[RESENHA #238] A CIDADE DOS ESPELHOS - JUSTIN CRONIN - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, abril 26, 2017

[RESENHA #238] A CIDADE DOS ESPELHOS - JUSTIN CRONIN



Título: A Cidade dos Espelhos (A Passagem #2)
Autor: Justin Cronin
Editora: Arqueiro
Páginas: 688
Ano: 2016
ISBN: 9788580416435
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
“O emocionante final de uma trilogia que será reconhecida como um dos grandes feitos da ficção fantástica americana.” – Stephen King. “Nesta conclusão de sua trilogia épica, Justin Cronin apresenta toda a dor, a alegria e as reviravoltas do destino que os eventos de A passagem e Os Doze prenunciaram. Como nos livros anteriores, traz um grande elenco de personagens, todos eles com personalidades plenamente desenvolvidas e que cativam o leitor.” – Publishers Weekly. Num futuro em que todas as regras foram mudadas, é hora de cada um encontrar o próprio destino. Ano 100 D.V.: após a destruição dos Doze e de seus Muitos, nenhum viral foi visto nos últimos três anos. As fortalezas que protegiam os últimos humanos dos infectados começam a parecer desnecessárias. Na República do Texas, as vigílias constantes já não encontram inimigos e o controle de natalidade se mostra um contrassenso quando há todo um continente vazio à espera de ser repovoado. Com novas demandas do povo surgindo a cada dia, o presidente Peter Jaxon decide levar adiante a ideia de abrir os portões da cidade fortificada e dar início à reconstrução do que um dia foi um país de milhões de habitantes. Mas a atmosfera de calmaria é apenas parte de um plano maligno. Fanning, o Zero, aquele que deu início ao caos, esteve pacientemente aguardando em sua eternidade pelo momento em que as vítimas finais baixariam a guarda. Seu exército está pronto e, em suas fileiras, as armas são garras e presas e a motivação é a sede de sangue. Para fechar essa tão esperada trilogia, Justin Cronin construiu um conto de sobrevivência e fé, em que os limites entre o bem e mal são postos à prova e um questionamento inquietante permeia cada página: o que nos torna humanos, afinal?

Resenha: Alguns anos se passaram desde os acontecimentos em Os Doze, o mundo mudou completamente, um terrível e perigoso inimigo não está mais presente nesse cenário apocalíptico. Enquanto alguns humanos continua vivendo em uma base militar no Texas, por outro lado, muitos humanos continuam a se reerguerem fora das fortalezas (zonas de proteção), dando seus primeiros passos para uma nova vida rumo a liberdade em um processo de recolonização.

A reconstrução da vida passa pelo aumento da população e surgimento de novas cidades. Entre os sobreviventes, vemos Peter Jaxon, o "Homem de Dias" por quem Amy se apaixonou continuar se comunicando com ela por meio de sonhos onde aproveitam um vida de muita paz. Peter também retorna para Kerrville com o objetivo de ser o pai que Caleb precisa. Sara e Hollis constroem uma família com Pim e Kate. 

"O dia estava terminando quando Peter voltou para casa. O céu imenso de Utah ia se abrindo em longos dedos de cor contra o azul que se aprofundava, uma tarde de início de outono. As noites eram frias, os dias eram amenos." p. 19.

Michael como forma de extravasar seus sentimentos por Alicia, encontra em um barco sua fuga e começa a viajar em busca de uma barreria que diziam impedir o alastramento do vírus para o resto do mundo. É nessa viagem que ele encontra um navio, que parece um túmulo, mas que poderá servir de esperança para a sobrevivência da humanidade.

Alicia parte para Nova York em busca de Fanning, o Zero, com o objetivo de destruí-lo, pois ele ainda é um mal oculto, esperando apenas o momento oportuno para agir e colocar seu plano em prática contra a humanidade, além disso, Fanning cada vez mais atormenta Alicia com seus chamados para se encontrarem em Nova York.

Em determinado momento, Michael faz um grande descoberta que poderá mudar tudo para ele. É por meio dele que descobrimos no decorrer da leitura o que de fato aconteceu com a humanidade no restante do planeta. Enquanto os outros personagens vão levando suas vidas, Lucius e Michael iniciam um plano, visando a sobrevivência da espécie humana.

"Assim se aproxima a hora de nosso ajuste de contas. A Deus faço minha reclamação justa; foi ele que cruelmente pendurou o amor diante dos nossos olhos, como um brinquedo multicolorido acima do berço de um bebê." p. 420.

Opinião: A narrativa de A Cidade dos Espelhos, assim como nos dois volumes anteriores, utiliza-se da jogada temporal, nos levando entre passado, presente e futuro para entendermos melhor a trama, o contexto da história e os personagens. Isso é extremamente interessante, pois faz com que a leitura flua muito bem. em vista que o envolvimento, ao menos o meu com o livro, foi grande.
Justin Cronin nos apresenta um livro profundo, as quase 700 páginas é um mero detalhe nesse livro magnífico, envolvente e que leva a emoção à flor da pele. Esse é também um livro reflexivo, pois o autor nos leva a pensar sobre aspectos como a ciência, a fé, tecnologia, a passagem do tempo, nossos sonhos, a presença da morte, a vida, o amor, tudo refletindo no espelho das nossas vidas.
Os personagens criados por Justin Cronin possuem relevância na trama e não são meramente figurantes nessa bela trama. É muito legal ver o envelhecimento de alguns personagens marcantes. O autor também cria personalidades distintas para eles. Os personagens ao longo da trilogia precisam tomar decisões e enfrentar questionamentos, é claro e nítido o trabalho do autor em cima deles, existe toda uma evolução.
Posso sem sombra de dúvidas dizer que a trilogia A Passagem é uma das melhoras trilogias que já tive o prazer de ler e resenhar. Os livros A Passagem, Os Doze e A Cidade dos Espelhos são obras-primas e mesclam gêneros como ficção, ficção científica, fantasia, suspense e terror. A trilogia tem mais de 2 mil páginas e o autor consegue manter o alto nível nos três livros. Justin Cronin foi genial. Eu recomendo para todos a trilogia, os livros são espetaculares.
A edição de A Cidade dos Espelhos está muito bonita, a Editora Arqueiro fez um belo trabalho. A capa está muito bonita e o título está em alto relevo. Já a revisão está boa, a fonte é confortável e as folhas são levemente amareladas, algo que facilita a leitura. O livro conta ainda com mapas e um glossário com os nomes dos personagens. A edição possui orelhas e informações sobre o autor.

7 comentários:

  1. Olá!
    Apesar de não ser meu tipo de leitura favorito, eu fiquei bastante interessada nesta histórias. Sua resenha ficou maravilhosa e já anotei a dica. Depois de vê tantas coisas boas a respeito dele, não tem como não lê-lo, mesmo fazendo parte de uma trilogia.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Confesso que o gênero do livro, não é dos que leio habitualmente, porém gostei dos pontos apresentados. Não conhecia a trilogia, mas gostei de saber que é uma história profunda. Até porque 700 páginas... hahaha Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu já conhecia o livro mas sabia pouco sobre ele. Gostei de conhecer mais sobre a história e ver o seu ponto de vista também.

    ResponderExcluir
  4. Oi Yvens,
    Adorei conhecer a série de livros e o autor. Definitivamente o livro combina muito com as minhas preferências de leitura e pretendo ler a saga. As capas estão realmente lindas e chamativas.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?
    Não conhecia a trilogia e apesar de parecer ser bem interessante, o gênero não me atrai. Também não curto muito livros que tenham continuação, então, vou passar a dica.

    ResponderExcluir
  6. Oi,

    Já tinha visto a capa do livro mas não sabia do que se tratava. Apesar de não ser bem meu tipo de leitura sua resenha me deixou um pouco curiosa rs..
    Vou deixar um * e quem sabe um hora eu leio.

    ResponderExcluir
  7. Essa me parece uma narrativa eletrizante, não duvido que seja sensacional, na época, não solicitei para leitura por se tratar de livro com continuação e estou dando um tempo deles. Além disso, o último são quase 700 páginas, ao menos a leitura compensa até o final ^^

    ResponderExcluir