10/04/2017

[RESENHA #224] O APRENDIZ DE ASSASSINO - ROBIN HOBB


Título: O Aprendiz de Assassino (Saga do Assassino #1)
Autora: Robin Hobb
Editora: Leya
Páginas: 416
Ano: 2014
ISBN: 9788580449983
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O jovem Fitz é o filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e foi criado pelo cocheiro de seu pai, à sombra da corte real. Ele é tratado como um penetra por todos na realeza, com exceção do Rei Sagaz, que faz com que ele seja secretamente treinado na arte do assassinato. Porque nas veias de Fitz corre a mágica do Talento e o conhecimento obscuro de um garoto criado em um estábulo, entre cães, e rejeitado por sua família. Quando assaltantes bárbaros invadem a costa, Fitz está se tornando um homem. Logo ele enfrentará sua primeira missão, perigosa e que despedaçará sua alma. E embora alguns o vejam como uma ameaça ao trono, ele pode ser a chave para a sobrevivência do reino. 

Resenha: O Aprendiz de Asssassino é o primeiro livro da trilogia Saga do Assassino e vamos acompanhar a história de Fitz Cavalaria, um bastardo real de 6 anos, filho do príncipe da Cavalaria. Casado com Paciência, o príncipe é o filho mais velho do Rei Sagaz, responsável por governar os Seis Ducados. Nesse mundo, aqueles que possuem sangue nobre, recebem seus nomes conforme as virtudes ou habilidades que possuem e Fitz é a denominação para bastardo.

A história começa de fato com a sua chegada de Fitz no portão da Cidade da Torre do Cervo, sendo deixado por seu avô materno, alegando que o menino é filho ilegítimo do Príncipe Cavalaria. Isso é algo que gera um desconforto nos nobres locais, que sempre viam a o Príncipe Cavalaria como um homem íntegro e incapaz de possuir um bastardo. 

Nesse local Fitz é obrigado a se refugiar nos estábulos, sob os cuidados e olhar de Bronco, braço direito do seu pai, que por sinal está fora da Torre do Cervo, com sua esposa Paciência devido algumas negociações. Em sua nova moradia, Fitz devido sua condução de bastardo é menosprezado por grande parte da população e precisa aprender a conviver e lidar com essa situação.

"Cresci sem pai nem mãe, numa corte onde todos me conheciam como um divisor de águas. E um divisor de águas me tornei." p. 31

Com a volta de Cavalaria e Paciência, existe uma grande mudança na linha sucessorial, Cavalaria com a novidade, abdica do trono, sem olhar para seu filho, ignorando-o totalmente. O sucessor ao trono passa a ser Veracidade, filho do meio do Rei Sagaz. Bronco diante dessas mudanças no poder, acaba perdendo prestígio e torna-se responsável pelo estábulo da Torre do Cervo.

"É da natureza do mundo que todas as coisas procurem um ritmo e, nesse ritmo, uma espécie de paz? Para mim, com certeza, isso sempre pareceu ser assim. Todos os acontecimentos, não importa quão chocantes ou bizarros, são diluídos pouco tempo depois da sua ocorrência pela continuidade das rotinas necessárias à vida cotidiana." p. 53

Desse momento em diante, acompanhamos o crescimento de Fitz, suas travessuras realizadas com alguns meninos da cidade, seu trabalho no estábulo e a amizade tão profunda que tem com o cãozinho Narigudo, algo que os transformam em praticamente um só, pois compartilham os sentidos uns dos outros, inclusive os momentos de dores. 

Em certo momento, Bronco repara essa ligação especial entre Fitz e Narigudo, dizendo ao garoto que ninguém poderia descobrir isso, por Fitz possui a Manha (o dom de compartilhar pensamentos e energias com animais). Esse é um dom condenado e visto com maus olhos por todos, diferente do dom conhecido como Talento que serve para compartilhar pensamentos e energia entre humanos.

Após algum tempo vivendo em estábulos e sofrendo a rejeição de todos, Fitz é aceito pela família real e com isso, o Rei Sagaz resolve estender todos os benefícios e direitos que um herdeiro legítimo tem para Fitz. Contudo, em troca, o rei exige a fidelidade de Fitz e seus serviços futuros como assassino do rei. Sem muitas escolhas, o jovem se muda para um quarto só seu na Torre do Cervo e começa o seu treinamento como aprendiz de assassino, sendo instruído em artilharia, etiqueta, luta, magia do talento e escrita.

Um grande momento para Fitz é quando uma grande força de bárbaros salteadores começa  a causar o terror na costa dos Seis Ducados e o aprendiz de assassino é enviado em sua primeira missão. O bastardo então se vê cercado de segredos em uma rede de intrigas que parece não ter um fim. Nessa jornada repleta de mistérios e reviravoltas, Fitz vai conhecendo a sua própria história.

Opinião: O início do livro é lento, mas é algo comum em livros de fantasia, tendo em vista que todo o universo e mitologia criadas precisam ser explicadas ao leitor, contudo no decorrer da leitura, a narrativa vai ganhando força e sendo constante. Robin Hobb conduz muito bem a história e foi me deixando cada vez mais envolvido e curioso sobre o que iria ocorrer com nosso protagonista.
O Aprendiz de Assassino é um livro cheio de mistérios, intrigas e jogos políticos, aspectos que lembram em alguns momentos os livros das Crônicas de Gelo e fogo de George R. R. Martin, um dos grandes nomes da literatura fantástica, porém Robin Hobb nos apresenta um mundo próprio.
Esse universo criado por Robin Hobb é rico e profundo, passando a sensação de que as 416 páginas são poucas pelo o que foi apresentado. Ao acabar a leitura de O Aprendiz de Assassino fiquei com a sensação de quero mais e por isso, pretendo iniciar a leitura de O Assassino do Rei, segundo volume da Saga do Assassino.
Recomendo O Aprendiz de Assassino para todos os fãs de literatura fantástica, bem como para aqueles que querem começar a ler o gênero, pois que tem aventuras, missões perigosas, cenários fantásticos, ambientação medieval e magia. Foi uma leitura incrível.
A edição está bem feita, a Leya criou uma capa muito maneira, que apresenta um clima medieval, com alguns guerreiros e fogo se alastrando por um porto. Além disso, tem um comentário super positivo de George R. R. Martin elogiando o livro da escritora Robin Hobb. A edição conta com sumário, mapa, informações sobre a autora, notas do editora e folhas amareladas. Não encontrei erros de revisão.

7 comentários:

  1. Realmente, livros de fantasia geralmente têm começo lentos e depois a coisa cria vida. faz sentido. Nunca li nada de Robin Hobb, mas acho que quando voltar a ler fantasia com mais afinco, será uma boa pedida. Passei dois anos seguidos em que só li fantasia e por isso, dei um tempo.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, a história é interessante, mas estou mantendo distância de sagas e também do gênero medieval. Vamos ver mais para a frente se mudo de ideia...Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei essa capa. Não conhecia o livro mas a premissa me chamou atenção, eu gosto bastante do gênero e esses começos mais lentos eu acho que são naturais do gênero mesmo. Gostei de conferir a sua opinião e gostei da dica.

    ResponderExcluir
  4. que livro lindo. apesar do inicio ser um pouco lento, eu me aventuraria por suas páginas... gostei de saber que remete a lembrança de GOT mas sem parecer algo copiado... mais uma sugestão anotada vinda de você... <3
    bjs...

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito fã de sagas de fantasia e aventura, mas sua resenha me interessou muito por essa série. Acho bem compreensível o livro ser um pouco lento, já que é o início de uma serie e precisamos ser bem introduzidos ao universo. O tamanho do segundo volume talvez tenha me assustado um pouco hahaha mas vou dar uma chance,

    Bjs,

    Tiago Valente
    http://avidalida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Yvens, tudo bem?
    Eu achei um absurdo esse avô abandonar o neto ali, onde era um estranho e com certeza não seria aceito. Já vi que podemos ter uma trama com esse Bronco, quando você falou que ele perdeu prestígio, já fiquei imaginando o que ele pode fazer. E o pai dele ter que perder o trono por causa dele, para mim também pode gerar ações futuras. Olha eu aqui criando conspirações, kkkkk Adoro fantasia não conhecia esse livro, vou anotar a dica com certeza. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu adoro livros de fantasia, e ouvi falar muito bem dessa trilogia, mas o que me chamou atenção mesmo é saber que de certa forma ele é parecido com As crônicas de Gelo e fogo, que simplesmente adoro. Dica mais do que anotada.
    Beijos.

    ResponderExcluir

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares