[RESENHA #415] A QUINTA ESTAÇÃO - N. K. JEMISIN - Saga Literária

Novidades

quarta-feira, janeiro 31, 2018

[RESENHA #415] A QUINTA ESTAÇÃO - N. K. JEMISIN


Título: A Quinta Estação (A Terra Partida #1)
Autora: Nora K. Jemisin
Editora: Morro Branco

Páginas: 560
Ano: 2017
ISBN: 9788592795238
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
 "Vencedor do Hugo Awards É assim que o mundo termina. Pela última vez. Três coisas terríveis acontecem em um único dia: Essun volta para casa e descobre que seu marido assassinou brutalmente o próprio filho e sequestrou sua filha. Sanze, o poderoso império cujas inovações têm sido o fundamento da civilização por mais de mil anos, colapsa frente à destruição de sua maior cidade pelas mãos de um homem louco e vingativo. E, no coração do único continente, uma grande fenda vermelha foi aberta e expele cinzas capazes de escurecer o céu e apagar o sol por anos. Ou séculos. Mas esta é a Quietude, lugar há muito acostumado à catástrofe, onde os orogenes - aqueles que empunham o poder da terra como uma arma - são mais temidos do que a longa e fria noite. E onde não há compaixão. "Um dos 100 livros mais notáveis do ano" - New York Times “A trilogia ‘A Terra Partida’ é uma conquista triunfante na literatura de fantasia” - The Verge" 


Resenha: The Fifth Season ou A Quinta Estação foi escrito pela norte-americana Nora K. Jemisin e foi simplesmente o livro vencedor do prêmio Hugo de melhor romance em 2015. Para quem não sabe essa categoria envolve romances de fantasia ou ficção científica. Os livros precisam ser publicados em inglês ou traduzidos para o inglês durante o ano anterior ao prêmio.

A trama em A Quinta Estação ocorre em um mundo em estado terminal, mesmo na Quietude, esse é um mundo que já enfrentou vários apocalipses, isso ocorre de forma habitual quando as placas tectônicas se movem e a terra precisa enfrentar diversos terremotos, a natureza mostra a sua força e provoca diversas calamidades geológicas como tsunamis, explosões de gases letais e até mesmo erupções vulcânicas. Esses períodos em que a mãe natureza dá as cartas é conhecido como a Quintas Estações. É nesses momentos de grande perigo que os seres humanos possuem apenas um objetivo; a sobrevivência.

"Durante os últimos dez anos, você viveu a vida mais comum que pôde. Veio para Tirimo de outro lugar; os moradores da cidade não se importam de onde ou por quê. Já que você obviamente era instruída, virou professora na creche local para crianças de dez a treze anos. Você não é nem a melhor professora nem a pior; as crianças a esquecem quando passam para a série seguinte, mas aprendem [...]" p. 27.
Nesse mundo existem os magos da terra ou orogenes, eles são capazes de sentir as vibrações da terra e até certo ponto controlá-las. Contudo, manipular a força da natureza não é algo fácil: quando um orogene perde o controle de si, ele é capaz de piorar todo o cenário e produzir verdadeiros desastres geológicos. A sabedoria deles não é sempre suficiente para evitar as calamidades e por terem causado algumas destruições, a população acabou jogando a culpa do surgimento das Quintas Estações nesses magos da terra.

"Você está tão cansada. Exige muito de você matar tantas pessoas. É pior porque você não fez tanto quanto poderia ter feito, depois que preparou tudo. A orogenia é uma equação estranha. Pegue movimento e calor e vida do seu entorno, amplifique isso por meio de um processo indefinível de concentração ou catálise ou risco semi-previsível, projete movimento e calor e morte a partir da terra [...]" p. 99.

Acompanhamos a trama por personagens distintos, são três pontos de vista e três momentos distintos: Damaya, Essun e Syenide. Damaya é uma garota que vive no interior do continente e em certa oportunidade ela descobre que possui poderes orogênicos quando estava se defendendo de um ataque de um colega de sua escola que lhe fazia bullying. Desse momento em diante a vida a jovem garota muda completamente, a sua família não aceita o fato dela possuir esses poderes e a tranca em um celeiro enquanto chama os Guardiões, homens responsáveis de cuidar dos orogenes. Damaya é levada para uma academia onde recebe instruções sobre como controlar os seus poderes.
Essun é uma mulher de meia-idade que ao chegar em casa após uma viagem encontra o seu lar destruído. Seu marido descobre que seus dois filhos e ela são orogenes, devastado e tomado por uma fúria descontrolada, ele acaba assassinando o próprio filho a pancadas e sequestra a sua filha, tudo isso ocorre por eles terem herdado os poderes, dons ou essa maldição de Essun. Inconformada, essa mãe sem filhos parte em uma jornada com dois objetivos, vingar a morte do seu filho e encontrar a sua filha perdida.

Syenite é uma aprendiz do Fulcrum, ela é extremamente poderosa, detentores de quatro anéis. Syenite recebe uma importante missão, ela deverá destruir a formação de um coral que poderá inutilizar o porto de uma cidade costeira, mas ela não está sozinha nessa empreitada, pois ela recebe a companhia de um velho e poderoso orogene, trata-se de Alabaster, um oregene de dez anéis que servirá como mentor e no decorrer dessa jornada a dupla tem outra missão, eles deverão produzir um filho.


"Damaya espera, claro. Ela não é idiota. Ela está em frente à porta que dá para uma área movimentada; apesar da hora, outros Guardiões surgem de vez em quando e olham para ela. Ela não devolve o olhar, e algo nessa atitude parece deixá-los satisfeitos, então eles continuam sem incomodá-la." p. 383.

Damaya, Essun e Syenide buscam por um novo propósito, querem dar um novo sentido para suas vidas, mas para terem dias melhores em suas vidas elas deverão lidar com dificuldades, perigos e situações extremas em suas jornadas. Elas são orogenes e estes são vistos como seres inferiores, precisam lidar com a discriminação da população, são ao mesmo tempo temidos e odiados, quando capturados são linchados e assassinados, nem mesmo as crianças são poupadas de todo esse ódio e crueldade.
Opinião: Achei espetacular o universo pós-apocalíptico apresentado por Nora Jemisin, o mundo criado pela autora é incrível e bem desenvolvido, ela utiliza de elementos como magia, uma mitologia própria nessa sociedade em colapso que nos é apresentado. A autora mesclar fantasia com ficção científica e isso pode ser visto por meio de uma tecnologia que é implantada na médula dos oregenes (me lembrou Falling Skies), tecnologia essa de origem alienígena. Já a fantasia é retrata por meio da magia, essa está intimamente ligada ao mundo e a natureza. Achei muito interessante esse mundo ser moldado pelas catástrofes que ocorreram ao longo dos tempos e vão se repetindo de forma cíclica. É igualmente interessante ver a capacidade do ser humano se adaptar diante das adversidades.

A autora retrata a sociedade em forma de classes ou castas, isso ocorre de acordo com a contribuição que cada um pode dar nesse mundo que está em constante perigo de extinção. Nora Jemisin é uma defensora do feminismo e vemos muito do seu posicionamento na trama, isso reflete nos horrores que Damaya, Essun e Syenite precisam enfrentar, ela retrata muito bem os sentimentos das personagens, principalmente o da jovem Syenite que precisa ter relação sexual com Alabaster, uma relação sem qualquer sentimento; a jovem serve apenas como uma mera reprodutora e a jovem se sente violada, ficando com a sensação de ser apenas um objeto,, um meio para um fim.
Jemisin faz uma forte crítica sobre discriminação e preconceito ao utilizar os orogenes, pois suas vidas não possuem importância, eles são vistos apenas como um meio, como um objeto de uso. A liberdade para escolherem o que querem fazer da própria vida é praticamente inexistente, eles são forçados a obedecerem sem questionar, são humilhados, considerados seres à margem da sociedade, são abusados, feridos e até mesmo mortos. Isso fica claro que a autora tem a ideia de que o ódio e racismo não é uma questão individual, mas sim algo generalizado que é perpetuado por meio da violência contra o indivíduo.

A Quinta Estação foi uma leitura incrível, a autora conseguiu mesclar dois dos meus gêneros literários favoritos: Fantasia e Ficção Científica. A escrita da Nora Jemisin é um espetáculo à parte, seus personagens são bem construídos e existe uma evolução destes no decorrer da leitura. A narrativa é alternada e realizada tanto em segunda como terceira pessoa. Nora Jemisin me conquistou e agradeço a Editora Morro Branco por essa leitura maravilhosa. Fico feliz que esse é somente o primeiro livro da série que conta com quatro livros no total, agora é aguardar os próximos volumes.
Sobre a Edição: A Editora Morro Branco está de parabéns e merece todo o reconhecimento que tem recebido. A capa ficou linda, a diagramação está muito boa. A fonte está no tamanho padrão da editora, o espaçamento ficou muito bom e revisão está impecável. O livro conta com folhas ameralas (papel pólen) e informações sobre a autora.
Sobre a Autora: Nora K. Jemisin nasceu em 19 de Setembro de 1972 na cidade de Iowa e cresceu na cidade de Nova York, Estados Unidos. Ela é uma autora cujas histórias foram nomeadas diversas vezes aos maiores prêmios de ficção científica e fantasia do mundo, incluindo o Nebula, Locus e World Fantasy Award. Em 2016, se tornou a primeira pessoa negra a receber o Hugo na categoria principal por seu livro "A Quinta Estação". Jemisin é considerada uma das mais importantes vozes da ficção especulativa atual, por construir universos ricos e complexos, que vão da fantasia à ficção científica. Suas obras falam sobre justiça social, preconceito, violência e a multiplicidade do comportamento humano.

23 comentários:

  1. Como nunca vi esse livro incrível?? Adorei, amo livros de fantasia e ficção cientifica! Também adoro o universo pós-apocalíptico, esse livro já entrou em meus favoritos. Demais!! Ótima resenha

    ResponderExcluir
  2. Apesar de demorar a me familiarizar com personagens e cenários de livros assim eu adoro fazer essas leituras. Mundos pós-apocalípticos sempre me levam para outra dimensão. Sem mencionar a criticas da autora que estão dentro do enredo, isso faz com que a leitura seja rica. Não conhecia o livro, mas deixo a dica anotada.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem ?
    Não conhecia a autora nem o livro. Esse ano estou saindo um pouco da minha zona de conforto e lendo gêneros diferentes dos quais estou habituada.
    Sua resenha está maravilhosa! Amei as fotos!
    Obrigada pela dica!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Que dica maravilhosa, eu não conhecia a obra em si e nem que está os 100, então de cara eu adoraria ler e sei que seria uma ótima pedida, gosto muito de livros de fantasia e sempre se tornam um dos meus favoritos, independente dos personagens, lindas fotos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não conhecia o livro e nem a autora. Apesar de não gostar muito com do gênero, me identifiquei com a estória, principalmente pela pegada do feminismo tratada em algumas partes dela, como você mencionou. Adorei a cada e a sua resenha :)

    Beijos,
    Thalita Sousa

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia a autora e não tinha visto nada sobre esse livro até o momento, também que a premissa me é bem interessante e pelo que você disse a autora trabalhou muito bem a proposta que apresentou aos leitores. Esse lance de universo pós apocalíptico me cativa, mas confesso que a maioria me frusta. Enfim, dica anotada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Já quero esse livro pois tem um gênero que amo, ficção científica, espero ler em breve.

    Beijinhos,
    http://livroseimaginacoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ah! Nossa, ainda não conhecia esse livor. E é o tipo de leitura (e gênero) que eu amo ler.
    Anotadíssimo. Curto muito fantasias apocalípticas e sua opinião sobre a experiência de leitura me deixou bem curiosa. Parece um universo bem rico e com muitas tramas interessantes.

    Já marquei lá no Skoob! haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia o livro e pela sua resenha e já fiquei muito curiosa com a leitura, parece ser uma obra excelente e espero ter a oportunidade de conhecer.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Tenho visto este livro no Ig, mas não sabia do que se tratava. Recentemente li um pós apocalíptico e gostei bastante, mas este parece ter fantasia misturado.
    Dica anotada.
    Abraços
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Acho bem interessante a abordagem que a autora trouxe pra trama. Sempre gosto de conhecer do ponti de vista do autor mais sobre as castas e os costumes locais dessa sociedade.
    Me agradaria a leitura com certeza.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  12. Gente, parece um livro complexo e ao mesmo tempo envolvente, que não conseguimos parar de ler, não conhecia a obra e nem a autora, mas já sei da boa fama da editora. Um aspecto do livro que chamou minha atenção foi a crítica a discriminação e preconceito, precisamos de mais obras assim.

    ResponderExcluir
  13. Oi! Nossa, parece realmente um livro bem bacana, cheio de ação, temas fortes e coisas instigantes. Adorei o destaque que a autora dá para a vida das mulheres e a forma como retrata o sofrimento delas. Tomara que os próximos livros daa série saiam logo aqui para os leitores não sofrerem muito.

    ResponderExcluir
  14. Oi.

    Não conhecia o livro nem mesmo o autor, a premissa é bem interessante gosto desses temas. Sua resenha me fez querer ler o livro, parece ser bem emocionante.

    ResponderExcluir
  15. Ola,
    Não conhecia esse livro interessante saber que ganhou prêmios. Fiquei interessada no início, pois achar que se tratava de uma distopia, porém perdi o interesse ao ler que foi misturado bastante fantasia. Mesmo assim achei interessante a resenha e fico feliz que gostou.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    https://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Eu fico completamente encantada pelo trabalho que a editora Morro Branco vem fazendo, principalmente no que diz respeito a literatura negra e obras com esse enfoque, fico feliz demais e me sinto representada. Apesar de não ser o meu gênero favorito, saber que a obra aborda esses temas me faz ter um tremendo interesse. Adoro suas resenhas, são sempre extremamente detalhadas.

    ResponderExcluir
  17. Ela conseguiu unir duas paixões: fantasia e ficção cientifica. E estou chateada pq não conhecia o livro. Essa editora tem se destacado muito e não vejo a hora de dar uma chance pra leitura. Amei sua resenha.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  18. Ola, eu não tenho interesse em ler esse livro por não ser do meu gênero favorito. Eu gostei bastante da resenha mais eu passo essa dica

    ResponderExcluir
  19. Amei sua resenha, queria ter escutado falar dele antes. Vou anotar sua dica,já estou ansiosa para adquirir.
    O enredo parece ser ótimo, estou apaixonada por essa capa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia o livro, mas gostei deste mundo que foi descrito. É incrível que mesmo na ficção os ser humanos se adaptam quando preciso. Também gostei da união de gêneros usados na narrativa.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  21. É bom quando vemos que o livro não tem só uma sinopse boa, mas também uma história que se desenvolve. Poucos autores conseguem juntar dois gêneros, fazer três visões diferentes da história e ainda em uma cenário pós apocalíptico. Isso me pareceu fantástico haha. Espero que os próximos livros continuem assim.
    Ótima resenha szsz

    Beijos,
    Cupcakeland

    ResponderExcluir
  22. Olá, eu realmente não conhecia essa obra e essa resenha me surpreendeu muito. Adorei!
    Que edição mais linda, já vou anotar a dica aqui.

    Abraços

    ResponderExcluir