[GRANDES BIOGRAFIAS NO CINEMA #08] O BUNKER - ADOLF HITLER - Saga Literária

Novidades

sexta-feira, outubro 14, 2016

[GRANDES BIOGRAFIAS NO CINEMA #08] O BUNKER - ADOLF HITLER


Título: O Bunker - Adolf Hitler
Autor: Cássio Starling Carlos
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 44
Ano: 2016
ISBN: 9788581933641
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria Folha

Produção: França / Estados Unidos, 1981
Colorido, 150 min.
Estrelando: Anthony Hopkins
Direção: George Schaefer
Áudio original: Inglês
Legenda: Português

Livro com a biografia de Adolf Hitler, a cronologia da época e a apresentação do filme, do elenco e do diretor, em meio a fotos da produção.

Sinopse: Berlim, 1945, últimos cem dias do Terceiro Reich. O império nazista constituído por Adolf Hitler e seus asseclas à base de destruição não passa de uma pequena elite vivendo no fundo de um buraco malcheiroso, construído debaixo do prédio da Chancelaria, onde só o concreto ainda protege do incessante bombardeio russo. "O Bunker", produção de 1981, intercala cenas da glória e da decadência do regime para mostrar a loucura do projeto nazista e o delírio que ainda o move em sua fase final. Em vez de batalhas ou do horror dos campos de extermínio, o filme nos aproxima da intimidade de um poder que acreditou não haver limites para nada. Anthony Hopkins caracterizado no papel de Hitler tem muitos acessos de fúria e ainda consegue trazer à tona a face humana do mal.

Resenha: O livro é uma obra do crítico e professor de história Cássio Starling Carlos em conjunto com Oscar Pilagallo e Pedro Maciel Guimarães. O trio leva ao leitor informações diversas sobre Adolf Hitler, como identidade, nacionalidade, profissão, ascensão ao poder e possível local da morte.

Esse é o oitavo volume da Coleções Folha Grandes Biografias no Cinema e pretende retratar essa figura histórica, polêmica, que já foi amada e massivamente odiada. Hitler nasceu na Áustria, ainda jovem tentou ingressar na Academia de Belas-Artes de Viena por duas, mas foi rejeitado. Ainda novo, conseguia ganhar algum dinheiro através das aquarelas que pintava, era uma forma de complementar a renda da pensão que recebia pela morte do seu pai.

Sua juventude foi caracterizada pela solidão e penúria, morou na rua e passou necessidade, além de ter mostrado dificuldades para se relacionar com outras pessoas. A intolerância e ódio para aqueles que não fossem germânicos, sobretudo contra os judeus, floresceu através da política.

"Orador exaltado e com poderes quase hipnóticos, Hitler angaria popularidade e tem uma carreira meteórica no partido nazista." p. 9.

Através da leitura, percebemos que sua vida mudou na Primeira Grande Guerra Mundial, quando aos 25 anos, por ser incapaz de servir no exército Austríaco, é aceito no Exército Alemão, como cabo, por influência de uma grande figura política de Munique, onde posteriormente estava morando.

Após o término da Primeira Guerra ingressa no Partido Trabalhista Alemão, se dedicando à atividade política. Em 1920 o partido passa a se chamar Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, o partido nazista. Em 1921, tornou-se líder da legenda e em 1923 tenta tomar, num golpe, o governo da Baviera.

A ascensão ao poder para Hitler começa em 1932, quando conquista mais de um terço dos votos na eleição presidencial, perdendo para o marechal Paul von Hindenburg. No entanto, já com 85 anos, Von Hindenburg não é páreo para um radical com metade da sua idade e que arrasta multidões nos comícios. A recompensa vem em janeiro de 1933, quando Von Hindenburg acaba por nomear Hitler como chanceler da Alemanhã, o que resulta no início da ditadura nazista.

"Com a situação doméstica sob controle, Hitler dá os primeiros passos na sua agressiva política expansionista." p. 14.

O grande plano de Hitler no poder, é conquista a Europa e com isso em 1939 invade a Polônia, no dia 1º de Setembro, provocando assim, a declaração de guerra por parte da Inglaterra. No início de 1940, com vários ataques, conquista a Bélgica, Luxemburgo, os Países Baixos e invade a França. No ano de 1941, os Estados Unidos entram na guerra, aliando-se à Inglaterra e União Soviética.
Com todo esse poderio contra, o Terceiro Reich sucumbe, deixando um saldo de mais de 50 milhões de mortos, dos quais 6 milhões eram judeus vítimas do Holocausto. Em 30 de Abril de 1945 Hitler acaba suicidando-se no Bunker.

Crítica: O Bunker é um filme que vai abordar o declínio do Terceiro Reich, os últimos três de Hitler no poder, assim como a submissão dos militares nazistas para com o líder nazista. Porém não é só Hitler que é retratado, mas também Eva Braun e o casal Joseph e Magda Goebbels, é claro focando em Hitler. O filme aborda todo esse clima de final da guerra, como funciona O Bunker, a inteiração entre os seguidores do líder supremo alemão.

O ponto forte do filme são as interpretações. Na época das gravações da de O Bunker, temos Anthony Hopkins com 43, que optou por criar um Hitler mais "humano", porém não menos tirânico. Temos como destaque na película, Richard Jordan, que interpreta o arquiteto e ministro dos armamentos nazista conhecida como Albert Speer, que em dado momento traí Hitler e ao mesmo O ponto forte do filme são as interpretações.
Recomendo o oitavo volume da coleção Grandes Biografias no Cinema para aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre essa figura história, sobre os últimos meses da vida de Hitler. 
A Coleções Folha está de parabéns pelo ótimo trabalho realizado. O livro é edição capa dura, são diversas informações sobre Adolf Hitler. A mídia em dvd está bem feita, tendo Anthony Hopkins na figura do líder nazista.

2 comentários: