[RESENHA #359] DUNA - FRANK HERBERT - Saga Literária

Novidades

sexta-feira, novembro 17, 2017

[RESENHA #359] DUNA - FRANK HERBERT



Título: Duna (Crônicas de Duna #1)
Autor: Frank Herbert

Editora: Aleph
Páginas: 680
Ano: 2017

ISBN: 9788576573135
Onde Comprar:
 Amazon - Saraiva

Sinopse:
 Uma estonteante mistura de aventura e misticismo, ecologia e política, este romance ganhador dos prêmios Hugo e Nebula deu início a uma das mais épicas histórias de toda a ficção científica. Duna é um triunfo da imaginação, que influenciará a literatura para sempre. Esta edição inédita, com introdução de Neil Gaiman, apresenta ao leitor o universo fantástico criado por Herbert e que será adaptado ao cinema por Denis Villeneuve, diretor de A chegada e de Blade Runner 2. 

Resenha: Antes de começar a leitura de Duna, temos mensagens de dois grandes autores de seus respectivos tempos. Primeiro de Arthur C. Clarke, que expressa sua opinião sobre o livro de Frank Herbert da seguinte forma: "Não conheço nada que se compare a este livro, a não ser O Senhor dos Anéis". Já Neil Gaiman, diz que "Duna é o melhor dos grandes romances de ficção científica e o que mais se manteve relevante", o que apenas reforça a importância do livro de Herbert.

Iniciando a leitura, somos levados para um futuro distante, período em que o ser humano habita alguns planetas no universo e tudo é regido e controlado através de um sistema político imperialista, representado pela figura máxima de poder no Imperador Padixá Shaddam IV, que controla e alastra o medo na galáxia por meio dos seus cruéis soldados Sardaukar e dos seus Duques que governam os planetas. Contudo, o imperador depende de uma organização conhecida como Guilda que controla as viagens interplanetárias.

"Não terei medo. O medo mata a mente. O medo é a pequena morte que leva à aniquilação total. Enfrentarei meu medo. Permitirei que passe por cima e através de mim. E, quando tiver passado, voltarei o olho interior para ver seu rastro. Onde o medo não estiver mais, nada haverá. Somente eu restarei." p. 26.

É nesse cenário de planetas e duques que existem as casas menores e as casas maiores ou Casas Nobres de Landsraad, estas últimas possuem riqueza e poder e é justamente nessas últimas casas que vamos acompanhar a saga de uma em especial, a Casa Atreides, liderada pelo influente Duque Leto Atreides, composta por sua esposa Lady Jessica, que é uma Bene Gesserit, integrante de uma ordem religiosa e política puramente feminina. As integrantes dessa ordem passam por árduos treinamentos físicos e mentais, adquirindo dessa forma habilidades especiais. Por fim, temos Paul Atreides o herdeiro de Leto e que recebeu os treinamentos de uma Bene Gesserit, assim como o treinamento dos Mentats que são conhecidos por possuírem grandes capacidades mentais, principalmente no campo da lógica.

Nos primeiros capítulos de Duna vemos que o Imperador Padixá selou o destino da casa Atreides, incomodado com a crescente popularidade da casa, arquiteta um plano para destruir o Duque Leto e todos os seus homens e para isso ele contará com a ajuda do Barão Vladimir Harkonnen, líder da casa Harkonnen inimiga mortal dos Atreides desde a Jihad Butleriana, guerra em que os humanos confrontaram as máquinas. Por meio desse plano maligno, os Atreides são enviados para controlar e comandar o planeta Arrakis, até então sob o julgo dos Harkonnen.

Arrakis também é conhecido como Duna, um planeta árido, desértico e selvagem, detém poucos recursos naturais e a água é escassa. Ao mesmo tempo é um planeta muito cobiçado, pois é em Arrakis que estão localizadas as fontes da especiaria melange, uma droga que permite ao usuário ter uma maior vitalidade, ter os seus níveis mentais como a consciência e percepção aumentada, despertando em alguns seres humanos a presciência, ou seja, o dom da visão. Contudo, é extremamente perigosa a extração e captação da especiaria, tendo em vista que a extração sempre atraí a presença de gigantescas e monstruosas criaturas do deserto conhecidas como vermes da areia. 
Apesar da posição de destaque do planeta no Império Galático devido ao poder econômico da especiaria, percebemos que a vida dos Atreides não será fácil, pois eles encontram um governo sucateado e Leto ao governar Arrakis precisa lidar com outros problemas, com a possibilidade de traição, de invasão dos Harkonnen, com contrabandistas e principalmente com os Fremen, um povo sofrido e que viveu sob o julgo dos Harkonnen por um longo período e é nesse povo que Leto vê a possibilidade de criar uma aliança, pois eles conhecem melhor do que ninguém o planeta Arrakis. Além disso, são extremamente competentes e fortes no campo de batalha, algo que pode ser útil contra o Barão Vladimir Harkonnen. O Duque Leto desconfiando dos planos tramados contra a sua família resolve tomar medidas para proteger seu filho antes que o pior aconteça, porém os cuidados são em vão, já que a traição vem de onde ele menos espera.

"Leto voltou a olhar para fora. O sol branco estava bem alto em seu quadrante matutino. A luz leitosa realçava as nuvens de poeira fervilhantes que transbordavam para os desfiladeiros cegos entremeados na Muralha-Escudo." p. 143.

Nesse cenário de traições, Paul Atreides sofre um atentado que por pouco não tem a sua vida ceifada e é pouco após o atentado que uma grande traição ocorre. É nesse momento que as Tropas Imperiais, os Sardaukar disfarçados em meio aos homens Harkonnen, aproveitam e arrasam todas as defesas dos Atreides na cidade de Arrakina, capturando o Duque Leto e assassinando grande parte das forças militares do Duque. Em face ao cenário calamitoso, Paul e Lady Jessica conseguem escapar em direção ao deserto onde são dados como mortos.

"O rosto dela perdera a cor, mas ela balançava afirmativamente a cabeça. Tudo ficou claro: os ramos partidos de significado que ela vira nas palavras e ações de todos que a cercavam naqueles últimos dias agora poderiam ser traduzidos. Viu-se dominada por uma raiva quase grande demais para refrear. Foi preciso invocar seu treinamento mais profundo como Bene Gesserit para acalmar-lhe a pulsação e tranquilizar sua respiração. Mesmo então, ela sentia o fogo tremular." p. 202.

Vagando pelo deserto com seus trejestiladores (trajes especiais que reaproveitam a água desperdiçada do próprio corpo do usuário), Paul e Lady precisam conviver com as dificuldades como a falta de água e alimento, com a constante ameaça dos vermes. Também precisam se esconder dos ornitóperos, naves utilizadas pelos Harkonnen. Em meio à fuga, Paul e sua mãe, acabam entrando em uma caverna, onde são encontrados e cercados por um grupo de Fremen. É nesse lugar que Paul passa por sua primeira grande prova e depois eles são levados para o seio da sociedade Fremen, onde Lady Jessica e Paul Atreides novamente passam por outras provas.
Paul e Lady Jessica por meio das habilidades, treinamento e inteligência que possuem acabam conquistando posições de destaque na sociedade Fremen, além disso acreditam que a profecia torna-se realidade com a chegada de Paul, pois ele é visto como o messias profetizado há muito tempo, aquele que devolverá Arrakis aos seus dias de glória, aquele que levará os Fremen a deter o controle e poder do planeta. Paul Atreides passa então a ser conhecido como Paul Muad'did e ele deseja e sonha em recolocar a Casa Atreides no seu devido lugar, ao mesmo tempo precisará lutar pela independência dos Fremen, enquanto isso quer evitar um Jihad intergalática que ve em suas visões.

Opinião: Frank Herbert cria uma história colossal, magnífica e rica em detalhes. Duna é uma trama que requer a atenção do leitor já que envolve temas diversos como religião, política, sociedade, ecologia e principalmente a capacidade e sede de viver do ser humano diante de condições árduas e adversas. A religião do Império por exemplo é uma mistura de diversas antigas religiões humanas que foram mescladas e reunidas na chamada Bíblica Católica de Orange, apresentando preceitos que ecoam em diversas correntes doutrinárias e religiosas do nosso planeta Terra.

A narração é realizada em terceira pessoa onisciente, tendo como foco pontos de vista de Paul e Jéssica, mas também em alguns momentos do personagem Barão Vladimir Harkonnen, Gurney Hallack, Thufir Hawat e outros personagens secundários. É muito interessante acompanhar a infância e adolescência de Paul até a fase adulta. Gostei muito de acompanhar os treinamentos de Paul, a relação fraterna entre ele e Gurney Hallack.
A ambientação de Arrakis é incrível, muito real e o autor consegue dar vida a todo um ecossistema gigantesco com descrições detalhadas e minuciosas, nos colocando em meio aos perigos do deserto com os trajestiladores. Outro fato que o autor é digno de receber elogios trata-se da cultura magnífica, fascinante e completa dos fremen que no final das contas mostra-se ser um povo sensato e repleto de sonhos que lutam contra todas as adversidades e durezas da vida para conseguirem um sonho único, uma Arrakis repleta de vida e água.

Destaco os personagens Paul, Leto, Jessica e Gurney, cada um me fascinou de sua forma, seja pela inteligência, sagacidade, tenacidade, pelo desprendimento ou pela frieza calculista e manipuladora. É interessante acompanhar alguns momentos de tensões entre Paul e sua mãe, muito disso devido a forma como Paul foi treinado e moldado para ser quem é. Gostei muito do personagem Gurney Hallack, personagem forte que teve a vida muito difícil desde jovem e que expressa a sua opinião por meio de recitações bíblicas.
Duna é um livro grandioso, envolvente e fascinante, sem sombra de dúvidas trata-se de um dos melhores livros que já li e certamente estpa entre os melhores livros de ficção científica, bem como entre os melhores livros de todos os tempos. Eu assisti o filme Duna dirigido por David Lynch que foi adaptado para o cinema em 1984 e lembro de ter gostado bastante, porém não sei dizer porque demorei tanto para ler esse livro que me cativou e conquistou. Essa leitura, como diz o amigo Jeffa Koontz, é IMPERDÍVEL, e agradeço a você por ter insistido comigo para eu realizar essa leitura, agradeço também ao amigo Marco Aurélio (Leio) por ter me presenteado com esse livro.
Sobre a Edição: A edição está espetacular, o exemplar é em capa dura e ao toque passa a sensação de ser emborrachado. A revisão ficou muito boa, a fonte está em bom tamanho, assim como o espaçamento. O livro conta com algumas artes que enriquecem o projeto gráfico apresentado pela Editora Aleph. Essa edição conta com introdução, apêndice e um glossário com terminologias que facilitam a compreensão do texto.
Sobre o Autor: Frank Patrick Herbert nasceu em 8 de outubro de 1920 na cidade de Tacoma (Washington), Estados Unidos. Herbert foi um autor de ficção científica de grande sucesso comercial e de crítica. Ficou conhecido pela obra Duna, e os cinco livros subsequentes da série. Arthur C. Clarke escreve que Duna foi "uma obra única de ficção... Não conheço nada comparável a ela exceto O Senhor dos Anéis." Herbert recebeu o prêmio Nebula em 1965 com Duna e dividiu o prêmio Hugo em 1966.

16 comentários:

  1. Já li bastante sobre a série Duna e lembro que até baixei uma versão pro meu Kindle que tinha toda a série junta (milhares e milhares de páginas haha). Fiquei bem interessado em finalmente começar a ler a obra depois da sua resenha. Adorei o blog!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Fiquei babando na editoração gráfica desses livros!
    Além de serem de capa dura, a arte é muito bem feita!
    Achei interessante a história.

    beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Yvens!
    Que livro interessante. O autor foi muito feliz em trazer tantos personagens com cargas emocionais bem diversificadas. Pelo que entendi são três livros bem interessantes.
    O projeto gráfico é bem bonito e a capa dura é um grande diferencial.
    Não conhecia esse autor, mas fiquei contente em poder conhecer o desenrolar dessa primeira história.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Não conhecia este livro, e confesso que em uma primeira olhada a capa me assustou, kkkkkk. Adorei a resenha e fiquei curiosa pra ler a obra, principalmente por se passar no futuro. A edição parece estar linda mesmo!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu achei essa sua resenha incrível, não conhecia a obra, mas me pegou completamente, mesmo eu não sendo uma grande fã do gênero. Como você falou, existe uma adaptação de 1984 para o cinema, mas fico imaginando como ficaria incrível que lançassem outro filme baseado nesse livro com os efeitos visuais de hoje, seria show!

    Um beijo, Pri 😘

    Por Amor aos Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá, esse livro me foi indicado e estava no meu carrino de compra, mas acabei ganhando em um sorteio e estou louca para que hegue logo. Ansiosa para começar a ler. Adorei sua resenha. Bjus

    Jis Rocha
    Blog Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  7. Essas edições são lindas! Fiquei babando, por mais que o livro tenha um enredo surpreendente e convincente quem sabe eu deixarei para assistir apenas os filmes, sei que seria uma ótima pedida também!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Tenho certeza pelo que li da resenha que Duna vai ser uma leitura diferente para mim (dica anotadíssima)
    Estou um pouco cansada mesmice literária em que estou.
    E você ainda instiga dizendo ser o melhor livro que leste (preciso entender melhor porquê)
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Nossa, eu quero esse livro!!! Lembro de todas as vezes que eu assisti ao filme, era um dos que eu mais gostava de ver com o meu irmão quando éramos mais novos. Gostei de conhecer o livro - que eu nem sabia que existia -, espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu não sou muito ler ficção científica, mas confesso que sempre fico de olho nesse livro quando passo por ele em alguma livraria, porque acho a capa linda demais.
    Confesso que, mesmo sua resenha estando super completa, achei a trama um tanto confusa e não sei se eu teria muita paciência. Como você falou, acredito que esta seja uma leitura que requer muita atenção, já que envolve tantos temas.
    Fico feliz que você tenha gostado tanto da leitura, e talvez um dia eu resolva tentar ler. No momento, é algo muito fora da minha zona de conforto e não sei se tenho a paciência necessária para arriscar. Mas adorei sua resenha e vou deixar a dica anotada para ler futuramente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Não conhecia, mas não me chamou a atenção. Enfim, pra quem gosta do gênero, é uma leitura e tanto. Adorei a capa!

    ResponderExcluir
  12. Ola,eu não tinha conhecimento sobre o livro, mais eu passo essa dica. Eu não gosto de ficção cientifica.

    ResponderExcluir
  13. Eis um livro que desejo muito ler, ainda não tive a oportunidade pq sempre está caro. Mas, depois da sua completa resenha estou desesperada aqui hahaha. Me empresta o seu? rs
    Ficção cientifica de qualidade é difícil, por isso temos que valorizar os bons, especialmente quando é um clássico.
    Elisabete Silva
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Não conhecia o livro e nem o autor, mas achei bem interessante, embora não tenha nada haver com meu tipo de leitura. Mas achei a premissa legal, e sua resenha ficou perfeita, muito bem escrita, parabéns.
    A capa do livro é muito linda.

    ResponderExcluir
  15. Olá, adorei a resenha.

    Confesso que embora eu tenha ouvido falar sobre os livros em alguns grupos que frequento, eu não conhecia essa série.

    Achei bem interessante a premissa.

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. quero muito ler desde que vi o lançamento. essa capa é incrível e me lembra um filme de terror e um episódio de Caverna do dragão kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk a premissa é promissora, espero poder adquirir e ler o quanto antes...
    bjs :D

    ResponderExcluir