[RESENHA #324] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 05 - NINA SIMONE - Saga Literária

Novidades

sábado, setembro 23, 2017

[RESENHA #324] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 05 - NINA SIMONE

Título: Coleção Folha Lendas do Jazz
Artista: Nina Simone
Autor: Carlos Calado
Editora: Folha de São Paulo
Ano: 2017
Páginas: 48
ISBN: 9788579493034
Onde comprar: Livraria da Folha

Sinopse: No ano em que se comemora o centenário das primeiras gravações de jazz, a Folha lança uma coleção com obras de 30 dos maiores artistas desse gênero musical. De cultuados cantores a conceituados compositores e instrumentistas, a Coleção Folha Lendas do Jazz oferece um extenso panorama do que já se produziu de melhor nessa música que valoriza a improvisação.

Resenha: Nina Simone, desde criança, sempre quis ser uma concertista de música clássica. Desde muito cedo estudou seriamente o piano. Todos sabiam e notavam seu grande talento para a música, mas o destino não se alinhou com os desejos da cantora e pianista.
Eunice Kathleen Waymon nasceu em 21 de fevereiro de 1933, em Tyron na Carolina do Norte e veio de uma família pobre e numerosa. Seus pais, modestos, tinham talento para música, pois sua mãe cantava e seu pai era um multi-instrumentista e além disso todos os filhos da família Waymon cantavam na igreja, mas Eunice, mesmo aos seis anos de idade já demonstrava sua superioridade musical na família. Como não tinha dinheiro para manter aulas de piano, Eunice teve sorte e uma viúva amiga da família acabou pagando pelas aulas da criança. Aos 11 anos já bem preparada e acreditando que iria conseguir realizar o sonho de ser concertista de música clássica, se apresenta pela primeira vez à uma banca examinadora e tem uma das piores decepções de sua vida: é rejeitada.

"Não, (a reprovação) não teve nada a ver com a cor da pela dela ou com a sua ascendência", disse o professor, observando que Eunice tinha talento, mas ainda não estava suficientemente preparada. "Ela não foi aceita porque havia outros concorrentes melhores do que ela", afirmou." p.19.
Anos depois, já reestruturada foi tocar como pianista em um lugar chamado Midtown Bar & Grill, em Atlantic City para poder pagar as aulas de pianão e seu quarto de pensão. Para evitar que sua família descobrisse que ela estava tocando em um local cheio de irlandeses bêbados que frequentavam o lugar, Eunice mudou seu nome para Nina Simone, que nada mais era uma junção de um apelido que ganhou de um ex namorado (Nina) e uma homenagem à atriz francesa Simone Signoret. Com um repertório bastante incomum, acabou angariando um público de fiéis admiradores e, por sugestão de um deles, gravou uma canção dos irmãos Gershwin, "I Loves You Porgy", começava justamente aí o grande sucesso de uma das maiores cantoras de todos os tempos: Nina Simone.

Opinião: Não tem como ficar indiferente com Nina Simone, pois suas canções são tão diversificadas, que em algum momento algumas delas acaba lhe agradando. Nina tem uma voz fenomenal e consegue passar aos ouvintes em qualquer música que ela tenha gravado, uma emoção sem igual. Músicas populares como "Don't Let Me Be MIsunderstood", que ganhou um versão de arrancar lágrimas de qualquer pessoa que aprecie a boa música, mostra a grande versatilidade dessa cantora e pianista. Suas músicas também foram de valia para o movimento pelos direitos civis dos negros e também das mulheres nos Estados Unidos Músicas como "Strange Fruit", "To Be Young", "Gifted and Black" e "Mississippi Goddam", mostravam o lado político de Nina Simone, que realmente se dedicou ao movimento.
Nina Simone chegou a tocar no Brasil em 1988 na edição do Free Jazz Festival e em 2000, no Bourbon Street Music Club em São Paulo, fazendo em ambas passagem com que os fãs vivenciassem de perto a genialidade dessa grande cantora.
Eunice Kathleen Waymon, mais conhecia como NIna Simone, morreu em 21 de abril de 2003, em Carry-le-Rouet na França, mas deixou um legado de mais de 60 discos entre estúdio, ao vivo e coletânea. Além disso deixou sua marca como uma cantora excepcional e também ativista. Esse volume é realmente um grande presente ao amantes do Jazz. Nina Simone é imperdível, sempre.

Sobre a Edição: A Coleção Folha Lendas do Jazz, segue o formato já conhecido da editora e é vendido, principalmente, na bancas de jornal de todo o país, mas também pode ser encontrado na loja da folha pela internet. A coleção é apresentada no formato tradicional do cd/livro, com uma arte muito bonita na capa e a lombada é fragmentada, formando uma cena no final da coleção, muito bacana.

O material é de primeiríssima qualidade, com a capa dura e brilhante e papel interno em couché brilhante também. Em resumo, exatamente como um cd deveria ser. O livro é recheado de fotos e sua fonte é bastante agradável. No final de cada edição, existe um glossário de termos utilizados, uma seção denominada "Frases", recomendações para ler, ouvir e assistir, o repertório do cd e uma breve descrição do autor Carlos Calado. Realmente, uma coleção que vai agradar tanto aos experientes como aos novatos nesse mundo tão maravilhoso chamado, JAZZ!
Agradeço imensamente a Editora Folha por ter me enviado essa coleção, pois esta me proporcionando ótimos momentos de nostalgia em relembrar todos esses maravilhosos, saudosos e incomparáveis artistas da música. Leitores, a Coleção Folha Lendas do Jazz é ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário