[RESENHA #314 POEMAS ESCOLHIDOS - EMILY DICKSON - Saga Literária

Novidades

segunda-feira, setembro 04, 2017

[RESENHA #314 POEMAS ESCOLHIDOS - EMILY DICKSON


Título: Poemas Escolhidos
Autora: Emily Dickinson
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 104
Ano: 2017
ISBN: 9788579493324
Onde Comprar:
 Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse:
 Nascida em Amherst, nos arredores de Boston e numa das regiões mais puritanas dos EUA, Emily Dickinson passou praticamente metade da vida em reclusão autoimposta. Quando a escritora morreu, em 1886, aos 55 anos, sua irmã encontrou em seu quarto alguns cadernos que, costurados à mão, continham mais de 1.700 poemas, dos quais apenas uma dezena havia sido publicada em vida por Dickinson - e, ainda assim, sob anonimato. Desde então, sucessivas edições de sua obra fizeram com que ela atingisse o epicentro da poesia norte-americana, ao lado de Walt Whitman. Da mesma maneira, os poemas amorosos misteriosamente intensos dessa ermitã alimentaram a lenda de que seriam dirigidos a uma paixão secreta (supostamente, o pastor Charles Wadsworth). Pouco importam, porém, os eventuais traços biográficos que porventura estejam por trás dessa poesia, em que o sentimento de um vazio essencial sublima seus temas recorrentes - natureza, amor, solidão, fé e morte - por meio de profundidade reflexiva e complexidade linguística prodigiosas.

Resenha: Após um longo período sem novas edições, Poemas Escolhidos da autora Emily Dickinson ganha uma nova roupagem, agora pela Coleções Folha que incluiu esse livro entre os 30 da coleção Mulheres na Literatura. O livro conta com dezenas de poemas e a maioria são breves.

"Há duas maturações - uma visível -,
Cujas forças giram em círculo
Até que o aveludado fruto
Caia aromático ao solo;
E um maturar mais recluso
Dentro da vagem espinhosa,
Que os dentes da geada rompem
No distante ar de outubro." p. 14.

No decorrer da leitura é perceptível que a autora estava em um momento pessimista em sua vida, algo que transpôs para a sua escrita. Os seres humanos são vistos como autodestrutivos e fracos, por vezes maus e com uma natureza infernal. A vida é trabalhada como breve e finita, a morte é algo certo. Aos poucos nos deparamos com poemas leves, ora alguns que refletem sobre as pequenas coisas da vida, mas também sobre aspectos psicológicos.

"Tornou-se mais breve o dia, limitado
Por noite precoce e cingidora;
Em denso escurecer, a tarde
Deixou cair sua concisão de ouro;
Os ventos seguiram seus marciais caminhos,
As folhas se desprenderam
E novembro pendurou seu chapéu de granito
Em prego de terciopelo." p. 22.
"Dizer o que é a água
Àquele impedido de bebê-la,
Seria mais arguto - não? -
Do que deixá-lo depreender.

Conduzi-lo à nascente
E deixá-lo ouvir o gotejar,
De algum modo o lembraria - não? -
De seu lábio condenado." p. 57.

Opinião: Os poemas de Emily Dickinson são com uma jornada pela alma humana, a autora mapeia os sentimentos humanos como a angústia, o medo, o amor, a desilusão, esperança e desesperança durante os mais diversos poemas que nos são apresentados. A sensação que nos passa é que os nossos pensamentos podem ser medidos e pesados em meio ao turbilhão de emoções ou memórias do passado.
Vejo a autora como uma mulher visionária e à frente do seu tempo, cuja mente é poderosa detectando o invisível e trabalhando a essência das coisas fugazes, transitórias da vida. Dickinson me passou a sensação de olhar para a existência das coisas imaginando o futuro, tendo como ponto de convergência a morte. Os seus poemas parecem ser dotados de uma aura mística. Os textos de Dickinson tem um caráter minimalista, lacônico e boa densidade poética. Fica claro para a autora a finitude da morte em seus textos. Eu confesso que não lia poemas há mais de 12 anos e nunca tinha lido os trabalhos de Emily Dickinson. Mas fiquei fascinado com a sua escrita. Super recomendo a leitura de Poemas Escolhidos para todos!
Sobre a Edição: A edição está muito bonita e mantém a qualidade vista no primeiro volume da coleção Mulheres na Literatura. A revisão está boa, as folhas são amareladas, fonte e espaçamento em bons tamanhos. O livro conta com uma introdução de Ivo Bender falando sobre a autora e sua escrita. Por fim, a edição contém um sumário demonstrando todos os poemas presentes no livro.
Sobre a Autora: Emily Elizabeth Dickinson nasceu no ano de 1830 em Amherst, nos Estados Unidos. Dickinson foi uma poetisa proveniente de uma família abastada e sua formação escolar foi irrepreensível. Dickinson estudou durante um ano no South Hadley Female Seminary e abandonou o mesmo após recusar-se a declarar a sua fé publicamente. Faleceu de nefrite (problemas renais) aos 55 anos de idade. Sua família encontrou cerca de 1750 poemas após a sua morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário