13/10/2016

[RESENHA #131] RUÍDO (THE GAME #2) - ANDERS DE LA MOTTE


Título: Ruído (The Game #2)
Autor: Anders de la Motte
Editora: Darkside Books
Páginas: 320
Ano: 2015
ISBN: 9788566636628
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: “Esse não é mais um jogo para iniciantes.Como acontece num bom videogame, à medida que o jogo avança, a leitura fica mais perigosa. [Ruído], volume dois da Trilogia The Game, traz o protagonista HP Peterson enfrentando uma nova fase do Jogo de Realidade Alterada que pôs sua vida em risco, no primeiro livro da série. HP poderia ter tudo: dinheiro, conforto, liberdade. Mas ele está disposto a arriscar tudo para sentir de novo a adrenalina correndo em suas veias. Enquanto isso, a policial Rebeca Normén começa a receber ameaças anônimas por um fórum de internet. O cerco começa a se fechar sobre os dois. Como se proteger de uma ameaça que você não tem certeza que existe. [Ruído] é o segundo livro da Trilogia The Game, de Anders de la Motte, o ex-policial e diretor de segurança de informação que se transformou no grande nome do suspense da Suécia após a morte de Stieg Larsson. O autor desenvolve uma série para a TV americana com o produtor executivo de Homeland e 24 Horas. A Trilogia The Game conta a história de HP, um jovem que tem sua vida transformada num jogo emocionante quando encontra um celular no vagão de trem. Através de mensagens anônimas no aparelho, ele passa a receber instruções para realizar tarefas no mínimo instigantes. A detetive Rebecca Normén é sua irmã, diferente de HP como são opostos a água e o vinho. Fenômeno em diversos países, a Trilogia The Game é surpreendente, divertida e assustadora na medida certa. Um thriller dos tempos de hoje, onde tudo o que acontece numa tela touchscreen já não pode mais ser considerado virtual."

Resenha: Ruído é o segundo livro da trilogia The Game do autor sueco Anders de la Motte. Nessa continuação, a história começa 14 meses após o término de O Jogo e temos HP viajando pelo mundo, com muita grana no bolso e diversas identidades falsas, [SPOILER] tentando se esconder do Mestre do Jogo.

De outro lado temos Rebecca Normén, a irmã mais velha de HP, que passa por uma situação delicada como guarda-costas de um político sueco em Darfur no Sudão, que desdobra em uma investigação por má conduta, gerando o afastamento da mesma da força policial. Mas para Rebecca os problemas começam a surgir, como fofocas em um fórum da internet, onde uma pessoa misteriosa, começa a soltar comentários depreciativos sobre a mesma, bem como informações de seu passado e presente.


"Quanto mais ao sul eles chegavam, mais árida a paisagem se tornava. Terra vermelha seca se espalhava em volta deles, agitando-se sob os seus veículos e encontrando espaço entre todos os vãos, de modo que suas roupas e equipamentos acabaram cobertos por uma fina camada crocante  e cor-de-rosa." p. 35.


HP em suas viagens acaba indo para Dubai, à convite de alguns franceses que tinha conhecido em suas andanças. Por lá, Henrik "HP" Petterson, acaba conhecendo uma mulher misteriosa e muito atraente, trata-se de Anna Argos, porém, em determinado momento ela é assassinada e ele acorda de porre, de tanta bebida e drogas, com a camisa repleta com o sangue de Anna, o que leva a polícia o prender, torturar e investigar. Mas não é o fim de HP no Oriente Médio, pois de alguma forma ele consegue passar batido, incólume pela investigação e com isso é deportado de volta para a Suécia.


"Naquele momento ele percebeu, para sua surpresa, que sua roupa de turista tinha sumido, e que ele mais uma vez vestia a blusa de seda tailandesa - que estava molhada." p. 60.


Ao retornar para o seu país natal, HP aproveita para se passar pelo seu melhor amigos, conhecido como Magnus Sandstorm (Manga), que está viajando pelo Oriente Médio, utilizando-se de sua identidade. Nesse novo personagem, HP acaba por passar em um processo seletivo na ArgosEye, antiga empresa de Anna, para investigar as circunstâncias, as motivações e interesses de sua morte, assim como investigar se ela está ligada ao Jogo. 


Com o passar do tempo HP se consolida na ArgosEye, conquista confiança, reconhecimento, uma bela remuneração. Tudo vai bem em sua vida, enquanto isso, sua irmã Rebecca se envolve com um homem abusivo, cheio de poder e que tenta estrupa-la, além de ser seguida por um hater e também ameaçada por um ex-amante, em meio essas confusões, ela ainda dá um gelo em seu namorado traído.

A trama segue com ambos buscando formas de salvar suas peles, formas para solucionar os problemas e mistérios, através de investigações e buscas por contatos que possam auxiliá-los. Até que seus caminhos e histórias se cruzam novamente.

Opinião: Ruído ou Buzz, é normalmente quando surge algum boato, que evidencia algo negativo, seja de uma empresa, produto, serviço ou personalidade e é nesse segundo volume, que os boatos ganham força, através dos "Trolls", internautas, pessoas que se utilizam de diversos nicknames em fóruns para manipular as opiniões e tendenciar determinado seguimento ou situação. 

Por outro lado determinadas empresas oferecem o serviço de Buzz Control, que são os controladores de ruídos, que fazem de tudo para minimizar ou até mesmo reverter a situação. Anders de la Motte é muito didático ao abordar o assunto, deixando fácil para o leitor o entendimento acerca de temas como internet, fóruns, manipulação, prestação de serviços e boatos, que estão intimamente ligado às redes sociais.

O começo de Ruído (The Game #2) se comparado com O Jogo (The Game #1), é um pouco parado, com os personagens estagnados, com Anders reestruturando a vida de Rebecca e HP, já que passa um período de 14 meses após o primeiro volume. 

No primeiro volume a ação é constante, do início ao fim, porém em Ruído, após um terço do livro, vai ganhando corpo, através de momentos de ação e conspirações. Existe toda aquela sensação de montanha russa, com momentos lentos como a subida e momentos intensos como a descida.

A narrativa de Anders é construída por meio da associação de referências à cultura pop, frases curtas, humor negro, ideias e teorias diversas. A trama é construída através da ótica de Rebecca e HP, com ponto de vistas de alguns personagens secundários, porém importantes.

Recomendo Ruído, por ter uma leitura envolvente, uma trama bem construída, repleta de mistérios e com algumas revelações, além é claro, pelo fato do autor nos levar para conhecer ainda mais Estocolmo, por nos apresentar esse mundo cibernético, as manipulações existentes na sociedade através das redes sociais e mídias. A conclusão foi bem satisfatória, porém ainda prefiro o primeiro volume por toda a sua intensidade.
A Darkside Books caprichou no segundo volume da trilogia, com uma bela capa, diagramação muito boa, fontes confortáveis, notas de rodapé explicativas, marcador em formato de smartphone, tudo bem caprichado, com o altíssimo padrão de qualidade da editora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares