[CRÍTICA] THE MIST - 1ª TEMPORADA - Saga Literária

Novidades

terça-feira, agosto 29, 2017

[CRÍTICA] THE MIST - 1ª TEMPORADA

O Nevoeiro (The Mist) é um conto que está presente no livro Tripulação de Esqueletos que reúne diversos outros contos escritos por Stephen King. Essa é sua segunda adaptação, tendo em vista que no ano de 2007, chegou aos cinemas o filme "O Nevoeiro", que em seu elenco teve nomes como Thomas Jane, Laurie Holden (Andre de TWD), Alexa Davalos (O Homem do Castelo Alto), Jeffrey DeMunn (Dale em TWD) e Melissa McBridge (Carol em TWD). O filme por sinal é muito bom, bem superior a série produzida pela produtora Spike.

A série assim como no filme ocorre em uma pequena cidade dos Estados Unidos onde somos levados para Bridgeville no Maine. No primeiro episódio da série vemos que Bridgeville é uma cidade pacata, porém um crime ocorre envolvendo Alex Cunnigham que foi escondida da mãe, com anuência do pai, para uma festa com seus colegas de estudo. Esse crime choca parte da população e ao mesmo tempo coloca em cheque o crime pelo passado de sua mãe Eve Copeland (Alyssa Sutherland, da série Vikings). 
Ainda no primeiro episódio vemos o personagem Bryan Hunt (Okezie Morro) um militar em uma montanha meio desnorteado tentando fugir com o seu pastor alemão de um misterioso nevoeiro. De lá somos levados para a cidade, onde esse nevoeiro já está tomando conta da pequena Bridgeville. É nesse momento que começa o caos, pois as pessoas que estão ao meio do nevoeiro começam a ter alucinações, vendo fantasmas e monstros. 
O nevoeiro não apenas mexe com o psicológico e o medo de todos, pois os cidadãos de Bridgeville que entram em contato por mais de alguns minutos com o nevoeiro acabam morrendo de diversas formas bizarras. Para esse nevoeiro misterioso, os humanos são como cordeiros pronto para o sacrifício. Nesse clima de desespero algumas pessoas buscam por abrigo em três locais da cidade: A Igreja, O Hospital e no Shopping Center da Cidade. 
Em meio aos problemas e caos, vemos Kevin Copland partir em sua jornada inicial na companhia do jovem Adrian Garff, em busca de Alex e Eve, sua filha e sua esposa que se encontram no Shopping Center da cidade. Nesse caminho a dupla se depara com diversas dificuldades, perigos e desconfianças, mas também contam com aliados, já que no caminho deles aparece o militar Bryan Hunt e a criminosa e usuária de drogas Mia Lambert. Os quarto partem então em busca da segurança do Shopping. 

Opinião: The Mist tem um clima soturno, apresentando cenários escuros, personagens melodramáticos e psicóticos, trabalha com o imaginário sobrenatural e o psicológico de terror. A série ainda aborda questões religiosas e filosóficas, como a necessidade de sacrifício do ser humano para a salvação e também uma visão de Apocalipse, onde o joio será separado do trigo, o ser humano bom do mau. Fica claro na série o quanto o ser humano pode se transformar em situações onde a sobrevivência é colocada em prova, o quanto a lucidez pode abrir espaço para a loucura, além é claro de vermos que a moral e a ética acabam sendo aniquiladas em situações de desespero.
Eu terminei de assistir a série pois não gosto de deixar pela metade quando eu começo a assistir filmes, séries ou ler qualquer livro que não me agrade. A série é insossa e deixou muito à desejar. Digo isso, pois o filme é muito bom e utilizou apenas uma hora e quarenta minutos de duração para deixar bem claro no ar a sensação de terror e desesperança. Os atores do filme em relação aos atores da série interpretaram de forma magistral, foram convincentes no que se propuseram a fazer.
A personagem Alex e nada é praticamente a mesma coisa, totalmente sem carisma, sem muitas expressões faciais. Com todas as dificuldades do roteiro, Morgan Spector que interpreta Kevin Copland começa em um nível baixo de atuação, o seu personagem é extremamente bonzinho e compreensível, todavia no decorrer da série vai mudando o seu comportamento, muito em parte pela situação que todos se encontram e também por querer incessantemente encontrar a sua filha Alex e sua esposa Eve Copeland que estão no shopping.
A série aborda alguns outros assuntos como a violência e preconceito contra os homossexuais, o crime de estupro, o abuso de autoridade, questiona a fé, levanta reflexões, como por exemplo, até que ponto o ser humano pode ir para conseguir a autopreservação em meio aos caos? No final das contas, o roteiro é fraco, as atuações deixam a desejar, os efeitos especiais são razoáveis e a série não passa de uma adaptação mal feita de um conto muito elogiado pelos leitores do Stephen King. 
É bem provável que a segunda temporada vá ao ar no ano que vem segundo o presidente de Spike e irá focar, segundo o diretor, no projeto Arrowhead que no filme está ligado ao Nevoeiro, mas na série segundo o diretor não vai ser necessariamente igual ao filme. Recomendo que assistam ao filme, esse sim é muito bom. Já a série de 0 até 10, dou nota 5!

16 comentários:

  1. O filme eu já assisti, afinal adoro a obra de stephen king. É uma pena essa adaptação para a série não ter ficado à altura do merecimento. O que me desanima nessas séries é que sem audiência acabam ficando pela metade. Também sou igual a vc, odeio deixar algo pelo meio.

    ResponderExcluir
  2. ola tudo bem ? não assisti nem a serie e nem o filme , gostei bastante da resenha ,
    vou eme interresso pela tematica , vou esperar pela segunda temporada.Bjssss

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha muito bem feita,mas devo admitir que não conhecia essa obra nem a serie nem o filmes é algo novo para , mas é uma pena a adaptação não ter ficado a altura odeio quando isso acontece com algo que eu gosto

    ResponderExcluir
  4. Vamos simplesmente admitir depois de mais de 30 anos que Stephen King não foi tão frequentado em seu trabalho no cinema, mas na TV o filmes e, eventualmente,ele tentou. Havia muitas críticas. E como Stephen King é um homem corajoso o suficiente para ter personagens que são escritores que absolutamente desprezam a escrita, porque o fracasso pode ser um monumento fatal.

    ResponderExcluir
  5. não conheço nem o filme nem a série, mas fiquei tentada a assistir o filme ;) ^

    beijinhooos

    https://nomundodeumamulher.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Eu assisti ao filme e gostei MUITO, mas acho meio difícil manter o nível quando fazem série de filmes. Gostei da sua resenha, foi bem sincera.

    ResponderExcluir
  7. Pensa numa pessoa que criou expectativas a mil com a série quando anunciaram que estava sendo feita e tomou um balde de água fria? Pois bem, euzinha aqui que amo tudo o que o King faz, quis chorar depois que percebi que estavam perdendo o rumo da série. Não esperei sair na Netflix e baixei em torrent então estava só aguardando uma resenha sincera sobre The Mist, e encontrei. Uma pena já que séries de horror/terror andam bem escassas né, sinto que meu horror ainda tem salvação, rs. Gostei a resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Fiquei sabendo desse lançamento e queria muito conferir, mas após a sua resenha, acho que mudei de ideia...rs. Parabéns por ter conseguido assistir tudo, eu teria deixado de lado mesmo. Gostei muito da história e pretendo assistir ao filme.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde, como vai? Confesso que ainda nao conhecia essa serie, mas gostei bastante da sua critica, pois você foi bem construtivo, e obejetivo quando falou sobre a serie, eu particurlarmente, gostei da assistoria, mas agora estou com o tempo be apertado para assistir, quem sabe nas ferias

    ResponderExcluir
  10. Eu sou apaixonada pelo filme, realmente me deixa tensa toda atmosfera criada em O Nevoeiro até pelos temas que trata e aborda. Ainda não tive a oportunidade de ver a série e fico chateada que tenha deixado a desejar =\ tinha tudo para ser muito boa, acho que tinha esperança pela temática

    ResponderExcluir
  11. olá, tudo bem?
    Não tinha ouvido falar da obra, nem do filme, nem da série;
    Acho que é o meu tipo, mas por aquilo que disse, é mais preferível ver o filme que a série, atualmente só vejo filmes, deixei de ter interesse por séries!
    Abraço
    :)

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Ainda não tinha ouvido falar dessa série, pelo enredo tinha tudo pra dar certo ainda mais com um filme tão bom quanto você elogiou. Acredito que grandes sucessos devem permanecer como recordações tal como O exterminador, Máquina mortífera, e outros. Quando pensaram em fazer séries não seguiram a mesma qualidade e isso é sentido pelos fãs. Uma pena. Anotei a dica do filme para assistir. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  13. Olá! :)
    Quando vi aquela imagem ali em cima, dos quatro cavaleiros do Apocalipse, lembrei-me da carta de tarot "a Morte"... :) Simbolismos!
    Quanto ao filme, não vi, mas parece-me o género que o marido iria gostar, pelo que lhe vou passar o nome. ;)

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    A Netflix acaba comigo com tantos lançamentos originais.
    Estou terminando de ver Atypical e Orphan Black para começar a assistir ela <3
    Todo mundo me dando ótimas críticas, já estou louca de vontade de ver.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Tudo bom?
    Nossa estou pirando para assistir, vou começar ainda hoje, eu não conhecia essa série, mas fiquei maravilhada para ver, ai que amor eu sinto na Netflix tem hora.
    beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  16. Esperava mais, a resenha esta muito bem colocada.
    Irei ver o filme assim que possivel.

    ResponderExcluir