[RESENHA #369] AS AVENTURAS DE TOM SAWYER - MARK TWAIN - Saga Literária

Novidades

quinta-feira, novembro 30, 2017

[RESENHA #369] AS AVENTURAS DE TOM SAWYER - MARK TWAIN

Título: As Aventuras de Tom Sawyer
Autor: Mark Twain
Editora: Autêntica
Páginas: 240
Ano: 2017
ISBN: 9788551302859
Onde comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Órfão desde bebê, Tom Sawyer vive com a sua tia Polly, seu irmão, Sid, e sua prima, Mary, num vilarejo às margens do rio Mississipi, nos Estados Unidos. Menino de bom coração, de bom caráter, Tom é também muito levado e esperto, e vive aprontando, sozinho ou com seu melhor amigo Huckleberry Finn, um garoto que mora nas ruas, dorme em barris vazios e como o que lhe dão. O tempo todo, os dois vivem aventuras emocionantes, na maioria das vezes, imaginárias. Frequentam cavernas, cemitérios, casas mal-assombradas e ilhas desertas. Brincam de pirata, de pele-vermelha, de Robin Hood, caçam tesouros, planejas formar uma gangue de ladrões e ficar ricos. E é numa dessas brincadeiras que suas aventuras se tornam bem reais e assustadoras. Considerado uma dos mais importantes clássicos da literatura para crianças e jovens, As Aventuras de Tom Sawyer permanece no imaginário de inúmeras gerações, desde a publicação original, em 1876, até os dias de hoje.

Resenha: Tom Sawyer nunca foi bobo nem nada. Garoto esperto e malandro, criado às margens do rio Mississipi com o seu irmão mais novo Sid e sua prima Mary, Tom sempre encontrava uma forma de ludibriar sua tia Polly e deixar de levar uma sova daquelas ou ficar de castigo, sempre conseguindo fugir. Era junto de seus amigos que o garoto entrava em várias enrascadas e confusões, mas também se aventurava por trilhas, rios e grutas da redondeza, deixando sua tia aflita.

Mas aquela semana parecia que as coisas não iriam dar muito certo para ele. Em um dia qualquer, mais para o final da tarde começo da noite, Tom estava praticando seu assovio que havia aprendido ainda naquela tarde, quando se interrompeu com a chegada de um novo garoto ao pequeno vilarejo de São Petersburgo. Já de cara, Tom arrumou confusão com o garoto novo, que era bem vestido demais para os padrões do vilarejo. Tom o provocou e os dois acabaram rolando no chão brigando.

"Tom seguiu o traidor até a casa dele e, desse modo, descobriu onde o garoto morava. Depois, ficou perto do portão por algum tempo, desafiando o inimigo a sair de novo, mas este apenas fez caretas para ele através do vidro da janela e em seguida desapareceu." p. 18.
Por mais esperto que Tom fosse, naquele sábado não teve como escapar do castigo que a tia Polly havia lhe imposto durante a semana, um castigo muito chato. Tom teria que pintar a cerca de casa. Mas, ainda assim, Tom, tinha seus rompantes de inteligência e foi tão engenhoso que no final do dia, conseguiu ter a cerca pintada, não por ele, e ainda havia conseguido aumentar consideravelmente seu bens materiais.

"Tom entregou o pincel com uma expressão de dúvida no rosto e, por outro lado, com alegria no coração. E enquanto aquele que ainda há pouco era o Big Missouri trabalhava e suava sob o sol, o artista descansava, sentando sobre um barril, à sombra, com as pernas cruzadas, mastigando uma maçã e planejando golpes contra mais vítimas inocentes." p. 23.

Tom aproveita a sua infância junto com Huckleberry Finn, um garoto que mora na rua e tem um pai ausente, já que é alcoólatra. Huck é desprezado por andar com roupas velhas e sujas, mas Tom o vê como um verdadeiro amigo e jamais o julga pela aparência. Juntos, viviam as maiores aventuras imaginárias.

"Hucleberry ia e vinha à vontade. Quando o clima estava bom, dormia nos degraus da fachada de alguma casa; e quando chovia, passava a noite dentro de barris. Não tinha de ir à escola nem à igreja, nem de chamar ninguém de senhor ou obedecer a alguém; podia nadar e pescas quando e onde quisesse, e ficar ali o tempo que desejasse." pág.53.
Becky Thatcher é a garota nova da escola por quem Tom fica apaixonado. Faz as maiores bobagens para poder se mostrar para ela. Até que por uma ironia na escola, ele se senta pertinho dela e consegue se declarar. Becky e Tom se encontram em um intervalo do meio dia e ele acaba por pedir que ela seja sua noiva. Mas Tom acaba sempre fazendo alguma besteira e estragando tudo.

"Tom tentou pôr o braço em volta do pescoço de Becky, mas ela o afastou, virou o rosto para a janela e continuou a chorar. Ele tentou outra vez, dizendo palavras carinhosas, mas foi rejeitado novamente." pág.65.

Depois de ter se refugiado na floresta e se divertido com seu amigo Joe, Tom foi para casa e, como de costume, as 09h30 já estava na cama. Quando todos já estavam dormindo, Tom, saiu para se encontrar com Huckleberry Finn e juntos irem ao cemitério. E foi no meio dessa grande aventura que os meninosse depararam com uma grande e assustadora situação. Ambos testemunharam algo que mudaria suas vidas para sempre.
Opinião: As Aventuras de Tom Saywer é narrado em terceira pessoa, muito bem escrito e fluido. Mark Twain preza pela simplicidade o que deixa tudo bem fácil de compreender, levando-se em conta que é um livro infanto-juvenil. O autor deixa claro a inocência e ingenuidade dos personagens, principalmente de Tom Saywer, algo que define bem a história, pois o protagonista apesar de apresentar algumas atitudes e condutas "cruéis", na verdade é um garoto de bom coração. Essa inocência que está presente no enredo não é algo que possa ser encontrada facilmente nos livros voltados para as crianças e adolescentes atualmente, isso fica claro pelas brincadeiras de Tom e seus amigos, algo que demonstra a realidade pobre dos garotos, a inexistência de brinquedos, onde tudo se resumia a criatividade dos garotos em se aproveitarem do imaginário ou das coisas que os cercavam. Mark Twain ainda abre espaço para criticar a ganância e a hipocrisia que estão presentes no ser humano. Mas também é muito bacana ver a inocência explicita das crianças que permeia toda a história.
Seja o personagem principal ou os secundários, Twain nos mostra como era bom, inocente e saudável as brincadeiras das crianças e adolescentes daquela época. O amor, a camaradagem, o espirito de aventura e o caráter são explicitamente utilizados para dar valores As Aventuras de Tom Saywer. Obviamente, como disse antes, a parte falha do ser humano também é explorada para mostrar que nem tudo são flores, mas isso também, de certa forma, só fortalece a mensagem de bondade, amizade e amor que é passada nessa ótima história. Não tem como não dizer que As Aventuras de Tom Saywer, um clássico absoluta da literatura infanto-juvenil, é um livro IMPERDÍVEL e, todos deveriam ler!
Sobre a Edição: As Aventuras de Tom Sawyer de Mark Twain, publicado pela editora Autêntica, vem no formato brochura com papel amarelado, fontes bastante agradáveis e com uma capa muito bonita, além da história conter ilustrações de True Williams. Realmente, uma edição muito bonita e robusta. Agradeço imensamente a editora Autêntica pelo envio do livro.

Sobre o Autor: Samuel Langhorn Clemens, conhecido como Mark Twain, nasceu na Florida, no dia 30 de novembro de 1835. Twain foi um escritor estadunidense e cresceu às margens do rio Mississipi. Ele foi um aventureiro e utilizou da suas próprias experiências pessoais como inspiração para escrever seus livros e ensaios. Aos doze anos Mark perdeu seu pai e largou os estudos para começar a trabalhar como aprendiz de topógrafo numa editora, foi lá que começou a escrever os seus primeiros artigos jornalísticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário