[RESENHA #413] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 10 - LOUIS ARMSTRONG - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, janeiro 30, 2018

[RESENHA #413] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 10 - LOUIS ARMSTRONG


Título: Coleção Folha Lendas do Jazz
Artista: Louis Armstrong
Autor: Carlos Calado
Editora: Folha de São Paulo
Ano: 2017
Páginas: 48
ISBN: 9788579493089
Onde comprar: Livraria da Folha

Sinopse: No ano em que se comemora o centenário das primeiras gravações de jazz, a Folha lança uma coleção com obras de 30 dos maiores artistas desse gênero musical. De cultuados cantores a conceituados compositores e instrumentistas, a Coleção Folha Lendas do Jazz oferece um extenso panorama do que já se produziu de melhor nessa música que valoriza a improvisação. 

Resenha: Louis Daniel Armstrong, nasceu em 04 de agosto de 1901, em Nova Orleans (Louisiana). Desde cedo conviveu com a pobreza, pois abandonado pelo pai, sua mãe, May Ann, teve de sustentar seus dois filhos pequenos. A família Armstrong morava em um casebre no bairro apelidado de Battlefield, ou Campo de Batalha, por causa das constantes brigas domésticas e confusões entre cafetões, prostitutas e todo tipo de marginal da época. Quando Louis completou 05 anos, sua mãe o deixou com a avó para conseguir trabalho em outra cidade; o que realmente aconteceu, pois somente dois anos depois é que Louis pode ir morar novamente com May Ann.

"Na escola, o rebelde Louis costumava fugir das aulas - só estudou até a 5ª série." p. 18.
Ainda criança, começou a fazer bicos para ajudar nas despesas de casa e logo depois, começou a cantar nas ruas para ver se conseguia alguns trocados deixados pelos passantes. Foi nesse cenário, que montou com três amigos um grupo vocal, com o qual ficava ensaiando horas e horas no meio das ruas mesmo. 

Nessa mesma época, começou a tocar uma corneta de lata, mas quando viu um cornetim na vitrine de uma loja de penhores, pediu emprestado cinco dólares a uma família judia para qual fazia pequenos serviços e comprou o instrumento. Mas como era muito difícil tocá-lo, teve que pedir ajuda aos músicos que tinha conhecido nas ruas, porém, foi ignorado por eles. Mas com uma brincadeira na passagem de final do ano de 1912, a vida desse pequeno garoto mudou totalmente, o que o colocou final e definitivamente no mundo que seguiria pelo resto de sua via: O mundo da música.

"Para comemorar a passagem do ano com alguns colegas, Louis planejou uma típica molecagem: tomou "emprestado" do padrastro um revólver calibre 38. Os seis tiros que disparou para o céu, no auge da folia, lhe renderam uma noite na delegacia, onde foi enquadrado como delinquente e enviado para um reformatório comandado por militares." p. 19.
Foi nesse reformatório que Louis conheceu Peter Davis, um professor de música e regente da big band da instituição, que o ajudou a corrigir a embocadura e a técnica necessária para tocar qualquer instrumento de sopro. E foi com esse breve período de estudos que nascia uma das maiores lendas do mundo do jazz: Louis "Satchmo" Armstrong.

Opinião: É inegável o grande carisma que o extraordinário Louis Armstrong exerceu por toda a sua carreira. Seu talento para o canto e para o trompete, impressionou toda uma geração e impressiona até os dias atuais. Mesmo tendo passado por grandes dificuldades na infância, o destino o guiaria para seu maior prazer: a música.

É bastante encorajador ver como o pequeno Louis se tornou uma das mais carismáticas personalidades em todo o mundo. Sempre foi modesto e assim conquistou seu lugar no jazz. Influenciou muitos músicos como Miles Davis, Rex Stuart, Billie Holliday, Ella Fitzgerald, Elza Soares e Dick Farney, entre muitos outros. Tanto no trompete como nos vocais, Louis acabou se tornando uma enorme referência. Suas parcerias com outros músicos, como por exemplo, Ella Fitzgerald, que acabou rendendo três maravilhosos discos, ficaram na história do jazz como lendas irretocáveis.
Satchmo também teve seus problemas, principalmente quanto a segregação racial no Estados Unidos, onde, por essa razão, chegou a recusar a tocar em uma turnê por países alinhados com a União Soviética na época da Guerra Fria, financiada pelo Departamento de Estado. Mas seu prestígio era tamanho que isso não modificou em nada sua brilhante e meteórica carreira.
Sua saúde não estava nada boa no começo de 1971, tanto que seu médico o proibiu de fazer suas turnês até que pudesse estar melhor e mais recuperado. Teimoso que era, fez um acordo com o médico de só sair de seu quarto para suas apresentações, podendo assim descansar o máximo possível. Quando chegou ao final daquela turnê, Louis anunciou que iria se internar em um hospital para cuidar de sua saúde e poder voltar com foça total. Mesmo deixando o hospital logo depois em maio do mesmo ano, Armstrong ainda tinha problemas para andar. Otimista, prometeu ao fãs que logo estaria de volta, porém, foi uma promessa que não foi possível cumprir. Em 06 de julho de 1971, Louis "Satchmo" Armstrong, falecei na cidade de Nova York, deixando um imenso legado de otimismo, humildade, genialidade, e alegria e sua música excepcional.
Sobre a Edição: A Coleção Folha Lendas do Jazz, segue o formato já conhecido da editora e é vendido, principalmente, na bancas de jornal de todo o país, mas também pode ser encontrado na loja da folha pela internet. A coleção é apresentada no formato tradicional do cd/livro, com uma arte muito bonita na capa e a lombada é fragmentada, formando uma cena no final da coleção, muito bacana.
O material é de primeiríssima qualidade, com a capa dura e brilhante e papel interno em couché brilhante também. Em resumo, exatamente como um cd deveria ser. O livro é recheado de fotos e sua fonte é bastante agradável. No final de cada edição, existe um glossário de termos utilizados, uma seção denominada "Frases", recomendações para ler, ouvir e assistir, o repertório do cd e uma breve descrição do autor Carlos Calado. Realmente, uma coleção que vai agradar tanto aos experientes como aos novatos nesse mundo tão maravilhoso chamado, JAZZ!
Agradeço imensamente a Editora Folha por ter me enviado essa coleção, pois esta me proporcionando ótimos momentos de nostalgia em relembrar todos esses maravilhosos, saudosos e incomparáveis artistas da música. Leitores, a Coleção Folha Lendas do Jazz é ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad