[RESENHA #376] O PRINCÍPIO DO FIM | APOCALIPSE Z #1 - MANEL LOUREIRO - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

sexta-feira, dezembro 08, 2017

[RESENHA #376] O PRINCÍPIO DO FIM | APOCALIPSE Z #1 - MANEL LOUREIRO


Título: O Princípio do Fim (Apocalipse Z #1)
Autor: Manel Loureiro
Editora: NoBolso (Planeta de Livros)
Páginas: 300
Ano: 2017
ISBN: 9788542210880
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Primeiro volume da trilogia de horror com mais de 500 mil leitores no mundo, agora pela editora No Bolso. Em uma pequena cidade espanhola, um jovem advogado leva uma vida sem surpresas. Um dia, porém, começa a ouvir notícias sobre um incidente médico ocorrido no Cáucaso. Apesar de aparentemente corriqueiras, as notícias chamam tanto sua atenção que ele resolve registrar suas impressões. Aos poucos, aqueles acontecimentos incomuns ocorridos em um país distante começam a se espalhar por toda a Europa, então tomada por estranhas criaturas que mais parecem mortos-vivos. 

Resenha: Apocalipse Z: O Princípio do Fim foi escrito pelo advogado espanhol Manel Loureiro e a trama inicialmente se passa na região da Galícia, Espanha. Narrada em primeira pessoa, acompanhamos a história através das anotações de um advogado (sem nome) que relata as suas rotinas em um blog.  Tudo que o protagonista possui em sua vida é um gato persa, que serve como companhia e ajuda na terapia, já que ele vive em meio ao luto pela perda da esposa. Além do gato, ele possui uma irmã e os pais que vivem em cidades distantes, porém estão presente em sua vida.

"Hoje vai ser um dia de maluco. Nesta manhã, quando acordei, chovia copiosamente, e continuava chovendo um pouco mais tarde, enquanto eu preparava uma xícara de café. Com o som de fundo das notícias de rádio, fui tomar um banho." p. 11.

Logo de cara sabemos que há indícios de algo errado acontecendo em algumas cidades da Rússia. Com o passar do tempo, a situação se agrava e o que supostamente parecia ser uma rebelião de algum grupo militar extremista, ganha maiores proporções devido ao terror. Alguns países começam a fechar as suas fronteiras, outros decretam estado de sítio e não demora muito para que Pontevepedra, a cidade do protagonista seja envolvida e afetada. O toque de recolher é implementado e fica no ar a sensação de medo e angústia, o caos é instaurado, mas o advogado antecipa-se e prepara-se para sobreviver o tempo que for necessário, instalando um sistema próprio de geração de energia elétrica e estocando comida em casa.
Aos poucos o Presidente do Governo Espanhol solta comunicados na TV para tranquilizar a população e promete que tudo vai ficar bem. Mas, pouco depois o sinal de transmissão da TV é cortado, o sinal da internet é cortada e as poucas informações são obtidas por meio das frequências de rádio. O pior momento é quando chegam os não mortos (zumbis), pois eles são violentos e todos ficam chocados. O protagonista fica isolado com seu gato Lúculo e com um vizinho, porém esse isolamento não dura para sempre, assim ele precisa criar um plano de fuga para encontrar outros sobreviventes. Contudo, a guerra entre os vivos e os não-mortos/zumbis só está começando.

"A loja estava escura, muito escura, quando entramos nela pisando em vidros quebrados. A noite estava caindo rapidamente e a luz de fora também era cada vez mais escassa. Uma fina chuva, prelúdio de uma tempestade, começava a cair nesse momento, encharcando tudo que não estivesse coberto. Com o som das gotas batendo no chão fomos entrando em fila indiana pelo buraco aberto, muito cautelosamente." p. 176.

