05/12/2016

[RESENHA #146] A FACE DOS DEUSES - GLEYZER WENDREW

A Face dos Deuses é uma obra do autor brasiliense Gleyzer Wendrew. O presente livro é o primeiro volume das Crônicas da Aurora, trata-se de uma obra de fantasia e foi publicada pela Editora Kiron.

Título: A Face dos Deuses (As Crônicas da Aurora - Volume 1)
Autor: Gleyzer Wendrew
Editora: Kiron
Páginas: 180
Ano: 2016
ISBN: 9788581134840
Onde Comprar:
 As Crônicas da Aurora

Sinopse: Heros Kinnhäert, rei de Maäen, ainda é atormentado pelos horrores vividos durante a Longa Guerra, e tudo que deseja é descansar em paz. Mas ao saber da terrível aliança entre dois grandes senhores, vê-se preso em uma teia de conspirações nunca antes vista, e não medirá esforços para evitar a destruição de seu país…
No Norte, Koran K’Voöhk é um orgulhoso guerreiro que retorna à sua cidade após o exílio que lhe foi imposto ainda garoto, e depara-se com a mais pura decadência: sua Família está em declínio; seu castelo, abandonado aos ratos; seus inimigos, ainda mais poderosos… Conseguirá ele reerguer o nome de sua Família e recuperar o prestígio que ela um dia tivera?
Mentiras, laços frágeis, falsas emoções e adagas traiçoeiras permeiam um mundo cercado de religião, política e deuses misteriosos.

Resenha: A Face dos Deuses nos traz a história dos reinos que fazem parte do continente de Dünya. Uma vez no continente, nós vamos visitar os países de Maäen ao sul, onde acompanhamos o rei Heros Kinnhäert que vem sobrevivendo ao luto da perda do seu irmão. Também conhecemos o país de Vatra no norte, onde temos como personagem principal Cleyo, além do país Venn no oeste, que é governado por Kazoya.
Nesse continente, muitos anos atrás ocorreu um grande conflito que arrasou o continente e ficou conhecido como a Longa Guerra, nesse conflito centenas de milhares morreram nos embates, o que trouxe cicatrizes e memórias tristes para todos os lados.

Após o término da guerra, nenhum tratado de paz foi acordado entre as nações participantes e mesmo com um convívio aparentemente pacífico após o término da mesma, o convívio é delicado, qualquer movimento em falso poderá reacender a chama da guerra.

"O homem, chamado Rael, deu um passo à frente, retirou uma adaga de dentro da capa e passou-a na garganta do haähn, que nem sequer viu tal movimento antes de cair contorcendo-se no chão com as mãos na garganta, numa tentativa inutil de fazer para o sangramento mortal e impedir que sua vida frágil escoasse pelo chão de pedra daquele beco escuro." p. 14.

Tudo começa quando Heros, rei de Mäaen decide ignorar diversas cartas que recebeu de Kazoya, para ajudá-lo a encontrar o Tesouro de Venn, que desapareceu por volta de nove meses atrás. Com tal recusa, Heros não imaginava os caminhos que estava escolhendo para sua família e seu povo, pois o inimaginável acontece, Kazoya lança-se em uma aliança com Cleyo, o líder de Venn e inimigo dos povos de Dünya.

"Quando os meninos finalmente conseguiram encurralá-lo numa rua sem saída, viram o padeiro se agarrar a um pedaço de pau, brandindo-o no ar de forma ameaçadora e jurando que mataria qualquer um que chegasse perto." p. 61.

A aliança entre Cleyo e Kazoya é forjada através do casamento de Isäh (filha de Cleyo) com Mäthias (herdeiro de Kazoya), unindo os povos que outrora quase se exterminaram naquela que ficou conhecida como a Longa Guerra. 

Diante dessa aliança o Kennëg Heros, para evitar uma nova guerra, enfraquecido politica e militarmente em face essa aliança, acaba cedendo o seu filho mais novo Antau, para ser criado em Vatra. Dessa forma, Heros se vê em um campo repleto de intrigas e conspirações, em que qualquer decisão errada que tomar, poderá afetar a paz e por em cheque tudo o que foi reconstruído após a Longa Guerra.

Opinião: A Face dos Deuses é o primeiro volume das Crônicas da Aurora, apesar da obra ser relativamente curta, com aproximadamente 180 páginas, se mostrou rica em detalhes. Gleyzer nos apresenta inúmeros personagens, bem construídos por sinal, alguns com maiores participações e outros com menores, mas todos com sua devida importância.


Gleyzer ainda aborda a economia, política, religião e sociedade de um modo geral de cada país, cada um com suas peculiaridades que os fazem únicos. No que tange ao campo da religião, o autor nos apresenta um total de sete divindades, cada um representando uma condição, estado de espírito. Temos Aehla que é a deusa da esperança, Fyaär o deus do ódio, Läa a divindade da tristeza, Süunt o deus-sol, Sürm o deus do caso, Vaäth a deusa do medo e por fim, Vhäel que representa a vida.
A leitura fluiu muito bem, consegui ler a obra rapidamente. Os capítulos são apresentados no presente e passado, dessa forma o autor nos apresenta diversos acontecimentos para que possamos entender o presente. 
Gleyzer finaliza sua obra de apresentação deixando diversos mistérios no ar e é claro, me deixou muito curioso e com extrema vontade de ler o próximo volume. Além disso, a Face dos Deuses é uma fantasia muito realista, cruel e brutal, repleta de detalhes e muito original. A única dificuldade que tive foi em relação aos nomes.
A edição é bem trabalhada, possui orelhas, folhas amareladas, fonte confortável, além de um mapa que facilita o entendimento do leitor quanto aos movimentos dos personagens durante a narrativa, bem como a localização dos países. Além disso, ainda temos um apêndice ao final do livros, com significados de alguns termos apresentados na história. 

Por fim, o autor incluiu os Brasões de todas as grandes famílias presentes em Dünya. As Crônicas da Aurora vai ser uma tetralogia. Recomendo a leitura de A Face dos Deuses que se mostrou magnífica.

19 comentários:

  1. Olá Yvens, tudo bem? Nossa que livro perfeito. Se a sua resenha magnifica não tivesse me convencido a ler o livro, certamente a edição convenceria. Fiquei encantada pela capa e sinopse ai você mostra essas imagens lindas e encerra a resenha afirmando que a leitura é magnifica. Dica anotadíssima. Leirei assim que possível. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Faby, fico feliz que tenha gostado da resenha e das imagens. Se possível leia a obra!

      Excluir
  2. Minhas últimas leituras do gênero fantasia não foram tão boas, então eu leria esse livro pra ver se começo a gostar do gênero. Vou procurar pra comprar!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ingrid, pode procurar na fanpage As Crônicas da Aurora, que lá tem como adquirir!
      Bjuss

      Excluir
  3. Ola
    Não conhecia o livro.
    Sou muito fã de fantasia e pela sua resenha, a história parece ser bem desenvolvida.
    Dica anotada.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosana,
      essa foi uma trama que me envolveu bastante, curti muito a leitura!
      Bjus

      Excluir
  4. Olá,

    Não conhecia o autora e nem tinha ouvido falar na obra, mas gostei bastante da premissa. Gosto de livros fluidos e ricos em detalhes, além disso sou fã de fantasia mesmo não lendo tantas haha. E a edição está super caprichada pelo que vejo. Dica anotada!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thayenne, de fato a edição está super caprichada!
      Bjuss

      Excluir
  5. Yvens, fiquei bem curiosa com esse título... me atraiu de cara... fico feliz que vc tenha curtido a leitura, e costumo gostar de suas indicações...é,acho que eu só me complicaria com os nomes também, mas esse detalhe não será empecilho pra mim...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria, gostei muito mesmo da leitura. A única ressalva que faço é justamente os nomes, pois tive dificuldades em absorver!
      Bjus

      Excluir
  6. Olá, Yvens.
    Já conhecia o livro, porém nunca tinha lido uma resenha sobre ele. Acho essa edição muito linda, a capa, a diagramação, a editora caprichou bastante.
    Achei meio complicado de se entender o livro lendo a resenha, são tantos reinos com nomes estranhos que eu acabo me perdendo, haha. Mas talvez realizando a leitura eu reconheça e me familiarizo mais com eles. Adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha e esse livro é lindo, o enredo é muito bom.♥

    ResponderExcluir
  8. Olá =) Adoro livros onde a história é rica em detalhe. Adorei saber que os personagens são bens construídos, isso faz toda diferença em uma história. Hmmm Esses autores que nos deixa pista sem explicação no final do livro, acho que eles querem nos matar de curiosidade... Não conhecia o livro, adorei conhecer através da sua resenha, além de me apresentar me despertou interesse. Pela capa pensava que era mais um livro de terro, vejo que não é o que imaginava. Beijos'

    ResponderExcluir
  9. Olá! O livro realmente parece interessante. A capa é bonita e os detalhes da história e do livro.
    Muito boa a resenha, parabéns. Com certeza vai fascinar os fãs do gênero.
    bjooooooo

    ResponderExcluir
  10. Desde que vi a capa do livro, achei sensacional, chamou muito minha atenção. Não recordo de ter lido algo da Editora Kiron. Eu gostei do enredo e dos elementos trazidos na obra, fiquei com a impressão que é para o público infanto-juvenil, estou certa? Não cureto trilogias, mas estou fazendo uma lista de livros para presentear minhas sobrinhas, no entanto, sempre leio antes de presentear, por isso, acho que o livro entra em minha lista de leitura.

    ResponderExcluir
  11. Olá,a premissa não parece ser o tipo de livro que eu curto ler mas estou realmente encantada com o livro em si, além de ter uma capa maravilhosa, todos os detalhes da diagramação com mapas, e os brasões de cada país, parece ser tudo muito bem feito, realmente o livro impressiona.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Nossa uma fantasia muito bem escrita em 180 páginas? Tenho que admirar. Confesso que talvez você não queire falar, porém tenho o pressentimento que só se é apresentado a história aqui, afinal além de ter poucas páginas (ao meu ver para uma fantasia) o mundo se mostra muito rico para ser uma passagem rápida. Gostei bastante dos pontos que você destacou e acho que darei uma chance. A única coisa contra é ser série, porque né, fãs do gênero sempre sofre com continuações.Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Yvens :)
    Fantasia é um dos meus gêneros favoritos. Logo, fico orgulhoso em ver que uma fantasia nacional satisfaz com êxito no gênero. Muitos autores pecam na riqueza dos detalhes de seus mundos criados que deixam a leitura cansativa e por vezes monótona, Face dos Deuses não me parece ser o caso.
    A capa me intrigou muito desde a primeira vez que vi a obra lá no blog Gettub e ler outra resenha me situou melhor para saber se tenho ou não interesse de leitura. E eu tenho!!!
    Amo intrigas e ver que existe toda uma tensão para não ocorrer uma outra Longa Guerra me deixa excitado para saber o andar da carruagem.
    Ainda fico chocado sempre com essas alianças sendo formada através de casamento onde os noivos não se amam. Por sorte, nossa realidade não é mais assim.
    Nomes muito estranhos confundem e muito, os autores tem que ter o cuidado na hora de colocar porque não adianta nada criar um enredo magnífico se os leitores não conseguem nem pronunciar o nome dos seus personagens favoritos, acabam se esquecendo conforme o tempo. :(
    AMO MAPAS!!! Em fantasias medievais é indispensável que se tenha um. Li recentemente uma fantasia que não possui e senti muita dificuldade em me localizar e isso me entristeceu. Fico feliz que a editora e o autor tenham apostado no mapa que fica ainda mais lindo colorido, assim como esses brasões que só vi nos livros de Harry Potter e em preto-e-branco.
    Parabéns pela resenha, Yvens. Curti demais! Obrigado por incentivar a literatura nacional. :D
    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Confesso que não conhecia esse livro, mas vi que a história é bem estruturada e que a escritora soube desenvolve-la muito bem. Fiquei curiosa para saber se a guerra recomeçou e como Heros saiu dessa enrascada. Se tiver oportunidade com certeza lerei o livro.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares