[RESENHA #394] UM BEIJO À MEIA NOITE - ELOISA JAMES - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, janeiro 04, 2018

[RESENHA #394] UM BEIJO À MEIA NOITE - ELOISA JAMES


Título: Um beijo à meia-noite
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Páginas: 317
Ano: 2017
ISBN: 9788580417784
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. 

Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo. Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal. 

Resenha: Kate Daltry é uma dama. Neta de um conde, herdeira da graça de sua mãe. Mas teve a infelicidade de perder ambos os pais muito jovem. O problema é que logo depois da morte de sua mãe, seu pai se casou novamente com uma Mariana, uma mulher insípida que não tinha nenhum plano de honrar sua enteada. Veio com ela sua filha, Victoria, o extremo oposto da mãe, mas ainda assim a luz de sua vida e por esse motivo, após a morte do pai de Kate, toda a herança ficou para a mais jovem.

"Gabriel sabia muito bem que o brilho da ferocidade em seus olhos assustava as damas. Ele precisava encontrar uma mulher cujos olhos não se arregalassem nem cintilassem de felicidade diante da perspectiva de ser apresentada a um príncipe. As mulheres costumavam apreciar a ideia de conquistar um príncipe." p. 23.
Kate então tornou-se uma criada na casa, forçada a dormir no sótão e, por senso de responsabilidades com os arrendatários das terras de seus pais, jamais foi embora. Viu-se então aos 23 anos sem nenhuma perspectiva de viver a vida simples e feliz que sonhava. Até que Victoria teve um contra-tempo logo antes de sua visita ao castelo do príncipe Gabriel - aquele que daria permissão para ela se casar com seu visconde, Algie.

"Kate fitou aquele rosto, os cabelos caindo sobre os olhos, e teve que admitir que ele parecia o tipo de homem que poderia beijar qualquer mulher que quisesse. Era explosivo e extremamente sedutor e perigoso." p. 87.

Kate é então mandada para o castelo disfarçada de Victoria para tentar conseguir cair nas graças do príncipe. O que ela não sabia era a atração imediata que sentiria pelo arrogante e lindo homem (e vice-versa). Só que ele estava noiva. De uma princesa russa dona de um dote enorme. E seu castelo precisava desse dote. Gabriel então precisará decidir entre deixar-se levar pelo sentimento que cresce por Kate, ou pelo cumprimento de seus deveres como parte da realeza.

"Kate não podia ser sua porque ele tinha aquele maldito castelo para sustentar. E por isso, ele tinha que levar seu belo traseiro lá para baixo e conhecer Tatiana, a mulher adornada com rublos russos." p. 231.
Opinião: Um beijo à meia noite é o segundo livro da Eloisa James na série dos contos de fadas publicado pela Editora Arqueiro. Começamos com o maravilhoso Quando a Bela Domou a Fera e, claro, havia muitas expectativas para este livro. Felizmente, foram atendidas. Esta adaptação de Cinderela é uma das mais diferentes que já li e vi. Não são duas irmãs, a que há não é nada malvada, a madrasta é apenas uma mulher amargurada pelas escolhas erradas que tomou na vida e preocupada com o destino de sua filha ilegítima e a fada-madrinha não tem nada de fada, mas fez toda a diferença.

A narrativa desse livro é a mais complexa do que a história de Linnet e Piers, portanto tem mais páginas e leva mais tempo para desenvolver os personagens. Foi um ponto que me fez demorar para engrenar na leitura, mas chegando no meio do livro podemos entender a necessidade de toda a bagagem que foi dada a todos, até mesmo os secundários. O enredo foi bem pensado para ser muito original, apesar de embasada em um conto de fada. Até o sapatinho de cristal tem uma nova roupagem.

Kate é muito amável, centrada e cheia de humor. Gabriel é encantador e sarcástico (levemente parecido com Piers) e o envolvimento deles é delicado devido às responsabilidades dos dois e os pesos de suas vidas. Apesar disso, todas as tramas e diálogos são levíssimos e me peguei rindo diversas vezes. A maior responsável pela graça é, claro, a madrinha Henry, Lady Wrothe. Esta é uma mulher de certa forma livre das amarras da sociedade, que fala o que pensa e age do jeito que acha certo para ser feliz. Todos os outros secundários têm seus momentos também, dando riqueza ao livro.
A história é, portanto, bem trabalhada, divertida e tem um clímax apaixonante. Devido às histórias bem contadas, fica fácil torcer por eles. Eu precisava comentar isso porque até um certo capítulo eu fiquei me perguntando quando eu sentiria aquele quentinho no coração que o livro anterior tinha dado. Então, se sentirem isso, saibam que chegará! Gabriel e Kate entram para o patamar dos melhores casais dos romances de época. Ou seja, o padrão de escrita de James se manteve.

P.S.: Ainda acho Um perfeito cavalheiro da Julia Quinn a melhor adaptação de Cinderela para os romances de época xD

Sobre a edição: Nunca consigo achar defeito nos livros de época da Arqueiro. A capa é linda, o sapatinho brilha com a luz, há detalhes no início dos capítulos e as folhas são amareladas. Não lembro de erros de revisão. A edição é do mesmo tamanho de todos os outros livros do gênero na editora, logo, mais um pra ficar lindo na estante.
Sobre a autora: Eloisa James escreveu seu primeiro romance depois de se formar em Harvard, mas o manuscrito foi rejeitado por todas as editoras. Depois de obter mais alguns diplomas e arranjar emprego como professora especializada em Shakespeare, ela tentou novamente, dessa vez com mais sucesso. Mais de 20 best-sellers depois, ela dá cursos sobre Shakespeare na Fordham University, em Nova York, é mãe de dois filhos e, numa ironia particularmente deliciosa para uma autora de romances, é casada com um legítimo cavalheiro italiano.

5 comentários:

  1. Oi Grazi!

    Tudo bem? Eu quero muito ler esses dois livros porque sempre escuto falar super bem tanto da narrativa quanto da escrita da autora.

    Já me conquistou com "a história é bem trabalhada", mas quando falou sobre também ser divertida e ter um clímax muito bom... decidi que preciso ler esse livro bem logo! Definitivamente é uma das minhas próximas compras!

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adorei a escrita da Eloisa, mas acabei fazendo o caminho inverso, li esse primeiro e depois Quando a bela domou a fera. A trama ficou muito bem estruturada, mas senti bem mais arrastada e o primeiro livro me conquistou. Espero que A Duquesa Feia seja tão bom quanto os outros.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não li esse livro e nem o anterior, mas estou muito curiosa. Eu amo a história da Cinderela e, pelo que você falou, essa parece ser uma excelente releitura.
    Lendo sua resenha, fiquei ainda mais animada para ler pois pareceu ser uma trama original, apesar de baseada em um conto de fadas tão conhecido, e pelo fatos dos personagens e o romance serem bem construídos.
    Adorei a resenha e espero ler em breve.
    Beijos!
    P.S: Eu ainda não li Um perfeito cavalheiro, mas estou mais animada depois do seu comentário haha.

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Vejo muitas pessoas falando desse livro e, a cada vez que vejo uma resenha, tenho mais vontade de ler e me apaixonar por essas estórias também. Bacana saber que a estória é bem trabalhada e divertida, adoro isso. Amei a resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  5. Oiieee

    Eu tenho algus livros da Arqueiro aqui e também não consigo achar defeitos, eles capricham. Quanto à Um Beijo a meia noite, esse me chama a atenção muito mais do que Quando a Bela domou a Fera, acho que essa releitura original e diferente da Cinderela está muito interessante, mas tinha preguiça de conferir justamente por não querer ler a primeira parte. Enfim, quem sabe futuramente eu confira os dois, pode ser que até mesmo a primeira parte me surpreenda. Feliz em saber que este conseguiu te prender e surpreender.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad