[RESENHA #388] BIG ROCK: LAUREN BLAKELY - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, dezembro 28, 2017

[RESENHA #388] BIG ROCK: LAUREN BLAKELY

Título: Big Rock
Autora: Lauren Blakely
Editora: Faro Editorial
Páginas: 224
Ano: 2017
ISBN: 9788562409943
Onde Comprar:
 Amazon - Saraiva

Sinopse: Fabulosamente divertido! Big Rock é uma comédia romântica picante, que narra a história de Spencer e Charlotte, amigos de longa data que um dia se veem envolvidos em uma divertida trama e se transformam em amantes... Romance, diversão e diálogos deliciosos – uma história muito quente e reveladora. Será que Spencer e Charlotte são feitos um para o outro?


Resenha: Em Big Rock acompanhamos a história de Spencer Holiday, um homem de 28 anos, ele é confiante, sexy, tem orgulho do seu corpo e é mulherengo, um pegador de marca maior, porém ele não tenta enganar suas conquistas, não é um cafajeste. Spencer é bem claro e honesto com as mulheres e procura dar a elas exatamente o que querem na cama. Nada mais, nada menos. Ele uma mistura de Tom de O Melhor Amigo da Noiva, Mike de A Verdade Nua e Crua e Connor de Black Para Sempre. Muito difícil não gostar dele, portanto.

"Você deve estar se questionando agora: "Mas qual é o tamanho dele?"Vamos com calma. Um cavalheiro não revela essas coisas. Eu posso ser mestre na arte de trepar, mas também sou um cavalheiro. Eu abro as portas do seu coração antes de abrir as suas pernas. Eu puxarei a cadeira para você se sentar, tirarei seu casaco, pagarei o jantar e a tratarei como uma rainha, na cama e fora dela." p. 7.
Contudo, os dias de pegação estão contados para Spencer, já que ser vinculado constantemente as fofocas pode tornar-se um baita problema, pois o seu pai está tentando vender sua rede de joalherias para um empresário bem conservador. Para se livrar da fama de playboy e mulherengo, Spencer acaba criando um cenário nada real, ele inventa que está noivo de Charlotte, sua melhor amiga. Charlotte e Spencer se conhecem e são amigos desde a faculdade, eles são sócios em um bar bem famoso na cidade de Nova York e possuem uma grande afinidade.

"Alguma coisa está acontecendo. Alguma coisa estranha, completamente desconhecida. Meu coração está falando uma língua que eu não compreendo, enquanto tenta me arrastar para Charlotte. Era só o que faltava. Agora, em vez de lutar contra um órgão todo santo dia, vou ter de lutar contra dois." p. 152.

Charlotte resolve ajudar o amigo, mas para isso eles precisam passar mais tempo juntos, devem mostrar para todos que estão apaixonados e que Spencer mudou de vida e sossegou. Para manter essa farsa e passar a visão de que tudo é real, eles passam a se beijar em público. Com o passar do tempo a farsa progride e tudo começa a ficar real, os dois descobrem que existe um clima de atração sexual entre eles, mas uma dúvida fica no ar: eles devem continuar como amigos ou devem se tornar amantes? O que sentem um pelo outro é apenas paixão ou pode ser amor?
Opinião: A impressão que dá é que Big Rock está no formato errado. Sem dúvida nenhuma a trama do livro combina muito bem com a de um filme do gênero comédia romântica, ao melhor estilo Amizade Colorida. É incomum vermos livros desse estilo sob o ponto de vista do homem, a autora utiliza de uma linguagem masculina não apelativa e muito menos romantizada, ela também não busca justificar o injustificável, assim estamos diante de uma história bastante gostosa de ler, apesar de bastante boba e batida. 

O relacionamento é, pelo menos, bem escrito, sem nada que te faça desconfiar e ficar pensando ''mas de onde isso veio?''. O casal tem uma história pregressa legal e crível. É de imaginar que um dia chegariam onde chegarão de uma forma ou de outra. Spencer é um personagens com camadas, acredite você. Após concordar em ser amigo com benefícios da sua sócia e fingida noiva, Charlotte, ele acaba apaixonando-se. O resultado disso é uma das histórias mais sensuais, hilárias e leves que li esse ano. Sem dúvida alguma Spencer sabe o que faz. E as leitoras irão adorar!

Eu só tenho uma reclamação: quando a narrativa é com voz feminina há um ótimo trabalho de construção do homem, mas por algum motivo as tramas com homens protagonistas às vezes impedem a melhor visualização da mulher. Acontece isso em Big Rock. Charlotte é uma boa personagem, daquele tipo que você se identifica e fica com vontade de conhecer para ser amiga, só que esse conhecimento não é dado. Uma pena. Em resumo, Big Rock não é nenhuma obra da literatura, cheio de surpresa ou trama bem pensada. É um livro feito para ler numa sentada só, nos divertir e fazer suspirar. 
Sobre a edição: Diagramação bastante simples, com folhas amarelas e fonte agradável. Não lembro de erros de revisão. Um destaque para o tipo de folha: tem uma qualidade diferente da maioria dos livros que tenho. É bem agradável de tocar. A edição possui capa e título originais, algo que eu particularmente adorei. Destaco as artes internas que estão no começo de cada capítulos, é algo que gostei muito.
Sobre a Autora: Lauren Blakely nasceu no estado da Califórnia, Estados Unidos. Atualmente vive no estado com sua família e teve a inspiração para cada uma de suas histórias enquanto passeava com seus cachorros. É reconhecida pelo seu estilo de romance contemporâneo: quente, romântico e divertido. Com catorze best-sellers, seus títulos aparecem no topo das listas do The New York Times e do USA Today e já venderam mais de 1,5 milhão de exemplares.

Um comentário:

  1. Adorei a tua resenha! Concordo com você Big Rock é um livro gostoso, pra ler todo de uma vez!!

    Beijinhos da Paty ;)

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad