[RESENHA #337] PERSUASÃO - JANE AUSTEN - Saga Literária

Novidades

sábado, outubro 21, 2017

[RESENHA #337] PERSUASÃO - JANE AUSTEN

Título: Persuasão
Autora: Jane Austen

Editora: Coleções Folha
Páginas: 256
Ano: 2017

ISBN: 9788579493362
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria Folha

Sinopse: 
Muitos conhecem a obra de Jane Austen (1775-1817) pelas dezenas de adaptações de seus romances para telas de cinema e TV, livros como "Orgulho e Preconceito", "Razão e Sensibilidade" ou "Emma". As duas filmagens de "Persuasão" revelam apenas parte das qualidades deste romance, o último da escritora inglesa, também o mais reflexivo e lírico, marcado pelos pensamentos de uma heroína mais madura, parecida com a própria Austen.Aos 27 anos, Anne está à beira de ser dada como solteira irreversível. Influenciada por amigos e por seu pai, um baronete fútil quase falido, rejeitara quando mais jovem o casamento com um oficial da Marinha, homem que amava, mas então sem fortuna e tido como socialmente indigno.Em "Persuasão", a escritora outra vez narra reviravoltas de histórias amorosas, desencontros provocados por esnobismos e conflitos entre pequenos fidalgos, nobres e alta classe média. Austen volta à sátira social leve, mas profunda, e às críticas à estupidez de aristocratas, reforçada em "Persuasão" por um elogio a quem sobe na vida por mérito, raro na época. 

Resenha: Anne Elliot é a segunda de três filhas de Sir Walter Elliot, um baronete viúvo e mesquinho que a trata com frieza, algo completamente diferente do tratamento que sua irmã Elizabeth recebe. Anne é uma mulher inteligente e bonita, porém aos 27 anos ainda está solteira, ela já perdeu o viço da juventude. Quando nova, foi noiva de Frederick Wentworth, um jovem ambicioso e inteligente, mas ele não era de uma família tradicional ou importante e por esse motivo Anne foi dissuadida pela família a romper o relacionamento com Frederick.

"Alguns anos antes, Anne Elliot fora uma menina muito bonita, mas sua exuberância tinha desaparecido precocemente; e mesmo no ápice, o pai havia encontrado poucos elementos para admirar (como eram diferentes dos dele as feições delicadas e os compassíveis olhos escuros), não havia nada nela, agora que estava desbotada e magra, para incitar a sua estima [...]" p. 12.

A situação financeira na casa de Anne não é das melhores, as dificuldades são reais e as dívidas da família apenas vai crescendo com o passar do tempo. Lady Russel, uma antiga amiga da família chega ao ponto de expor os problemas pelo os quais a família Elliot terá de enfrentar se não economizar e preocupada com o futuro financeiro da família, mesmo subestimada pelos seus, Anne dá o seu melhor com o objetivo de encontrar uma solução para todos em sua casa. Porém, sabendo que seu pai e sua irmão não irão lhe dar ouvidos, Anne terá ao seu lado Lady Russel para dar conselhos para a sua família.
Após longos oito anos, outra mudança ocorre na vida de Anne. Ela não cogitou qualquer possibilidade de se casar, os sentimentos que estão em seu coração demonstram as dores do rompimento do noivado com Frederick quando era jovem. Tudo piora quando Frederick Wentworth, agora na Marinha e com o posto de Capitão Wentworth, retorna para a vida e o cotidiano de Anne, cruzando em seu caminho diversas vezes, algo que só serve para lembra-lá da infeliz decisão que tomou quando era jovem.

"O Capitão Wentworth instalara-se em Kellynch como se estivesse na própria casa, para permanecer por quanto tempo desejasse, sendo alvo de toda a gentileza fraternal tanto do almirante quando de sua esposa. Ele pretendia, assim que chegara, dirigir-se sem demora a Shropshire e visitar o irmão que residia naquela região, mas os atrativos de Uppercross o induziram a cancelar a viagem [...]" p. 77.

Essa volta de Frederick de certa forma está relacionada com sua condição financeira, tendo em vista que ele é um homem feito e estabelecido, conquistou o sucesso profissional na Marinha e sente a necessidade de cuidar da sua vida pessoal, ou seja, está em busca de uma mulher com a qual possa construir uma família. Seu intento é observado de longe por Anne, que infelizmente está mais próxima de Frederick do que realmente gostaria, pois a dor da sua volta é algo nítido e apenas lhe traz aflição. Ao mesmo tempo, Frederick não está imune ao passado que teve com Anne, algo que o deixa frio e distante de sua ex-noiva. Em meio aos encontros e desencontros, Frederick e Anne precisam lidar e superar as dores e tristezas do passado se quiserem se reaproximar, algo que depende apenas deles para que possam caminhar juntos novamente.

Opinião: Persuasão é um romance atemporal que vem conquistando gerações ao longo dos tempos. Publicado postumamente em 1817, a trama tem como essência o amor, os encontros e desencontros proporcionados pela vida e as segundas chances que a vida nos proporciona, algo que acompanhamos em personagens já maduros e sem aqueles encantos da primeira paixão. Em paralelo ao romance e relação entre Anne e Frederick, Jane Austen tece críticas às futilidades da alta sociedade da sua época, demonstrando a avareza e descriminação entre as classes e principalmente a desvalorização da mulher na sociedade do seu tempo, sendo vista como um ser frágil e incapaz de tomar decisões por si mesma.
A escrita de Jane Austen é um espetáculo à parte, já que a sua narrativa é repleta de melancolia, ironia e críticas. A melancolia por exemplo nos apresenta dilemas que nos desperta empatia. Austen também criou personagens secundários que chamam atenção. Persuasão foi uma leitura reflexiva e me peguei pensando que jamais devemos abrir mão da nossa felicidade em favor da felicidade alheia, mas devemos valorizar as pessoas que escolhemos para fazerem parte das nossas vidas e jamais devemos subestimar a capacidade alheia. Eu simplesmente amei a leitura. 
Sobre a Edição: Persuasão é o sexto volume da coleção Mulheres na Literatura e mantém o padrão de qualidade encontrado nos volumes anteriores. A revisão ficou ótima, as folhas são levemente amareladas, a fonte e o espaçamento estão em tamanhos confortáveis, a edição conta com capa dura e no geral a diagramação ficou muito boa. Coleções Folha está de parabéns pelo ótimo trabalho apresentado. 
Sobre a Autora: Jane Austen nasceu em 16 de Dezembro de 1775 em Steventon, Inglaterra. Jane foi uma romancista britânica, filha de um pastor anglicano e toda a sua vida transcorreu no seio de um pequeno grupo social, formado pela aristocracia rural inglesa. Aos 17 anos, escreveu seu primeiro romance, Lady Susan. Seu segundo livro, Orgulho e Preconceito (1797), tornou-se sua obra mais conhecida. Em 1811 publicou Razão e Sensibilidade, cujo sucesso levou à publicação, ainda que sob pseudônimo, de obras anteriormente recusadas. Vieram ainda outros grandes sucessos como Mansfield Park (1814) e Emma (1816). Jane morreu em Winchester, antes de serem publicadas as obras A Abadia de Northanger e Persuasão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário