[RESENHA #319] A ILUSÃO DO TEMPO - ANDRI SNAER MAGNASON - Saga Literária

Novidades

sábado, setembro 09, 2017

[RESENHA #319] A ILUSÃO DO TEMPO - ANDRI SNAER MAGNASON


Título: A Ilusão do Tempo
Autor: Andri Snaer Magnason
Editora: Morro Branco
Páginas: 320
Ano: 2017
ISBN: 9788592795061
Onde Comprar:
 Amazon - Saraiva

Sinopse:
 Quando as coisas não vão nada bem e os economistas preveem uma enorme crise financeira, a família de Vitória – assim como o resto do mundo – decide se esconder em suas misteriosas caixas pretas à espera de tempos melhores. No entanto, após vários anos, a caixa de Vitória se abre e a menina se vê em uma cidade em ruínas. Sem rumo, ela caminha por prédios e ruas tomadas por florestas e animais selvagens, até chegar à uma casa onde crianças se reúnem em torno de uma senhora para ouvir a história de um rei ganancioso que conquistou o mundo, mas desejava conquistar o tempo. Para poupar sua bela princesa dos dias escuros e sombrios, normais ou sem valor, ele a coloca em uma caixa mágica transparente como cristal, mas feita de uma seda de teia de aranha tão densa que o próprio tempo não consegue penetrar. Vitória aos poucos percebe uma conexão entre sua própria história e a do reino mágico. Junto com seus novos amigos, ela precisa encontrar uma forma de consertar o mundo antes que seja tarde demais. 

Resenha: Em A Ilusão do Tempo acompanhamos a história da administração do tempo em dois períodos distintos: passado e presente. No presente vemos que uma forte crise econômica abala um país (não identificado) e nesse cenário, somos apresentados à Vitória uma criança que vê seus pais acompanharem diversos pronunciamentos sobre a crise econômica pelos telejornais. É nesse tempo de crises que surge um novo produto lançado pela empresa TIMAX, uma Caixa do Tempo onde você poderá hibernar até a crise passar.

"Através da janela, Vitória observava seus pais na sala. Ela tinha preparado um momento agradável em família, que estava agora arruinado. Os economistas haviam desaparecido e, em seu lugar, passavam comerciais. Ela não escutava nada, mas surgiram na tela caixas pretas dançantes." p. 9.

O pai de Vitória diante da novidade resolve sair de casa para comprar tal objeto e retorna para casa com diversas placas e começa a montar essa caixa de forma apressada. A família decide hibernar e programar a volta para quando o mundo estiver livre do déficit econômico, dessa crise que assola a nação. Com o passar dos anos a caixa abre de forma inesperada e Vitória encontra-se em um mundo completamente novo, dominado pela natureza com suas florestas e animais. 
Nesse novo cenário Vitória encontra a sua casa totalmente abandonada, os animais tomaram conta de tudo, está uma enorme bagunça. As ruas e casas se misturam com a natureza e Vitória tenta descobrir o que está acontecendo enquanto entra em desespero com todas essas novidades, até que encontra um garoto chamado Marcos. O garoto resolve levar Vitória até Rosa, uma senhora misteriosa que está com diversas crianças que também saíram das caixas.

"O ar ficou limpo e não se via mais a fumaça de aviões atravessando o céu. Eu comecei a plantar batatas e a pescar para poder comer. O rio não estava mais poluído e os salmões vinham pulando para a minha rede. A terra despertou quando as pessoas lhe deram um sossego de todo aquele lixo de antes. E eu tive paz para pesquisar a história de Obsidiana." p. 195.

Curiosa, Vitória tenta descobrir o que está acontecendo e Rosa diz que precisa contar uma história para salvar o mundo. Rosa começa a contar a história que que fala sobre um reino antigo em um tempo remoto, quando os seres humanos viviam em perfeita harmonia com a natureza, mas essa harmonia foi quebrada por um rei que desejava conquistar o mundo. Essa história fala também sobre Obsidiana, a Princesa de Pangeia que foi colocada dentro de uma arca onde o tempo não poderia alcança-la. 

Opinão: Andri Snaer Magnason apresenta uma história encantadora que intercalada passado e presente e nos leva a indagar como utilizamos o tempo e que o mesmo não vai nos esperar até que estejamos prontos para realizar as mudanças que são necessárias em nossas vidas. O autor também nos leva a refletir sobre aspectos importantes em nossas vidas como a natureza, economia e a sociedade. O texto é relativamente simples, tem um estilo lírico e várias metáforas.
O autor criou personagens cativantes e envolventes. Durante a leitura nos deparamos com algumas referências de alguns contos de fadas famosos e achei isso particularmente interessante. Os cenários que Andri criou são maravilhosos, a sensação que nos passa é de ser tudo real e de estarmos assistindo um filme. A história é original e absolutamente linda, esse é um livro diferente de tudo o que li nos últimos tempos. O autor consegue mesclar gêneros literários como aventura, contos de fadas, drama e ficção científica de forma magistral!
Sobre a Edição: A Editora Morro Branco com o passar do tempo me conquista cada vez mais, me fascina com projetos gráficos maravilhosos e consegue surpreender a cada livro lançado, com A Ilusão do Tempo não é diferente, a capa é um espetáculo, o livro está bem diagramado, as folhas são amareladas e não encontrei erros na revisão que pudessem atrapalhar a leitura. Quero deixar claro que a tradução foi feita direta do islandês.
Sobre o Autor: Andri Snaer Magnason é um escritor islandês, nasceu na cidade de Reykjavirk em 14 de julho de 1973. Andri já escreveu poesias, peças, contos, ensaios e novelas. Em 2016 o autor concorreu à presidência do seu país. Com o livro A Ilusão do Tempo, Andri venceu os prêmios: Icelandic Literary Award, Icelandic Bookseller’s Award e West Nordic Children’s Book Award.

Nenhum comentário:

Postar um comentário