[RESENHA #356] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 07 - GLENN MILLER - Saga Literária

Novidades

terça-feira, novembro 14, 2017

[RESENHA #356] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 07 - GLENN MILLER

Título: Coleção Folha Lendas do Jazz
Artista: Glenn Miller
Autor: Carlos Calado
Editora: Folha de São Paulo
Ano: 2017
Páginas: 48
ISBN: 9788579493058
Onde comprar: Livraria da Folha

Sinopse: No ano em que se comemora o centenário das primeiras gravações de jazz, a Folha lança uma coleção com obras de 30 dos maiores artistas desse gênero musical. De cultuados cantores a conceituados compositores e instrumentistas, a Coleção Folha Lendas do Jazz oferece um extenso panorama do que já se produziu de melhor nessa música que valoriza a improvisação.

Resenha: Alton Glenn Miller, nasceu em 01 de março de 1904, em Clarinda, Iowa. Se interessou pela música ainda criança quando começou a dedilhar um mandolin, comprado por seu pai. Ao dez anos de idade, Glenn conseguiu um velho trompete e muito empolgado, começou a praticar todos os dias. Em 1916, juntou-se a banda da cidade e trocou o trompete pelo trombone. Como não estava indo bem nos estudos, decidiu largar a universidade e se profissionalizar como músico. Mudou-se para Los Angeles, onde conseguiu seu primeiro emprego como músico na big band de Bem Pollack, onde também atuou como arranjador.

"Chegou um ponto em que eu e o pai ficávamos pensando se ele daria certo em alguma coisa." p. 12.
Quatro anos se passaram e Miller foi para Nova York, casando-se com Helen Burger, com quem teve dois filhos. Passou seis anos trabalhando como músico de estúdio e arranjador free lancer para nomes como Gene Krupa, Eddie Condon, Coleman Hawkins e Benny Goodman. Em 1934, Glenn foi contratado como diretor musical, trombonista e arranjador da Dorsey Brothers Orchestra. Logo em seguida foi incumbido de organizar a orquestra de Ray Noble, quando este resolveu se mudar para os Estados Unidos. Foi nessa época também que Miller começou a estudar com o professor de teoria musical Joseph Schillinger, que influenciou todo seu método de composição e arranjos musicais.

"Uma banda precisa ter um som interiramente próprio. Precisa ter personalidade, disse mais tarde, Glenn Miller." p. 19.

Em 1935, Miller finalmente consegue gravar pela primeira vez como líder para a Columbia, mas foi um fiasco de vendas. Então decidiu garantir seu emprego com a Noble Orchestra. Dois anos depois, já com sua própria banda, gravou para a Brunswick, mas novamente não conseguiu nada. Irritado, dispensou sua banda e montou outra orquestra em Nova York.

Glenn conseguiu sua grande virada em 1939, quando fez uma temporada de shows no cassino Glen Island, onde eram transmitidos pelo rádio e em pouco tempo a banda de Miller bateu recordes de audiência em toda a costa leste dos Estados Unidos. Para ajudar ainda mais sua exposição, Miller foi convidado a tocar na casa mais importante e clássica do país, o Carnegie Hall. Seus discos também começaram a quebrar recordes de vendas. Glenn Miller chegou a emplacar em um único ano, 31 canções no top tem, algo como 3 músicas por mês.
Glenn Miller também brilhou no cinema onde apareceu em várias cenas do filme "Quero Casar-me Contigo", onde foi lançada a música de maior sucesso de Glenn Miller, "Chattanooga Choo-Choo", que também foi indicada ao Oscar como melhor canção. A canção vendeu mais de 1,2 milhão de discos e inalgurou uma tradição no mundo fonográfico: O disco de Ouro.

"Nós decidimos que Glenn deveria receber um troféu. O melhor que pudemos imaginar foi uma gravação em outro de "Chattanooga." p. 25.

Mas as coisas iriam esfriar um pouco para Glenn Miller, em relação ao seu sucesso nas rádios, pois com a guerra, ele acabou sendo convocado para servir em 1942. E foi com a Glenn Miller Army Air Force Band que em menos de um ano, fez mais de oitocentas apresentações, das quais quinhentas tiveram transmissões radiofônicas.

A grande tragédia se deu no dia 15 de dezembro de 1944, quando Glenn Miller com o intuito de fazer os preparativos de uma turnê pela Europa, embarcou em um avião e desapareceu sobre o canal da Mancha, encerrando uma carreira curta mas de grande sucesso e deixando um legado musical que perdura até os dias atuais.
Opinião: Quem gosta de orquestra, gosta de Glenn Miller. Indubitavelmente, ele foi o rei durante o seu curto período de sucesso entre as big bands que brilharam na época de ouro. Foi muito interessante saber um pouco mais desse icônico músico tão adorado pelos fãs e também desprezado por vários músicos de jazz, que não o categorizam como jazzista, dizendo até que como instrumentista era bem medíocre. Mas o fato é que Glenn Miller fez um sucesso tremendo e esse sucesso ainda ecoa nos dias de hoje. A Folha nos presenteia com gravações fantástica e inclusive a música que mudou os parâmetros de graduação de sucesso no meio fonográfico, "Chattanooga Choo-Choo. Outras tão conhecidas do público também estão presentes como In the Mood e Moonlight Serenade, por exemplo. Realmente uma bela seleção para relembrar ou conhecer esse que foi um dos mais brilhantes músicos que a história do jazz já teve o prazer de conhecer. Glenn Millher é espetacularmente IMPERDÍVEL.


Sobre a Edição: A Coleção Folha Lendas do Jazz, segue o formato já conhecido da editora e é vendido, principalmente, na bancas de jornal de todo o país, mas também pode ser encontrado na loja da folha pela internet. A coleção é apresentada no formato tradicional do cd/livro, com uma arte muito bonita na capa e a lombada é fragmentada, formando uma cena no final da coleção, muito bacana.
O material é de primeiríssima qualidade, com a capa dura e brilhante e papel interno em couché brilhante também. Em resumo, exatamente como um cd deveria ser. O livro é recheado de fotos e sua fonte é bastante agradável. No final de cada edição, existe um glossário de termos utilizados, uma seção denominada "Frases", recomendações para ler, ouvir e assistir, o repertório do cd e uma breve descrição do autor Carlos Calado. Realmente, uma coleção que vai agradar tanto aos experientes como aos novatos nesse mundo tão maravilhoso chamado, JAZZ!
Agradeço imensamente a Editora Folha por ter me enviado essa coleção, pois esta me proporcionando ótimos momentos de nostalgia em relembrar todos esses maravilhosos, saudosos e incomparáveis artistas da música. Leitores, a Coleção Folha Lendas do Jazz é ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL!!.

Nenhum comentário:

Postar um comentário