[RESENHA #170] O MENINO FEITO DE BLOCOS - KEITH STUART - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, fevereiro 01, 2017

[RESENHA #170] O MENINO FEITO DE BLOCOS - KEITH STUART


Título: O Menino Feito de Blocos
Autor: Keith Stuart
Editora: Record
Páginas: 378
Ano: 2016
ISBN: 9788501108081
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Uma história sobre um pai e seu filho autista, e sobre um jogo que mudou suas vidas. Alex ama sua família, mas tem dificuldade em se conectar com Sam, o filho autista de oito anos. A tensão crescente da rotina leva seu casamento ao ponto de ruptura. Jody não aguenta mais o marido ausente e que pouco participa da vida do filho. Então Alex vai morar com o melhor amigo, e passa a dormir no colchão inflável mais desconfortável do mundo. Enquanto Alex enfrenta a vida de homem separado, cumpre a função de pai em meio-expediente e é confrontado com segredos de família há muito enterrados, seu filho começa a jogar Minecraft. E o que acontece depois disso é algo que nem Alex, nem Jody, nem Sam poderiam imaginar. Inspirado no relacionamento do autor com seu filho autista, “O menino feito de blocos” é um livro emocionante, engraçado e verdadeiro sobre o poder da diferença e sobre um menino para lá de especial.

Resenha: O livro nos traz a história de Alex, um pai ausente com a vida desmoronando. Alex é casado com Jody e com o casamento desgastado pelas constantes brigas e falta de compreensão, tendo como ponto de discórdia a incapacidade Alex lidar com o seu filho Sam, um menino autista de apenas oito anos. Diante dos problemas Jody pede para sair de casa e Alex resolve ir morar com o seu amigo Dan.

"Posso sentir meus níveis de ansiedade se elevando. Sam de bom humor é um desafio, Sam de mau humor é imprevisível e assustador." p. 26.

O jovem Sam é um garoto gentil, sensível e muito inteligente, porém o seu comportamento é muito volúvel, algumas vezes se mostra muito tranquilo, ora completamente nervoso, o garoto ainda é cheio de manias e tem um temperamento forte, devido a sua patologia, ele vive em seu "próprio mundo".

Morando na casa de seu amigo, por sinal muito bem sucedido, Alex começa a sentir-se frustado consigo mesmo, pois ele detesta o seu emprego, além disso, carrega um trauma não superado e resolvido desde a sua infância. Não sabendo lidar com o seu filho autista e com a esposa, Alex precisa rever toda a sua vida, aparar as arestas e superar as dificuldades, para que em fim, as coisas voltem ao normal.

"Enquanto eu paraliso, recuo e me retiro, Jody o pega pela mão e o guia. Eu sou um merda. Tenho que parar de ser um merda." p. 143.

Para superar as dificuldades, Alex que vive com medo do seu filho autista, precisa enfrentar essa barreira, o simples pensamento de levar Sam para passear em um parque ou mesmo passar algum tempo consigo, é suficiente para causar um ataque de pânico.


Tudo muda na relação entre pai e filho, quando certo dia, Sam ganha um Xbox e acaba descobrindo o jogo Minecraft. Através do jogo, Alex reaproxima-se do filho, ficando ao lado do filho e passando parte do seu tempo jogando com ele, juntando pai e filho de uma forma jamais imaginada por meio de pequenas mudanças.

"[...] Eu não tinha pensado nisso antes, em como o autismo é uma versão amplificada e muito centrada de como todos nós sentimos, das ansiedades que todos temos. A diferença é que o restante de nós esconde tudo sob camadas de negação e de condicionamento social." p. 215.


O jogo também ajudou o garoto a construir o seu vocabulário, abrir partes de sua mente que antes estava trancada, tornando Sam um garoto mais comunicativo e também demonstrando o quanto ele é inteligente e capaz, fazendo grandes progressos no garoto.

Opinião: O Menino Feito de Blocos é uma obra que apaixona o leitor pelos problemas, medos, dramas e superações apresentadas. Keith Stuart ainda aborda de forma magistral aspectos como a família e o amor. O autor nos traz uma história que nos faz refletir sobre as pequenas coisas da vida e ao mesmo tempo fala sobre o autismo, uma condição permanente que afeta e aflige a vida do autista e de sua família quando incompreendida.
Keith Stuart nos envolve através de sua escrita leve, bem-humorada e franca, foi uma leitura rápida. O autor não realiza descrições profundas sobre o protagonista e outros personagens, porém ele consegue criar um filme em nossa mente, possibilitando visualizarmos os acontecimentos, as relações entre pai e filho.
É interessante a abordagem que Keith faz sobre os videogames, uma desconstrução de dogmas e juízos de valores feitos por pessoas diversas sobre os malefícios desse lazer. A história nos apresenta a reaproximação entre pai e filho justamente através do jogo, bem como o desenvolvimento e superação de Sam, um menino autista, por meio do Xbox, do jogo Minecraft, que serviu como uma ponte de comunicação.
O Menino Feito de Blocos é um livro que apresenta uma carga emocional forte, nos envolve e apresenta uma história consistente. Eu realmente gostei da obra e recomendo para qualquer pessoas que tenha interesse no assunto ou para aqueles que queiram ler um livro comovente. Em especial fica como dica para professores e todos aqueles que trabalham com crianças.
Em relação ao trabalho da Record na edição, deixo meus parabéns, a capa apesar de demonstrar uma simplicidade, é bem bonita e conta com o título em alto relevo. A fonte está confortável, o livro vem em folhas amarelas e apresenta capítulos curtos, aspectos que facilitam a leitura e dão uma dinâmica maior. Não consegui encontrar erros de revisão, ao meu ver a tradução realizada por Ana Carolina Delmas ficou ótima.

4 comentários:

  1. Yvens, que história linda... Já quero esse livro pra ontem! Como mãe de uma criança de 3 anos e meio diagnosticada com traços leves de autismo, mesmo na sua resenha, eu vejo muitas das situações que nos debatemos aqui no dia-a-dia. Minha sorte é que tenho um marido (e meus pais também) que é presente, que dá conta do recado, e que faz desse desafio diário, apenas a rotina linda de pais com seus filhos.
    AMEI conhecer esse livro. Obrigada, como leitora, como psicóloga, como mãe. Parabéns, ficou muito boa sua análise.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol, o livro é sim muito lindo. Fico feliz que tenha suporte em seu âmbito familiar, apesar de eu não ter essa experiência, pois na minha família não tem nenhuma criança autista, deve exigir um trabalho dobrado, deve ser um desafio grade, mas o amor supera as dificuldades!

      Excluir
  2. Oi. Esse livro de cara já nos deixa emocionados. Falar sobre o autismo de forma leve, sem nos "aterrorizar" por causa da doença é muito legal por parte do autor, e a evolução de Alex durante a narrativa é perceptível, enfim ele amadurece e percebe o quanto está deixando sua vida correr pelo ralo por simplesmente não saber arriscar e não saber lidar com os problemas. Ainda não li a obra mas estou afoita para conhecer..
    Beijo! Leitora Encantada
    Promoção 4 anos de blog Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Miriã,

      sim, esse livro é pura emoção, é um muito lindo. Achei magnífica a evolução de Alex durante a trama.
      Bjuss

      Excluir