[SOBRE HISTÓRIA] CENTENÁRIO DA REVOLUÇÃO RUSSA | LIVROS - Saga Literária

Novidades

segunda-feira, janeiro 01, 2018

[SOBRE HISTÓRIA] CENTENÁRIO DA REVOLUÇÃO RUSSA | LIVROS

Trecho do romance A Última Poesia - Do Orgulho Nasce a Guerra de Max Wagner

Antes da 1ª Guerra Mundial começar começar, mesmo contra tudo e contra todos, o czar Nicolau II juntou-se com franceses e ingleses na Tríplice-Entente trazendo problemas ainda maiores do que a Rússia já enfrentava. Nas batalhas de Tannemberg e Gumbinnem, o Exército russo perdeu dois regimentos inteiros - 250 mil mortos. Entretanto o Czar não se dava por satisfeito, mandando mais tropas para o front, sem conseguir enxergar a grande fome e o turbilhão de desgraças que o país enfrentava.

"Nicolau havia virado fantoche nas mãos de sua esposa, Alexandra Feodorovna (uma princesa de origem alemã) e do mago e hipnotizador Gregory Rasputin, era um de seus conselheiros que havia curado seu filho de uma doença mortal. Alguns diziam que a Czarina e Rasputin eram amantes."

"O excesso de timidez do Czar era comprovado quando ele obedecia cegamente a vontade da amada esposa e do mago Rasputin. O poder de Alexandra sobre o marido foi comprovado quando Nicolau deixou a Rússia sob seus desmandos para comandar pessoalmente as tropas russas no front em 1915."

"A revolta popular atingiu o estopim para uma guerra civil. Ainda em 1916, Nicolau foi alertado por nobres fiéis sobre o que o comunismo poderia fazer; enquanto o Czar perdia uma batalha após a outra, camponeses e operários se organizavam para tomar o poder, mas Nicolau ignorava o povo."

"O príncipe russo Felix Yusupov era primo da Czarina e fora humilhado por Rasputin, queria lavar a honra da família, o mago vivia bêbado fazendo orgias e dizendo besteiras. Descontentes com sua forte influência, a nobreza russa passou então a conspirar pela morte do monge louco. Ele era acusado de ser um espião a serviço da Alemanha. Escapou de várias tentativas de aniquilamento."

"O Grão-Duque Dmitri Pavlovich e o príncipe Yusupov levaram Rasputin até uma adega, onde serviram bolos e vinho tinto misturado com uma enorme quantidade de cianeto. Havia veneno suficiente para matar cinco homens; porém sua úlcera crônica fez com que ele expelisse todo o veneno. Mas Depois foi fuzilado por Yusupov e por Pavlovich, levando vários tiros. Tendo ainda sobrevivido; foi castrado e teve sua genitália cortada e enfiada na boca. Finalmente jogado inconsciente no congelado rio Neva é que Rasputin morreu, não pelo veneno, nem pelos tiros ou espancamentos, mas afogado. Três dias depois o corpo de Rasputin foi encontrado, a causa da morte foi afogamento."

"Em 1917, Lênin - líder dos bolcheviques estava fora do país quando a Revolução de Fevereiro explodiu, ele precisava voltar, mas as fronteiras estavam vigiadas pelos Aliados. Os alemães tinham interesse na queda do Czar para colocar a Rússia fora da guerra, por esse motivo ajudaram Lênin e o introduziram via-trem em território russo. Estava então lançada a principal arma do comunismo."
"A ofensiva do general Brusilov havia desarticulado os  austríacos, mas os alemães rechaçaram os russos e venceram em Riga. A derrota em Riga foi o ponto final e o Czar acabou atacado pelo seu próprio país, tendo que abdicar do trono e junto com a família exilar-se na Sibéria."

"A ordem geral número 1, emitida pelo Soviete de Petrogrado, deu aos soldados direitos que eles nunca tinham tido e permitiu eleição de comitês de soldados para a proteção desses direitos. Motins e deserções em massa tornaram-se ocorrências diárias, assim como linchamentos de oficiais. Unidades inteiras deixaram as trincheiras, aqueles que permaneceram se recusavam a lutar."

"O general Brusilov teve menos problemas com suas tropas do que a maior parte dos oficiais, e não houve linchamentos em suas unidades durante as primeiras mudanças radicais, principalmente devido a sua popularidade e imediata aceitação da revolução. Ele rapidamente cooperou com os comitês de soldados."

"Alexander Kerensky, então ministro da justiça no Governo Provisório, visitou a Frente do Sudoeste com Brusilov, tentando restaurar a ordem. Kerensky ficou tão impressionado com Brusilov, que planejou uma segunda ofensiva de Brusilov para o verão de 1917. Mas as deserções refletiam a verdadeira disposição do exército."

"Ainda assim, chamando a operação planejada como uma ofensiva revolucionária, Kerensky ordenou que cerca de setenta divisões no sul atacassem a Áustria; como tinham feito no ano anterior, com ênfase em um avanço em direção a Lemberg. As preparações para a ofensiva foram as melhores da guerra. Havia material de guerra em abundância. O exército chegava a ter 120 aviões de observação e artilharia, pilotados principalmente por aviadores franceses e ingleses. Duzentos mil soldados foram escolhidos das melhores unidades e organizados em uma força de combate."

"Ao contrário do ataque de Brusilov em 1916, não houve segredo, e os alemães transferiram quatro divisões da Frente Ocidental para o Oriente. A segunda ofensiva de Brusilov começou bem, pois o Exército austríaco não estava em melhor situação que o russo; as unidades austríacas, especialmente as eslavas - se rendiam sem lutar, e outras fugiam ao menor sinal de avanço russo. Entretanto, a chegada de tropas alemãs deu força aos austríacos."

"No meio das derrotas, Kerensky demitiu Brusilov do comando em chefe do exército em 31 de julho, substituindo-o pelo general Lavr Kornilov. A maior parte do exército já não acreditava mais na Rússia e desertou em massas incalculáveis, ocupando as propriedades rurais na Rússia, promovendo a reforma agrária. Os alemães começaram a marchar Rússia adentro."

"O general Kornilov, contrário ao novo governo, decidiu dar um golpe de Estado, reuniu as tropas do Báltico para destituir o governo provisório. Kornilov quase derrubou o governo, mas o golpe acabou fracassando, não teve apoio necessário."
FAMÍLIA REAL RUSSA
"Em 25 de outubro de 1917 estourou a Guerra Civil Russa. Sob a liderança de Lênin, os comunistas tomaram o poder na Revolução de Outubro. Sob as ordens de Lênin, o czar Nicolau acabou sendo fuzilado com a família e os empregados. Por causa dos detalhes nas roupas das filhas de Nicolau, os projéteis ricochetearam impedindo a morte delas; mas os socialistas terminaram o serviço com baionetas. Para eliminar qualquer prova de execução, todos tiveram seus corpos esquartejados e queimados com ácido, inclusive o filho amado e doente de Nicolau. O que restou do Czar foi enterrado em uma vala comum na floresta siberiana, era o fim do czarismo russo."

"A Alemanha vivia dias de vitórias, a Revolução de Outubro (Revolução Bolchevique), havia inaugurado o socialismo na Rússia. O Front Oriental estava nas mãos dos alemães, e a vitória só parecia ser uma questão de tempo. Em dezembro finalmente a Rússia assinou o armistício com a Alemanha no acordo da cidade de Brest-Litovsk."

"A Alemanha agora tinha tudo para vencer a guerra. Os americanos já estavam em solo francês, mas os alemães acreditavam que só faltava vencer o que restava dos franceses e ingleses. O Império Alemão tinha grandes chances de vitória, principalmente por que o general Pershing enfrentava muitos problemas internos para treinar e colocar seus soldados contra os germânicos."                 
TRÓTSKY


Tratado de Brest-Litovsky
                                    
Livros sobre a Revolução Russa

Considerada a obra que inaugura a grande reportagem no jornalismo moderno, Dez dias que abalaram o mundo narra os acontecimentos chave em Petrogrado, no auge da Revolução Russa. O autor, Reed, conviveu, e  entrevistou  Lênin e Trótski.
                                           
