[RESENHA #308] THE UNDERGROUND RAILROAD - COLSON WHITEHEAD - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, agosto 23, 2017

[RESENHA #308] THE UNDERGROUND RAILROAD - COLSON WHITEHEAD

Título: The Underground RailRoad
Autor: Colson Whitehead
Editora: HarperCollins Brasil

Páginas: 320
Ano: 2017
ISBN: 9788595080294
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
 Do vencedor do Man Book Booker Prize e autor best-seller do The New York Times, chega às livrarias o aclamado "The Underground Railroad: Os caminhos para a liberdade". Cora é uma jovem escrava em uma plantação de algodão na Georgia. A vida é infernal para todos os escravos, mas especialmente terrível para Cora. Uma pária até entre outros africanos, ela está chegando à maturidade, que a tornará vítima de dores ainda maiores. Quando um recém-chegado da Virgínia, Caesar, revela uma rota de fuga chamada, a ferrovia subterrânea, ambos decidem escapar de seus algozes. Mas nada sai como planejado. Cora e Caesar sabem que estão sendo caçados: a qualquer momento podem ser levados de volta a uma existência terrível sem liberdade. 

Resenha: The Underground Railraod (Os Caminhos para a Liberdade) foi escrito pelo autor norte-americano Colson Whitehead, vencedor do prêmio Pulitzer em 2017, o autor nos leva para o ano de 1812 em uma plantação de algodão onde acompanhamos a história de Cora, uma jovem nascida e criada como escrava que trabalha na fazenda da família Randall, localizada na Geórgia. Quando Cora era bem nova, a sua mãe a abandonou, fugindo da fazenda e deixando Cora sozinha. Nesse lugar todo o tipo de horror e tragédia estão no cotidiano dos escravos, desde espancamentos até estupros, seja por diversão ou falta de amor ao próximo.

"Cora alisava com orça as batatas das pernas, grata pelo descanso. Com ou sem festa, era ali que ela terminava todo domingo assim que o meio período de trabalho acabava: empoleirada em seu banquinho, procurado coisas para arrumar." p. 24.

A vida na fazenda é extremamente difícil para todos, mas para as mulheres é especialmente complicada, pois elas são usadas como procriadoras para o surgimento de novos escravos e com consequência, mais mão de obra escrava e com isso a possibilidade de obter mais dinheiro. Em certa oportunidade, Cora vê o seu sonho de liberdade florescer através de César, um escravo recém chegado na fazenda e muito inteligente que deseja e pretende dar adeus aos grilhões que ceifam a sua liberdade.
Cora decide se juntar a César em busca da sonhada liberdade, já que ele semeou em sua mentes pensamentos de fuga e liberdade. Cora resolve então seguir os passos de sua mãe que no passado buscou a liberdade, assim a dupla acaba empregando uma fuga em direção ao norte no Canadá, contudo uma ferrenha perseguição é iniciada para recapturar esses dois escravos fugitivos. A dupla vai trilhando um caminho para conseguir a liberdade e para isso, precisam passar por estados como o da Carolina do Sul, Carolina do Norte, Tennessee e Indiana.

"Caesar ressurgiu mais rápido do que elas esperavam. Estavam perto demais da estrada, disse ele, mas tinham conseguido um bom tempo. Agora o grupo tinha que avançar, chegar o mais longe possível antes que os patrulheiros saíssem em seu encalço. Os homens a cavalo rastreariam suas pegadas logo, logo." p. 67.

Nessa jornada Caesar e Cora utilizam da "Ferrovia Subterrânea" que na verdade é uma rede de pessoas abolicionistas, cujo objetivo é ajudar os escravos a se libertarem dos senhores de escravos espalhados pelos diversos estados escravocratas do sul dos Estados Unidos. Eles ajudavam a atravessar os escravos em regiões de perigos, davam abrigo e segurança temporária. A dupla recebe a colaboração de diversas pessoas brancas nessa árdua jornada e são nesses momentos que ambos tentam aproveitar os poucos momentos de tranquilidade.

Opinião: The Underground Railroad é uma viagem intensa para um período da história em que a escravidão era algo visto como comum e aceitável para parte da população norte-americana, servia de base para o enriquecimento de poucos com a utilização da vida humana, do sangue, suor e lágrimas do próximo. Os negros eram tratados de forma brutal e desumana e em meio a esse cenário caótico e de pouca esperança, a fé torna-se algo primordial para sobrevivência e principalmente para o desejo de fuga em direção ao norte, onde os escravos poderiam ter uma vida propriamente humana.
O livro traz uma mensagem de esperança, mas também da conduta criminosa e desprezível contra o ser humano, demonstrando a iniquidade do homem branco contra o homem negro, as violências gratuitas e o ódio em face ao homem da pele negra, demonstrando um racismo enraizado e imperdoável, bem como a submissão dos negros pela dor e sofrimento, o tratamento animalesco que recebiam e um tormento que parece ser eterno por tudo que passaram.

Colson Whitehead presenteia o leitor com um livro bem escrito, equilibrado e aborda um assunto delicado e sensível, o racismo que por muito tempo ficou impregnado na sociedade norte-americana, algo que até pouco tempo, por volta dos anos de 1960 gerava fortes debates e lutas por direitos e melhores condições para o negro de forma geral. O autor deixa claro que a vida do negro no século XIX era infernal e as perspectivas de melhoras eram praticamente zero. Vemos que Cora é a portadora de toda a brutalidade da escravidão, pois presenciou espancamento, estupros, torturas e assassinatos. 
É surreal o sofrimento que o negro passou nesse período nefasto da história. Colson Whitehead nos agracia com um romance terrível, ousado, belo e reflexivo, nos mantendo grudado nas páginas e nos deixando curiosos para saber o que vai acontecer na trama. The Underground Railraod é um livro tocante e merece ser lido por todos. Adorei a leitura, sobretudo por ser um livro de ficção histórica e me proporcionar uma viagem pela história.
Sobre a Edição: A HarperCollins Brasil apresenta um belo projeto gráfico, a edição está à altura da história apresentada por Colson Whitehead. A capa apresenta trilhos de trem, a diagramação está muito boa, a fonte e espaçamento estão confortáveis, as folhas são amareladas e a revisão ficou muito boa. Antes do início de cada capítulo existem folhas pretas com o título e trilhos de trem. Adorei a edição.
Sobre o Autor: Colson Whitehead é um escritor norte-americano, nasceu em 1969 na cidade de Nova York e graduou-se na Universidade de Harvard em 1991. A Intuicionista foi o seu primeiro livro e publicou este no ano de 1999, atualmente já publicou oito livros, sendo The Underground Railroad - Os Caminhos Para a Liberdade o último deles, com o qual venceu o prêmio Pulitzer de 2017.

25 comentários:

  1. Logo de cara gostei muito da capa é bem elegante, com um design bonito, é bom ler um livro que traga uma mensagem de esperança pois a esperança nunca pode acabar. Livros que falam da escravidão são sempre emocionantes, pois a escravidão foi muito cruel com os negros. Esse livro é maravilhoso gostei muito da resenha, abraços.

    ResponderExcluir
  2. Já achei a capa desse livro a coisa mais linda. Fiquei curiosa para ler.
    Bjus
    Jaque
    www.quebreiaregra.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oiii!!
    Não conhecia esta obra e achei super interessante um relato em forma de viagem mostrando diversos locais com tratamentos diferentes aos negros. Parece uma trama bem inteligente e cheia de significado.....
    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem?
    Não tinha conhecimento dessa obra mas já fiquei bastante curiosa. Acredito que por se tratar de um livro com a história dos escravos de antigamente me parece ser bem emocionante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Em tempos onde o novo-nazismo está se apresentado, é uma leitura extremamente importante para nos alertar sobre as atrocidades sofridas em um passado nem tão distante. Eu não li ainda, e apesar de saber da revolta que ficarei ao longo da leitura, quero muito ler este livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Oieee Yvens! Menino, esse livro me lembrou o escravo de capela do DeBrito só que o período escravo rata abordado era o do Brasil. É de partir o coração ler essas histórias e saber do imenso sofrimento vivido.

    ResponderExcluir
  7. Oi adorei o livro eu não o conhecia mais já quero muito ler me interessa muito esse tipo de história

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Adorei a sua resenha, confesso que não é meu estilo de leitura, mas sua resenha me deixou bem curiosa, como sempre ♥
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas gostei bastante, a capa tá bem bonita e o enredo parece interessante!

    ResponderExcluir
  10. Uau!!! Não conhecia o livro e fiquei toda comovida lendo sua resenha. Com certeza, esse é um daqueles livros que merecem toda a nossa atenção. O Pulitzer foi mais do que merecido pela importância que essa obra tem para a literatura. Bjs

    ResponderExcluir
  11. Eis um tipo de leitura que não costumo ler. Eis um tipo de leitura que preciso me habituar a ler. A temática é interessante e acho que um livro como esse contribui na formação de qualquer leitor que se preze. Amei a dica.

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
  12. Que livro mais lindo!!
    Já quero ler.
    Pela sua resenha pude sentir a sensibilidade com que foi transmitida essa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Nossa, realmente é um livro de leitura quase que obrigatória não é mesmo? Conscientização é algo que muitos ainda precisam... Saber a verdade do passado, do sofrimento do negro e da vida escrava....
    Com certeza vou anotar a dica.
    Adorei a resenha. Obrigado por trazer essa resenha!

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Achei bem interessante a proposta do livro, sempre é bom ler algo que nos dê esperança para dias melhores. Acho interessante livros que falam sobre a escravidão, pois foi uma fase muito cruel, e "ainda é". Gostei da resenha!

    Abraços

    www.biashaina.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Yvens
    Tudo bem?
    Adoro ficção histórica, esse período da história estadunidense foi bem cruel e avassalador.
    Com certeza é uma obra importante para compreendermos o que se passou e lutar para que esses erros humanitários não voltem a ocorrer no futuro.
    Tudo de bom p vc

    ResponderExcluir
  16. Muito legal a capa, e a história me pareceu ser muito boa! Gosto desse tipo de leitura.
    Parabéns pelo post!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Eu vi uma indicação de filme, que conta uma história bem parecida, eu fio bem curiosa pois gosto de dramas reais. Vou procurar por este livro.

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro ainda mas fiquei impressionada com sua resenha e claro com muita vontade de ler. Adoro demais esse tipo de pegada histórica e pelo que vc descreve é aquele tipo de leitura que enquanto não terminamos também não desgrudamos do livro.

    ResponderExcluir
  19. Leitura bem intensa e história muito interessante, nos tempos da escravidão eles sofriam muito. Gosto muito de temas históricos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Acho que a leitura é bem intensa e forte, embora muito interessante pelos assuntos que ela aborda. Não sri só se estou na vibe para o tipo de livro. Por enquanto, vou deixar na listanha dos "maybe". Hehehe tua resenha tá ótima, guria:*

    Www.souldomundo.com

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem?

    É impossível não se apaixonar pela história. Fui lendo sua resenha e entrando profundamente em tudo que era narrado, imaginando a revolta e o toque suave que o livro deve ter em sua mensagem. Livros que retratam a escravidão são sempre meu fraco, pois me levam a enxergar o quanto o ser humano pode ser desprezível. Adorei a sua resenha e preciso da obra!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Adorei esse livro, me parece ser uma leitura cativante e interessante. Parabéns pela resenha, ficou excelente. Já quero ler tbm.

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem? Que enredo mais interessante. Nunca li nenhuma obra dessa editora mas fiquei curiosa para conhecer outros títulos. Nunca tinha pensado na escravidão nos EUA. Sempre que falamos no colégio fica na mente somente a escravidão no Brasil. Sua resenha ficou incrível. Gostei da indicação. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  24. Olá
    uau que resenha interessante, gostei muito do livro apresentado apesar de não ser algo do meu gênero e achei a capa muito legal também, dica mais que anotada

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  25. que resenha legal, abordando um tema histórico e real, vocês escreve muito bem e gostei muito da maneira de expressar ainda mais um tema tão difícil. Beijos

    ResponderExcluir