22/05/2017

[RESENHA #253] ABOMINAÇÃO - GARY WHITTA


Título: Abominação
Autor: Gary Whitta
Editora: Darkside Books
Páginas: 320
Ano: 2017
ISBN: 9788566636796
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O primeiro romance de Gary Whitta, também autor do aclamado Star Wars: Rogue One, é uma aventura para os leitores mais valentes. Whitta transforma o gore em momentos de grande beleza. Abominação é uma mistura épica entre fantasia histórica, ficção científica e a magia da cultura nórdica. 

A era medieval é muito mais conhecida por seus mistérios do que por seus registros históricos. Talvez seja melhor assim. Há quem acredite que estaremos mais seguros enquanto não soubermos de toda a verdade. Mas quem disse que as lendas não podem ser mais reais do que você imagina? Abominação reconta um dos capítulos mais sangrentos da história da Inglaterra: as invasões vikings do século IX. Apresentando personagens e batalhas reais, sua narrativa vai muito além do que poderíamos encontrar nos livros de história. Com influências de Lovecraft a Game of Thrones, vem sendo recebido mundo afora como um novo clássico para fãs do gênero. 

O reino de Wessex foi o único da Inglaterra que escapou dos invasores nórdicos. Seu rei, Alfredo, negocia um acordo com os bárbaros do Mar do Norte, mesmo sabendo que eles não são adeptos da paz. É preciso estar preparado, a guerra pode recomeçar há qualquer momento. O arcebispo da Cantuária oferece proteção ao reino, através de feitiços descobertos por ele em velhos pergaminhos. O rei só não poderia imaginar que a magia seria ainda mais perigosa que os próprios vikings. 

Resenha: Gary Whitta roteirista de filmes como "O Livro de Eli" e "Rogue One" estréia como autor no mundo literário através do romance Abominação. Esse livro é ambientado na Inglaterra medieval, do século IX, durante o reinado do Rei Alfredo de Wessex. Nessa época ocorre o auge das invasões vikings na ilha da bretanha, que conquistaram a Nortúmbria, Ânglia Oriental e Mércia, restando apenas o reino de Wessex do Rei Alfredo como resistência para a conquista total por parte dos invasores.

"Alfredo estava cansado. Enfrentara uma guerra longa e difícil e, embora a tivesse vencido, mal descansara desde então. Sabia que a paz não duraria. Como rei inglês, havia aprendido que nunca durava. Sempre haveria outra guerra." p. 15.

Abominação é divido em duas partes, a primeira nos apresenta a batalha de Ethandun, o Arcebispo Aethereld, a ameaça dos vikings e Wulfirc, um jovem camponês que devido às incursões e conquistas dos Vikings, perde a sua terra e se vê sozinho nesse violento mundo, até que em certa oportunidade, ele é convocado e alistado de forma obrigatória para entrar no exército do Rei Alfredo, O Grande. 

"No primeiro dia no campo de treinamento, foi direto para o mestre das armas, um soldado barbudo com peito de barril e mais anos de experiência em combate do que Wulfric tinha de vida na face da Terra. Armado apenas com uma espada cega de madeira, lutou com tal destreza e ferocidade que o instrutor acabou caído de costas, surpreso." p. 41.

É no exército que Wulfric se destaca, pois apesar de odiar empunhar uma espada, ele se destaca nos combates corpo a corpo, demonstrando uma fúria imensa, inclusive sendo destaque na famosa batalha de Ethandun, quando as forças do Rei Alfredo subjugam os invasores, desdobrando em um frágil acordo de paz. 

Temendo os Vikings e vendo o seu reino por um fio, Alfredo recebe Aethereld o arcebispo da Cantuária, que descobre diversos pergaminhos arcanos, oferecendo ao Rei Alfredo a possibilidade de vitória através desses pergaminhos, pois o líder religioso acredita que poderá criar um exército que até mesmo os vikings irão temer, algo que será invencível. Acreditando que essa descoberta seja uma benção de Deus, o religioso acaba convencendo o rei e dá início ao seu plano, que na verdade é invocar seres bestiais de dentro dos seres vivos, como se a escuridão brotasse e reinasse sobre aqueles com alma.

Os procedimentos de invocação para o surgimento dos seres bestiais despertam curiosidade, mas também o medo daqueles que presenciam tais experimentos, contudo leva Aethereld para um caminho sombrio, o qual colidirá com os interesses da Coroa, tendo em vista que o arcebispo acaba tornando-se poderoso e suas feras são vistas como uma ameça maior e Wulfric é convocado para exterminar esse mal criado pelo arcebispo.

"O guarda deu um passo para trás, acenando para Alfredo e Wulfric com a mão erguida. Em seguida, depois de ter engolido a última parte da tocha, a fera arrotou uma explosão quente de chama laranja brilhante [...]" p. 59

A segunda parte do livro ocorre 15 anos após a primeira e vemos os desdobramentos, as consequências do evento em que surgiram as abominações em Wessex por meio das conjurações e invocações de Aethereld. É nessa parte que novos personagens são introduzidos e conhecemos Indra, uma jovem guerreira que quer fazer parte da Ordem, ela busca sobreviver durante o período de um ano longe da Ordem, em busca das feras, das abominações, como prova de ser aceita. Contudo em sua busca, velhas e novas figuras irão cruzar o seu caminho, revelações e descobertas vão levá-la a saber quem ela realmente é, enquanto continuamos acompanhando Wulfric em suas andanças pela Inglaterra.

Opinião: Confesso que por meio das divulgações do livro Abominação, eu esperava algo mais, tendo em vista que na sinopse do livro diz que o livro iria recontar um dos capítulos mais sangrentos da história da Inglaterra, que seriam as invasões Vikings, dessa forma esperava mais do que foi mostrado sobre os Vikings. Isso é um ponto negativo ou talvez eu criei outra imagem do livro, esperava algo mais. O livro tem como ponto positivo o GORE, isso significa a presença de cenas violentas, com sangue e vísceras, algo que de fato está presente durante a trama, tendo em vista o livro ser ambientado durante um período em que as invasões vikings estavam em plena atividade e a brutalidade era algo comum naquela sociedade. 
Gary Whitta apresenta uma narrativa que envolve, bem construída e fluida, além disso, personagens como Cuthcbert, Wulfric e Indra são carismáticos, não há como torcer contra eles, pois simplesmente geram empatia no leitor. Os personagens que acima citei, conseguem nos levar a refletir sobre a natureza do comportamento humano, por meio de suas escolhas e condutas, que moldam não somente a própria vida, mas a vida de quem os cerca e isso acompanhamos de forma clara e nítida na segunda parte do livro, que foca no "eu" principalmente de Wulfric e Indra.
A parte de magia aparece na primeira parte do livro, quando o arcebispo Aethereld da Cantuária, utiliza de pergaminhos para invocar, gerar seres bestiais. Após isso, a magia volta a aparecer brevemente na segunda parte do livro de forma rápida. É muito legal as cenas de combate que aparecem ao longo do livro, são violentas e nos dá a sensação de estar assistindo algum filme ou série. O autor fez um trabalho interessante ao mesclar elementos como a fantasia, o horror e a ficção histórica, utilizando-se de um período histórico onde os conflitos bélicos, políticos e religiosos estavam à flor da pele, mas por meio de uma visão sombria e sangrenta, onde mentes deturpadas buscam satisfazer o próprio ego, por meio do poder e da morte.
Por fim, esse é um livro original, apesar de eu ter me sentido deslocado da ideia que tinha sobre o livro, que seria basicamente conflitos entre os Saxões do Oeste (Wessex) contra os Vikings, posso dizer que fiquei surpreendido de forma positiva pelo o que foi lido, sobretudo por ter uma mulher como protagonista em determinado momento do livro, mas como uma guerreira, algo incomum para a época, buscando por meio de sua força de vontade, garra, determinação, impor-se em uma sociedade que o homem dominava. Recomendo a leitura de Abominação para quem curte livros ambientados na idade média, gosta de monstros, muito sangue e ação.
O projeto gráfico apresentado pela Darkside Books está maravilhoso, eu simplesmente adorei essa edição que vem em capa dura, tem marcador em fita de cetim, folhas amareladas, fonte e espaçamento em bom tamanho, além do mapa da Inglaterra do século IX.

5 comentários:

  1. Estou impressionada como a sua resenha é completa. Não sabia que era do mesmo autor de Rogue One (isso me fez ainda mais feliz e com vontade de ler). Gostei das fotos. A darkside arrasa sempre!
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Eu estou bem curiosa com esse livro, mas me surpreendi por perceber que não é mesmo o que eu esperava (também). Não é um gênero que eu leio com frequência mas quando algum livro me interessa desse jeito eu tenho que ler. Gostei da sua opinião e de saber mais sobre a trama, espero que quando eu for ler que eu possa gostar do livro.

    ResponderExcluir
  3. olá *-*
    quando saiu o livro fiquei bem curiosa , gostei muito da resenha as fotos estão ótimas eu gosto e não gosto dessa capa KKKKK.

    bjss

    ResponderExcluir
  4. Olá...essa edição está incrível!
    Faz tempo que não leio nada da editora, mesmo gostando muito dos livros...estou atolada de leituras atrasadas aqui.

    Adorei a resenha!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Apesar das ressalvas estou DOIDA para ler o livro. Gostei demais de saber que em um certo momento temos uma protagonista feminina e que a história se desenvolve com cenas bem sangrentas. Um dos poucos casos da Darkside que me chamou bastante atenção e tenho altas expectativas. Ótima e sincera resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

INSTAGRAM

Publicações Recentes

recentposts

Publicações Populares