[RESENHA #321] A CASA DOS ESPÍRITOS - ISABEL ALLENDE - Saga Literária

Novidades

terça-feira, setembro 19, 2017

[RESENHA #321] A CASA DOS ESPÍRITOS - ISABEL ALLENDE

Título: A Casa dos Espíritos
Autora: Isabel Allende
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 464

Ano: 2017
ISBN: 9788579493331
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria Folha

Sinopse: 
O sobrenome de Isabel evoca, inevitavelmente, o de seu primo, o presidente Salvador Allende (1908-1973), morto durante o golpe militar que implantou por décadas uma feroz ditadura no Chile e aniquilou o projeto de uma sociedade menos desigual. A reconstituição da história pessoal e coletiva integra-se ao tecido romanesco nessa premiada obra de estreia que lançou o nome da autora em 1982, revelando uma fome de ficção nutrida da intenção de testemunho, reflexo da experiência dela como jornalista. O fôlego de "A Casa dos Espíritos", no entanto, ultrapassa as margens da reconstituição, inerente ao romance histórico, e desdobra-se em imagens que impregnam a leitura. Os destinos das mulheres indóceis da família Del Valle contrastados com o mandonismo de Esteban Trueba não sustentam apenas uma saga de emoções fortes. Suas curvas também reescrevem a história latino-americana e revelam como estamos condenados a um passado perpétuo, no qual cada movimento adiante sempre nos devolve a duas casas atrás. 

Resenha: A Casa dos Espíritos é um livro aclamado e o mais famoso da escritora chilena Isabel Allende. A autora conta a história da família Trueba (sua própria família), passando por três gerações de mulheres entre as décadas de 20 até os anos 70, quando ocorre o golpe militar que tira do poder Salvador Allende e coloca em seu lugar o sanguinário general Augusto Pinochet que deu início a ditadura militar no chile.

"[...] Clara com a sua delicada caligrafia. Já nessa época tinha o hábito de escrever as coisas importantes e mais tarde, quando ficou muda, escrevia também as trivialidades, sem suspeitar que, 50 anos depois, seus cadernos me serviriam para resgatar a memória do passado e sobreviver ao meu próprio terror." p. 9.

No início da trama acompanhamos a primeira geração "del Valle" e conhecemos a infância de Clara del Valle, uma menina clarividente que possui habilidades psíquicas. Clara ainda nova conversava constantemente com espíritos, apresentava o dom de mover objetos com a mente e também de prever o futuro. Com o passar dos anos, Clara acaba tomando como esposo Esteban Trueba, um homem simples e de gênio forte que era apaixonado por Rosa (irmã de Clara) que antes de casar partiu em busca de ouro em minas para se casar com Rosa, porém com a morte da mesma por envenenamento, situação esta prevista por Clara.
A segunda geração da família conta com Blanca e os gêmeos Nicolas e Jaime. Nessa parte a história é focada em Blanca fruto do relacionamento entre Esteban e Clara. A jovem constantemente bate de frente com o seu pai que é contra o envolvimento da filha com o camponês Pedro Terceiro Garcia, pelo fato do mesmo ser um jovem com ideias revolucionárias. Com o passar dos anos Blanca engravida e nasce a pequena Alba, fruto da relação com Pedro Garcia.

"Pedro Terceiro García era parecido com o pai, moreno, de feições duras, esculpidas em pedra, com grandes olhos tristes, cabelo negro e teso, cortado à escovinha." p. 151.

Durante as grandes revoluções no Chile, Alba está crescida, é uma mulher com fortes ideias e é nesse período que ela desafia os grandes líderes e autoridades do seu país em prol da grande revolução. Com o seu forte temperado e determinada por mudanças, Alba acaba se envolvendo em uma confusão política, mas não é somente fora de casa que se mete em confusões, pois no seio familiar ela tem coragem de desafiar o seu avô Esteban Trueba em diversos momentos. A relação entre Alba e Esteban (neta e avô) é na verdade uma relação de amor.

Opinião: A Casa dos Espíritos faz parte da veia literária conhecida como realismo mágico que teve Gabriel García Márquez como um dos principais expoentes. O tema espiritismo contido no livro é apresentado como um realismo mágico, não recebe uma abordagem doutrinária ou religiosa. É por esse realismo mágico que em certos momentos eu via no livro de Isabel grandes semelhanças com Cem anos de Solidão do Gabo. 
A leitura da Casa dos Espíritos fluiu maravilhosamente bem, mostra o quão humanos são os personagens, demonstrando todas as suas qualidades e defeitos, parecendo reais e verdadeiros aos nossos olhos. O enredo criado por Isabel consegue nos emocionar e chocar, por ele acompanhamos a história de três mulheres da mesma família em gerações diferentes, tendo lidar com suas paixões, dramas familiares, dificuldades em suas época, inclusive precisando enfrentar a ditadura no Chile e é esse um dos pontos que enriquece o livro, toda a movimentação política no país ao longo de algumas décadas. O final do livro é uma obra de arte!
Sobre a Edição: A edição está linda e mantém o padrão de qualidade encontrada nos dois primeiros volumes da coleção Mulheres na Literatura. A revisão está muito boa, as folhas são amareladas, fonte e espaçamento em bons tamanhos, no geral a diagramação ficou ótima e essa edição ainda conta com um poema do escritor chileno Pablo Neruda.
Sobre a Autora: Isabel Allende nasceu em Lima, Peru. Escritora peruana com ascendência chilena, filha de diplomata e sobrinha do presidente chileno Salvador Allende, apesar de ter nascido no exterior, tem nacionalidade chilena. Trabalhou como jornalista em revistas femininas, periódicos e na televisão antes de publicar seus livros. Isabel foi colaboradora da FAO (Food and Agriculture Organization, órgão das Nações Unidas) em Santiago do Chile. Após o golpe do general Augusto Pinochet e a morte do tio Salvador Allende, em 1973, o clima de terror e incerteza obrigou-a a abandonar o Chile com a família em busca de refúgio na Venezuela. Na capital venezuelana Caracas, trabalhou como repórter do jornal "El Nacional" e como professora de idiomas numa escola pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário