[RESENHA #161] MONGE GUERREIRO - ROMULO FELIPPE - Saga Literária

Novidades

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sexta-feira, janeiro 13, 2017

[RESENHA #161] MONGE GUERREIRO - ROMULO FELIPPE


Título: Monge Guerreiro
Autor: Romulo Felippe
Editora: Drakkar
Páginas: 420
Ano: 2016
ISBN: 9788593330001
Onde Comprar: Monge Guerreiro

Sinopse: Maior rei da história da França, Luiz IX (hoje São Luiz) determina que duas das mais importantes relíquias do Cristianismo sejam transportadas dos confins da Terra Santa e da Grécia binzantina até o coração do seu reino. De Jerusalém partem os valentes Cavaleiros Templários liderados pelo grão-mestre Christopher Blancher, um experiente combatente que carrega preso à armadura a coroa mais poderosa do mundo; do Monte Meteóra, e por decisão do destino – quiçá divina –, parte o monge ortodoxo Bastian Neville, um dissidente da Ordem do Templo, cuja missão é levar de encontro aos antigos irmãos de armas a Lança de Longinus. Entre as duas relíquias sagradas, entretanto, há um rei pagão de nome Slatan Mondragone. Sua missão? Reduzir a pó todos os reinos Cristãos. E para isso uma profecia deverá ocorrer na boca do Vesuvius, o vulcão mais furioso da Europa. Com mais de oitenta personagens e combates épicos – eclodindo em um final apoteótico no coração de Veneza – Monge Guerreiro narra não uma, mas diversas odisseias no coração negro do século XIII.

Resenha: Em Monge Guerreiro somos levados pelo autor para o ano de 1238 para o Oriente Médio e Europa. Nós vamos acompanhar durante a leitura três personagens principais e suas motivações. Temos Slatan Mondragone, descendente da Ordem do Dragão e conhecido como Rei Negro. Slatan é comandante de 7 mil guerreiros e que busca vingança por humilhações e derrotas sofridas pelo seu pai Gökhan Mongradone no passado. Slatan é um líder e guerreiro implacável, muito cruel e calculista, ele foi treinado e preparado por Nuray, um mago secular, desde a sua infância.

"Com exatos dois metros de altura, o Rei Negro assusta ainda mais pela rouquidão. A voz rouca parece entoar o som de um trovão. Sua armadura é coberta pela grossa pele de um urso negro enquanto o enorme machado de dois gumes está sempre ao alcance de suas mãos. A densa barba e os cabelos longos e esvoaçados tornam sua expressão ainda mais severa, ressaltando os olhos enegrecidos como a noite." p. 25.

O segundo personagem e não menos importante é Bastian Neville, ele foi cavaleiro da Ordem dos Templários, portador da espada Viacrucis. Neville é  um desertor da Ordem, isso aconteceu devido às crueldades que praticou e presenciou durante as cruzadas. Bastian em dada oportunidade é acolhido em um mosteiro de monges miguelinos no Monte Meteóra, na Grécia, fazendo votos como nunca mais assassinar alguém.

Tudo muda na vida calma e pacífica de Bastian, pois ele é designado para transportar uma relíquia sagrada, a lança do destino da Grécia até a França. Essa lança foi utilizada pelo centurião romano Longinius que trespassou, perfurou o tórax de Jesus Cristo pregado na cruz. A missão de Bastian é levar a lança para o Rei Luis IX, de forma que ele possa proteger a relíquia e ao mesmo tempo se necessário, utilizar para abençoar a França.

"Atordoado pelo sonho negro e intenso, ele se vê ainda menino com pouco mais de doze anos. Doze anos! Olha em volta e observa que está acompanhado de muitas centenas, provavelmente milhares de crianças e adolescentes. Empunha espadas, escudos, lanças e machados. Vê estandartes com a cruz cristã tremulando nos ares. Pisa em um chão desértico. Está na Terra Santa, na lendária Cruzada das Crianças." p. 77.

Por fim, temos Christopher Blanche, lendário Grão-Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários. Blanche é um guerreiro já idoso, participou de diversas cruzadas, presenciou e vivenciou diversas batalhas, é muito famoso e portador da espada Dente do Dragão, a qual utilizou para ceifar a vida dos inimigos de Cristo. Blanche tem como missão transportar e proteger outra relíquia sagrada muito importante, a coroa de espinhos que fui utilizada por Jesus Cristo em sua crucificação, devendo levar esta até a França.


"E Blanche mostra porque é de fato o 'leão-mor'. Mesmo sua avançada idade não o impede de lutar bravamente, não mais com a força de antes, mas com a inteligência de agora. A primeira centena de hunos cai como folhas de inverno diante da voracidade templária." p. 182.

Blanche e Bastian, cada um em seus caminhos, enfrentam diversas dificuldades, enfrentam inimigos, privações de alimentos e água, que são escassos, bem como utilizam-se de lugares improvisados para dormirem. Blanche tem a companhia dos irmãos e cavaleiro da Ordem dos Templários e por outro lado, Bastian tem uma guerreira mongol conhecida como Setseg, descendente e neta do maior líder Mongol de todos os tempos, Genghis Kahn. A jovem guerreira deverá acompanhá-lo e protegê-lo até seu último destino antes da França, que é chegar na intransponível fortaleza de Orhan no reino da Bulgária.
Opinião: Monge Guerreiro é de autoria do autor capixaba Romulo Felippe e ele cria um universo maravilhoso, nos apresentando o Oriente Médio e a Europa em plena idade média. A obra é repleta de informações históricas, como os movimentos dos cruzados, as batalhas entre cristãos e infiéis, existe todo um clima de rancor e ódio entre ambos os lados.
Ressalto como aspectos positivos o fato da obra ser repleta de combates, seja duelos ou mesmo entre forças armadas e nesses momentos o autor faz belas descrições dos embates, onde sangue e vísceras apresentadas ao leitor. Romulo Felippe ainda faz uma abordagem sobre a peste negra, pandemia que assolou a Europa, causando a morte de mais ou menos um terço da população européia.
A obra conta ainda com alguns momentos em que a magia negra é utilizada como uma forma de captação de força e demonstração de poder. Outro aspecto importante para deixar explícito é a abordagem histórica religiosa presente no livro, existindo toda uma explicação sobre o funcionamento de um mosteiro de monges miguelinos, a subordinação dos templários em face ao papa, a influência do papa nas cruzadas e reinos cristãos.
Eu simplesmente amei a leitura de Monge Guerreiro, isso devido a leitura ter fluído muito bem, é uma obra envolvente, fica ao meu ver entre uma fantasia medieval e uma ficção histórica, pois consegue balancear elementos de ambos os gêneros, tendo magia e elementos históricos, além é claro de muitos combates. Recomendo a leitura para todos, esse é um livro excepcional e rico em detalhes.
A edição está maravilhosa, as ilustrações foram feitas pelo jovem Josué Silva ou JD Burton, que é portador de uma rara síndrome degenerativa. O livro conta ainda com um mapa demonstrando as movimentações das ordens dos templários pela Europa em direção ao Oriente Médio como Jerusalém e Damasco. A edição conta ainda com imagens de importantes personagens, estas aparecem antes de iniciar cada capítulo do livro. Ao final de Monge Guerreiro, existem notas do autor e um glossário com os nomes dos personagens e breves comentários.

4 comentários:

  1. Ótima resenha. Adorei a descrição do livro. Vou comprar meu exemplar, com certeza. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Livro bem elaborado e ilustrações impecável...

    ResponderExcluir
  3. Po.;..que legal...to louco pra ler esse livro!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu comprei direto da editora o meu, veio autografado pelo autor! Achei a qualidade e a atenção nos detalhes excelente. Só não estou tendo muito tempo para terminar minha leitura. Mal vejo a hora de completar.

    ResponderExcluir