Opinião: A narrativa em O Princípio do Fim é realizada em primeira pessoa, algo que nos permite vivenciar o clima de suspense e terror que permeia o cotidiano do protagonista e também a cidadezinha de Pontevepedra. Acompanhamos de perto e vivenciamos toda a preocupação, desespero e angústia do personagem principal, mas também existe alguns momentos leves na narrativa em que rimos de situações inusitadas.
Manel Loureiro leva ao leitor um enredo com muitos momentos de ação e reviravoltas. As descrições que o autor tece sobre os "não-mortos" são detalhadas. Outro fato interessante e que está de acordo com um "apocalipse zumbi" é a visceralidade, pois mutilações, sangue e tripas estão em sua narrativa. Esses elementos nos ajuda a imaginar e recriar os cenários em que somos conduzidos. A cena que mais me despertou atenção foi uma situada em um hospital, pois existe todo um clima de desesperança e desamparo.

O protagonista foi bem construído por Manel Loureiro, pois ele expõe os seus sentimentos, acompanhamos isso por meio do seu diário/blog. Ele é também um homem solitário, tendo como companhia do seu gato Lúculo. Essa relação por sinal é muito legal de acompanhar e serve como um alívio em meio as preocupações do personagem, mas também diante de todo o cenário de horror. Outro fato interessante e positivo é que Loureiro dá aos seus personagens um toque de humanidade, retratando elas em meio a esse cenário apocalíptico, sem taxá-los como vilões ou heróis, e sim como meros seres humanos em que o instinto da sobrevivência fala mais alto. Adorei a leitura e mal posso esperar pelos próximos volumes. Super recomendo!
Sobre a Edição: O Princípio do Fim ganhou uma nova edição, agora pelo selo NoBolso da Planeta de Livros (a editora publicou anteriormente a trilogia Apocalipse Z). A edição é de bolso, não conta com orelhas, as folhas são brancas, a fonte está de acordo para uma edição de bolso, o espaçamento está de bom tamanho e a revisão ficou muito boa. Os capítulos são curtos e isso facilita a leitura. O diferencial fica por conta da capa, achei maneira nessa cor de sangue e com um zumbi ao fundo, nem preciso dizer que retrata o clima da história (rssss).
Sobre o Autor: Manel Loureiro nasceu em Pontevedra, em 1975. Estudou e formou-se em Direito pela Universidade de Santiago de Compostela. Nesse período em que estudava, trabalhou na TV como apresentador de diversos programas e, posteriormente, como jornalista. Foi nesse período como jornalista que começou a escrever o livro Apocalipse Z - O Princípio do Fim. Esse é o seu primeiro romance e tornou-se um fenômeno. Atualmente, ele mora e trabalha em Pontevedra, na Espanha.

6 comentários:

  1. Não vou mentir, não é muito bem o meu tipo de leitura não. Parece ser um livro interessante, mas não é o meu gênero.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Yvens, tudo bem?

    Menino, não sou muito fã de leituras com zumbis, mas achei tão legal sua resenha, que fiquei curiosa. Eu gosto de livros cuja história acompanhamos através de relatos dos personagens, como em cartas ou diários. Acompanhar a vida do protagonista através de seu blog deve ser bem legal.
    Se surgir a oportunidade, vou querer ler, sim!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu amo essa temática de apocalipse zumbi, é o meu tipo preferido de fim do mundo, hahahaha. Fiquei com muita vontade de ler essa história!
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  4. Iiiiiih Já quero ler!
    Adoro livros de zumbis e o fato da narrativa ser história através das anotações e relatos em um blog, me deixou super empolgada. Adoro esse tipo de narrativa,pois fica tudo mais real.
    Anotado a dica!
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Eu AMO zumbis! Nem acredito que não conhecia esse livro ainda! Parece ser muito legal e bem escrito, além disso a capa está um arraso!
    Quero muuuuito!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  6. Olá tudo bem? me parece ser uma leitura forte, não conhecia o livro nem a autoria, mais se tratando de horror eu tenho poucas experiências, gostei de forma geral acredito se uma leitura que realizaria, até breve!

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad