19/05/2017

[RESENHA #251] ÉDIPO REI | ANTÍGONA - SÓFOCLES


Título: Édipo Rei | Antígona
Autor: Sófocles
Editora: Martin Claret
Páginas: 240
Ano: 2017
ISBN: 9788544001370
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Nesta edição, unimos duas das peças mais famosas de Sófocles, que fazem parte de sua trilogia tebana. "Édipo Rei" conta a tragédia do homem que, impotente diante do destino traçado pelos deuses, mata o pai e casa-se com a própria mãe.

"Antígona" é a tragédia da boa filha que morreu por obedecer aos mandamentos divinos em contraposição à vontade despótica de um tirano. 

Resenha: Édipo Rei e Antígona, foram escritas por Sófocles. O autor foi responsável por escrever inúmeras peças e algumas das maiores tragédias gregas.  A peça mais famosa de Sófocles é Édipo Rei, que aborda a desgraça que recaiu sobre Édipo ao matar o próprio pai e apaixonar-se por sua mãe, sem saber é claro desses fatos.

ÉDIPO REI

Nessa primeira peça de Sófocles, acompanhamos o mito de Édipo Rei que conta a história do Rei Laio, sua esposa Jocasta e seu filho Édipo. Após Laio consultar os oráculos, algo estarrecedor lhe é revelado, o seu filho o matará e se casará com a rainha. Para evitar o parricídio, o incesto e tal desgraça, Laio ordena que seu filho seja abandonado no alto de uma montanha com os pés amarrados, porém tamanha é a comoção do servo responsável para executar tal ato, que a criança é entregue a Políbo e Mérope, rei de Corinto e sua esposa, para que cuidem da pequena criança.

Os anos se passam e Édipo após consultar os oráculos, descobre que ele assassinará o seu pai e se casará com a sua mãe. Contudo, sem saber que Peolíbo e Mérope não são seus pais biológicos, ele resolver sair de Corinto com o objetivo de evitar a consumação dessa profecia. Em sua fuga, Édipo é atacado pelas tropas do Rei Laio, contudo acaba matando o rei e é levado para Tebas.

Em Tebas, Édipo acaba desvendando a famosa charada da Esfinge, com isso tornou-se rei de Tebas e desposou Jocasta, ou seja, o seu trágico destino acaba se consumando, mas ele ainda não sabe disso. Em sua cidade-estado, Édipo é considerado um homem prudente e sábio, em certa oportunidade a população tebana passava por grandes dificuldades e acaba recorrendo ao rei por auxílio.

Diante das dificuldades, Édipo envia um representante para consultar um oráculo, o qual manda informar ao rei que todos os infortúnios que estão ocorrendo em Tebas, são motivados pela ira dos deuses, que ficaram insatisfeitos com o homicídio de Laio, o rei anterior e seu verdadeiro pai. Ao tomar conhecimento que assassinou o seu pai e cometeu regicídio, Édipo Rei fica horrorizado com a situação e após arrancar seus olhos, vai viver no exílio.

Opinião: Édipo Rei é uma tragédia bem curta, com um viés filosófico e um cunho moral, pois Sófocles deixa claro que todos nós estamos destinados a enfrentar o destino que nos é reservado para algum momento de nossas vidas, independentemente das decisões que tomamos ou caminhos que escolhemos, pois não há como fugir do que nos está reservado. A peça é puro fatalismo, pois Édipo comete dois crimes ultrajantes, parricídio e incesto. É interessante acompanhar o comportamento de Édipo e sua relação com os deuses ao tomar conhecimento dos crimes que cometeu, mesmo sem ter conhecimento dos laços existentes entre ele e seus pais. 

A linguagem utilizada nessa peça, apesar de ser clássica e culta, mostrou-se acessível. Édipo rei foi uma leitura rápida e interessante, sendo organizada e apresentada por meio de falas, o que nos dá a impressão de estarmos participando de uma conversa entre os personagens em nossa "sala de estar". Édipo Rei é uma ótima oportunidade para quem quer começar a ler peças do teatro grego, que é composto por textos curtos com linguagens poética e filosófica.

ANTÍGONA

A peça Antígona retrata o dever do ser humano para com Deus, relação essa que é anterior por exemplo a que o homem tem para com o Estado. Essa peça tem como personagem principal Antígona filha de Édipo com Jocasta. Antígona teve três irmãos, fruto das relações incestuosas de seus pais, Polinices, Etéocles e Ismênia. Etéocles e Polinices acabam lutando um contra o outro pela poder e trono de Tebas, contudo ambos acabam morrendo.

Como não bastasse as mortes de seus irmãos, Creonte torna-se rei e decreta que Polinices era inimigo de Tebas, já Etéocles como aliado da cidade-estado. O primeiro tem negado direito de um enterro digno, sem qualquer tipo de honra. Já Etéocles tem um enterro cheio de honras. Diante dessa situação, Antígona resolver dar um enterro digno ao seu irmão, de acordo com a religião do mesmo, algo que vai contra a vontade e ordens do Rei Creonte, que havia determinado a exposição do corpo de Policines aos cães e aves.

Apesar de saber da lei criada por Creonte e suas ordens, Antígona resolve desobedecê-la, mesmo tomando conhecimento que a morte é certa por isso. Antígona acredita que seu irmão tem todo o direito de um enterro digno, conforme dita a cultura e costumes tebano. Nesse cenário, Creonta resolve decretar a morte de Antígona, não atendendo aos pedidos do seu filho Hêmon noivo de Antígona e sequer aos pedidos do povo. 

Creonte posteriormente revoga a sua decisão, contudo teria sido tardiamente, pois Antígona suicida-se e seu noivo sabendo disso, toma o mesmo caminho ao ver a noiva morta. Desesperado, Hêmon desfere um golpe fatal em seu próprio peito, cessando a sua existência. Após essas mortes, as desgraças familiares na vida de Creonte só aumentam.
Opinião: Antígona é uma peça interessante, trata sobretudo do arrependimento e decisões que devemos tomar, algo que é necessário extrema cautela para não causar arrependimentos ou infelicidades futuras. Outro ponto positivo que deixo como destaque é a personalidade de Antígona, que apresenta muita determinação, além de buscar justiça, proporcionando um enterro digno para o seu irmão Polinices, algo que destoa de Creonte, que apresenta em seu comportamento decisões incoerentes e injustas, utilizando da instituição cidade-estado de Tebas e criando normas, apenas para satisfazer sua vontade, o seu ego.

Antígona é uma peça forte, que trabalha de forma magistral os ditames morais, para isso, vemos paralelos entre o autoritarismo de Creonte, como figura máxima do poder em Tebas contra a dignidade moral com a determinação apresentada por Antígona. Por fim, é a luta de uma única mulher contra toda uma instituição, é a busca pela moral e dignidade, demonstrando que a legalidade ou o que é legal, nem sempre está revestido pela manta da moralidade.

Opinião Geral: Esse livro traz duas grandes peças do teatro grego Édipo Rei e Antígona que foram elaboradas por Sófocles, que nos levam de forma clara para o campo da reflexão, levando ao leitor aspectos como a justiça, a moral, a sociedade, parricídio e incesto. Super adorei a leitura, foi muito bom começar a ler alguns clássicos do teatro grego pelas peças de Sófocles. Recomendo a todos que queiram entrar nesse universo dos clássicos grego.
A edição está muito bonita e caprichada. O livro contém diversas notas de rodapé ou notas explicativas, glossários, sumário e referências bibliográficas. A diagramação está muito boa, foi utilizado papel pólen, o espaçamento e fonte estão em tamanho confortável, a edição vem com orelhas e a capa ficou linda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares