento da literatura nacional.

1. Olá Cesar, tudo bem? Obrigado por conceder um pouco do seu tempo. Primeiramente, Cesar Bravo é o seu nome ou um alter ego? Segundo poderia nos contar um pouco da sua carreira?

CB: Tudo ótimo! Eu que agradeço pela oportunidade e interesse em meu trabalho. Cesar Bravo é um alter ego, você definiu perfeitamente. Nessa brincadeira de “o médico e o monstro”, Cesar é o monstro (um monstro simpático, por favor).

Embora tenha começado a escrever muito cedo, somente em meados de 2011 eu decidi fazer dessa aptidão uma carreira. Minha primeiras publicações foram em blogs, e também no Facebook. Em seguida, com obras mais maduras e alguma variedade delas — 2 coletâneas de contos e um romance —, disponibilizei meus livros na Amazon, em formato e-book. Ao mesmo tempo participei de vários concursos literários, muitos deles promovidos pela Editora Multifoco (com o editor e querido amigo Alexandre Durigon, hoje idealizador e fundador da Editora Os Dez Melhores). Também fui selecionado pela Fnac/Novo Século no concurso “Novos Talentos da Literatura” (uma sensação incrível, sem dúvida). Com o tempo e muito trabalho duro consegui leitores e parceiros, e meu nome acabou ganhando reconhecimento. O próximo passo foi a parceria com Blogs e Youtubers, desse ponto em diante meus livros passaram a integrar círculos maiores, até que despertaram o interesse da DarkSide Books. O resto é história.

2. Poderia nos dizer como e quando surgiu sua paixão pela leitura?

CB: Embora tivesse uma família próxima e muitos amigos, fui um garoto solitário. Sempre gostei bastante de isolamento, de espaço para criar algo novo; não demorei muito para perceber que entrar em um livro era bem mais divertido que a enfadonha realidade do dia a dia. Lendo e escrevendo tudo era possível, algo que deixava de existir quando alguém abria a porta do quarto e me puxava de volta para o mundo real. Conheci a literatura de horror e seus grandes mestres um pouco mais tarde, por volta dos quatorze, quinze anos. Posso dizer que minha vida e minhas ambições mudaram radicalmente depois desse encontro.

3. Cesar, qual a sua motivação para escrever?

CB: Se eu tivesse que definir em uma palavra? Liberdade.
A escrita me tira das algemas, das piores conspirações, da rotina massacrante de quem acorda cedo sem ter uma motivação justa. Eu não poderia escolher nada melhor para ganhar a vida, não poderia descobrir uma carreira mais próxima da minha personalidade. Não nasci para usar terno e gravata (embora já tenha usado), nasci para descobrir o que assusta as pessoas e... acho que vocês entenderão em breve.

4. Você utiliza-se de algum método para escrever? Existe uma rotina ou algum horário estabelecido para isso?

CB: Meu principal método é disciplina e persistência. Escrevo todos os dias, tento escrever 2000-3000 palavras por dia, nos horários que tiver disponível. Quando não consigo atingir minha meta escrevo algumas linhas, algum pensamento que provavelmente morrerá em uma gaveta escura. O importante para mim é estar lá todo dia, sentado, na frente do meu processador de textos. É ali que a mágica acontece. Sobre o processo de escrita, não costumo planejar minhas histórias. Tenho uma ideia base, alguns personagens, crio algumas cenas. Depois disso é aproveitar a viagem e conhecer meus personagens um a um, são eles que decidem o que acontecerá no livro (pensando bem, talvez haja algo de muito estranho nisso, mas é o que funciona para mim — e é bem mais barato que Terapia).

5. Cesar, você poderia nos dizer como surgiu a oportunidade de publicar pela Darkside Books? E como vê o investimento que a editora tem feito para trazer ao mercado nacional, obras de suspense e terror?

CB: Comecei a cortejar a DarkSide Books há um bom tempo, desde o comecinho da editora. Submeti meus textos como era indicado pela Editora, fiz minha parte aprimorando meus livros e aumentando minha base de leitores; contei com a ajuda de muitos blogueiros (não posso citar alguns nomes, pois seria injusto com os demais). Na hora certa meu telefone tocou e selamos nosso pacto; foi um momento único e inesquecível.

A DarkSide teve a coragem de ousar no mercado editorial brasileiro. Faltava esse primeiro passo; derrubar a porta, mostrar que é possível e viável apostar nos talentos daqui. O horror conquista fãs (e lucro) no mundo todo, o medo é uma emoção universal, o que faltava no Brasil era um grupo desses mesmos fãs ardorosos à frente de uma grande editora. Não posso deixar de mencionar sobre a equipe da DarkSide Books (que eu carinhosamente chamo de Caveiras). Não duvide: além de uma garra insuperável, eles têm os melhores profissionais do mercado.

6. Como vê o mercado nacional para obras de suspense e terror?

CB: Vejo um mercado ainda tímido, mas crescente. Sempre tivemos números expressivos com autores já consagrados (cito Stephen King, mas existem muitos outros). A pouco tempo atrás tivemos uma explosão de autores de fantasia, alguns nacionais, inclusive. De 2013 para cá os olhos se voltaram para o horror (sobretudo os olhos de uma nova geração de leitores, garotada de 13-19 anos). Recentemente tivemos a primeira grande produção da TV aberta relacionada ao tema. Grandes obras de terror já datadas estão sendo republicadas, sinto que chegamos a um momento de grandes oportunidades.
7. Você pode nos contar um pouco sobre a obra Ultra Carnem (Além da Carne)? Do que se trata? E o que podemos esperar?

CB: Ultra Carnem ao pé da letra seria “Muito Além da Carne”. Significa que a obra é uma expansão do universo idealizado com o “Além da Carne” original — uma coletânea de 5 contos insanos disponibilizada na Amazon. Em Ultra Carnem, o leitor deve se preparar para o horror puro, precisa estar pronto para ficar chocado muitas vezes. Pactos diabólicos, sofrimento, sangue, angústia, existe humor negro em muitas páginas. O livro é uma experiência de horror legítima, algo único — é um resumo honesto do que podem esperar.

8. Os contos presentes no livro foram escritos exclusivamente para a obra ou foram compilações de materiais escritos anteriormente?

CB: Quase a totalidade do livro é inédita. Usamos apenas alguns trechos já publicados (mas que foram revistos e readequados a obra). Algo que preciso esclarecer — e aprecio o espaço cedido por você — é que Ultra Carnem não é um livro de contos. O que ocorre no livro são linhas temporais que se completam, quatro partes que compõe uma única história.

9. No momento, você está trabalhando em algum projeto? Alguma novidade? Existe alguma possibilidade de voltar a escrever obras de ficção científica?

CB:  Estou trabalhando em uma fantasia sombria. Não tenho certeza se será nossa nova aposta, mas tenho a impressão que vocês adorariam. Além desse livro, tenho uma pilha de material engavetado — novidades não faltarão. Sobre ficção científica, existem possibilidades e probabilidades. Gosto de flertar com o tema, quando a história certa estiver pronta farei o possível para que ela ganhe a luz do mundo.

10. Cesar Bravo, você deseja que suas obras sejam adaptadas para a televisão ou cinema algum dia? Se fosse para escolher uma, qual seria?

CB: No momento, toda minha energia está dedicada a entregar um grande livro aos leitores, cada minuto do meu dia está voltado a essa tarefa. Sobre o futuro, eu gostaria muito de ver meus personagens perturbados ganhando uma nova roupagem, seria interessante. Tenho mais atração pelo cinema, mas não sou maluco de me incomodar com uma série na TV. Citando Vitor Hugo: “Utopia hoje, carne e osso amanhã”.

11. Pode nos contar quais são os seus autores favoritos? 

CB: H. P. Lovecraft, Edgar Allan Poe, Stephen King, Clive Barker.

12. Cite cinco obras de terror que todo mundo deveria ler.

CB: O Senhor das Moscas (William Golding), Livros de Sangue (Clive Barker), Sombras da Noite (Stephen King), O Rei Amarelo (Robert W Chambers), A torre Negra (Stephen King). 
*Bonus Track: toda obra disponível de Lovecraft e Poe.

13. O que poderia dizer para aqueles que querem ser escritores?

CB: "Nem tente". Oh... Bukowsky já disse isso, não é mesmo? Estou brincando. Se escrever é o que torna seus dias menos miseráveis, aconselho que persista. Escrever não deve ser uma escolha, não é assim que funciona. Deve ser paixão, fome, necessidade, deve ser qualquer coisa que você não consiga ficar sem. Se esse é o seu caso, se esforce e escreva todos os dias, esteja pronto para os elogios e sobretudo para as críticas. Especialize-se, leia material técnico, e o mais importante de tudo: nunca permita que digam a você que é “impossível”. Essa é uma palavra ruim, má, mesquinha, ela deveria ser banida dos dicionários. Se você quer mesmo escrever, cerque-se de outros escritores, ouça seus pares, debata, exponha seu texto para que ele seja avaliado antes de colocá-lo a venda. Forneça um material de qualidade aos leitores. Com muito trabalho e dedicação você será respeitado, depois disso não irá importar muito a data em que você será publicado.

14. Cesar Bravo, você poderia deixar uma mensagem para os leitores da Saga Literária?

CB: Adorei dividir um pouco do meu tempo com vocês. Espero que tenham gostado desse nosso primeiro contato, estou certo de que esse foi o começo de uma grande amizade. Um escritor não vive sem seus leitores, vocês são nossa principal inspiração. Espero que gostem do meu livro, que vocês sobrevivam ao Ultra Carnem sem muito sofrimento ou grandes danos mentais, e que me contem suas opiniões.

15. Por fim, quero agradecer a oportunidade concedida. Desejo todo sucesso nessa nova caminhada ao lado da Darkside Books.

Obrigado, Yvens. Gostei muito de responder suas perguntas e conhecer mais de perto o Saga Literária. Espero conhecer você e os nossos leitores em breve, de preferência autografar seus livros. Abraços, e fiquem por perto, estamos apenas começando.

18 comentários:

  1. "A escrita me tira das algemas, das piores conspirações, da rotina massacrante de quem acorda cedo sem ter uma motivação justa."
    Me apaixonei pelo César e suas palavras.
    Entrevista excelente, deu para conhecer ele direitinho.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cesar me cativou, adorei ter entrevistado ele, foi uma honra!
      E obrigado pelo elogio!

      Excluir
  2. Muito legal a entrevista!
    Quando vi que esse autor teria uma publicação da Darkside fiquei muito feliz! Adorei os livros que ele indicou e também a forma sincera como falou a respeito desse "pacto" com a editora. Concordo que o mercado brasileiro para o terror e horror ainda é muito tímido, não for falta de trabalhos, e sim por reconhecimento, mas chegaremos lá com certeza!
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostei da abordagem dele sobre o "pacto" com a editora e sua visão sobre o terror/horror no cenário nacional!

      Excluir
  3. Yvens cara, vc perguntou tudo e mais um pouco do que eu e muita gente queria saber sobre o Cesar Bravo. ENTREVISTA PERFEITA! O anúncio do lançamento do livro dele tá muito recente e creio que assim como eu, muita gente estava afim de conhecer melhor ele e alguns detalhes a mais sobre suas inspirações e tal.

    Parabéns Yvens. E Cesar Bravo: quero vários livros seu sendo lançados pela editora! Kkkkkkkk já queremos pra hoje esse seu novo trabalho kkkkk

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pedro, obrigado pelos elogios!

      O livro está recente mesmo, vai sair na metade de novembro, já estou de olho e talvez eu vá ter em mãos esse mês a obra. Estou seco para ler Ultra Carnem!

      Excluir
  4. Olá =)
    Essas entrevista é sempre bom para poder conhecer melhor o autor e sobre a obra dele. Você perguntou tudo que um fã literário gostaria de saber. A obra dele é bem diferente do que eu costumo ler, mas é bom vária então um dia posso ler essa obra. Parabéns pelo blog! Beijos'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios Dayane!
      Sim, tentei tirar o máximo do Cesar, para que possamos conhecer mais sobre sua obra e ele mesmo!

      Excluir
  5. Adorei a entrevista, perguntou muitas coisas que estava curiosa mesmo a respeito dele rsrs... Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, aproveite e confira as outras entrevistas que realizei!

      Excluir
  6. Oieeee
    Tudo bom?
    Não conhecia o autor e pela entrevista puder ver um pouco dele é seu trabalho, estou super ansiosa para ler o que ele escreve.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michelle, também estou bem ansioso!

      Excluir
  7. Parabéns por você ter conseguido essa entrevista e ter compartilhado com a gente no blog.
    Gostei de conhecer o autor e sua obra. Fiquei interessada na leitura.
    Muito sucesso !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lorena!
      Também estou bastante interessado em ler a obra do Cesar!
      Aproveite e confira as outras entrevistas realizadas!

      Excluir
  8. Yvens, não conhecia o autor e nem sua obra.
    Que bacana que ele publicará sua obra pela Darkside.
    Adorei conhecer sobre ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, achei muito massa o fato dele conseguir publicar pela Darkside!

      Excluir
  9. Olá tudo bem? Não conhecia o autor e nem sabia que ele foi contratado pela Darkside <3 Bela surpresa! Confesso que o gênero não me agrada tanto, mas quem saiba eu posso dar uma chance. E ótima entrevista :D
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio Carol!
      Sim, parece ser muito boa a obra e também é literatura nacional, algo positivo!

      Excluir

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares