[RESENHA #196] SUPERNATURAL: NUNCA MAIS - KEITH R. A. DECANDIDO - Saga Literária

Novidades

quinta-feira, março 09, 2017

[RESENHA #196] SUPERNATURAL: NUNCA MAIS - KEITH R. A. DECANDIDO


Título: Supernatural: Nunca Mais
Autor: Keith R. A. Decandido
Editora: Gryphus Geek (Gryphus Editora)
Páginas: 194
Ano: 2016
ISBN: 9788583110569
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Há vinte e dois anos, Sam e Dean Winchester perderam a mãe por causa de uma força sobrenatural misteriosa e demoníaca. Nos anos que se seguiram, seu pai, John, ensinou-lhes sobre o mal paranormal que vive nos cantos escuros e nas estradas secundárias dos Estados Unidos... e como matá-lo. Sam e Dean vêm à cidade de Nova Iorque para verificar a casa assombrada de um roqueiro local. Mas antes que eles possam descobrir por que uma banshee apaixonada em uma camiseta heavy-metal dos anos 80 está se lamentando no quarto, um crime muito mais macabro chama-lhes a atenção. Não muito longe da casa, dois estudantes universitários foram espancados até a morte por um estranho agressor. Um assassinato, que é bizarro mesmo para os padrões de Nova Iorque, é o mais recente em uma série de crimes que os irmãos logo suspeitam serem baseados nos contos horripilantes do lendário escritor Edgar Allan Poe.

Resenha: A história de Nunca Mais ocorre por volta da segunda temporada da série, quando Dean e Sam recebem uma ligação de Ellen Harvelle, amiga da família, que pede auxílio aos rapazes para que investiguem a casa de um roqueiro local conhecido como Manfred Afri, afetada por uma garota fantasma.

"Eles haviam chegado na esquina da avenida Belmont com a estrada Fordham e tinham que esperar o sinal abrir - havia muito trânsito, mesmo nessa hora em um domingo, então eles não podiam atravessar no sinal vermelho." p. 2

Assim que os irmãos chegam na cidade de Nova York, eles deparam com outro caso estranho, que aparentemente alguém está recriando alguns dos poemas de terror escritos por Edgar Allan Poe em um ritual, com o objetivo de ressuscitar o famoso autor que viveu entre 1809 e 1849. Na cidade, Dean fica um pouco irritado com as complicadas avenidas e ruas, o que o leva a deixar Sam dirigir na maior parte do tempo.

Dean ao chegar na casa de Manfred, sente-se no paraíso, pois o roqueiro tem uma vasta coleção de discos vinil, incluindo bandas como Deep Purple, Led Zeppelin, Pink Floyd e outras. Aos poucos, o caso da garota da se desenrolando enquanto as mortes inspiradas nas obras de Poe continuam sendo praticadas por alguém obcecado com Poe.

"Dean afastou o pensamento. Ele sabia que não se podia deixar  afetar. Eles tinham uma tarefa. Na verdade, tinham duas." p. 43

Após algumas investigações que os irmãos realizam, acabam por descobrir qual o ritual de ressuscitação que estão tentando fazer para trazer de voltar o autor Edgar Allan Poe, mas que segundo o diário de John Winchester não funciona, pois foi criado por um charlatão. 

A partir desse momento, Sam e Dean tentam impedir o responsável pelos rituais de continuar matando pessoas conforma as histórias da obra de Poe. Durante as duas investigações, os irmãos recebem ajudas inusitadas, de um internauta que vai comunicando aos poucos com os irmãos e também de uma policial.

Opinião: A autora Keith Decandido nos apresenta uma trama bem desenvolvida e consegue envolver o leitor, os fatos não são revelados antes da hora. Os capítulos são como cenas do seriado, orientando o leitor. Keith foca nos detalhes, nos mostrando como os irmãos Winchester fazem para sobreviverem pelas estradas por onde passam. 
A narrativa em Nunca Mais é realizada na terceira pessoa, assim é possível ao leitor descobrir os pensamentos de cada um dos personagens da trama, principalmente Sam e Dean que são os protagonistas. Outro ponto positivo de Nunca Mais são os mistérios, a autora coloca logo dois casos para os irmãos, o que achei bem legal. Destaco o caso que envolvem os contos, poemas de Edgar Allan Poe.
Keith conseguiu transmitir e transparecer parte da personalidade dos irmãos, isso é um ponto positivo, pois ela não escreve a série ou sequer criou os personagens. Quem nunca assistiu a série vai conseguir entender a trama e os personagens, mas não tanto como aqueles que já estão habituados com a série e os livros Supernatural.
Como aspecto negativo, fica a parte de revisão e tradução, pois encontrei alguns erros, que em alguns momentos me deixou confuso, mas nada que atrapalhe a trama ou a leitura. Por fim, achei bem positivo os capítulos serem curtos, algo que facilitou a leitura.

2 comentários:

  1. Aaahhh, quero muito ler. Esse em especial... Após tantos e tantos anos, continuo super fã da série. Gostei muito da resenha.
    Agora, e ter dinheiro pra ir comprando cada livro. hehehe
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Carol, continuo super fã e curto tanto os livros como a série!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha!
      Abraços!

      Excluir