Durante o conturbado ano de 1917, a insurreição de outubro ganhou o apoio dos camponeses e soldados, primordial para permanecer viva. Na sequência, outros decretos ampliariam ainda mais as bases sociais da revolução que nascia. Esses e outros documentos históricos foram reunidos sob a organização de Daniel Aarão Reis.
Considerado o texto político mais influente já escrito, o Manifesto Comunista de Marx & Engels permanece um ponto de referência para quem tenta compreender as transformações forjadas pelo capitalismo. Escrito em 1848 pelos filósofos e pensadores alemães, forneceu a base para a doutrina criada por Lênin para seu próprio manifesto: as Teses de Abril, e o subsequente desenvolvimento do comunismo.
Service inicia sua análise crítica com Karl Marx e Vladimir Lênin, passando por Mao Tsé-tung, Fidel Castro e vários outros protagonistas de acontecimentos decisivos da história do comunismo mundial. Sem se restringir apenas a discorrer sobre a política, Service apresenta também as condições sociais que levaram milhões de pessoas a apoiar o comunismo em muitos países.
Biografia cruzada do czar Nicolau II e de sua esposa Alexandra de Hesse, os últimos soberanos da dinastia Romanov, que governou a Rússia durante três séculos. Massie, ganhador do Prêmio Pulitzer, narra os fatos e circunstâncias determinantes para a derrocada do último grande império do mundo.
Os dez ensaios - criativos, instigantes e polêmicos - reunidos neste livro não constituem um volume de ocasião, celebratório do centenário da mais relevante revolução do século XX. '100 anos depois: a Revolução Russa de 1917 não é uma tradicional coletânea em que doutos professores, encastelados na academia, louvam ou demonizam um evento extraordinário. Este livro não serve à louvação fácil nem à demonização interessada. É um notável esforço de compreensão: aqui, toma-se a revolução bolchevique como objeto de análise teórico-crítica. Daí a sua riqueza temática: desconstrói-se a satanização que a historiografia oficial promoveu sobre ela, desvela-se a sua efetiva contextualidade, enfrentam-se questões candentes (da consciência de classe, da economia política, do direito, da cultura) e não se elude o problema da sua degeneração. Neste livro, vê-se no Outubro de 1917 o laboratório emancipador que deve ser explorado crítica e prospectivamente - o rigor dos autores procura a verdade do passado para esclarecer e transformar o presente, com vistas ao futuro. (texto da 4ª. capa por José Paulo Netto).

"A passagem da Rússia tsarista para a sociedade soviética constitui um dos processos mais singulares e apaixonantes da história recente. Trata-se de um conjunto de eventos cujos desdobramentos seriam determinantes para a organização da estrutura global de poderes no século XXI, com grande impacto também na história das ideias.
O general do Exército soviético Dmitri Volkogonov teve total acesso aos arquivos do Partido Comunista da União Soviética e reuniu dados para narrar de maneira brilhante a história do homem que, por trinta anos, controlou milhares de pessoas da União Soviética. O box contém dois volumes: o primeiro abrange o período que vai da revolução que derrubou um regime secular em plena Primeira Guerra Mundial até a imposição da mão de ferro stalinista sobre a URSS. No segundo acompanhamos o relato da turbulenta trajetória do ditador russo desde o momento em que rompe o pacto de não agressão com a Alemanha nazista até sua morte. Mais do que uma biografia, esta obra é o documento definitivo sobre o homem, o tempo e a tragédia.
Mesmo que os imperialistas destruam o poder bolchevique amanhã, não lamentaremos ter tomado o poder nem por um segundo. Em caso de derrota, mesmo assim, teremos servido à causa da revolução e o nosso experimento ajudará outras revoluções". Assim falou Lenin num Congresso de Professores em 1919. A um tempo vitória e derrota da perspectiva comunista, a revolução russa mantém hoje a sua atualidade pelo fato de que a sua luta ainda é, sob novas formas, a nossa luta: a ampliação do domínio do capital em termos extensivos e intensivos como nexo social apenas repõe, cada vez mais urgentemente, a necessidade de sua superação. As possibilidades e obstáculos para a criação da sociedade comunista no contexto russo, os erros e acertos dos revolucionários soviéticos, eis o que é preciso compreender e dar conta, se pretendemos avançar de fato para o socialismo. Todo poder aos sovietes! A revolução russa 100 anos depois reúne escritos de autores diversos que mantêm em comum o horizonte: a finalidade última de alcançar a liberdade. Pensada no sentido marxiano de emancipação das relações sociais alienadas e reabsorção pela sociedade de suas próprias forças, a perspectiva da liberdade orienta as pesquisas dos autores que contribuem nesta publicação, visando o desenvolvimento de um contexto que supera a oposição entre indivíduo e sociedade, de modo que os indivíduos se potencializem mutuamente. Este é o sentido geral das análises desta que foi a maior experiência revolucionária da humanidade e o espírito que o lema "Todo poder aos sovietes!" sintetiza. A distância histórica não foi capaz de anular sua atualidade. A sua finalidade ainda é a nossa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário