[RESENHA #343] CONTOS DE TERROR - TOMO I - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, outubro 25, 2017

[RESENHA #343] CONTOS DE TERROR - TOMO I


Título: Contos de Terror - Tomo I
Autor: Vários
Editora: Martin Claret
Páginas: 187
Ano: 2014
ISBN: 9788544000274
Onde Comprar:

Sinopse:
 Este livro é o primeiro tomo de contos de terror da Editora Martin Claret. Nesse volume há autores diversos que são verdadeiros ícones da literatura fantástica e universal: Rudyard Kipling (“As dificuldades da vida — A marca da besta” e “O riquixá fantasma”); Ambrose Bierce (“A morte de Halpin Frayser”), H.P. Lovecraft (“A cor do espaço distante”) e Nathaniel Hawthorne (“Ethan Brand — Capítulo de um romance abortivo”). São contos que contemplam o que há de mais fascinante na vertente de literatura de terror. 

Resenha: Contos de Terror - Tomo I é uma compilação de contos publicado pela Editora Martin Claret e organizada pela Mestre e Doutora em Estudos Literários, Maria Aparecida de Oliveira. Esse primeiro volume se inicia com o conto de Rudyard Kipling, "As dificuldades da vida - A marca da besta", passa para o conto "A morte de Halpin Frayser" escrito por Ambrose Bierce, em seguida temos a presença de Nathaniel Hawthorne com o conto "Ethan Brand". O quarto conto é "A cor do espaço distante" de H. P. Lovecraft e o livro finaliza com o conto "O riquixá fantasma" de Rudyard Kipling.

Durante a introdução, Maria Aparecida de Oliveira tece comentários sobre a escolha dos contos, deixando claro que eles não foram selecionados de forma aleatória. Na verdade os contos foram selecionados abrangendo os aspectos do gótico e sobrenatural se unindo em um fio condutor para dar coerência e equilíbrio ao livro Contos de Terror. 
A Marca da Besta (Rudyard Kipling): Narrado em primeira pessoa, o conto gira em torno de três amigos que estão vivendo na Índia, sendo que um deles é Fleet, o foco principal do conto. Fleet é um homem que está no país não tem muito tempo e, em dado momento, por ignorância e desconhecimento dos usos e costumes indianos, bem como sobre aspectos religiosos do país, acaba entrando em um templo e realiza uma marca com seu cigarro em uma estátua de um deus no templo local. Após tal ato profundamente desrespeitoso, Fleet estaria sujeito a um representação criminal, porém nada ocorre no âmbito criminal para ele, mas algo pior aconteceu, pois Fleet é amaldiçoado e a sua vida, bem como as dos seus amigos muda rapidamente.

"A leste de Suez, afirmam alguns, cessa o controle direto da Providência; ali o homem é entregue ao poder dos deuses e demônios a Ásia, a Providência da Igreja da Inglaterra só exerce uma supervisão ocasional e modificada no caso dos ingleses." p. 25.
A morte de Halpin Frayser (Ambrose Bierce): Contando com duas narrativas que se complementam, o conto de Bierce apresenta um cenário sombrio, já que somos levados para uma misteriosa floresta e lá vemos um rapaz acordar nesse ambiente estranho, mas ele acaba se dando conta que está morto e começa a levantar alguns questionamentos. Na segunda narrativa acompanhamos dois caçadores de pessoas que partem em busca de uma mulher que está desaparecida e eles acabam indo para uma floresta. Ao longo da história o autor vai liberando algumas pistas para solucionarmos o grande mistério que permeia o conto.

"Halpin Frayser não era um grande filósofo nem cientista. A circunstância de, ao acordar de um sono profundo à noite no meio da floresta, ter falado em voz alta um nome que não tinha na memória nem na mente não lhe provocou uma curiosidade iluminada para investigar o fenômeno. Apenas achou estranho, e com um ligeiro tremor, como se respeitasse o frio da noite, deitou-se novamente e dormiu. Mas esse sono já não foi sem sonhos." p. 49.

Ethan Brand - Capítulo de um romance abortivo (Nathaniel Hawthorne): Esse é um conto mais filosófico e complexo em relação aos outros e conhecemos a história de Ethan Brand, um antigo calcinador que ficou conhecido negativamente em seu povoado por conversar com um espírito maligno. Em dado momento Ethan larga tudo e parte busca do Pecado Imperdoável. Passados dezoito anos vemos o substituto de Ethan, trata-se de Bartram que assumiu a sua função no forno como calcinador e conhece todas as lendas e mitos que envolve o seu antecessor.  Bartram é um homem prático, não é dado aos momentos de contemplação e reflexão como Ethan. Em certa noite Bartram está trabalhando no forno e tem como companhia Joe, seu filhinho. Pai e filho começam a ouvir uma gargalhada em alegria, sem vida e surge para eles um homem misterioso que gela a espinha de ambos.

"[...] De repente, os dois ouviram uma gargalhada vinda da encosta abaixo deles; uma garalhada não alegre, mas lenta, até solene, como o vento sacudindo os galhos na floresta." p. 73.

A cor do espaço distante (H. P. Lovecraft): Um dos mais populares contos de Lovecraft e o seu favorito, o conto começou a ser escrito em 1927 e foi publicado no mesmo ano. A história ocorre em Arkham, um local conhecido por ter uma "charneca maldita". Curioso com esse detalhe, o narrador da história fica sabendo dos acontecimentos no local por meio do relato de Ammi Pierce e sua bizarra experiência com um morador local chamado Nahum Gardner.

"A oeste de Arkham as colinas sobem agrestes, e há vales com florestas fechadas que nenhum machado cortou. Existe vales escuros e estreitos, onde as árvores se inclinam de uma forma fantástica e onde pequenos regatos correm sem nunca terem recebido sequer o lampejo de um raio de sol." p. 101.

A família de Nahum passa por uma experiência no mínimo curiosa quando uma grande rocha cai do céu com uma cor totalmente diferente em sua fazenda, a família é misteriosamente afetada, pois eles começam a agir de forma estranha. A água que eles consomem vai transformando todos aos poucos e os filhos acabam se jogando no poço do fazenda, sua mulher enlouquece, algo que também acontece com Nahum. A floresta também foi profundamente afetada, as árvores estão distorcidas, as flores nascem tortas e com a cor da grande rocha (meteorito).

O riquixá fantasma (Rudyard Kipling): O autor nos traz uma história de assombração e conta a história Jack Pansay que se apaixona por uma mulher de posses. Contudo com o passar do tempo Pansey tenta se afastar da mulher apaixonada que não desiste dele. Em certo momento Pansey morre e mesmo após a morte ele é torturado pela mulher apaixonada. O conto é narrado pela ótica do amado e atormentado Pansey e o conto alterna entre a realidade e as alucinações do protagonista.

"O meu instinto não me enganara. A coisa estava de prontidão no Mall e, o que pareceu uma zombaria diabólica dos nossos costumes, estava de faro aceso. O homem de suíças ruivas tocou imediatamente no assunto, mostrando que estivera matutando durante todo o jantar." p. 169.

Opinião: Contos de Terror - Tomo I foi uma leitura rápida e fluida, confesso que foi o meu primeiro contato com autores como Ambrose Bierce e Rudyard Kipling, apesar de conhecer ambos de nome eu nunca tinha lido nada deles. Todos os autores nesse livro como H. P. Lovecraft, Nathaniel Hawthorne e os acima citados são nomes de referência na literatura. O livro conta com elementos góticos como base dos contos, formando uma linha tênue entre o real e o fantástico (sobrenatural), a razão e a loucura andam de mãos dadas nesses contos.
A leitura dos contos é bem tranquila e para aqueles que tem algum receio ou medo de ler contos de terror, pode ler ser qualquer ressalva, pois os contos não vão tirar o seu sono. Esses contos me surpreenderam, são de qualidade, me envolveram e eu fiquei realmente assustado por não ter lido antes qualquer trabalho de Rudyard Kipling ou mesmo de Ambrose Bierce. O destaque fica por conta do conto A cor do espaço distante de H. P. Lovecraft onde seus personagens constantemente precisam lidar com a sensação de pânico.
Sobre a Edição: A Martin Claret leva ao leitor uma edição caprichada, o projeto gráfico ficou ótimo. A capa é bonita, o papel utilizado é de alta qualidade, a fonte e espaçamento ficaram confortáveis e a revisão ficou muito boa. Ao início de cada conto existe uma ilustração para retratar o que está por vir.

7 comentários:

  1. Oiii tudo bem?
    Que demais essa resenha gente, eu não conhecia e sou fascinada por livros de terror, principalmente contos, gostei de ver os nomes renomados que ali na obra se encontram. Dica anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Terror não é um gênero que me atrai, mas achei muito legal a forma que você apresentou os contos e amei o trabalho da editora com a capa.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  3. Oie
    que graça de edição e eu sou suspeita para falar pois terror é um gênero que eu curto bastante e sempre estou atenta a novas dicas, com certeza lerei em breve e espero adorar, bela resenha

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Martin Claret melhorando, hein?
    Adoro contos de terror. Dos que têm no livro não li nenhum ainda, mas fiquei bem curiosa com esse do Lovecraft. Nunca consegui ler algo inteiro dele porque acho que ele demora demais pra chegar no ponto e as ambientações infinitas me irritam, mas tô com vontade de ler ao menos esse conto.

    ;*

    ResponderExcluir
  5. Oi. Conheço o livro e qualidade dos textos é realmente inquestionável, adoro contos e a temática também tem se tornado de meu interesse.

    ResponderExcluir
  6. achei a capa bem simples mas a premissa é mega boa,eu quero por causa de lovecraft.

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante da capa e achei a proposta bastante interessante.
    Até!

    Papo Inverso: http://www.youtube.com/channel/UCeQUfVde5W5VCE4rprOyDIA
    Lendo Ferozmente: lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir