[RESENHA #385] KINDRED: LAÇOS DE SANGUE - OCTAVIA E. BUTLER - Saga Literária

Breaking

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

[RESENHA #385] KINDRED: LAÇOS DE SANGUE - OCTAVIA E. BUTLER



Título: Kindred - Laços de Sangue
Autora: Octavia E. Butler
Editora: Morro Branco
Páginas: 448
Ano: 2017
ISBN: 9788592795207
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Em seu vigésimo sexto aniversário, Dana e seu marido estão de mudança para um novo apartamento. Em meio a pilhas de livros e caixas abertas, ela começa a se sentir tonta e cai de joelhos, nauseada. Então, o mundo se despedaça. Dana repentinamente se encontra à beira de uma floresta, próxima a um rio. Uma criança está se afogando e ela corre para salvá-la. Mas, assim que arrasta o menino para fora da água, vê-se diante do cano de uma antiga espingarda. Em um piscar de olhos, ela está de volta a seu novo apartamento, completamente encharcada. É a experiência mais aterrorizante de sua vida... até acontecer de novo. E de novo. Quanto mais tempo passa no século XIX, numa Maryland pré-Guerra Civil – um lugar perigoso para uma mulher negra –, mais consciente Dana fica de que sua vida pode acabar antes mesmo de ter começado. “Impossível terminar de ler Kindred sem se sentir mudado. É uma obra de arte dilaceradora, com muito a dizer sobre o amor, o ódio, a escravidão e os dilemas raciais, ontem e hoje” – Los Angeles Herald-Examiner

Resenha: Estamos no ano de 1976 e conhecemos Dana, uma mulher moderna, independente, que acabou de casar. No seu aniversário de 26 anos, Dana e seu marido Kevin estavam organizando os livros no novo apartamento, ela não queria comemorar o aniversário, estava cansada da mudança e praticamente tudo estava empacotado. É nesse momento que ela começa a sentir um mal-estar, uma forte tontura, náuseas e sua visão fica embaçada. Em questão de segundos, Dana misteriosamente some de casa, ela é transportada para um local totalmente novo aos seus olhos, ela se encontra ajoelhada em uma floresta, à beira de um rio, onde vê uma pequena criança afogando.

"Eu me abaixei para empurrar mais uma caixa cheia para ele, mas me levantei depressa quando me senti zonza, enjoada. A sala toda ficou borrada e escura. Fiquei de pé por um momento, apoiada em uma estante, tentando entender o que estava acontecendo e, por fim, caí de joelhos. Ouvi Kevin reagir sem palavras, mas com um ruído de surpresa [...]." p. 22.
Dana resolve prestar socorro ao garoto, resgata-o do rio e realiza respiração boca a boca com o intuito de ressuscitá-lo enquanto ignora os fortes protestos de uma mãe transtornada que a acusa de ter matado seu filho, além disso Dana vê um homem portando uma longa e mortal espingarda que ameaça a sua vida. Logo após salvar a vida do menino, Dana volta a sentir o misterioso mal-estar que a tirou de casa e quando percebe, ela está de volta, na presença do marido. Poucas horas depois, Dana novamente sente o mesmo inconveniente mal-estar e viaja mais uma vez para um local misterioso. Ela está em uma casa, em um quarto antigo, o que parece ser de alguma construção muito antiga. 

Dana começa a perceber que está no passado e nesse quarto ela dá de cara com o garoto que resgatou do rio e salvou, só que agora ele está um pouco maior, parece que para ele os anos passaram. O garoto é Rufus, filho de um fazendeiro e proprietário de escravos. O problema é que agora o garoto colocou fogo na cortina do próprio quarto, colocando em risco sua vida. Pelo que parece, ele fez isso para poder chamar a atenção de seu pai e também para deixá-lo com muita raiva. Dana começar a perceber que essa é a segunda vez que ela retorna ao passado e isso acontece toda vez que Rufus está em perigo, correndo o risco de morrer e ela é enviada para salvar ele.

"Corri de novo, dessa vez em direção às árvores. Não sabia aonde estava indo, mas os barulhos do homem atrás de mim me fizeram avançar em ziguezague. Agora, eu desejava encontrar uma mata mais densa onde eu pudesse me embrenhar." p. 67.
Dana não entende o motivo de ficar voltando no tempo para ficar salvando o garoto Rufus, até que descobre em um antigo livro na sua casa, comprovando que ele é um dos seus descendentes mais antigos, na verdade, ela descobre que sua família tem origem nesse garoto. Contudo, Dana é uma mulher negra e Rufus é branco, para piorar a situação, Dana volta para o sul dos EUA em um período que a escravidão estava no auge, quando os negros eram brutalmente castigados e caçados como animais. Rufus por outro lado não entende como Dana aparece para tira-lo dos problemas, mas ele começa a ter simpatia por ela.

Rufus parece ser um garoto agradável aos olhos de Dana, ele em princípio não aparenta ter preconceitos, tem como amiga Alice, uma garota negra que nasceu livre, que Dana descobre ser uma de suas ancestrais, na verdade sua tataravó. Com o passar do tempo e suas diversas voltas no tempo, Dana acompanha o crescimento de Rufus e tenta educá-lo de forma que ele não maltrate os negros. Porém, com o passar do tempo Rufus vai se assemelhando ao pai, tendo os mesmos comportamentos cruéis que ele dispensa aos negros, enxergando estes como mercadorias e não como seres humanos e iguais. É em uma dessas voltas ao tempo que Kevin consegue acompanhar Dana e tem a missão de ajudá-la a educar Rufus. Kevin é um homem branco e sua adaptação é mais tranquila que a de Dana por não ter inúmeras limitações, porém ele deve demonstrar para todos que Dana é sua escrava, ele precisa à contragosto mentir e não pode falar que ela é sua esposa.

Quando a vida de Dana é colocada em risco no passado, ela volta para o presente e ela tem uma terrível experiência que a traz de volta para o ano de 1976, porém o seu marido fica no passado, por volta do ano de 1820, pois não dá tempo de ele se agarrar a ela. Dana fica desesperada e espera por outro momento de mal-estar e tonturas, mas essas experiências que apareciam ao longo do dia não voltam a acontecer, somente após 8 dias no tempo de 1976 que ela voltar a sentir um mal-estar e é levada de volta ao século XIX, mas no passado passaram-se cinco anos e seu marido não está mais na fazenda, tendo em vista que Dana não voltava, ele foi explorar o norte e ela fica desesperada. Rufus está adulto e aquela inocência não faz mais parte do seu ser, ele se torna um homem bruto e cruel. Enquanto precisa manter Rufus vivo para que a sua linhagem seja mantida intacta, ela precisa lutar para sobreviver em meio a tempos brutais enquanto espera pelo retorno do seu marido.

"Olhei para ele, era mais alto do que eu agora, e não vi nada além de curiosidade em seus olhos. Se meu desaparecimento o havia assustado, o medo já não existia há muito tempo. Fique contente com isso. Queria sua amizade." p. 215.
Opinião: Essa é a minha primeira experiência com a escrita de Octavia Butler e posso dizer que foi incrível, Kindred foi um livro que devorei em apenas dois dias, no início de dezembro, mas só agora consegui de fato resenhar. A autora é direta e não fica enrolando ou fantasiando. Ela conduz Dana por caminhos árduos em que precisa lutar pela própria sobrevivência em meio ao tempo da escravidão, enquanto deve manter viva uma pessoa cruel e odiosa para que a sua própria família e descendentes não sejam riscados do tempo. A autora nos demonstra toda a crueldade que o ser humano é capaz de cometer, mostra a indiferença do homem branco com o próximo, com o seu igual, todo o ódio que o homem branco causou ao homem negro, tudo por causa da cor da pele, algo que é extremamente triste na história da humanidade.

Os personagens apresentados ao longo da trama pela autora são bem construídos, possuem profundidade e são complexos. Devido ao lapso temporal, as viagens no tempo propriamente dita, nos é possível acompanhar as mudanças comportamentais, as mudanças no caráter e personalidade deles ao longo do tempo. O personagem que sofre mais mudanças e nos apresenta várias facetas ao longo do tempo é Rufus. Este em sua fase adulta apresenta condutas cruéis e reprováveis, suas intenções são dúbias e podemos questionar o quanto foi influenciado pelo o meio em que vive.
A autora aborda de forma muito real o racismo, a crueldade e sofrimento que os negros precisam enfrentar. A autora nos dá um soco no estômago, a leitura de Kindred foi uma experiência impactante. Esse livro é uma leitura essencial e nos faz refletir sobre a importância da vida, sobre a importância das pequenas coisas da vida que deixamos passar despercebido. Sobre as escolhas que fazemos com o nosso tempo e sobre tudo o que ocorreu no passado. Sobre as mulheres e homens que sofreram, sobre todos aqueles que no passado eram tratados como animais e não tinham nenhuma escolha sobre o que fazer com a própria vida. Recomendo Kindred para todos, é uma leitura tocante, triste, emocionante e envolvente! Agradeço a Editora Morro Branco por ter enviado o livro.
Sobre a Edição: O projeto gráfico de Kindred só demonstra toda a competência, qualidade e cuidado que a Editora Morro Branco dá aos seus livros. A edição é em capa dura e contém duas mãos em alto-relevo, as folhas são amareladas, os capítulos são relativamente curtos, a fonte e espaçamento estão confortáveis. Não encontrei erros na revisão, a edição conta com um marcador em fita de cetim. O livro conta ainda com extras e informações sobre a autora.
Sobre a Autora: Filha de um engraxate e uma empregada doméstica, a Grande Dama da Ficção Científica nasceu na Califórnia, em 1947. Aos 12 anos, assistiu ao filme "A Garota Diabólica de Marte", que era tão ruim, mas tão ruim, que mudou completamente sua vida. Octavia decidiu que contaria histórias melhores do que aquela e assim começou sua jornada como escritora. A autora precisou lutar contra a pobreza, a dislexia e o racismo para receber um diploma universitário e foi a primeira mulher negra norte-americana a conquistar o sucesso em uma área da literatura dominada por homens: a ficção científica. Durante a sua carreira Octavia foi laureada com o MacArthur Fellowship e venceu os prêmios Hugo, Nebula e Locus Awards. Em 2010, quatro anos após sua morte, foi inserida no Hall da Fama da Ficção Científica, em Seattle.

16 comentários:

  1. Não conhecia o livro e nem a autora, mas o enredo em si não me interessou muito. Esta história de do nada ser transportada para o passado, ou para outro lugar não me convenceu muito.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Eu amo esse negócio de viagem no tempo! hahaha Até me interessei por conta disso, mas acho que não leria por conta da temática da escravidão, e por você ter dito que o livro nos mostra as crueldades da época. Me pareceu ser uma leitura bem pesada, e por isso vou passar a dica.

    Um beijo, Pri :*

    Por Amor aos Livros

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bom?
    Cara, eu tô louca pra ler esse livro! A temática me chama muito a atenção, e eu amo histórias com viagens no tempo. Sou fã de Outlander, Doctor Who, então já dá pra imaginar, né? Adorei essa capa também, tão simples mas grita significado. Amei seu post!

    ResponderExcluir
  4. Oii
    Tenho muita curiosidade em ler esse livro, imagino que deva ser incrível mesmo, não vejo a hora de ler. Amei a resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  5. É a primeira vez que leio a resenha sobre essa obra e a leitura me pareceu interessante. Certamente será uma boa reflexão sobre a vida e a maneira como vivemos! Essas viagens no tempo me lembrou o filme, De volta para o futuro. Não conhecia a autora!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Olá Yvens,
    Adorei sua resena e posso dizer que sentimos o mesmo ao longo da leitura. Adorei a Dana e a forma como a Octavia foi direta. Eu também devorei o livro em dois dias, mas consegui escrever a resenha rápido, eu queria que todos lessem. Indico demais esse livro e espero reler muito em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Yvens. Eu ainda não conhecia o livro e adorei poder conhecer um pouco sobre a obra através desta tua resenha. Fiquei interessada em também realizar a leitura.

    ResponderExcluir
  8. Oiii Yvens

    Eu achei a edição da Morro branco maravilhosa, tenho três livros deles e são impecáveis. Kindred quero ler futuramente, me parece ser uma história intensa, complexa e imprevisivel, um testemunho que vale muito a pena ler.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu nunca li nada dessa editora e essa é a segunda resenha que leio sobre os últimos lançamentos que me chamaram atenção. Toda essa temática de voltar no tempo e seguir para um caminho a ser solucionado de forma diferente é muito interessante, principalmente para analisarmos as atitudes do ser humano.
    Além da narrativa ser intensa e bem escrita compreende-se o fato de você ter lido em pouco tempo.
    Vai pra lista com certeza.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    É a primeira vez que leio sobre a obra e a autora. Achei bacana a história de viagem no tempo, lembrou um pouco Outlander (que não li), mas acredito que o contexto seja completamente diferente e não tão romantizado. Vou anotar aqui como dica.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  11. Puxa vida vida! Não conhecia mas quero ler e vou ler com certeza, qualquer enrendo wue nos faça refletir sobre o racismo tô dentro!
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Toda vez que vejo uma resenha da autora, só vejo elogios rasgados. E sendo eleito favoritos do ano de MUITO, com certeza é uma obra que lerei em breve. Gosto do tema que ela traz, gosto da discussão atrás que ele também traz, então com certeza vai ser uma leitura prazerosa para mim. Dica anotadíssima!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. OMG, preciso ler esse livrooo! Que história incrível, eu não conhecia essa obra, mas já vou adicioná-la na minha lista. Achei muito interessante o fato da Dana voltar no tempo na época da escravidão e tentar ensinar ao Rufus. Também gostei do marido dela poder voltar no tempo junto com ela. Agora estou bastante curiosa para saber como será o resto da história haha. A sua resenha está maravilhosa e espero conferir essa história um dia. Bjss!

    ResponderExcluir
  14. Yvens, eu fiquei muito curiosa pra fazer a leitura dessa obra... deve ser um livro intenso, ainda mais por falar sobre escravidão... esse lance de volta no tempo me instiga muito numa história... anotei a recomendação...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  15. Oi! Não conhecia nem o livro e nem a autora, mas fiquei intrigada com toda essa história de viajar no tempo. Acho que tem uma história bem interessante e que eu vou gostar de conhecer melhor. Vou anotar sua dica e conferir em breve. Excelente resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. fiquei sem folego so de ler a resenha!
    parece ser um livro daqueles hein!! adoro esse tipo de enredo e amo sentir a tensão do personagem
    sem duvida alguma vou acrescentar a minha listinha de leituras do ano

    ResponderExcluir