20/04/2017

[RESENHA #231] O ASSASSINO DO REI - ROBIN HOBB



Título: O Assassino do Rei (Saga do Assassino #2
Autora: Robin Hobb
Editora: Leya
Páginas: 736
Ano: 2014
ISBN: 9788580448726
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Segundo volume da saga fantástica de Robin Hobb! Fitz sobreviveu à sua primeira missão como assassino a serviço do rei, mas foi por pouco. Amargurado e sofrendo, ele pretende abandonar seu juramento ao Rei Sagaz e permanecer nas montanhas distantes. Porém o amor e acontecimentos terríveis o atraem de volta à corte em Torre do Cervo para as intrigas mortais da família real. Renovando seus violentos ataques ao litoral, os Salteadores dos Navios Vermelhos deixam um rastro de vilarejos queimados e vítimas ensandecidas. O reino também sofre agressões internas: a traição ameaça o trono do rei doente. Neste momento de grande perigo, o destino do reino talvez resida nas mãos de Fitz – e seu papel na salvação dele pode exigir seu sacrifício supremo. 

Resenha: O Assassino do Rei é o segundo volume da Saga do Assassino da autora Robin Hobb (Margaret Astrid Lindholm Ogden) e continua exatamente onde terminou O Aprendiz de Assassino. Fitz, o filho do Príncipe da Cavalaria, ainda se recuperando dos incidentes ocorridos no casamento do Príncipe Herdeiro Veracidade, Fitz resolve retornar para à Torre do Cervo, na companhia do seu amigo Bronco.

"Tento pensar no que é possível fazer com um conhecimento desses, obtido de forma injusta. Isso me faz pensar no que esse conhecimento me deu. Poder, riqueza, o amor de uma mulher?" p. 17

Os Navios Vermelhos são um grande problema, pois atacam os Seis Ducados, gerando violência e terror. Já Veracidade, diante desses ataques tenta o máximo utilizar seu Talento (magia) para proteger o reino do seu pai. Nesse meio tempo, Fitz não sabe mais se pode continuar confiando no Rei Sagaz, como agravante o rei impetuoso e forte que fora em outras épocas, encontra-se cada vez mais fraco, perdendo o seu vigor.

"Olhei para as minhas mãos. Eram velhas e cheias de cicatrizes. Fechei-as, observei as veias e tendões fazendo uma saliência sob a superfície fina como papel, senti a resistência de areia dos nós inchados dos meus dedos. Sou agora um velho, pensei comigo mesmo [...]" p. 45

Os problemas para Fitz não param por ai, pois uma grande ameaça surge em seu caminho, Fitz tem certeza que o seu tio e príncipe Majestoso, vai elaborar algum plano para subir ao poder. Enquanto Veracidade não retorna de uma missão, Fitz e a Princesa Ketticken tentam manter a Torre do Cervo em segurança diante dos inimigos, em um reino repleto de intrigas, que ameaça o decadente rei.

Durante a leitura, vemos que Fitz continua lutando com a Manha e o Talento, porém com a maturidade e o aprendizado, vai aceitando o fato de que ambas as magias fazem parte do que ele realmente é. Vemos também que Fitz é conquistado por lobito ou Olhos da Noite, um lobo que sempre tenta convencer Fitz a acompanhá-lo algumas caçadas. A relação entre Fitz e Lobito só faz aumentar a ligação do mesmo, com a mágica proporcionada pela manhã.
Além de todos os problemas e ameaças que Fitz precisa enfrentar, ele também deverá fazer escolhas pessoais, seguir ou não o seu coração, algo que inclui Moli, uma garota com quem flertou durante a adolescência e agora vai se tornando um romance. Moli agora é uma aia da Dama da Paciência. Entre as escolhas que Fitz deverá tomar, uma em especial é de extrema importância e está diretamente ligada com o rei. 

Opinião: Em o Assassino do Rei, a narrativa de Robin Hobb continua muito envolvente, bela e com algumas alegorias. Apesar de ser um livro com um ritmo lento, até mais que O Aprendiz de Assassino, existem mais batalhas e confrontos com os Navios Vermelhos e, além disso, a trama continua repleta de intrigas e conspirações.
A leitura de O Assassino do Rei foi bem tranquila e rápida apesar do livro ser mais extenso que o anterior e bem descritivo. O fato de eu não ter apresentado dificuldades na leitura, se deve principalmente por estar ambientado com o universo criado pela autora Robin Hobb. Um fato bem positivo na leitura, foi que ao longo da mesma, nos deparamos com diversos conflitos morais que são enfrentados pelos personagens.
Em comparação ao volume anterior, O Assassino do Rei é um livro com uma pegada mais séria e tensa, destacando como aspecto a solidão, não somente do personagem principal Fitz, mas também de outros personagens como da Princesa Kettricken. A autora também aborda a velhice por meio do personagem o Rei Sagaz, algo que se mostra particularmente interessante.
O Assassino do Rei é um livro que mantém a qualidade do primeiro volume da série. Robin Hobb apresenta um excelente livro, totalmente envolvente e viciante, levando ao leitor um desfecho incrível, que nos faz desejar a leitura de A Fúria do Assassino, terceiro volume da Saga do Assassino. Recomendo a leitura dos dois primeiros volumes da Saga do Assassino, pois são imprescindíveis para os fãs de fantasia.
Gostei da edição apresentada pela Leya, a capa ficou bem legal e o título vem em alto relevo. As folhas são amareladas, vem com fonte padrão apresentada em outros livros da editora, o livro conta ainda com orelhas. A revisão está muito boa e não encontrei erros ortográficos. O livro conta ainda com sumário, mapa, prólogo e epílogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares