02/03/2017

[RESENHA #187] AS PRIMEIRAS QUINZE VIDAS DE HARRY AUGUST - CLAIRE NORTH


Título: As Primeiras Quinze Vidas de Harry August
Autor: Claire North
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 448
Ano: 2017
ISBN: 9788528621426
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Certas histórias não podem ser contadas em uma única vida. Harry está no leito de morte. Outra vez. Não importa o que faça ou que decisões tome: toda vez que ele morre, volta para onde começou; uma criança com a memória de todo o conhecimento de uma vida vivida diversas vezes. Nada nunca muda... até agora. Ele está perto da décima primeira morte quando uma garotinha de 7 anos se aproxima da cama: “Quase perdi você, doutor August. Eu preciso enviar uma mensagem de volta no tempo. O mundo está acabando, como sempre. Mas o fim está chegando cada vez mais rápido. Então, agora é com você.” Este livro conta a história do que Harry faz em seguida, do que fez antes, e do que faz para tentar salvar um passado inalterável e mudar um futuro inaceitável.

Resenha: A presente obra da autora Claire North (Catherine Webb) vamos acompanhar a história de um homem um tanto incomum, é a história de Harry que nasceu em 1919. Ele é considerado um filho bastardo, fruto da relação do seu pai com sua empregada, uma violação. A mãe de Harry morreu em seu parto e ele acaba sendo criado pelo humilde casal formado por Patrick e Harriet August, já que o seu pai, Rory Hulne, um nobre orgulhoso e abastado, não o reconhece como filho.

Harry durante sua fase adulta, ainda jovem, acaba servindo como soldado na Segunda Grande Guerra Mundial e regressa para a casa, após a guerra, com o objetivo de tomar conta das coisas do seu pai. Harry vive até a queda do Muro de Berlin, quando morre por um grave problema de saúde. Essa trajetória seria a trajetória normal de todo ser humano, nascer, viver e morrer, porém, após morrer, Harry volta a viver, nascendo novamente no mesmo dia e local em 1919.

"Minha primeira vida foi medíocre. Como qualquer jovem da época, fui convocado para combater na Segunda Guerra Mundial, na qual servi como soldado da infantaria completamente medíocre." p. 13.

Por volta dos seus seis anos, Harry lembra de tudo aquilo que ocorreu em sua vida passada e apenas em sua terceira vida que ele descobre ser filho de Rory Hulne. Ainda no decorrer da leitura vemos que Harry vai fazer parte de um clube chamado cronos, onde existe um grupo denominado de Kalachakras.

Esse clube tem uma política que consiste em não interferir no destino do mundo, já que seus membros possuem memórias e conhecimentos únicos. Esse grupo é composto por pessoas dotadas do dom da imortalidade, eles nascem, vivem a mesma vida e morrem, de forma contínua, conservando as experiências e conhecimentos adquiridos nas vidas regressas, assim como Harry.

"Na quarta vida, virei as costas para Deus e busquei a ciência para obter uma explicação. Estudei como nenhum homem jamais estudou - física, biologia, filosofia [...]" p. 27.

No decorrer da leitura, vemos que tais experiências e vidas regressas, geram um acúmulo de experiência, porém isso é algo que pode ser extremamente prejudicial, pois os integrantes do grupo conhecido como kalachakra, em sua juventude, podem enlouquecer com as lembranças das vidas passadas. Por outro lado, aqueles que superam os traumas, se descobrem e se desenvolvem, ajudando outras pessoas com o mesmo dom.

No decorrer de suas diversas vidas, Harry busca formas de melhorá-la, porém em certo momento seu caminho cruza com um dos seus irmãos kalachakra que pretende mudar o universo com o conhecimento adquirido pelo tempo. Harry também recebe uma visita de uma menina vinda do futuro, mil anos além do seu tempo, que traz a mensagem sobre o mundo estar acabando. Diante dessa notícia, Harry parte para um caminho perigoso e mortal, em busca de formas que cessem as imortalidades, bem como uma forma para que as histórias vindas do futuro não se realizem.

Opinião: Claire North em As Primeiras Quinze Vidas de Harry August, aborda e explora a possibilidade de regressar à vida após a morte, de forma que é possível nascer no mesmo dia, vivenciar a mesma vida e morrer, em um ciclo aparentemente intermitente, mas que é possível acumular  todas as experiências e conhecimentos previamente adquiridos.
A autora nos apresenta um personagem complexo e rico, de tal forma que somos cativados por ele devido sua história e evolução ao longo da obra. É interessante acompanhar as suas diversas vidas e as mudanças que ocorreram entre elas. Além disso, a autora levanta uma questão importantes, como a nossa tendência de ficarmos acomodados com as coisas que nos são confortáveis.
O presente livro se mostrou uma leitura rápida, envolvente e cativante. A autora aborda aspectos como viagem no tempo, a imortalidade e o desejo de mudar as coisas já realizadas, em busca das oportunidades perdidas ou aquelas mal aproveitadas. As Primeiras Quinze Vidas de Harry August é de forma geral uma obra sobre a vida.
Recomendo a leitura deste livro para todos, não somente aqueles que gostam de ficção científica, que por sinal a autora não recorreu ou utilizou de uma linguagem científica aprofundada em termos técnicos. Esse livro é acima da média, a autora vai te levar para o campo da reflexão e a obra estará viva em sua mente por algum tempo.
O projeto gráfico apresentado pela Bertrand Brasil está muito bonito, o livro tem uma capa repleta de detalhes. Os capítulos são relativamente curtos, o que ao meu ver facilita em muito a leitura. As folhas são amareladas e as fontes estão no padrão dos livros do Grupo Editorial Record. A edição está particularmente muito bonita. A editora está de parabéns pelo livro apresentado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares