[RESENHA #264] SOCIEDADE J. M. BARRIE - BARBARA J. ZITWER - Saga Literária

Novidades

sábado, junho 03, 2017

[RESENHA #264] SOCIEDADE J. M. BARRIE - BARBARA J. ZITWER



Título: Sociedade J. M. Barrie
Autora: Barbara J. Zitwer
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Ano: 2017
ISBN: 9788581635231

Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Joey, uma arquiteta nova-iorquina que só pensa em trabalho, está em Cotswolds para supervisionar a restauração da majestosa mansão que inspirou J. M. Barrie a escrever Peter Pan. Os moradores da região não foram exatamente receptivos e também havia um problema com o zelador da mansão, um homem que parecia determinado a arruinar os planos dela. Com essa situação, Joey logo começa a pensar que não conseguirá fazer nada certo neste projeto e também em sua vida até descobrir a Sociedade de Natação de Senhoras J. M. Barrie e começar a nadar com elas em sua Terra do Nunca particular. Para Joey, conhecer Aggie, Gala, Meg, Viv e Lilia vai ser uma grandeexperiência de vida o começo de um relacionamento que vai transformá-la de uma maneira mais que extraordinária...

Resenha: Sociedade J. M. Barrie é o primeiro romance escrito pela autora Barbara J. Zitwer. A autora apresenta a protagonista Joey, uma workaholic que praticamente vive e respira o trabalho. Joey Rubin é um arquiteta de 37 anos, que após um relacionamento não dar certo, para fugir das mágoas, focou sua vida no trabalho. A protagonista é uma personagem que presta ajuda a todos, é inteligente, mas solitária, pois acabou afastando todos da sua vida, incluindo a sua melhor amiga e o seu pai.

"Esse é o espírito que temos de manter, o espírito de Stanway como uma espécie de Terra do Nunca." p. 25.

Uma grande oportunidade aparece na vida de Joey, por toda a sua dedicação no trabalho, ela recebe um convite para gerenciar, liderar um projeto importado pelo contexto histórico que apresenta, reformar a Stanway House, a casa que supostamente o autor J. M. Barrie escreveu uma de suas histórias preferidas e sem sombra de dúvida a mais famosa, o livro preferido de Joey, o clássico Peter Pan.
Em meio essa mudança na sua vida, Joey junto com sua cachorrinha Tink, partem para a Inglaterra com essa grande responsabilidade e tarefa de reformar a casa. Porém, ao chegar no local, ela encontra os moradores da região infelizes e incomodados com essa restauração, mas nem tudo são problemas, pois Joey acaba criando laços de amizade com um grupo de amigas que a aceitam muito bem.

"Joey sentia-se em união com a água, com a brisa, com o céu e o dia, com sua vida e com tudo da vida. Tudo o que via — pássaros, árvores, o sol, o mato — de repente pareceu mais vivo, mais definido, renovado.” p. 104.

É na Inglaterra que a arquiteta Joey vive a expectativa de reencontrar Sarah, sua amiga de infância que há muito tempo não via. Sarah vive um estágio na vida completamente distinto de Joey, ela é casada e mãe de quatro filhos, sem contar o aspecto emocional, totalmente equilibrado. Enquanto espera pelo reencontro, Joey mantém a sua rotina de trabalho e nos tempos livres, ela corre para se exercitar.

Em uma dessas manhãs de corridas, Joey presencia algo inusitado, ela vê uma senhora se debatendo em um lago gelado, correndo para ajudar essa senhora, quando chega perto, ela vê que na verdade a mulher, é uma idosa de uns 80 anos que está nadando. A surpresa é ainda maior quando Joey descobre que a senhora faz parte da Sociedade de Natação J. M. Barrie.

Opinião: Sociedade J. M. Barrie é um livro que me surpreendeu de forma positiva. A obra de Barbara J. Zitwer, demonstra como uma amizade inesperada e incomum pode mudar o comportamento e a forma de ver o mundo. Esse livro é uma linda homenagem da autora. Mesmo com toda simplicidade demonstrada na narrativa, de forma despretensiosa, Zitwer leva ao leitor uma leitura reflexiva e encantadora.
Barbara J. Zitwer está de parabéns pelo enredo apresentado. A autora explora bem os cenários inseridos na trama, utilizando de elementos simples. Eu adorei esse tom cinza da Inglaterra no livro. É muito fácil nos identificar com as suas personagens, pois são carismáticos. Zitwer nos transporta para esse belo universo e nos dá a sensação de acolhimento e envolvimento. Foi simplesmente uma leitura arrebatadora.
A edição está bem bonita, a capa ficou linda e o título parece estar envernizado. A fonte e espaçamento ficaram confortáveis, aliado as folhas amareladas, tendo em vista que utilizaram papel pólen, tudo isso contribuiu para uma rápida leitura. A editora arrasou no projeto gráfico. Agradeço a Novo Conceito pela oportunidade de ter realizado uma leitura maravilhosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário