[CRÍTICA] JUMANJI: BEM-VINDO À SELVA - Saga Literária

Novidades

quinta-feira, janeiro 04, 2018

[CRÍTICA] JUMANJI: BEM-VINDO À SELVA

Algum tempo atrás quando a Sony Pictures anunciou o reboot, uma nova versão de "Jumanji", filme que lançado em 1995 com Robin Williams, muitas pessoas ficaram incomodadas e revoltadas com a possibilidade do estúdio estragar o clássico que marcou a infância de muitos na década de 90 quando passava na sessão da tarde, pois quase sempre os reboots não são bem vistos pelo público em geral e acabam destruindo as boas memórias dos filmes originais.

Dirigido por Jake Kasdan, Jumanji: Bem-Vindo à Selva começa em uma sexta-feira quando um grupo composto por quatro adolescentes: um atleta, a garota popular e os nerds são advertidos pelo diretor da escola após alguns eventos escolares e, como consequência são enviados para detenção para refletirem sobre tudo o que cometeram. É nesse momento que eles encontram um videogame antigo, daqueles que usam cartuchos (fitas) e encontram um jogo chamado Jumanji, eles então resolvem jogar, mas antes precisam criar os seus próprios avatares.

O que os personagens Spence, Fridge, Bethany e Martha não esperavam era que fossem sugados pelo console, transportados para dentro do game e que estivessem no próprio reino de Jumanji. Lá os jovens se transformam em seus avatares: Dr. Smolder Bravestone (Dwayne Johnson), Moose Finbar (Kevin Hart), Dr. Shelly Oberon (Jack Black) e Ruby Roundhouse (Karen Gillan). O grupo acaba descobrindo que eles não vão jogar Jumanji, mas o jogo vai jogar com eles. Eles vão precisar sobreviver aquela que poderá ser a aventura mais difícil e perigosa de suas vidas, deverão utilizar das suas habilidades especiais para salvarem o reino de Jumanji do terrível vilão Van Pelt (Bobby Cannavale), caso contrário ficarão presos para sempre no jogo.
Opinião: Jumanji tem como ponto positivo o roteiro, pois o filme é repleto de momentos engraçados, os diálogos são divertidos e os atores interpretaram bem os seus papéis, cada um representando um estereótipo como dito anteriormente. Bem-vindo à selva é um blockbuster que traz uma história simples, sem qualquer tipo de reflexão ou mensagem subliminar, tem como objetivo apenas unir a família para um momento de descontração e diversão, para isso o diretor mescla a aventura com comédia. Os efeitos visuais funcionam bem, a trilha sonora não cai de forma perfeita no filme e algumas vezes atrapalha as cenas de ação que vemos na tela. 

Jumanji: Bem-Vindo à Selva é um reboot respeitoso e honesto, Jake Kasdan não buscou arriscar ou inovar muito na película justamente para conquistar um novo público. Ao longo do filme nos deparamos com algumas referências (easter eggs) interessantes. A película não tem grandes reviravoltas, é um filme despretensioso, bom, contudo passageiro.

Um comentário:

  1. Bom saber, pelo visto o filme é aquilo que estão mostrando no trailer. Ri só assistindo o trailer, imagino que quando for assistir possa dar boas risadas com a família também!

    ResponderExcluir